Covid-19: Bolsonaro diz que Brasil terá vacinas gratuitas, mas sem fim político

Na noite desta terça-feira (8), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reafirmou que disponibilizará vacinas contra a Covid-19 de forma gratuita e voluntária, mas sem usá-las para fins políticos. A reação de Bolsonaro ocorre um dia após o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), possível candidato às eleições de 2022, se antecipar à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e anunciar a data de início para a vacinação contra a covid-19 no estado.

Em suas redes sociais, o presidente garantiu que o Brasil disponibilizará vacina de forma gratuita e voluntária após comprovada eficácia e registro na Anvisa. “Vamos proteger a população respeitando sua liberdade e não usá-la para fins políticos, colocando sua saúde em risco por conta de projetos pessoais de poder”, escreveu Bolsonaro.

De acordo com o Ministério da Saúde, o governo federal tem acordos com o laboratório AstraZeneca para receber 260 milhões de doses e insumos para fabricação em 2021. Seriam 100 milhões no 1º semestre e mais 160 milhões no 2º semestre. Segundo Pazuello, 15 milhões dessas doses começam a chegar em janeiro. Além disso, haverá 42 milhões de doses de alguma vacina que virão do consórcio Covax Facility, feito mundialmente.

Segundo a pasta, o Sistema Único de Saúde (SUS) tem a garantia de 300 milhões de doses para 2021. Cada indivíduo precisará tomar duas doses, portanto existem vacinas garantidas para 150 milhões de pessoas.

“Bolsonaro é o maior aliado do coronavírus no país”, declara Flávio Dino

O governador Flávio Dino (PCdoB) usou suas redes sociais para criticar o comentário feito pelo presidente Jair Bolsonaro sobre efeitos colaterais da vacina Coronavac.

“163.000 mortos no Brasil. E Bolsonaro fala que ‘ganhou’? Qual a vitória? O atraso de uma possível vacina? Bolsonaro continua a ser o maior aliado do coronavírus no nosso país”, disparou o governador.

Bolsonaro é notificado pelo ministro do STF sobre queixa de Flávio Dino

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Melo, notificou o presidente Jair Bolsonaro sobre o pedido de explicações apresentado pelo governador Flávio Dino, a respeito de uma fala do presidente feita no último dia 21.

Para Flávio Dino, o presidente cometeu calúnia ao dizer em entrevista que tinha viagem prevista para participar de um evento evangélico em Balsas, cidade no sul do Maranhão, mas que suspendeu os planos depois que o governador negou efetivo da PM para fazer esquema de segurança.

No despacho, o ministro do STF dá 15 dias para Bolsonaro apresentar sua manifestação sobre a queixa de Dino. Na peça encaminhada à Corte, o governador solicita que o presidente “comprove o não acolhimento do pedido de disponibilização da Polícia Militar do Estado do Maranhão para viabilizar o comparecimento ao evento”.

Márcio Jerry entra com ação contra Bolsonaro por improbidade administrativa

Após visita do presidente Jair Bolsonaro ao Maranhão, o deputado federal Márcio Jerry, vice-líder do PCdoB na Câmara, apresentou uma representação por prática de improbidade administrativa contra o presidente. O documento foi protocolado eletronicamente na manhã desta sexta-feira (30) no Ministério Público Federal (MPF) no Maranhão.

Segundo o deputado, Bolsonaro utilizou recursos públicos para atender interesses particulares de cunho político-eleitoral, infringindo a Constituição e a lei de improbidade administrativa.

Dino faz críticas a Bolsonaro e diz que o processará por uso de “dinheiro público para fim político”

Em entrevista ao programa Ponto e Vírgula, o governador Flávio Dino (PCdoB) fez críticas ao presidente Jair Bolsonaro e afirmou que o processará por uso de “dinheiro público para fim político”.

“Bolsonaro veio ao Maranhão com sua habitual falta de educação e decoro. Fez piada sem graça com uma de nossas tradicionais marcas empresariais: o guaraná Jesus. E o mais grave: usou dinheiro público para propaganda política. Será processado”, escreveu o governador em suas redes sociais.

O fato exposto pelo governador ocorreu após o presidente ter dito em tom de provocação, durante discurso em Imperatriz, que estava disposto a “erradicar o comunismo do Brasil”.

Outro fato que gerou revolta em muitos maranhenses e repercutiu negativamente, foi a piada feita por Bolsonaro, durante uma visita em Bacabeira, em tom homofóbico envolvendo maranhenses e o guaraná Jesus.

Ao experimentar a bebida, o presidente questionou, em meio a risos, se tinha virado “boiola como os maranhenses ao tomar um guaraná Jesus”, pela cor rosa, e um dos principais símbolos da cultura do estado.

Em live exibida à noite nas suas redes sociais, Bolsonaro voltou a fazer piada novamente sobre o guaraná Jesus e simulou mudança de comportamento após tomar a bebida. Após o comentário, ele pediu desculpas a quem se ofendeu.

De colete à prova de balas, Bolsonaro inaugura trecho da BR-135

Acompanhado dos deputados federais que compõem a Bancada Maranhense, do vice-presidente general Heleno e do ministro da Infraestrutura, o presidente Jair Bolsonaro inaugurou, nesta quinta-feira (29), 5km de recapeamento da BR-135.

Segundo Bolsonaro, que estava de colete à prova de balas, a Bancada Maranhense é a que mais empenha emendas para obras de infraestrutura.

Confira na íntegra o discurso do presidente.

Bolsonaro visita o Maranhão nesta quinta-feira. Confira a agenda!

Nesta quinta-feira (29), o presidente Jair Bolsonaro estará no Maranhão para participar da entrega de obras do governo federal em São Luís e Imperatriz.

Segundo a programação divulgada pela equipe do presidente, a chegada do presidente está prevista para as 10h30min. Em seguida, Bolsonaro se deslocará à BR-135 para a fiscalização das obras de restauração e duplicação naquela localidade. Na ocasião, será inaugurada parte do trecho já concluída.

Às 13 horas Bolsonaro parte para Imperatriz, onde participará da Cerimônia de Entrega da Praça Tiradentes, obra do governo federal no Centro da cidade.

Esta é a primeira visita de Bolsonaro ao Maranhão desde a posse. Ano passado, a então presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Kátia Bogea, chegou a confirmar sua vinda em setembro, para anunciar a restauração das praças João Lisboa e Largo do Carmo, bem como a construção da Praça das Mercês, o que não ocorreu. Na semana passada o presidente também cancelou sua ida a Balsas, desprestigiando o seu principal aliado político no Maranhão, o senador Roberto Rocha (PSDB).

Sobre ataque de Bolsonaro, Dino dispara: “Aqui somos sérios e temos muito trabalho que nos ocupa”

Nesta terça-feira (27), o governador Flávio Dino (PCdoB) usou suas redes sociais para rebater os ataques que vem sofrendo do presidente Jair Bolsonaro, que declarou, em vídeo, que o PCdoB deveria ser retirado do governo do Maranhão.

Em resposta a Bolsonaro, Dino disparou: “Desde a semana passada, Bolsonaro cria confusão com uma suposta visita ao Maranhão. No que depender de mim, ele pode ir onde quiser, não enfrentará protestos e terá a proteção da polícia do Maranhão. Não precisa ter medo. Aqui somos sérios e temos muito trabalho que nos ocupa”.

Dino também classificou como agressão a atitude do presidente e defendeu que “em vez de vir cuidar de trabalho sério, que o governo federal deve fazer imediatamente, Bolsonaro diz que vem ao Maranhão para esse tipo de agenda: agressões e campanha eleitoral. Tudo com dinheiro público”.

Equipe de segurança já se encontra em São Luís para visita de Bolsonaro

No último final de semana desembarcaram em São Luís os membros do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República para os trabalhos de montagem do esquema de segurança para a visita do presidente Jair Bolsonaro ao Maranhão, que ocorrerá na próxima quinta-feira (29).

Em sua rota presidencial, Bolsonaro visitará as cidades de São Luís e Imperatriz.