Suposto envolvimento de desembargador maranhense com Beira-mar será investigado

Curta aqui o Blog da Sílvia Tereza no Facebook

Froz Sobrinho negou que haja pedido de transferência de presos

O coordenador-geral do Grupo de Monitoramento Carcerário, desembargador José Ribamar Froz Sobrinho, comentou a reportagem exibida no “Fantástico” nesse domingo (11), que mostrava uma conversa entre os traficantes Fernandinho Beira-Mar e Marcinho VP.  

Em entrevista à Imprensa, ele negou que exista pedido de transferência de presos para o Maranhão e afirmou que o possível envolvimento de um desembargador no processo de transferência de presos será investigado pelo Tribual de Justiça do Maranhão.

No diálogo mostrado no “Fantástico”, os traficantes falam, entre outros assuntos, sobre uma possível transferência para um presídio no Maranhão e, ainda, sobre a possível ajuda de um desembargador no esquema.

Pedido de transferência – Froz Sobrinho afirmou que não há nenhum pedido de transferência de presos para o Maranhão.  “Nós temos um problema sério de vagas que não temos vagas disponíveis, temos uma superlotação carcerária. Ele necessitaria de uma construção especial, de um regime fechado onde ele fique isolado. Não há nenhum pedido”, afirmou.

Sobre o possível contato de um desembargador do Maranhão com Fernandinho Beira-Mar, o desembargador afirmou que é possível que Beira-Mar estivesse se referindo ao ex-advogado dele, Luiz Teles, que é ex-integrante do Tribunal de Justiça.  “Em relação a isso, o que vamos fazer é investigar internamente. Eu posso afirmar que, talvez, ele esteja se referindo ao advogado dele que é um ex-integrante do Tribunal de Justiça, e deve ter um contato com ele”, disse.

Ainda na manhã desta segunda, a Associação dos Magistrados do Maranhão (Amma) divulgou nota sobre a reportagem exibida no “Fantástico”. Segundo a nota de repúdio, “tais insinuações contra o Judiciário estadual, acrescentando que a declaração genérica de um reconhecido facínora não tem credibilidade para pôr em dúvida a honra dos componentes do Tribunal de Justiça do Estado”.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.