Flávio Dino responde ataque de deputada do PSL

Joice Joice Hasselmann (PSL), veio ao Maranhão no final de semana e ao invés de propor um diálogo pela a aprovação da Reforma da Previdência, preferiu atacar o governador Flávio Dino (PCdoB).

Fazendo o inverso do que pode ser feito, a deputada federal e líder do governo na Câmara dos Deputados, Joice Joice Hasselmann (PSL), veio ao Maranhão no final de semana e ao invés de propor um diálogo pela a aprovação da Reforma da Previdência ou debater políticas públicas com as esferas do Estado, preferiu atacar o governador Flávio Dino (PCdoB).

Joice afirmou que o Maranhão, mesmo com tantas riquezas, tem pobreza, ruas cheias de lixo, falta de e uma saúde precária e prosseguiu afirmando que, “antes de falar de Previdência, eu vou dizer pra vocês: vocês têm que trocar esse governo. E têm que trocar esse governo o mais rápido possível. Vocês não merecem o governo que hoje comanda o Maranhão.”

O governador Flávio Dino analisou a situação e respondeu a provocação da deputada. “Há uma nova moda na extrema-direita: figuras políticas de pouca expressão me agredindo com mentiras, termos chulos, baixarias. Não respondo a esse tipo de coisa. Tenho juízo, boa educação e mais o que fazer. Depois de 15 inaugurações em 15 dias, já temos mais nesta semana. Avante”, escreveu.

Flávio Dino rebate ataques de opositores

Flávio Dino também comentou que, mesmo com a torcida da família Sarney para que o Estado quebre, o Maranhão anda com as finança em dia

O governador Flávio Dino (PCdoB) manifestou-se, por meio de suas redes sociais, sobre os ataques que vem sofrendo da oposição. A ação orquestrada teve início após o Governo do Estado ter encaminhado para a Assembleia Legislativa um pedido para autorização de um empréstimo de R$ 600 milhões. O dinheiro deve ser usado para o pagamento de precatórios deixados pelo governo Roseana Sarney.

“Lamento que a turma do passado insista em mentir e agredir. Quem deu calote em precatórios (dívidas judiciais) foi Roseana Sarney. Quase nada pagou entre 2012 e 2014. Eu já paguei mais de R$ 500 milhões desse rombo que eles deixaram. E esse é apenas um dos rombos. Todos os empréstimos bilionários que eles fizeram no passado são pagos por mim. Inclusive uma estranha dívida atrelada à variação do DÓLAR. Que sangra dramaticamente os cofres do Maranhão. E eles ainda têm coragem de falar em “rombos”?”, escreveu Flávio Dino.

Flávio Dino também comentou que, mesmo com a torcida da família Sarney para que o Estado quebre, o Maranhão anda com as finança em dia.

“Desde 2015 que pregam que o Maranhão está “quebrado” e anunciam o caos. Torcem pelo pior. Nunca gostaram do Maranhão e sim dos seus interesses familiares. Com síndrome de abstinência de cofres públicos, ficam agressivos. Pegamos a maior recessão econômica nacional desde 1929. Não me queixo. Luto com o que tenho e como posso. Mantemos o Estado funcionando. Ampliamos serviços públicos. Eles foram rejeitados em 2014 e 2018, mas, em desespero, querem voltar a mandar no grito. Coisa feia”, concluiu Flávio.

Em nota, capelães do Sistema de Segurança repudiam ataques…

Os capelães do Sistema de Segurança Pública do Maranhão lançaram nota, no final da tarde desta quarta-feira (03), em repúdio aos ataques que vêm sofrendo e divulgados em setores da mídia.

Segundo eles, tais ataques têm como objetivo atingir não somente o governador do Estado, Flávio Dino (PCdoB), mas prejudicar a imagem dos sacerdotes católicos e pastores evangélicos, bem como a importância social da igreja.

 

VEJA NOTA

CAPELÃES REPUDIAM ATAQUES

Nós, capelães religiosos do Sistema de Segurança do Estado do Maranhão, diante dos ataques que temos recebido nos últimos dias, vimos a público esclarecer a verdade e repudiar as inverdades contra nossa honra e contra nossas igrejas. Tais ataques têm como objetivo atingir não somente o governador do Estado, mas prejudicar a imagem dos sacerdotes católicos e pastores evangélicos, bem como a importância social da igreja. Tem como objetivo também atingir o serviço de capelania religiosa, que foi criado no Maranhão com a Lei nº 149 de 15.07.1843 e também, mais recentemente reformulada e reconhecida há 25 anos.

Para restabelecer a verdade dos fatos, informamos que no quadro de capelães religiosos neste governo, foram mantidos 13 capelães que têm sua origem ou foram nomeados em governos anteriores, a saber: Edson Lobão, José Reinaldo Tavares, Roseana Sarney e Jackson Lago.

Afirmamos que somos sacerdotes cristãos, padres e pastores e que estamos servindo a corporação da polícia militar, corpo de bombeiros, polícia civil e sistema penitenciário com o único propósito de levar a palavra de Deus, o aconselhamento espiritual, bem como a assistência aos familiares daqueles que são servidores públicos ou apenados pela justiça. Quem conhece o nosso sacerdócio, sabe da importância dele.

Ao atacar padres e pastores, estão atacando nossas igrejas católicas e evangélicas, porque somos sacerdotes honrados e respeitados em nossas igrejas e comunidades.

Nós, padres e pastores capelães religiosos, ao defendermos a nossa honra diante destes ataques, conclamamos católicos e evangélicos a orarem pela paz no Maranhão e que a verdade prevaleça.

Capelães religiosos do Sistema de Segurança do Maranhão.

Reportagem do Estadão diz que ataques do grupo Sarney contra Flávio Dino devem aumentar

Na corrida pelo Palácio Dos Leões, Flávio Dino é o principal alvo do grupo Sarney dia e noite

Uma reportagem do jornal Estadão trouxe à tona fatores que mostram o aumento dos ataques do grupo Sarney, nos últimos meses, ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), tido como o seu principal adversário político nestas eleições que se aproximam. A troca de domicílio do ex-presidente José Sarney do Amapá para o Estado foi um dos destaques. Mas o que preocupa são os verdadeiros motivos por trás dessa mudança.

A reportagem mostrou que o ex-presidente só fala em duas coisas: evitar o esfacelamento de seu clã e tirar a qualquer custo do Palácio dos Leões o governador Flávio Dino (PC do B), eleito em 2014 depois de 40 anos de domínio quase ininterruptos do sarneísmo no Estado.

O Estadão trouxe um depoimento de Benedito Buzar, um dos amigos mais próximos do ex-presidente. Nas suas palavras, o que Sarney pensa é em voltar ao poder no Maranhão. Nem é tanto pelo poder em si, mas por uma maneira de dar a volta por cima, de no final não sair como derrotado.

E os ataques do grupo Sarney e da TV Mirante contra o governador Flávio Dino (PCdoB) podem aumentar ainda mais. De acordo com a reportagem, o próximo passo de Sarney é abandonar de vez Brasília, onde mantém uma casa, para se estabelecer apenas em São Luís.

Em um áudio gravado pela Polícia Federal e divulgado recentemente, José Sarney dá ordens ao seu filho, Fernando Sarney, para que a TV Mirante intensifique ataques para quem ele classifica como inimigo.

Agora, com a permanência de José Sarney no Maranhão, o líder maior do grupo comandará pessoalmente os ataques diários contra o governador Flávio Dino nos jornais locais da TV Mirante e na produção para os jornais nacionais da TV Globo.

Governador desabafa contra os ataques do grupo Sarney

O governador disse estar preparado porque sabe que eles nunca deixarão de sabotar o governo e de perseguir todos os dias ele e seus secretários.

Em um evento lotado de médicos, advogados e lideranças políticas em apoio ao secretário de Saúde, Carlos Lula, no Grand Hotel São Luís, o governador Flávio Dino (PCdoB) fez o uso da palavra para rebater os ataques liderados pelo ex-presidente José Sarney (MDB) contra sua administração.

O ato de solidariedade mostrou a sintonia do governo e a firmeza de Flávio Dino para continuar lutando contra as agressões arquitetadas pelo grupo Sarney com o uso diário de matérias veiculadas na TV Mirante e reproduzidas nos jornais nacionais da TV Globo.

Flávio Dino desabafou dizendo que o grupo Sarney está preocupado com seus pequenos espaços de poder, com suas vaidades e privilégios. Que a falta de helicóptero, de lagostas e caviar, pagos com dinheiro público, reflete as baixarias praticadas diariamente contra membros do governo.

O governador disse estar preparado porque sabe que eles nunca deixarão de sabotar o governo e de perseguir todos os dias ele e seus secretários, mas que a verdade vai vencer.

Flávio Dino reage a ataques da oposição…

A matéria é mais um ataque capitaneado pelo grupo Sarney.

O governador Flávio Dino (PCdoB) usou suas redes sociais para se manifestar sobre a matéria veiculada no programa Fantástico, neste domingo (23).

Segundo o governador, a matéria foi “mais um ataque capitaneado pelo grupo Sarney, dono da TV Mirante, afiliada à Rede Globo no Maranhão e detentora de várias retransmissoras espalhadas pelo Estado, além de rádios e jornal impresso”.

Flávio Dino escreveu que o governo está dizendo e provando há mais de três dias que ele jamais ordenou, concordou ou autorizou a assinatura do memorando da Polícia Militar. O governador classificou como uma armação ridícula e afirmou que os pequenos interesses coronelistas e delírios fascistas insistem nesse “jornalismo”.

O governador ainda falou que a TV de José Sarney não faz reportagem sobre um único programa governamental. Segundo ele, até eventos como carnaval tentam esconder. Falou ainda das maldades e da perseguição que sofre todos os dias, o dia inteiro.

Flávio Dino finalizou dizendo que não se abate com nada, que tem muita fé em Deus e, por isso, não tem medo. Afirmou o governador que tem muita confiança no trabalho sério e honrado que faz e divulga nas redes sociais.

Ficou para trás o tempo das fraudes na Saúde, diz Márcio Jerry em resposta a ataques de Andrea Murad

Os secretários estaduais de Comunicação e Articulação Política, Márcio Jerry, e de Saúde, Carlos Lula, reagiram, por meio de sua conta no Twitter, nesta terça-feira (15), ao que consideraram “mentira”, “calúnia”, “devaneios” da deputada oposicionista Andrea Murad (PMDB), filha do ex-todo poderoso do governo Roseana Sarney, Ricardo Murad (PMDB) sobre o processo de instalação do Hospital de Traumatologia e Ortopedia do Maranhão, no que diz respeito, sobretudo, ao aluguel do prédio que sediará o HTO.

Márcio Jerry “cutucou” forte ao dizer que ficou pra trás o tempo das fraudes na Saúde pública, fazendo menção à gestão do ex-super secretário Ricardo Murad. “A saúde avançando no Maranhão e os que foram acusados de desviar recursos do setor, milhões de reais, esperneiam, mentem, caluniam. O  Estado  está em processo de mudança e vai continuar mudando”, afirmou o secretário de Articulação Política.

Para Márcio Jerry, a deputada Murad se contorce porque vê sendo feito, agora, aquilo que a oligarquia não fez: cuidar bem da saúde de nosso povo. O secretário sugeriu, via Twitter, que a deputada explique aos maranhenses as graves acusações e denúncias de desvio, supostamente, cometidos pelo pai dela na saúde do Estado, durante o governo Roseana Sarney.

 

“É triste notar que a oposição não quer o HTO”, diz Carlos Lula

Segundo Carlos Lula, também por meio do Twitter, esse “escândalo”, projetado por Andrea Murad, não merece ser alvo de atenção, pois não há ilegalidade no caso.

Carlos Lula disse que o Hospital de Traumatologia e Ortopedia do Maranhão representa a duplicação do número de leitos ortopédicos oferecidos pelo Estado em São Luís.

“É triste notar que a oposição não quer o HTO, sabe-se lá por qual motivo. Reafirmo: o debate no Estado pode ser muito mais qualificado”, mandou Carlos Lula.

Facções criminosas querem retomar poder em Pedrinhas e agem com claro apoio político, diz Flávio Dino

Governador Flávio Dino diz que o governo não cederá às chantagens dos bandidos

Governador Flávio Dino disse que o governo não cederá às chantagens dos bandidos

O governador Flávio Dino afirmou, na manhã desta sexta-feira (30), que os ataques ocorridos na noite de ontem foram organizados por facções criminosas que querem retomar controle do Complexo Penitenciário de Pedrinhas. “Facções criminosas, com claros apoios políticos, resolveram se unir para tentar impor as suas próprias regras na Penitenciária”, afirmou.

“Quando chegamos ao governo, facções mandavam na Penitenciária de Pedrinhas”, afirmou o governador. Ele afirmou que, “desde então, estamos aplicando organização e disciplina”. O governador afirma que as facções criminosas “querem a volta da livre circulação de drogas, armas e celulares”.

O governador ressaltou a importância das ações das Forças de Segurança no Maranhão. “Não podemos permitir isso, pois significaria aumento da criminalidade dentro e fora do sistema penitenciário. Já vimos o caos em 2013 e 2014”.

Ação policial

A Secretaria de Segurança Pública registrou, na noite de quinta-feira (29), ataques incendiários a cinco ônibus na cidade de São Luís e um em Imperatriz, além de um caminhão de lixo e uma escola. Já ao menos 23 suspeitos foram detidos.

Ainda durante a noite, o governador Flávio Dino esteve reunido com todo o comando da Segurança do estado para realinhar as estratégias de enfrentamento dos criminosos. “Por anos deixaram o poder das facções criminosas crescer. Agora estamos enfrentando e não vamos ceder a chantagens para volta ao passado. Mobilização total contra esses ataques”, afirmou o governador.

A partir desta sexta-feira (30), mais policiais estarão nas ruas, por meio da Operação ‘Eleições 2016’. Haverá aumento no efetivo policial por meio de parceria entre as polícias Civil, Militar e o Exército Brasileiro, além da convocação de militares lotados em cargos administrativos e oficias que estariam de folga para cumprir jornada extra operacional remunerada. Nesta quinta, o governador Flávio Dino ainda solicitou ao governo federal o envio de mais tropas para o reforço do policiamento.

O aumento do efetivo policial nas ruas é garantido por meio da convocação de oficiais (tenentes, capitães, majores e coronéis) e praças (soldados, cabos, sargentos e subtenentes), incluindo militares de funções administrativas e aqueles que estariam de férias, para reforço do contingente policial que deverá atuar nas ruas no dia de votação.

Após novos incêndios, ônibus são recolhidos em São Luís

ônibus foi incendiado no Recanto dos Vinhais, nesta quarta

ônibus foi incendiado no Recanto dos Vinhais, nesta quarta

Mais dois ônibus foram incendiados em São Luís nesta quarta-feira (01), um no Recanto dos Vinhais e outro no Piquizeiro. Após os novos ataques, o Sindicato das Empresas de Transporte (SET) resolveu recolher todos os coletivos até que a governadora do Maranhão, Roseana Sarney, garanta  Segurança necessária para a volta da circulação da frota.

A dor de cabeça não é apenas da governadora, já que o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr, é o responsável pelo transporte público na capital maranhense. Centenas de passageiros estão sendo abandonados nos Terminais de Integração e em diversos pontos da cidade.

Os rodoviários se reúnem, ainda nesta quarta (01), na sede do sindicato para discutir a situação. Não está descartada uma paralisação da categoria.

Os ônibus foram incendiados na Rua Antares, no Recantos dos Vinhais, e no bairro Pão de Açúcar, próximo ao Anil.

Onda de ataques

No mês de janeiro, uma criança de seis anos morreu após um ônibus ser atacado no bairro da Vila Sarney, em São Luís. Ana Clara Santos Sousa  teve 95% do corpo queimado. Ela estava com a mãe e a irmã quando o veículo foi invadido e incendiado por homens armados.

A onda de ataques que vitimou Ana Clara Santos Sousa começou depois de uma operação realizada pela Tropa de Choque da Polícia Militar no Complexo de Pedrinhas, com o objetivo de diminuir as mortes nas unidades prisionais do Estado.