Bairros de Pequim voltam a adotar confinamento após registro de novos casos de Covid-19

Apesar de o surto local ter sido amplamente controlado, os recentes diagnósticos positivos levaram as autoridades de Pequim a adiar a volta às aulas

Onze bairros residenciais no sul de Pequim foram bloqueados devido ao surgimento de novos casos de coronavírus vinculados a um mercado de carne próximo dessas áreas, informaram autoridades municipais neste sábado (13).

Até o momento, sete casos estão relacionados ao mercado de carne de Xinfadi, seis deles confirmados no sábado, segundo funcionários. O responsável pelo mercado disse a repórteres que o vírus foi detectado em tábuas usadas para manipular salmão importado. Nove escolas e jardins de infância próximos foram fechados.

O primeiro caso de covid-19 em Pequim em dois meses, anunciado na quinta-feira (11), é de uma pessoa que visitou o mercado na semana passada e não tinha saído da cidade. 

As autoridades fecharam o mercado, assim como um ponto de venda de mariscos que foi visitado por um dos infectados.

Grandes redes de supermercados, como Wumart e Carrefour, removeram todos os estoques de salmão da noite para o dia na capital, mas disseram que o fornecimento de outros produtos não seria afetado.

A maioria dos casos registrados na China nos últimos meses surgiu entre cidadãos chineses residentes no exterior e foram detectados quando eles retornavam ao país. 

Apesar de o surto local ter sido amplamente controlado, os recentes diagnósticos positivos levaram as autoridades de Pequim a adiar a volta às aulas dos estudantes do ensino fundamental, que estava prevista para segunda-feira, e a suspender todos os eventos esportivos.

Governadores pedem dicas ao Maranhão para trazer respiradores ao Brasil

Os governadores de Ceará, Piauí, Amapá e Amazonas ligaram para Flávio Dino para saber como trazer os respiradores da China

Folha de S. Paulo

O plano elaborado pelo Governo do Maranhão de comprar respiradores da China e trazê-los pela Etiópia, escapando dos radares de EUA e Europa, despertou o interesse de chefes de outros estados, que procuraram a gestão Flávio Dino (PCdoB).

Os governos de Ceará, Piauí, Amapá e Amazonas ligaram durante o dia de ontem (16) para saber como encontrar respiradores disponíveis na China e trazê-los por rotas pouco visadas pelos principais centros.

O Pará aguarda a chegada de 400 respiradores até o final da próxima da semana, também com parada na África.

Na quarta-feira (15), 107 respiradores e 200 mil máscaras chegaram no Maranhão vindos da China, o Governo do Estado precisou montar o que chamou de uma operação de guerra com o envolvimento de 30 pessoas e custo de R$ 6 milhões para conseguir trazer os aparelhos.

Maranhão comprou da China, mandou para Etiópia e driblou governo federal para ter respiradores

A logística foi traçada depois de terem reservado respiradores algumas vezes e serem atravessados por Alemanha, EUA e pelo próprio governo federal.

Para conseguir transportar 107 respiradores e 200 mil máscaras da China, o governo do Maranhão precisou montar o que tem chamado de uma operação de guerra com o envolvimento de 30 pessoas e custo de R$ 6 milhões. A logística foi traçada depois de terem reservado respiradores algumas vezes e serem atravessados por Alemanha, EUA e pelo próprio governo federal.

Em março, a gestão Flávio Dino (PC do B) reservou a compra de um lote de respiradores de uma fábrica de Santa Catarina, mas viu o governo federal bloquear a transação e distribuir os equipamentos segundo seus critérios.

Na sequência, reservou 150 respiradores na China, mas a Alemanha passou na frente, pagou mais e levou o pacote. Pouco depois, a situação se repetiria, com os norte-americanos interferindo na negociação. No começo do mês, situação similar aconteceu com o governo baiano.

Com a ajuda de uma importadora maranhense, o governo estadual passou a negociar com uma empresa de Guangzhou, que enviou os respiradores para a Etiópia, com o objetivo de escapar do radar da Europa e dos EUA.

O secretário estadual Simplício Araújo, de Indústria e Comércio, que coordenou a empreitada, diz que o cargueiro que saiu da China e aterrissou em São Paulo teve o frete pago pela mineradora Vale.

Ao chegar a São Paulo, a mercadoria foi colocada em avião fretado da Azul e mandada para o Maranhão, para só lá ser desembaraçada na Receita.

A liberação na alfândega não foi feita em SP para evitar que o governo federal retivesse os respiradores, como tem acontecido. A operação durou 20 dias, os equipamentos desembarcaram em São Luís na terça -feira (14).

Manifestantes pró-Bolsonaro no Maranhão dizem que coronavírus nunca matou e nem vai matar

Em vídeo gravado na avenida Litorânea, em São Luis, um manifestante diz que o coronavírus é fake news criado pela China e que derrubou as bolsas pelo mundo.

Manifestantes decidiram sair às ruas do Maranhão neste domingo (15) para expressar seu apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mesmo com as recomendações das instituições de saúde pública de que aglomerações não devem ser formadas para evitar a ampliação da crise do novo coronavírus que atinge o país.

Os atos foram oficialmente cancelados pelos seus organizadores, o que foi ignorado por esse grupo de manifestantes.

Em vídeo gravado na avenida Litorânea, em São Luis, neste domingo (15), um manifestante diz em megafone que o coronavírus é fake news criado pela China e que derrubou as bolsas pelo mundo.

“Eu tenho o vírus da gripe no meu corpo, e você também tem. Todo mundo tem. Coronavírus nunca matou uma pessoa na face da Terra. E não vai matar. Velhos morrem porque têm pneumonia e outras coisas mais. Não tenho medo do ‘caronavírus'”, diz o homem.

No vídeo é possível ver diversas pessoas utilizando máscaras descartáveis nos rostos.

Segundo levantamento da agência de notícias AFP divulgado na sexta-feira (13), 5.043 pessoas morreram no mundo contaminadas pelo novo coronavírus e mais de 134.300 foram contaminadas. No Brasil, há 121 casos de contaminação confirmados.

O presidente Bolsonaro disse, na terça-feira (10), que o coronavírus era “muito mais fantasia” e que não era “tudo isso que a grande mídia propaga”. Ao menos seis pessoas que encontraram Bolsonaro estão com coronavírus. O próprio presidente fez teste para o coronavírus, que deu negativo. Na quinta-feira (12), durante live em suas redes sociais usando uma máscara e depois em rede nacional, Bolsonaro desestimulou a ida aos protestos deste domingo (15).

Cuba anuncia medicamento que já teria curado 1.500 pessoas do novo coronavírus

O remédio foi escolhido como um dos 30 usados pelo governo chinês para combater a condição respiratória das vítimas

De acordo com o ministro da Saúde Pública de Cuba, José Ángel Portal Miranda, o país criou um medicamento, conhecido como Interferon alfa 2B (IFNrec), que já teria curado mais de 1.500 pacientes do novo coronavírus (Covid-19) na China. A fabricação do medicamento é realizada desde 25 de janeiro em um laboratório localizado na cidade chinesa de Changchun. As informações são da Revista Fórum.

O remédio foi escolhido como um dos 30 usados pelo governo chinês para combater a condição respiratória das vítimas. Em fevereiro, Miguel Díaz-Canel, presidente de Cuba, destacou em sua conta do Twitter a relevância da colaboração entre os dois países. Na publicação, ele afirma que apoia o “governo chinês e seu povo em seus esforços para combater o coronavírus”.

Além de ser usado contra a Covid-19, o IFNrec possui outros usos como, por exemplo, no tratamento contra infecções causadas pelo vírus da imunodeficiência humana, o HIV. Agora, o grupo BioCubaFarma, responsável pela fabricação do remédio, trabalha em um antiviral para a doença, conhecido como cigb 210, e volta seus esforços para a criação de uma vacina. A ideia é que o projeto seja submetido à China o mais rápido possível.

No entanto, o medicamento não oferece uma cura completa, de acordo com Luis Herrera Martínez, consultor científico e comercial do grupo de negócios BioCubaFarma, “o Interferon alfa 2B tem a vantagem de que, em situações como essa, é um mecanismo para se proteger. Seu uso impede que pacientes com a possibilidade de agravar e complicar cheguem a esse estágio e tenham a morte como resultado”.

Brasil é o 3º país em que pessoas passam mais tempo em aplicativos

O Brasil ficou na terceira colocação no ranking dos países em termos de tempo gasto em apps, levemente acima da média, com 3 horas e 45 minutos

As pessoas passaram 3 horas e 40 minutos, em média, utilizando aplicativos (também conhecidos como apps) em 2019. O índice é 35% maior do que em 2017. As informações são do principal relatório sobre o tema no mundo, da consultoria App Annie.

O Brasil ficou na terceira colocação no ranking dos países em termos de tempo gasto em apps, levemente acima da média, com 3 horas e 45 minutos.

O país foi superado pela China, onde as pessoas mexem com esses programas durante quase 4 horas, e a Indonésia, onde o tempo diário chegou a 4 horas e 40 minutos. Em seguida, vêm a Coreia do Sul (3h40) e Índia (3h30).

Na comparação entre 2019 e 2017, a China obteve a maior ampliação (60%), seguida pela Índia, o Canadá e a França (25%), a Indonésia (20%) e o Brasil, a Alemanha, Coreia do Sul, o Japão e Reino Unido (15%).

No recorte por idade, a chamada geração Z (nascida entre 1997 e 2012) passou 3 horas e 46 minutos por app por mês e teve 150 sessões por mês nos principais aplicativos.

O download anual de aplicativos cresceu 45% nos últimos três anos: saiu de 140 bilhões em 2016 para chegar a quase 204 bilhões em 2019. No Brasil, esse aumento foi de 40%, atingindo cerca de 5 bi no ano passado. Entre as nações, o maior aumento no período foi da Índia: 190%.

Dólar vai a R$ 3,68 e bolsa bate novo recorde com otimismo internacional

A indicação da equipe econômica de que a reforma da Previdência pode ser mais dura que a enviada pelo ex-presidente Michel Temer é um sinal positivo

VEJA

O mercado está otimista com a possibilidade de acordo comercial entre Estados Unidos e China. O dólar rompeu a casa dos 3,70 reais e era vendido a 3,6856 reais por volta das 12h17, uma queda de 0,80%. O Ibovespa, índice de referência do mercado acionário, avança 1,26%, a 93.187 pontos, um novo recorde.

Segundo analistas de mercado, há uma euforia generalizada com a possibilidade de entendimento entre os dois países. “O primeiro encontro entre as autoridades americanas e chinesas após o anúncio de uma trégua tarifária de 90 dias no G20 chega ao fim. Essa nova rodada – que tinha como principal objetivo andar na direção de um acordo definitivo e pôr um fim à guerra comercial – parece ter sido concluída em tom positivo”, afirma relatório da Guide Investimentos.

Segundo a Necton Corretora, a possibilidade de acordo entre EUA China fez com que bolsas asiáticas encerrassem o dia em alta. “E as europeias operam no positivo em meio ao otimismo instalado nos mercados acionários com sinais de que a guerra comercial entre as duas maiores economias pode ser evitada.”

No campo doméstico, a indicação da equipe econômica de que a reforma da Previdência pode ser mais dura que a enviada pelo ex-presidente Michel Temer é um sinal positivo. Os analistas alertam, entretanto, que é preciso reformar logo a Previdência, preferencialmente sem excluir nenhuma categoria das mudanças, como os militares. “O otimismo e voto de confiança por parte do capital financeiro com a agenda do novo governo associada a um setor externo positivo favorece o mercado interno”, afirma a Necton.

Em entrevista, vice-governador destaca tratativas com outros países para investimentos no Maranhão

Vice-governador destacou os resultados de tratativas com outros países. (Foto: Handson Chagas)

“O Governo do Maranhão está sempre em interlocução com países que possam investir em áreas de interesse para os maranhenses, agregando conhecimento, novas tecnologias e desenvolvimento do Estado”, pontuou o vice-governador, Carlos Brandão, durante entrevista, nesta quarta-feira (21), ao radialista Gilberto Lima, no programa Comando da Manhã, da Nova 1290 – Rádio Timbira AM.

O vice-governador destacou os resultados de tratativas com outros países com o objetivo de abrir espaço para investimentos para o Maranhão. China e Israel estão na lista dos países que indicam possibilidades de execução de projetos nas áreas como agricultura e segurança pública.

Carlos Brandão destacou visita a uma feira de ciência, tecnologia e inovação, na área de segurança pública, semana passada, em Israel. A comitiva maranhense, coordenada pelo vice-governador, conheceu empresas de monitoramento, de drones, de bloqueio de celulares no presídio e de itens de segurança como tornozeleira eletrônica e equipamentos de leitura facial e de placas de veículos. A visita proporcionará a adoção das medidas que vão somar à série de ações da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-MA) para aprimorar os serviços de segurança pública no Maranhão.

“Precisávamos conhecer novas tecnologias para aprimorar e realizar maiores investimentos no setor – na polícia técnico-científica e serviço de inteligência. E Israel tem o que há de melhor no mundo”, enfatiza o vice-governador. O gestor afirmou que há reais possibilidades de concretização dos projetos na segurança, pois, grande parte das empresas visitadas têm sede no Brasil. “Isso nos garante maior acesso. Foi uma visita bastante produtiva”, pontuo o vice-governador.

A comitiva conheceu o sistema de irrigação do país que tratam a água de esgoto para cultivo de frutas e verduras, abastecendo localmente e também exportando. “Estamos elaborando um projeto-piloto com fins a promover irrigação das barragens e açudes com essa tecnologia avançada”, diz o vice-governador.

O processo de dessalinização utilizado em Israel foi outro tema que interessou ao governo maranhense. Pelas grandes dificuldades na questão hídrica, Israel se especializou em tecnologia e tiram a água do mar, tratam e abastecem 70% da população. No Maranhão, a tecnologia pode ser aplicada em Barreirinhas, Paulino Neves, Viana, Santo Amaro. “São regiões que possuem poços artesianos com água salobra e nosso propósito é aplicar no tratamento destes pontos. A visita foi bastante produtiva e vamos debater sobre as possibilidades que podemos aplicar em nosso Estado”, pontua Brandão.

Antecipando as tratativas, o embaixador de Israel esteve no Maranhão em quatro oportunidades quando foram definidas agendas de parcerias. “São encontros que realizamos, desde o início do ano, tratando, principalmente, de tecnologia de ponta para agricultura e segurança. O governo avalia novos parâmetros para a tecnologia da inovação, segurança, cibernética agricultura e setor hídrico. Nesta próxima gestão do governador Flávio Dino vamos colocar em andamento essas tratativas”. No grupo de autoridades estavam presentes representantes da SSP e da Secretaria de Estado de Projeto Especiais (Sepe).

Na entrevista, o vice-governador destacou as políticas da gestão que garantem o cumprimento dos pagamentos de servidores em dias e, algumas vezes, antecipados. Analisou o uso de fake news com o objetivo de prejudicar a atuação do Governo do Estado, de entrega de obras públicas; do fortalecimento de programas sociais e da continuidade da gestão com propostas de desenvolvimento do Estado.

Brandão frisou que, nessa eleição, o governador Flávio Dino mostrou que a população está com ele e porque é o governador de todos. “O governador teve 60% dos votos, elegemos 80% da nossa bancada estadual e federal, além dos dois senadores. Algo histórico e essa bancada forte vai se posicionar em favor do Maranhão. O direcionamento é o mesmo: governando para todos os municípios e para todos os maranhenses, realizando obras que atendam à população, independente de ideologias e manter a boa relação com o Governo Federal”, afirmou.

Em visita a Flávio Dino, embaixador chinês destaca crescimento do PIB do Maranhão

A comitiva de chineses foi recebida pelo governador nesta quinta-feira, no Palácio dos Leões.

O embaixador da China no Brasil, Li Jinzhang, e comitiva formada por 40 pessoas, entre diplomatas, empresários e jornalistas chineses  foram recebidos nesta quinta-feira (15) pelo governador Flávio Dino, no Palácio dos Leões. A visita institucional teve como objetivo a aproximação entre os dois países e o estímulo a investimentos, com intercâmbio econômico dos empresários.

O embaixador Li Jinzhang e os empresários visitantes agradeceram a receptividade e destacaram o crescimento do PIB do estado, noticiado pelo jornal Folha de São Paulo na última semana. No levantamento divulgado, o Produto Interno Bruto (PIB), a soma das riquezas produzidas no estado, teve crescimento de aproximadamente 10%. O crescimento chinês ficou em 6% em 2017, de acordo com o diplomata.

O embaixador também falou do interesse do país na aproximação. O governador Flávio Dino agradeceu o interesse e destacou a geração de oportunidades para os maranhenses com as tratativas e também comentou algumas das oportunidades já confirmadas.

“Estamos assistindo a confirmação do investimento no complexo portuário de São Luís. Teremos na próxima semana a missão atinente à siderurgia, e, dando passo a passo, com muita seriedade, temos esse ciclo de investimentos no nosso estado que é muito importante para a geração de oportunidades de negócio para empresas maranhenses e oportunidades de emprego de milhares de pessoas”, completou.