Hilton Gonçalo perde controle do Avante

Fernanda Gonçalo, prefeita de Bacabeira; Hilton Gonçalo, prefeito de Santa Rita e Iriane Gonçalo, prefeita de Pastos Bons

O prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, perdeu o controle regional do Avante e anunciou sua saída do partido. Além dele, Fernanda Gonçalo, prefeita de Bacabeira, Iriane Gonçalo, prefeita de Pastos Bons, o deputado estadual Ariston e o suplente de deputado federal Elizabeth Gonçalo também comunicaram a desfiliação do partido.

Considerado um dos grupos políticos mais fortes e atuantes no Maranhão, os Gonçalos, deixam a legenda para que possam definir a estratégia política visando as eleições de 2020 e 2022.

Além de disputar a reeleição em Santa Rita, Hilton Gonçalo também tem se preparado para outras disputas, dentre elas, a reeleição de Fernanda Gonçalo em Bacabeira, a disputa em Pastos Bons, Milagres, Axixá, Sucupira do Norte, Palmeirândia, Nova Iorque, Nova Colinas, Rosário e São Luís.

Mesmo com todo esse capital político, Hilton Gonçalo viu o Avante ser disputado por outros deputados federais com mandatos. A perda, sobretudo, foi pela não eleição de seu irmão, Elizabeth Gonçalo, para a Câmara dos Deputados. Informações dão conta que os deputados federais Josimar de Maranhãozinho e Júnior Lourenço irão comandar a legenda no Maranhão.

Partidos trocam de lideranças e preparam casa para eleições 2020

Desde que as eleições de 2018 acabaram, algumas legendas já promoveram mudanças em seus diretórios no estado

Faltando pouco mais de um ano para as eleições de 2020, partidos políticos no Maranhão estão promovendo mudanças para encarar as disputas e fortalecer suas legendas no estado. Desde que as eleições de 2018 acabaram, algumas legendas já promoveram mudanças em seus diretórios no estado.

O Podemos já trocou seu diretório. No lugar do deputado Aluísio Mendes, assume os aliados de Eduardo Braide. Aluísio por sua vez deve assumir o PSC.

A senadora Eliziane Gama passou o bastão do Cidadania (ex-PPS), para seu irmão, Eliel Gama. Pedro Lucas Fernandes assumiu a presidência do PTB no lugar do seu pai, o ex-deputado Pedro Fernandes.

O deputado federal Edilázio Júnior assumiu o PSD no lugar de Cláudio Trinchão. O deputado Júnior Marreca Filho assumiu o Patriotas no lugar do ex-deputado Jota Pinto. Já no PTC, saiu o deputado Edivaldo Holanda e assumiu o ex-deputado Júnior Verde.

Um outro partido que deve trocar de presidente é o Avante. Hilton Gonçalo perde a presidência do partido para o deputado Josimar de Maranhãozinho, que deve indicar um aliado.

Algumas mudanças ainda podem acontecer até as eleições, sobretudo nos comandos dos diretórios da capital e nas maiores cidades. O jogo da política ainda reserva mais surpresas.

Pré-candidatos a vereadores cobram um posicionamento de Eduardo Braide sobre novo partido

Alguns pré-candidatos a vereadores que pretendem disputar as eleições de 2020 em São Luís cobram do deputado federal, Eduardo Braide, uma definição em relação ao novo partido que possivelmente irá disputar a eleição para prefeitura.

Segundo colocado na disputa pela prefeitura da capital em 2016 e segundo colocado na disputa por uma vaga na Câmara dos Deputados em 2018, Braide é um nome praticamente certo na disputa de 2020.

Sem definição de qual partido irá disputar, após a saída do PMN, o deputado tem recebido cobranças de alguns pré-candidatos a vereadores.

As lideranças aguardam a definição do novo partido para iniciar os trabalhos em suas bases e tentar surfar na popularidade de Braide.

Um dos prováveis destinos do deputado pode ser o Podemos ou o Avante.

Ariston Ribeiro e Zito Rolim na expectativa de assumir uma vaga na Alema

Ambos os políticos foram bem votados e aguardam o anúncio de novos deputados para cargos no Governo do Estado para assumir uma vaga na Alema

A reforma administrativa iniciada pelo governador Flávio Dino (PCdoB), tem colocado muitos políticos maranhenses na expectativa de assumir uma vaga na Assembleia Legislativa do Maranhão. É o caso dos suplentes de deputado estadual Ariston Ribeiro (Avante) e Zito Rolim (PDT).

Com o retorno do deputado estadual Edivaldo Holanda, que assume pela indicação de Marcelo Tavares para a Casa Civil do Governo do Estado. Os próximos da fila são Ariston e Zito.

Ariston é vice-prefeito de Santa Rita e irmão do presidente do Avante, Hilton Gonçalo. Já Zito Rolim foi prefeito de Codó por duas vezes.

Ambos os políticos foram bem votados e aguardam o anúncio de novos deputados para cargos no Governo do Estado para assumir uma vaga na Alema.

Eduardo Braide prepara para os próximos dois dias o anúncio do novo partido

O deputado federal eleito, Eduardo Braide, vai anunciar nos próximos dois dias o seu novo partido. Braide foi eleito pelo PMN, legenda em que foi presidente nos últimos anos, mas anunciou sua saída após a legenda não passar pela Cláusula de Barreira, aprovada na última reforma política.

Informações dão conta que Braide pode ir para o Podemos, partido liderado no Maranhão pelo deputado federal Aluísio Mendes e que na última eleição lançou como candidato à Presidência da República o senador Álvaro Dias.

Mesmo com as especulações afirmando que o Podemos pode ser o partido escolhido por Braide, o Avante continua sendo uma das opções e pode acolher o deputado federal. O Avante é presidido no Maranhão pelo prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo.

Eduardo Braide já foi deputado estadual por duas vezes e é um dos prováveis candidatos à prefeitura de São Luís em 2020.

Eduardo Braide deve anunciar novo partido nos próximos dias

Das 21 legendas que passaram pela Cláusula de Barreira, pelo menos nove podem hospedar Eduardo Braide, entre eles está o PSL, PR, PP, PSD, DEM, PSDB, PSC, Podemos e Avante

O deputado federal eleito, Eduardo Braide, vai deixar o PMN, que, juntamente com outras legendas, caíram na Cláusula de Barreira aprovada na última reforma política. Nove partidos ainda estão sem um futuro definido e ficarão sem verba do Fundo Partidário e sem o tempo na TV e no Rádio, entre eles está o PMN.

Eduardo Braide ainda não quis adiantar para qual partido pretende transferir sua filiação. Em entrevista à Rádio Mirante AM, o deputado disse apenas que deseja mudar para um partido com o qual tenha certa afinidade.

“Partido que eu tenha liberdade de votar de acordo com a minha consciência. Não me elegi de forma livre para que chegue em Brasília e o partido seja dono da minha consciência”, afirmou.

Questionado sobre sua eventual candidatura à prefeitura de São Luís em 2020, Braide não confirmou se entrará na empreitada. Entretanto, ao afirmar que um dos motivos de sua saída seria a falta de tempo de televisão, tudo indica que o parlamentar esteja escolhendo uma sigla que lhe permita ter tempo de TV na corrida municipal de 2020.

Das 21 legendas que passaram pela Cláusula de Barreira, pelo menos nove podem hospedar Eduardo Braide, entre eles está o PSL, PR, PP, PSD, DEM, PSDB, PSC, Podemos e Avante.

Avante realiza convenção e oficializa apoio a Flávio Dino

O Avante foi o 16º partido a declarar apoio ao governador Flávio Dino

O Avante realizou convenção, no domingo (05), e apresentou seus candidatos para as coligações proporcionais, além do apoio na majoritária. A convenção foi realizada no Hotel Abbeville, no bairro do São Francisco, em São Luís.

O partido presidido pelo prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, também formalizou o apoio à reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB).

Apenas dois nomes da legenda foram homologados para as disputas proporcionais. Ariston Ribeiro, vice-prefeito de Santa Rita vai concorrer a uma vaga para a Assembleia Legislativa.

Para a Câmara dos Deputados, o partido indicou Antônio Elizabeth Gonçalo, conhecido como Dr. Gonçalo, ex-prefeito de Pastos Bons.

O Avante foi o 16º partido a declarar apoio ao governador Flávio Dino.

Avante é o 16º partido a declarar apoio ao governador Flávio Dino

O Avante junta-se ao PCdoB, PRB, PDT, PPS, PT, DEM, PR, PP, PTB, PSB, PTC, PROS, PPL, Patriotas e Solidariedade

O Avante, presidido no Estado pelo prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, é o 16º partido a declarar apoio ao governador Flávio Dino (PCdoB).

A declaração de apoio foi dada no domingo (29). O Avante junta-se ao PCdoB, PRB, PDT, PPS, PT, DEM, PR, PP, PTB, PSB, PTC, PROS, PPL, Patriotas e Solidariedade

O Avante (antigo PTdoB) foi sondado por outros pré-candidatos ao Governo do Estado, mas a aproximação do presidente com o vice-governador Carlos Brandão (PRB) e outras figuras do PCdoB, fizeram o partido declarar apoio ao governador Flávio Dino.

Rodrigo Maia oficializa desistência na disputa presidencial

Na carta, ele agradece o apoio dos aliados e declara apoio ao tucano Geraldo Alckmin à Presidência

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), oficializou nesta quinta-feira sua desistência na corrida presidencial. Em carta, Maia anuncia que será candidato à reeleição para deputado federal.

O parlamentar já articula para se reeleger no comando da Câmara. Na carta, ele agradece o apoio dos aliados e declara apoio ao tucano Geraldo Alckmin à Presidência.

Leia o carta na íntegra:

“Meus amigos e amigas do Democratas, do PP, do PR, do Solidariedade, do PRB, do PHS e do Avante, nos quatro últimos meses tivemos um convívio ainda mais intenso do que o habitual.

Agradeço o apoio incondicional que recebi de todos, e de cada um de vocês, na tentativa de consolidar minha candidatura à Presidência da República.

Agradeço, sobretudo, porque esse apoio vem sendo dado a mim e àquilo que tento representar: a crença incondicional na força da Democracia e da Política para superar todas as adversidades desse momento singular, duro e difícil da vida nacional.

A decisão conjunta que tomamos, hoje anunciada formalmente para o país, foi a de unir nossos esforços e nossos ideais em torno do nome de Geraldo Alckmin, do PSDB. A biografia de Alckmin saberá honrar os projetos, os anseios, a experiência e o espírito público e republicano que nossas legendas reúnem como patrimônio político de rara força e coesão no Brasil.

A oportunidade que recebi como delegação de vocês permitiu-me voltar a viajar pelas cinco regiões brasileiras, algo que fiz com frequência e com prazer quando fui presidente do DEM, e constatar de perto avanços e retrocessos em todo o nosso território.

Voltei ao sertão nordestino, estive na cidade natal de minha família, a paraibana Catolé do Rocha. Vi a esperança no olhar forte dos sertanejos. Regressei ao Amazonas, a Manaus, onde testemunhei as possibilidades e os desafios do crescimento econômico com sustentabilidade. Constatei, nas planícies intermináveis do Centro Oeste, o imenso retorno que o agronegócio vem dando à nossa economia e ao nosso desenvolvimento.

E é claro que rodar o Brasil também fez com que se tornasse mais aguda a minha visão dos gargalos que travam o país, da miséria que nos envergonha e da insegurança que nos amedronta e nos atormenta.

A logística do Brasil é precária e reduz nossa competitividade industrial, além de nos impor perdas enormes no setor agropecuário. A violência se espalhou de forma epidêmica pelas metrópoles, pelas cidades médias e até mesmo no interior antes tão pacato.

Em muitos estados o crime organizado parece vencer o Estado. A desigualdade social é quase uma afronta pessoal numa Nação onde 13,4 milhões de pessoas vivem em situação de extrema pobreza e onde metade dos trabalhadores ainda recebem menos do que um salário mínimo por mês. É triste, é revoltante, constatar que a mortalidade infantil voltou a crescer entre nós, e que doenças outrora erradicadas voltaram a ameaçar o contágio da população brasileira – como o sarampo e a pólio, por exemplo.

São essas desigualdades, são esses retrocessos capazes de escrever tragédias particulares no seio das famílias brasileiras, que me levam a trilhar com vocês o caminho da unidade em torno de um projeto político que hoje parece o mais viável para evitar marchas-à-ré ainda maiores e mais trágicas para o Brasil.

A História não nos dá o direito de andar para trás. Tenham certeza disso minhas amigas e meus amigos dos partidos que compõem, com o DEM, aquilo que corretamente chamamos de Centro Democrático.

É centro porque é o ambiente em que as pessoas não abrem mão de seus princípios nem de suas ideias. É o ambiente em que políticos de todos os matizes podem sentar e dialogar para construir consensos. Se o consenso não for possível, para o centro convergem as maiorias sem que ninguém se apequene e fazendo com que todos persigam o avanço.

É democrático porque jamais deixou-nos fugir a certeza de que não há outro caminho que não seja a política, e de que não há Democracia consolidada sem instituições transparentes e funcionando em plenitude e normalidade.

Dirijo-me a vocês, à distância porque a legislação assim me obriga, porque sei que dessa forma dialogo com a maioria do povo brasileiro que os nossos partidos representam. Arquivo, momentaneamente, a pretensão presidencial que vislumbrei para marcharmos juntos, em 2018, com o projeto que estamos construindo em torno de Geraldo Alckmin.

Serei candidato a deputado federal pelo Rio de Janeiro e mais uma vez empenharei o novo mandato que espero ter a honra de conquistar em favor do Brasil e dos brasileiros.

Estaremos juntos, sempre.

Obrigado,

Rodrigo Maia”