Live com jornalistas sobre debate da Mirante pautou inúmeras discussões no Facebook

 

Uma live, transmissão ao vivo, com quatro profissionais da Comunicação, na página do apresentador e jornalista Jeisael Marx, no Facebook, pautou inúmeras discussões  sobre o debate entre os candidatos a prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr (PDT) e Eduardo Braide (PMN), na TV Mirante, na madrugada deste sábado (29). Até agora, foram mais de 60 mil internautas alcançados na capital maranhense, cerca de quatro mil comentários e 1.500 curtidas, mais de 22 mil visualizações, 320 compartilhamentos, sucesso de audiência na rede social.

Os participantes, todos jornalistas, têm blogs, fampages e milhares de seguidores nas redes sociais. E o resultado foi esse sucesso total de audiência e interatividade. Assista ao vídeo da live acima.

Os jornalistas Jeisael Marx, Sílvia Tereza (editora deste blog), Cunha Santos e Gilberto Lima discorreram, por mais de 40 minutos, sobre o desempenho de Edivaldo Holanda Jr e de Eduardo Braide no debate da TV Mirante, levando em consideração a postura adotada por eles, as perguntas feitas, as respostas, o nível de conhecimento técnico e administrativo, as reações, os ataques, contra-ataques e documentos postados pelas assessorias dos mesmos no Facebook.

A audiência da live surpreendeu as expectativas do titular da página no Facebook, Jeisael Marx, apresentador do programa Hora D da TV Difusora, e dos jornalistas participantes, Sílvia Tereza, Gilberto Lima e Cunha Santos.

Segundo Jeisael, essa foi a primeira live de sua página no Facebook e o resultado veio com uma imensa resposta do público que, mesmo de madrugada, após o debate dos candidatos, acompanhou a análise dos jornalistas e interagiu com milhares de comentários. Alguns foram lidos pelo apresentador, durante a live, e respondidos pelos participantes.

Edivaldo vence debate, encurrala Braide e mostra que o candidato é investigado pela Polícia Federal

certidaopf

O debate da TV Mirante entre os candidatos a prefeito, Edivaldo Holanda Jr (PDT) e Eduardo Braide (PMN), bateu recorde de audiência nesta sexta-feira (28) em São Luís. O confronto terminou evidenciando a podridão da chamada “máfia de Anajatuba”, investigada por arruinar os cofres públicos de uma cidade pequena e muito pobre do Maranhão, que envolve o deputado estadual e postulante à Prefeitura, de acordo com documento da Polícia Federal.

Edivaldo Holanda Jr reagiu ao ataque do adversário e desmascarou Braide, logo no primeiro bloco. O deputado, como de costume, apelou para a agressividade, arrogância e não esperava encontrar um prefeito disposto a contra-atacar com aquela força.

Olhando nos olhos de Braide, Edivaldo perguntou sobre o envolvimento dele na chamada máfia de Anajatuba e sobre a investigação da Polícia Federal em curso para apurar o caso. Desnorteado, o candidato do PMN deixou de responder, não soube o que dizer.

Braide ainda tentou bater naquele velho discurso de certidões negativas quando Edivaldo pediu à sua assessoria que  publicasse no Facebook o documento da Polícia Federal, provando que o mesmo está sendo investigando por envolvimento com a máfia de Anajatuba que desviou recursos públicos de um município pobre e pequeno.

Braide mentiu

O documento da Polícia Federal revelando a investigação contra Braide evidencia também que o candidato do PMN estava mentindo ao se vacinar como um “político puritano” por causa de certidões que tirou para poder disputar a eleição.

“Eu não sou bandido”, disse Edivaldo encarando e apontando para Eduardo Braide. A frase marcou o debate, já que o pedetista não tem contra si uma investigação de  corrupção, ao contrário do adversário que é investigado pela Polícia Federal.

Gestão pública X Caema

No geral, Braide também deixou de responder perguntas técnicas sobre gestão pública, como as relacionadas à assistência social e previdência, e revelou o seu lado despreparado para a gestão pública. O candidato do PMN decepcionou também no que diz respeito às resposta sobre sua gestão na Caema, pouco disse, nada explicou.

Braide foi eloquente, em alguns momentos, por conta da lábia adquirida com a experiência de advogado e deputado, mas pouco apresentou propostas, preferiu a linha de ataques, característica de seus programas eleitorais. Revelou que sabe apenas falar bonito, mas não sabe como fazer. Nada mais que isso.