Zé Inácio cobra do Banco do Brasil reabertura de agência em Santa Helena

O parlamentar propôs que seja criada uma comissão, composta por parlamentares, para discutir esse tema com o Banco do Brasil

O deputado Zé Inácio usou a tribuna da Assembleia, nesta terça-feira (09), para cobrar do Banco do Brasil a reabertura das agências das cidades de Santa Helena e Itinga.

Após assalto ocorrido no dia 04 de setembro deste ano à agência do Banco do Brasil de Santa Helena segue com seu funcionamento suspenso. O que tem ocasionado transtornos a aposentados, funcionários públicos e clientes em geral, pois precisam se deslocar mais de 40 km ate a cidade de pinheiro para fazer uso dos serviços da instituição bancária.

Em agosto a agência de Santa Luzia também foi alvo da ação de criminosos e desde então segue com os serviços limitados, já em Itinga do Maranhão o funcionamento da agência do Banco do Brasil está suspenso desde 2017.

“Nós temos vivenciado, no Maranhão, situações em que os municípios ficam sem agências bancárias, as agências bancárias fechadas, por mais de meses, alguns casos, por mais de anos, ou mais de dois anos. Como é o caso da agência do Banco do Brasil, no Município de Itinga. No Município de Santa Helena, a população, de modo geral, assim como em específico, aposentados, funcionários públicos, não estão tendo oportunidade de fazer as suas transações comerciais, depósitos, saques, e o mais grave, os comerciantes têm que se deslocar a Pinheiro, percorrendo um deslocamento de mais de 40 quilômetros para fazer as suas transações bancárias, honrar seus compromissos com seus credores, para manter o comércio de Santa Helena funcionando. Aqueles que não se dirigem a Pinheiro, por medo de assalto no decorrer do trajeto, têm guardado as suas economias em casa, porque não tem saída, não tem a opção de fazer o depósito na agência do Banco do Brasil.”, disse.

O parlamentar pediu o apoio dos colegas para que possam se unir e cobrar das instituições financeiras, em específico o Banco do Brasil, a retomadas das atividades bancárias de forma regular, garantindo a economia dos municípios.

Zé Inácio também destacou o fato dos bancos usarem o problema da segurança pública para implementarem sua política de contenção de gastos. “Os bancos, sobretudo o Banco do Brasil, usa o argumento da segurança pública para colocar em prática uma política de fechamento de agência. E nós vimos isso muito claramente nos anos de 2017, 2018 e atualmente com a política do Governo Federal. Porque eles entendem que tem que fazer um enxugamento, uma redução das agências, o que reflete em uma redução do quadro de funcionário, em demissões. Então, dada a política implementada pelo Banco do Brasil, que se associa ao argumento da falta de segurança para fechar as agências, a desculpa passa a ser por conta dos assaltos e falta de condições do banco em manter a agência funcionando”.

O parlamentar propôs que seja criada uma comissão, composta por parlamentares, para discutir esse tema com o Banco do Brasil e demais instituições financeiras que atuam no Estado.

Agência do Banco do Brasil do João Paulo é alvo de ação criminosa

Segundo informações da polícia, os bandidos destruíram uma parte dos caixas eletrônicos, mas não conseguiram roubar o dinheiro

Mais uma agência do Banco do Brasil, desta vez na Avenida São Marçal, em São Luís, foi atacada na madrugada desta quarta-feira (26). Segundo informações da polícia, os bandidos destruíram uma parte dos caixas eletrônicos, mas não conseguiram roubar o dinheiro.

O crime aconteceu por volta das 3h da madrugada. Ainda segundo a polícia, os bandidos conseguiram quebrar a porta de entrada e entrar na agência. Durante a ação criminosa, três explosivos e uma carteira de identidade foram deixados na entrada da agência do Banco do Brasil.

A polícia investiga o caso para identificar os envolvidos na ação criminosa. Qualquer informação sobre os suspeitos pode ser passada pelo Disque Denúncia 3223.5800

Jovem vítima de assalto em agência bancária morre em São Luís

Camila estava acompanhada de um policial militar durante a ação criminosa e foi atingida por disparos de arma de fogo

A jovem Camila Ribeiro Sousa Cardoso, de 23 anos, morreu na madrugada desta quarta-feira (12) em um hospital de São Luís. Ela foi vítima de um assalto na agência do Banco do Brasil, no bairro do Jaracati, na noite de domingo (9).

Camila estava acompanhada de um policial militar durante a ação criminosa e foi atingida por disparos de arma de fogo nas costas durante o assalto. O policial foi atingido em dos joelhos e não corre risco de vida.

Na troca de tiros, o policial acertou um dos assaltantes com cinco tiros, o bandido está internado no hospital Socorrão I, o outro assaltante fugiu do local.

Deputado Zé Inácio pede cumprimento de Lei que determina vigilância armada em agências bancárias

Segundo Zé Inácio, dados recolhidos pela Secretaria de Segurança Pública do Estado demonstram que mais de 80% dos assaltos a bancos acontecem nos fins de semana, à noite, ou também em dias de feriado

O deputado Zé Inácio (PT) destacou, na sessão desta segunda-feira (3), a gravidade do assalto ocorrido em São Luís, durante a madrugada, a uma agência do Banco do Brasil, localizada na Avenida dos Holandeses, em frente ao Golden Shopping. Em seu discurso, o deputado frisou a importância da Lei 10.605/2017, fruto de projeto de sua autoria, que prevê vigilância armada para atuar 24 horas por dia nas agências bancárias públicas e privadas do Maranhão, inclusive em finais de semana e feriados.

Segundo Zé Inácio, dados recolhidos pela Secretaria de Segurança Pública do Estado demonstram que mais de 80% dos assaltos a bancos acontecem nos fins de semana, à noite, ou também em dias de feriado. “Nós não estamos pedindo a vigilância armada 24 horas nas agências bancárias com o objetivo de substituir o trabalho da Polícia Militar, que tem melhorado consideravelmente no Maranhão. Mas é uma forma de contribuir com o trabalho da Secretaria de Segurança Pública.

Ele fez apelo ao Procon como órgão que tem o instrumento determinado pela lei de fiscalizar e aplicar multas. “É bem verdade que, desde o ano passado, o Procon aplicou multas na ordem de quase R$ 2 milhões às instituições que não cumprem a lei aqui na capital. É preciso que o Procon execute ou coloque na Dívida Ativa do Estado essas multas para executar essas instituições financeiras, para que sirva de exemplo para elas darem cumprimento à lei”.

Zé Inácio fez também apelo ao Poder Judiciário e ao Ministério Público: “Faço um apelo ao Procon, usando dos instrumentos que tem para garantir a efetividade da lei, ao Poder Judiciário e ao Ministério Público, para garantir o cumprimento dessa importante lei que contribui para a segurança pública do nosso estado”, ressaltou o deputado.

Bandidos assaltam agência do BB na Avenida dos Holandeses

Explosivos foram usados e parte da agência ficou completamente destruída

A agência do Banco do Brasil na Avenida dos Holandeses foi atacada na madrugada desta segunda-feira (3), em São Luís. Explosivos foram usados e parte da agência ficou completamente destruída.

A ação criminosa aconteceu por volta das 2h30 desta segunda, segundo informações policiais. A explosão comprometeu boa parte do prédio.

Não foi informado qual o valor levado pelos bandidos. A ocorrência foi registrada no Plantão de Polícia Civil das Cajazeiras, no Centro de São Luís. A Polícia Militar foi acionada, mas até o momento não há informações de suspeitos detidos.

Acordo entre Detran-MA e Banco do Brasil facilita pagamento do IPVA

A medida faz parte de um acordo entre o Governo do Estado e o Banco do Brasil, e garantirá a opção de realizar o pagamento dos títulos correlacionados ao licenciamento de veículos do ano de 2019, diretamente nos caixas de agências e postos do referido banco

Os proprietários de veículos de todo o Estado poderão efetuar o pagamento de títulos do Imposto de Propriedade de Veículos (IPVA), Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT) e demais taxas do Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran-MA), nos caixas de atendimento do Banco do Brasil (BB), até o dia 31 de maio de 2019. Para efetuar o pagamento, o usuário deverá estar com o boleto impresso.

A medida faz parte de um acordo entre o Governo do Estado e o Banco do Brasil, e garantirá a opção de realizar o pagamento dos títulos correlacionados ao licenciamento de veículos do ano de 2019, diretamente nos caixas de agências e postos do referido banco, ampliando as opções de pagamentos dos tributos para os usuários.

De acordo com a diretora geral do Detran-MA, Larissa Abdalla, o Departamento tem investido em ações que buscam a melhoria na prestação de serviços para os usuários. “A iniciativa atende solicitações de parte da população que não tem acesso ao pagamento de títulos por meio dos serviços eletrônicos oferecidos pelo Banco do Brasil. Estamos proporcionando mais um benefício para os cidadãos”, ressaltou Larissa Abdalla.

O acordo com o BB foi uma ação conjunta entre o Detran-MA, Secretaria da Fazenda do Maranhão (Sefaz) e Secretaria de Planejamento e Orçamento do Maranhão (Seplan).

Procon/MA divulga ranking das empresas mais reclamadas em 2018

O Instituto de Proteção e Defesa do Cidadão e Consumidor do Maranhão (Procon/MA) divulgou, nesta segunda-feira (11), o ranking das empresas mais reclamadas em 2018. Em primeiro lugar na lista vem a Faculdade Pitágoras, com 209 reclamações, seguida do Banco do Brasil, com 170, e da Oi Móvel, com 149 reclamações fundamentadas. A divulgação ocorreu durante a abertura da 5ª Semana de Prevenção e Combate ao Superendividamento, no VIVA do Shopping da Ilha, em cumprimento ao artigo 44 do Código de Defesa do Consumidor.

O ranking é baseado nas reclamações fundamentadas atendidas e as não atendidas, que são aquelas em que a análise das provas constatou as infrações.

De acordo com a presidente do Procon/MA, Karen Barros, o ranking das mais reclamadas e o índice de solução de conflitos são importantes para o consumidor compreender quais as empresas buscam melhorar os serviços e quais permanecem com falhas.

“Nossa equipe trabalha incansavelmente para que os indicadores de solução de conflitos sejam cada vez melhores, harmonizando, assim, as relações de consumo por meio da garantia do direito do consumidor. Ainda há muito a avançar, por isso, continuaremos atuando com ações preventivas, de orientação e fiscalização”, afirma a presidente.

A administradora de cartões de crédito Bradescard registrou melhora em seus serviços, caindo do sexto para o décimo lugar no ranking. A Cemar, também, apresentou melhoras, saindo do primeiro lugar para a quarta posição. A Oi Móvel S/A se manteve na mesma colocação do ano passado, ocupando a terceira colocação. A OI Fixo desceu da segunda posição no ranking para o sexto lugar, e a Caema, que em 2017 ocupava o quinto lugar, neste ano ficou fora do ranking das 10 mais reclamadas.

Ranking das dez empresas com mais reclamações em 2018

1º Faculdade Pitágoras

2° Banco do Brasil

3º OI Móvel S/A

4º Cemar

5º Grupo Claro Brasil

6º OI Fixo

7º Motorola

8º Banco Bradesco

9º Caixa Econômica Federal

10º Bradescard

Banco do Brasil destitui Márcio Lobão

Márcio Lobão é mais um nome forte do grupo Sarney a ser exonerado pelo Governo Jair Bolsonaro

O Banco do Brasil anunciou a destituição de Márcio Lobão, da presidência da Brasilcap, cargo que ele ocupava desde 2007, passando pelos governos de Lula, Dilma Rousseff e Michel Temer.

Márcio é filho do senador maranhense Edison Lobão (MDB), que não obteve êxito na última eleição para o Senado Federa.

O nome do sucessor de Márcio Lobão será anunciado ao longo da semana. O diretor comercial, Euzivaldo Reis, assume interinamente o cargo.

Márcio Lobão é mais um nome forte do grupo Sarney a ser exonerado pelo Governo Jair Bolsonaro. Na última segunda-feira (28), a ex-chefe da Casa Civil, Anna Graziella, também foi exonerada da Empresa Brasil de Comunicação.

Bolsonaro quer transparência em atos dos governos atual e anteriores

O presidente Jair Bolsonaro dá posse, em cerimônia no Palácio do Planalto, aos presidentes dos bancos públicos. Assume no Banco do Brasil, Rubem Novaes; no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, e na Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse que a transparência será marca de seu governo e reforçou a missão aos novos dirigentes de bancos estatais que assumiram hoje (7) o comando do Banco do Brasil, da Caixa Econômica e do BNDES. Segundo ele, essa tarefa terá que abranger inclusive atos do passado promovidos pelos “amigos do rei” dentro destas instituições.

“Transparência acima de tudo. Todos os nossos atos terão que ser abertos para o público. E o que aconteceu no passado também. Não podemos admitir qualquer cláusula de confidencialidade pretérita. Esses atos e ações tornar-se-ão públicos”, afirmou.

Bolsonaro destacou que a escolha dos três novos presidentes de bancos foi feita exclusivamente pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Segundo ele, essa liberdade dada a todos os ministros de seu governo inaugura um novo modelo de gestão.

“Há pouco, o que mais se ouvia era uma verdadeira briga para definir qual partido ficaria com esta ou aquela diretoria de banco”, afirmou o presidente, destacando que essa era uma sinalização clara de que a economia não iria bem. O presidente voltou a alertar sua equipe da responsabilidade de sua administração e reiterou: “Nós não podemos errar”.

Ao retomar a orientação para que todo seu governo trabalhe com transparência, Bolsonaro aproveitou o discurso de posse na solenidade, que ocorreu no Palácio do Planalto, para anunciar a democratização de verbas publicitárias. O assunto, segundo ele, foi tratado com a equipe econômica.

“Nenhum órgão de imprensa terá direito a mais ou menos daquilo que nós viermos a gastar com nossa imprensa. Queremos que cada vez uma imprensa mais fortes e isenta. A imprensa livre é a garantia da nossa democracia. Vamos acreditar em vocês, mas estas verbas não serão mais privilegiadas para a empresa A, B ou C”, disse.

O recado também foi transmitido para as organizações não governamentais (ONGs) que, de acordo com Bolsonaro, terão o repasse de recursos submetido a um “rígido controle, para que possamos fazer com que recursos públicos sejam melhor utilizados”.