PTC fortalece bases para a eleição de 2014


Encontro discutiu estratégias para as eleições de 2014

Partido estimula filiações e candidaturas em todo o Estado. Pretende lançar 65 candidatos à Assembleia Legislativa e 27 à Câmara Federal


Lideranças de todo o Estado vieram ao encontro

O Partido Trabalhista Cristão (PTC) do Maranhão deve lançar 65 candidatos a deputado estadual e 27 tentarão vaga na Câmara Federal, nas eleições do próximo ano.  Durante o Décimo Encontro da Juventude, realizado neste sábado (21), no ginásio da Universidade Infantil Rivanda Berenice (UIRB), no Recanto do Vinhais, a sigla recebeu 45 novos filiados, entre eles o ex-servidor do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Vidigal Filho, e o ex-deputado Nonato Aragão.

Com dois prefeitos (São Luís e Pedro do Rosário) e 42 vereadores no Maranhão, as lideranças do PTC, em sintonia, rechaçaram, durante o encontro do partido, nota publicada na coluna política do jornal O Estado do Maranhão, deste sábado (21), que chamou a sigla de “nanica”. 

Segundo o presidente estadual, ex-deputado Edivaldo Holanda, um partido que elegeu o prefeito da capital do Maranhão, maior cidade do Estado, que tem tantos parlamentares nas câmaras municipais do Estado e que terá um número representativo de candidatos à Assembleia Legislativa e à Câmara Federal não pode ser chamado de pequeno.

A expectativa do PTC é de que até o dia 05 de outubro, prazo final de filiações para quem pretende disputar a eleição do ano que vem, outras grandes adesões aconteçam para fortalecer, ainda mais, a sigla. O ex-candidato a vereador, Wellington do Curso, que participou do encontro, pode vir somar ao partido também.

Estratégias – Durante o encontro, os petecistas traçaram estratégias para atuação nas eleições do ano que vem, quando será definido novo quadro de deputados estaduais, federais, governador e senadores para o Maranhão. O partido discutirá com outras siglas, PDT, PSB e PCdoB, um candidato de consenso ao Senado Federal; e em relação ao governo do Estado, a tendência é uma aliança em torno do projeto de alternância de poder com a pré-candidatura do presidente da Embratur (Empresa Brasileira de Turismo), Flávio Dino.

De acordo com o presidente municipal do PTC de São Luís, Luís Pavão Filho, o “Pavãozinho”, o partido vem apresentando um crescimento muito positivo e a expectativa é de que a sigla eleja, em 2014, pelo menos dois deputados federais e quatro estaduais. “Estamos estimulando novas filiações e candidaturas à Assembleia Legislativa e à Câmara Federal. Temos excelentes nomes em nossos quadros que puxarão votos e nos ajudarão a eleger mais candidatos”, disse.

O encontro do PTC lotou o ginásio da UIRB e contou com importantes lideranças do partido em todo o Maranhão. Participaram ainda o deputado estadual Rubens Pereira Jr., o vereador Edmilson Jânsen e os secretários municipais de Obras e Serviços Públicos, José Silveira; de Segurança Alimentar, Fátima Ribeiro, que também se filiou ao partido; e o de Trânsito e Transportes, Carlos Rogério.


Vidigal Filho pediu demissão do TSE 
para disputar mandato pelo PTC


Edivaldo Holanda cumprimenta o novo filiado


Vidigalzinho assinou ficha de filiação ao PTC

Um dos pontos altos do encontro do PTC foi a filiação de Edson Vidigal Filho (que já chamo de “Vidigalzinho”), filho do ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Edison Vidigal. Ele assinou ficha de filiação no PTC para disputar vaga na Assembleia Legislativa, após pedir exoneração de um cargo concursado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que lhe garantia um confortável salário por mês.

Vidigalzinho disse que resolveu abdicar de um emprego efetivo  para realizar o sonho de ingressar na política e poder  participar das decisões do Estado em prol de seu povo e fazer mudanças, propondo leis. “O que nos mantêm vivos é a utopia, é o sonho. Se estamos vivos, nós sonhamos o tempo todo. E agora eu quero realizar um sonho antigo, porque não devemos ter medo de ousar”, disse o novato na política.

Durante discurso no encontro, Vidigal Filho contou um pouco de sua história, explicou porque buscou concurso público em Brasília, após se formar em Direito, e falou sobre a decisão de pedir demissão de um cargo no TSE, onde trabalhou por 19 anos, para tentar um mandato de deputado estadual.

A decisão de Vidigalzinho mereceu um aparte do presidente estadual do PTC, ex-deputado Edivaldo Holanda, que chamou a atenção para a ousadia, coragem e vontade política do novo filiado que deixou um emprego efetivo para disputar uma eleição e realizar um sonho. 

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.