Muita gente para pouco angu! PSL já tem quatro pré-candidatos em São Luís

Outros nomes podem embolar ainda mais a disputa dentro do PSL

O PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, segue agitado com a aproximação das eleições de 2020, em São Luís. Até o momento, quatro pré-candidatos travam uma briga interna para decidir quem será o candidato de Bolsonaro na capital.

Dois nomes já são filiados há mais tempo e congregam mais apoios, um deles é o médico Allan Garcês, que foi candidato a deputado e hoje trabalha no Ministério da Saúde, o outro é o apóstolo Silvio Antônio, líder da igreja Batista Shalon.

A disputa ganhou novas figuras recentemente com a entrada do ex-prefeito Tadeu Palácio e do Coronel Monteiro no PSL.

Outros nomes podem embolar ainda mais a disputa. O candidato a prefeito em 2016 Fábio Câmara e a presidente da Funasa no Maranhão, Maura Jorge, não estão descartados na disputa.

TRF-2 determina que Michel Temer e Coronel Lima voltem à prisão

Em São Paulo, Temer disse que se apresentará “voluntariamente” à Justiça Federal, que teve uma “surpresa desagradável”

G1

Por 2 votos a 1, a 1ª Turma do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) decidiu nesta quarta-feira (8) pela revogação do habeas corpus do ex-presidente Michel Temer e de João Baptista Lima Filho (Coronel Lima).

Em São Paulo, Temer disse que se apresentará “voluntariamente” à Justiça Federal, que teve uma “surpresa desagradável” e que vai recorrer ao Superior Tribunal de Justiça. Após a decisão, o alvará de soltura será recolhido e a 7ª Vara Federal Criminal, que determinou inicialmente a prisão, será oficiada para expedir os mandados de prisão preventiva.

A pedido da defesa, o TRF-2 informou que recomendará à juíza Caroline Figueiredo – que substitui o juiz Marcelo Bretas em suas férias na 7ª Vara – que permita que os dois se apresentem em São Paulo, onde vivem, em locais a serem determinados. A juíza também decidirá os locais para onde os presos serão levados.

Na mesma audiência, o ex-ministro e ex-governador do Rio Moreira Franco e os outros cinco acusados tiveram o habeas corpus mantido por unanimidade (veja quem são todos os réus abaixo). Os oito são acusados pela Lava Jato do Rio pelos crimes de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Homem é acusado de usar indevidamente o nome da UDN no Maranhão

Na última semana, o advogado Marco Antônio Vicente, que usa o nome de Marco Vicenzo, esteve no Maranhão, percorreu vários veículos de comunicação e anunciou o Coronel Monteiro como presidente da UDN no Maranhão

Uma verdadeira confusão envolveu a União Democrática Nacional (UDN), partido que ainda nem saiu do papel, mas já está dando o que falar. O auto-declarado presidente nacional da legenda, Marcos Alves de Souza, denunciou que um outro político está se passando por líder nacional da legenda e fazendo acordos nos estados.

Na última semana, o advogado Marco Antônio Vicente, que usa o nome de Marco Vicenzo, esteve no Maranhão, percorreu vários veículos de comunicação e anunciou o Coronel Monteiro como presidente da UDN no Maranhão. Mas de acordo com Marcos Alves, no Maranhão, o partido encontra-se ainda na fase de recolhimento de assinaturas para o registro no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA) e deve ser ligado ao grupo político de Maura Jorge.

A direção nacional da UDN informou que já foi feita uma denúncia no TSE contra Marco Vicenzo. Ao que tudo indica, o retorno da antiga UDN vem sendo disputado por dois grupos distintos e o problema deve ser resolvido na Justiça Eleitoral.

Coronel Monteiro vai liderar UDN no Maranhão

Monteiro é Superintendente de Coordenação e Governança do Patrimônio da União no Maranhão, um dos poucos políticos do estado que ganharam espaço no governo Bolsonaro

A União Democrática Nacional (UDN) vai ganhando cara no Maranhão. O partido de direita, que está em fase de refundação, vai ser liderado no estado pelo coronel Monteiro.

Monteiro é Superintendente de Coordenação e Governança do Patrimônio da União no Maranhão, um dos poucos políticos do estado que ganharam espaço no governo Bolsonaro e foi anunciado como presidente estadual pelo presidente nacional da UDN, Marcos Antônio Vicenzo.

O coronel ainda tentou uma candidatura ao governo do Estado em 2018 pelo PSL e PHS, mas não obteve êxito justamente por não ter apoio partidário. Agora, na direção do UDN, terá condições de ingressar numa possível disputa em 2020 ou 2022.

Coronel Monteiro é indicado para órgão do Governo Federal, enquanto Maura Jorge continua sem ser contemplada

De acordo com Monteiro, o convite foi feito por um membro do alto escalão do Governo Federal

Nos últimos dois dias, a indicação do militar da reserva do Exército Brasileiro, Coronel Monteiro, para a Superintendência de Coordenação e Governança do Patrimônio da União no Maranhão ganhou os noticiários.

De acordo com Monteiro, o convite foi feito por um membro do alto escalão do Governo Federal e fez com que o militar da reserva fosse um dos poucos contemplados pelos governo Bolsonaro após dois meses de mandato.

Um fato que chama atenção, é que nem mesmo Maura Jorge, que tem se reunido frequentemente com ministros e outros políticos do PSL, conseguiu ser indicada pelo governo.

Ex-candidata pelo PSL do Maranhão ao governo do Estado, Maura Jorge ainda espera ser vista pelo governo Bolsonaro, pois sem estrutura de trabalhar, pode ter seus planos futuros atrapalhados.

Outros políticos do PSL maranhense que seguem sem ser contemplados são Chico Carvalho, presidente do PSL, Fábio Câmara, ex-vereador de São Luís e Samuel de Itapecuru, candidato do PSL ao Senado Federal na última eleição.

Coronel Monteiro se diz traído pelo PHS

Monteiro afirmou que “se sente traído” pelo presidente do PSH, o advogado Jorge Arturo

O militar reformado do Exército Brasileiro Coronel Monteiro, até então filiado ao PHS, usou suas redes sociais para mostrar sua indignação com os últimos acontecimentos que levaram o PHS para a chapa do senador Roberto Rocha (PSDB).

Monteiro afirmou que “se sente traído” pelo presidente do PSH, o advogado Jorge Arturo.

“Nós tivemos a nossa candidatura podada, de maneira infame, porque nós tínhamos um compromisso, e nós honramos a nossa parte. O PHS não foi digno de ser um partido político”, completou.

O PHS firmou uma parceria com o PMN nas coligações proporcionais e caminhão com o PSDB de Roberto Rocha na majoritária. A ida dos dois partidos para a chapa do PSDB, também foi tida como a garantia de que José Reinaldo seja candidato ao Senado Federal.