São Luís atinge 91,26% e Edivaldo comemora sucesso da vacinação contra gripe

As vacinas contra a gripo continuam disponíveis nos postos de saúde, agora, para toda a população

Cinquenta e quatro salas de vacinação, postos volantes em shoppings e em bairros populosos da capital, busca ativa em escolas, imunização domiciliar e dois dias “D de Vacinação” foram algumas das estratégias usadas pela gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior para garantir a cobertura da Campanha Nacional de Vacinação contra gripe. Nesta sexta-feira (31) a campanha foi encerrada em São Luís com uma cobertura de 91, 26% do público-alvo. De acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), os grupos que atingiram maior cobertura foram os de comorbidades, professores  e idosos.

“O resultado da cobertura vacinal reflete o compromisso de toda a nossa equipe de saúde para atingir a meta. Desde o início da campanha estamos mobilizados para garantir ampla cobertura e ficamos felizes com os resultados alcançados. As milhares de pessoas que procuraram os nossos postos de vacinação estão agora protegidas da doença. É mais saúde e qualidade de vida”, destacou o prefeito Edivaldo.

Executada pela Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), a ação começou no dia 10 de abril. Com o fim da campanha, as doses ainda disponíveis nos postos podem ser aplicadas não somente no público-alvo, mas também na população de um modo geral. “Superamos a meta em alguns grupos prioritários, mas vamos continuar buscando, por orientação do prefeito Edivaldo, o público-alvo para garantir uma cobertura ainda maior, sobretudo no grupo das crianças, o de menor cobertura”, disse o secretário de  Saúde, Lula Fylho. Os percentuais atingidos até esta sexta-feira foi: idosos 106,61%, puerpera 104,74%, professores 116,07%, pomorbidades 115,65%, crianças 66,47%, gestantes 89,81% e trabalhadores de saúde 87,52%.

“Agradeço o empenho e compromisso de toda a nossa equipe da Semus, que esteve mobilizada em força-tarefa nas unidades básicas de saúde, postos volantes em escolas, bairros e shoppings da capital e outros”, concluiu Edivaldo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *