Latam e Azul anunciam novos voos para o Maranhão

A notícia oficial foi confirmada ao Governo do Estado e vai aumentar o volume de chegadas e partidas a partir da capital maranhense

A companhia aérea LATAM Airlines Brasil anunciou cinco novos voos diários com operação a partir de agosto de 2019 no Aeroporto Hugo da Cunha Machado, em São Luís. A notícia oficial foi confirmada ao Governo do Estado e vai aumentar o volume de chegadas e partidas a partir da capital maranhense.

O incremento amplia de 11 para 15 voos semanais, de ida e volta, na rota Fortaleza – São Luís, em aeronaves Airbus A320. A companhia já possui frequências diárias de voos para a operação regular na capital do Maranhão e em Imperatriz.

A assessoria de comunicação da Latam afirmou que “a empresa avalia constantemente as oportunidades de mercado conforme a demanda de cada região e segue atenta às necessidades dos clientes para iniciar, ampliar ou adequar as suas operações”.

A companhia aérea Azul vai operar voos extras em 37 aeroportos brasileiros durante a alta temporada de inverno, dentre eles, foram confirmados dois voos em aeroportos no Maranhão, Hugo da Cunha Machado, em São Luís, e Prefeito Renato Cortez Moreira, em Imperatriz.

A partir de 1º de julho, estarão disponíveis os voos adicionais entre Maranhão e São Paulo com os trechos de Imperatriz a Guarulhos e de São Luís a Campinas. Atenta ao aumento da oferta em rotas consideradas de lazer, a Azul aumentou em 4% o número de decolagens nos mercados turísticos na comparação com a alta de inverno de 2018.

OAB anuncia novo recurso contra cobrança de bagagem em aviões

O novo recurso foi motivado pelo reajuste no valor da taxa, feito recentemente pelas companhias Azul e Gol

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) anunciou hoje (22) um novo recurso, com pedido de decisão liminar (provisória), a fim de interromper a taxa extra de cobrança de bagagens pelas companhias aéreas.

Para o presidente nacional da OAB, Cláudio Lamachia, “desde que a taxa foi colocada em prática, o consumidor tem sido lesado”.

O novo recurso foi motivado pelo reajuste no valor da taxa, feito recentemente pelas companhias Azul e Gol. Desde que a autorização para a cobrança foi anunciada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a OAB tem atuado para revogar a medida, que considera “lesiva” aos consumidores.

A medida chegou a ser suspensa pela Justiça Federal em março do ano passado, mas a decisão liminar foi derrubada no mês seguinte. A OAB quer que uma nova liminar seja concedida enquanto não é julgado o mérito final da ação.

A bagagem despachada começou a ser efetivamente cobrada em 1o de junho de 2017. A primeira companhia a cobrar foi a Azul, no valor mínimo de R$ 30,00 por mala, preço que agora é de R$ 60,00.