Com quem ficará o Aliança Pelo Brasil, partido de Bolsonaro no Maranhão?

Três nomes já estão articulando e correndo atrás da presidente da legenda no Estado

Por um lado, os eleitores e militantes maranhenses do presidente Jair Bolsonaro se livraram do domínio do presidente do PSL do Maranhão, o vereador de São Luís, Chico Carvalho, nome mais ligado ao presidente nacional da legenda, o deputado federal Luciano Bivar e que não se entendia com as demais lideranças.

E, por outro, os seguidores de Bolsonaro, certamente, verão pela frente, uma disputa acirrada para saber quem irá presidir, no Maranhão, o novo partido do presidente, o Aliança Pelo Brasil.

Três nomes já estão articulando e correndo atrás da presidente da legenda no Estado.

A ex-candidata ao governo Maura Jorge, hoje presidente da Fundação Nacional da Saúde, no Maranhão. O médico Allan Garcês, diretor do Departamento de Articulação Interfederativa da Secretaria-Executiva do Ministério da Saúde e Coronel Monteiro, superintendente de Coordenação e Governança do Patrimônio da União no Maranhão, são os três nomes que já largaram na frente para angariar o maior número de assinaturas.

A disputa acirrada é justificada pelo fato de que quem ficar com a presidência do Aliança Pelo Brasil no Maranhão estará automaticamente alçado ao posto de representante do presidente no estado, além de poder coordenadar todos os passos da legenda nas próximas eleições.

Presidente do PSL do Maranhão em evento com Flávio Dino

Chico Carvalho de camisa azul, ao lado do governador Flávio Dino

Não passou despercebida a presença do presidente do PSL maranhense, o vereador Chico Carvalho, em uma agenda do Governo do Estado em São Luís, no final de semana.

Chico Carvalho participou, ao lado do governador Flávio Dino (PCdoB), da inauguração da Praça Maria Domingas Lima Silva, no bairro do Quebra Pote (zona rural de São Luís). Construída por meio da Agência Executiva Metropolitana (Agem), em parceria com a Prefeitura de São Luís, a nova praça está localizada na Avenida Principal do Quebra Pote.

A ida ao evento do governo do Estado levantou muitas críticas de militantes mais ligados ao presidente Jair Bolsonaro e reascendeu os debates sobre o comando do PSL no estado. Muitos filiados não escondem o descontentamento com Chico Carvalho e defendem um novo diretório.

O presidente do PSL do Maranhão pertenceu por muitos anos ao grupo Sarney, hoje, Chico Carvalho transita pelo grupo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), continuando, até o momento, no campo de oposição ao governador Flávio Dino.

PSL do Maranhão de volta ao grupo Sarney

As recentes reuniões com o prefeito de Imperatriz, Assis Ramos e o deputado federal, Hildo Rocha, mostra que o PSL e o grupo Sarney estarão juntos nas eleições de 2020

Fazendo uma análise da política regional dos últimos anos, não causa surpresa o PSL do Maranhão está cada vez mais próximo do grupo Sarney. Basta lembrar que a legenda sempre apoiou os candidatos da família nas últimas eleições.

Após anos de apoio, o PSL iniciou um distanciamento após a chegada do presidente Jair Bolsonaro ao partido, mesmo assim filiou nomes do grupo Sarney como o ex-vereador do MDB, Fábio Câmara.

Nos últimos dias, a legenda comandada pelo vereador Chico Carvalho vem se aproximando cada vez mais do grupo Sarney. As recentes reuniões com o prefeito de Imperatriz, Assis Ramos e o deputado federal, Hildo Rocha, mostra que o PSL e o grupo Sarney estarão juntos nas eleições de 2020.

E como fica os novos filiados do PSL que acreditaram no discurso da nova política vendo o partido ainda praticando uma política de acordos, no mínimo, duvidosa? Muita além de defender a nova política, é preciso executá-la.

Chico Carvalho fala dos possíveis nomes do PSL em São Luís

Chico Carvalho, que está em seu oitavo mandato como vereador e preside o PSL há 16 anos, afirmou que o partido pode receber outros nomes da política

O presidente estadual do PSL no Maranhão, vereador Chico Carvalho, concedeu entrevista ao jornal O Imparcial e falou dos trabalhos internos da legenda para a próxima eleição. O vereador de São Luís falou dos possíveis nomes do PSL na disputa pela prefeitura de São Luís.

“Nomes fortes nós temos em todo o Estado e seria difícil mencionar todos aqui. Mas em São Luís, por exemplo, convidamos o juiz federal Roberto Veloso, o ex-prefeito Tadeu Palácio e o apóstolo Sílvio Antônio, que foi candidato a deputado federal e foi o mais votado para o cargo dentro do partido e o oitavo mais votado em São Luís”, afirmou Chico Carvalho.

Chico Carvalho, que está em seu oitavo mandato como vereador e preside o PSL há 16 anos, afirmou que o partido pode receber outros nomes da política. “A esposa do ex-prefeito Tadeu Palácio, Gardênia Palácio, também foi convidada para se filiar à nossa legenda. Também convidamos o prefeito Hilton Gonçalo, de Santa Rita e a esposa dele, a prefeita de Bacabeira, Fernanda Gonçalo. O casal acaba de se desfiliar do Avante”, disse Chico.

Bolsonaro quer que PSL ‘arrume a casa’

O presidente deixou claro que o partido precisa demonstrar “unidade”

Como condição para sua permanência no partido, inclusive para uma eventual candidatura à reeleição, o presidente Jair Bolsonaro cobrou a cúpula de seu partido, o PSL, para que “arrume a casa” e afine o discurso com o governo. Na quinta-feira, 1, uma reunião a portas fechadas no gabinete presidencial reuniu o presidente da legenda, Luciano Bivar (PSL-PE), o vice-presidente Antônio Rueda e a advogada Karina Kufa.

O presidente deixou claro que o partido precisa demonstrar “unidade”. Bolsonaro teria dito aos dirigentes partidários que não dá para a sigla manter essa relação de “merda” com o governo. Ele reclamou do clima de desarmonia da legenda e de deputados que o atacam frequentemente. Na visão do presidente, Bivar precisa “enquadrar” os deputados, convidá-los a afinar o discurso e também evitar novas dissidências nas votações no Congresso.

No primeiro semestre, parlamentares da bancada do PSL chegaram a votar contra algumas pautas do governo. Houve uma ocasião em que o próprio Bivar votou pela aprovação da urgência do projeto que derruba o decreto de alteração da Lei de Acesso à Informação, na contramão da orientação do governo.

PSL realiza encontro estadual no Maranhão

O evento, realizado no Auditório Neiva Moreira, na Assembleia Legislativa do Maranhão, serviu para discutir ações para o fortalecimento da legenda

O Partido Social Liberal (PSL) realizou seu primeiro encontro estadual no Maranhão. O evento, realizado no Auditório Neiva Moreira, na Assembleia Legislativa do Maranhão, serviu para discutir ações para o fortalecimento da legenda, anunciar novos filiados e debater estratégias para as eleições de 2020.

Liderado pelo presidente estadual da legenda, Chico Carvalho, o evento não teve a participação do grupo da presidente da Funasa no Maranhão, a ex-candidata pelo PSL ao governo, Maura Jorge.

O juiz federal e ex-presidente da Associação de Juízes Federais do Brasil, Roberto Veloso, participou do evento palestrando sobre as mudanças na legislação eleitoral.

O superintendente de Coordenação e Governança do Patrimônio da União no Maranhão, coronel Moreira, fez sua filiação ao PSL no evento.

Chico Carvalho afasta chances de Maura Jorge assumir PSL

A informação começou a ganhar corpo logo após Maura assumir o novo cargo no governo Bolsonaro.

O vereador de São Luís, presidente estadual do PSL, Chico Carvalho, tratou de negar as articulações da agora superintendente da Funasa no Maranhão, Maura Jorge de comandar o PSL no estado.

A informação começou a ganhar corpo logo após Maura assumir o novo cargo no governo Bolsonaro.

Chico Carvalho afirmou que entrou em contato com o presidente nacional do PSL, o deputado federal Luciano Bivar e afirmou que segue presidente da legenda até 1º de abril de 2021.

A briga interna pelo comando do PSL no Maranhão já é antiga e já proporcionou trocas de farpas entre Chico e Maura publicamente.

Maura Jorge e Chico Carvalho convocam população para ato no dia 26

Há atos previstos em pelo menos 60 cidades, em todas as capitais e no Distrito Federal

Aliados do presidente Jair Bolsonaro no Maranhão, a ex-candidata ao governo do Estado, Maura Jorge, e o presidente estadual do PSL no Maranhão, o vereador Chico Carvalho, estão convocando a população para ato de apoio ao capitão no próximo domingo (26), que acontecerá na Avenida Litorânea.

Há atos previstos em pelo menos 60 cidades, em todas as capitais e no Distrito Federal. Ainda que o objetivo de alguns setores seja o apoio às pautas do Planalto como a Previdência, o pacote anticrime do ministro Sérgio Moro e a Medida Provisória 870 que reorganiza a estrutura do governo e está sob ameaça, a maioria das pessoas irá para as ruas em apoio ao presidente Jair Bolsonaro que vive dias conturbados na Presidência da República.

Mas o movimento não tem apoio de todos os grupos ligados ao campo da direita. O MBL já negou participação nos eventos e da direita maranhense também ainda não fizeram nenhuma manifestação sobre o ato na Avenida Litorânea.

Léo Índio participa de evento na casa de Maura Jorge

O evento aconteceu na casa de Maura Jorge, o que mostra que o clã Bolsonaro está mais próximo da ex-prefeita e não do presidente estadual legenda, Chico Carvalho

O famoso e polêmico primo de Carlos Bolsonaro, Léo Índio, esteve, na noite de segunda-feira, na casa da ex-prefeita Maura Jorge (PSL), onde debateu assunto de interesse do grupo do presidente Jair Messias Bolsonaro.

Léo Índio veio para falar do projeto de fortalecimento do PSL no Maranhão e aproveitou para ter um contato melhor com a militância.

O evento aconteceu na casa de Maura Jorge, o que mostra que o clã Bolsonaro está mais próximo da ex-prefeita e não do presidente estadual legenda, Chico Carvalho.