Rose Sales nega distribuição de contratos em nota de esclarecimento


Vereadora divulgou nota de esclarecimento
A vereadora Rose Sales (PCdoB) reagiu, com indignação, aos boatos de que teria distribuído a portas fechadas contratos da Prefeitura de São Luís aos  apoiadores. Veja o teor da nota de esclarecimento divulgada na tarde desta segunda-feira (18)
MANDATO POPULAR E TRANSPARENTE

Tenho um mandato como vereadora graças a Deus e ao povo de São Luís. Não sou financiada por pessoas ou por grupos políticos, portanto, milito livre e com autonomia para continuar defendendo o interesse do povo de São Luís.

Recebi toda essa mentira e essa calúnia de que fui “flagrada” distribuindo a portas fechadas, Contratos da Prefeitura, aos meus apoiadores, com bastante indignação, e ao mesmo tempo com alegria, por gerar incômodo àqueles que usam os espaços de poder para perpetuarem as velhas práticas políticas da manipulação da opinião pública e da escravização social.

É somente em respeito ao povo de São Luís e do Maranhão que venho utilizar o meu direito de resposta, pois durante os últimos quatro anos enfrentei situações de perseguição e boicotes por me colocar na trincheira em defesa do povo de São Luís – das comunidades, dos trabalhadores em geral, dos segmentos mais vulneráveis (crianças, mulheres, negros, pessoa com deficiência,idosos …) – enfim, pela preservação do município e pela garantia dos direitos fundamentais.

Mesmo de forma solitária em termos parlamentar, sempre tive demandas populares e o apoio de suas organizações, como também, de sindicatos, de movimentos sociais e a parceria de vários órgãos de controle – OAB, DPE, DPU, MP, TCU, AGU, etc., onde busco o suporte para denunciar abusos e descasos contra a população.

No atual cenário político em que São Luís rompeu com o atraso e o nosso mandato cumpriu esse importante papel social de agente pela transformação e pela ruptura, a Prefeitura de São Luís tem hoje um gestor que foi candidato de nossa coligação, e essa relação nunca foi confundida, ao contrário, o acesso e o poder político que hoje tenho, está e continuará sendo utilizado para resgatar, restituir direitos coletivos, considerando as variadas pautas de luta que protagonizei no enfrentamento com a gestão anterior e, para diferencialmente, contribuir com o Prefeito Edivaldo Holanda Júnior na reconstrução de nossa cidade.

Desde a eleição do Prefeito Edivaldo e em atendimento às petições de vários outros segmentos e comunidades, tenho intensificado as minhas reivindicações junto a ele e feito articulações junto às Secretarias competentes para a efetivação de uma série de negações de direitos trabalhistas, pela valorização profissional e pela melhoria das condições de trabalho (cumprimento de 1/3 da hora atividade aos educadores; reajuste salarial aos servidores; efetivação dos educadores concursados que foram demitidos e dos 98 agentes de endemias, “seletivados” desde 2010; regularização da situação dos trabalhadores da COLISEU, ACS e a revisão dos SP’s, transformados pelo ex-prefeito em comissionados, etc.).

Dentre essas demandas, existe uma questão bastante emblemática que é a ação criminosa da gestão anterior de ter deixado quase cerca de 1.000 trabalhadores no chão das escolas municipais que eram contratados da empresa MULTICOOPER, trabalhando desde maio/2012, como sempre, arduamente,” a pão e água”, sem nenhum salário. Luto sempre desde 2009 em favor destes trabalhadores, pelo compromisso com estes e não com a Cooperativa, quando passaram reiteradamente por humilhações e constrangimentos, devido aos atrasos recorrentes de seus salários, que perduraram três, quatro e seis meses.

Ninguém freará o meu mandato a serviço do povo. Não tenho curral eleitoral junto a esses trabalhadores e nem relação a nenhuma categoria ou segmento, pois nunca fiz a indecência de condicionar o meu dever de lutar por seus interesses em troca de voto. Nesse aglomerado de servidores, tem eleitores dos vários candidatos a prefeito e dos 31 vereadores eleitos. O que venho lutando, é que seja feita a justiça em favor deles, que a Prefeitura oriente as empresas, primordialmente nas suas contratações a reaproveitarem esses que estão em média há 10 anos prestando serviço ao município em situação precarizada, que inclusive foi alvo de uma representação de minha autoria, na Procuradoria Geral do Trabalho contra oExecutivo municipal no fim do exercício de 2012.

No último dia 12 de março, fiz reunião de trabalho com a representação desses trabalhadores, na presença da Superintendência Administrativo Financeira da SEMED, não para distribuir Contratos, como caluniosamente foi divulgado, mas para democratizar as informações, procedimentos, entraves e resoluções que já conquistamos, reiterando, o meu compromisso, e demonstrando que, São Luís tem prefeito e gestão para enfrentar toda essa grave situação com respeito e seriedade.

O Jornalismo, como tudo na vida, tem que ser feito com responsabilidade onde as desinformações e a politicagem, não podem estar acima da dor e do sofrimento de um povo que tem que ser minimamente respeitado. A voracidade por posição política por parte de alguns não poderá se sobrepor a tudo isso.

Postagens relacionadas

One thought on “Rose Sales nega distribuição de contratos em nota de esclarecimento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.