Grande São Luís registra 170 novos casos de coronavírus; Maranhão registra 24.278

Nas últimas 24 horas, foram 1.467 novos casos confirmados.

O novo boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), nesta segunda-feira (24), mostra que o Maranhão chegou à marca de 24.278 infectados de coronavírus.

Nas últimas 24 horas, foram 1.467 novos casos confirmados. Vale destacar que na Grande São Luís foram apenas 172, as demais regiões registaram 1.295.

Desses, 5.941 pessoas já estão recuperadas e foram registrados ainda 817 óbitos.

Até o momento, o Maranhão já realizou 40.562 testes e 1.181 casos seguem suspeitos.

‘Medidas preventivas serão reavaliadas a cada semana’, afirma Flávio Dino

A partir de segunda-feira (25), inicia o processo gradual de abertura das empresas

Em coletiva de imprensa virtual, nesta quinta-feira (21), o governador Flávio Dino tratou sobre a abertura gradual das atividades econômicas no estado do Maranhão. No entanto, ele esclareceu que, a depender dos dados epidemiológicos semanais, essas medidas poderão ser cada vez mais flexibilizadas ou endurecidas. “Ainda temos um quadro sanitário grave, mas entendemos que existem necessidades sociais e econômicas. Por isso, na próxima segunda-feira (25) iniciaremos a abertura progressiva dos estabelecimentos econômicos”, disse o governador, ao mencionar o último decreto que autoriza a abertura de pequenas empresas familiares. 

Na coletiva, o governador apresentou gráficos com a trajetória dos novos casos confirmados de coronavírus nos municípios da Ilha e demais regiões do Maranhão. “Nós não vencemos a batalha na Ilha, mas todo o esforço que fizemos, com a adoção de medidas protetivas, resultou em unidades de saúde menos pressionadas, o que demonstra que as medidas contribuíram com a diminuição no número de casos na Ilha”, afirmou Flávio Dino. 

O governador citou ainda que há uma tendência de crescimento no número de casos confirmados nos municípios maranhenses. Atualmente, 202 cidades possuem pelo menos um caso confirmado de coronavírus. “Esse é um momento de contar com a colaboração de todos. O Governo, as Prefeituras Municipais e cada cidadão maranhense deve fazer a sua parte: usar máscaras, lavar as mãos e manter distanciamento social. Só assim conseguiremos vencer essa pandemia”, assegurou o governador. 

Comércio

A partir de segunda-feira (25), inicia o processo gradual de abertura das empresas. Nesse primeiro momento, poderão funcionar pequenas empresas familiares. A cada semana serão editadas portarias com protocolos sanitários setoriais que autorizam a abertura de segmentos econômicos. Após análise e aprovação das secretarias estaduais, as empresas poderão funcionar observando o cumprimento das regras sanitárias.

Fiscalização 

Desde o início das medidas preventivas, foram realizadas mais de mil fiscalizações pela Vigilância Sanitária e mais de 57 mil abordagens policiais. O novo decreto permite que cada maranhense participe das ações de combate ao coronavírus no estado. Estão disponíveis três números de whatsapp, onde as pessoas poderão enviar fotos de estabelecimentos comerciais ou consumidores que estejam infringindo as normas sanitárias de prevenção à vida e à saúde. 

Além disso, o novo decreto prevê que além das punições administrativas, como advertência, multa e interdição, as infrações às normas sanitárias serão encaminhadas ao Ministério Público Estadual (MPE) e Ministério Público do Trabalho (MPT). Leitos exclusivos de COVIDNos primeiros meses, o Maranhão possuía 232 leitos exclusivos para pacientes com coronavírus. Na coletiva virtual, o governador anunciou que esse número chegará a 1.455 leitos nesta quinta-feira (21), com os 10 novos leitos que estão sendo disponibilizados na cidade de Imperatriz.

Lockdown na Grande Ilha São Luís será prorrogado até domingo

O bloqueio terminaria nesta quinta-feira (14), mas o juiz Douglas de Melo Martins determinou que as restrição da circulação de pessoas se estendam por mais três dias.

Foi prorrogado até domingo (17) o lockdown (bloqueio total) dos serviços não essenciais nas quatro cidades da Grande São Luís.

O bloqueio terminaria nesta quinta-feira (14), mas o juiz Douglas de Melo Martins, da Vara de Interesses Difusos e Coletivos, determinou que as restrição da circulação de pessoas se estendam por mais três dias.

O MP, que havia entrado com pedido para que a Justiça decretasse o ‘lockdown’, sugeriu a não continuidade da medida. Os representantes das prefeituras, também pediram que o isolamento obrigatório não fosse prorrogado. No entanto, o magistrado entendeu que é necessário mais três dias de bloqueio para contribuir com o combate à Covid-19 na Grande Ilha.

Segundo o juiz Douglas de Melo Martins, na sexta-feira (15) será feriado antecipado do Adesão do Maranhão, de acordo com a decisão do governador Flávio Dino. Os três dias a mais de ‘lockdown’ não serão em dias úteis, não havendo prejuízo ao comércio.

Baixe a declaração para circulação de motoristas de aplicativos e trabalhadores durante o lockdown na Ilha de São Luís

Os motoristas devem preencher, imprimir e apresentá-la sempre que solicitado por autoridades estaduais e municipais.

O Governo do Maranhão disponibilizou para os motoristas de aplicativos (Uber, 99 e outros) um modelo de declaração para autorização de circulação na Ilha de São Luís durante o lockdown.

Os motoristas devem preencher, imprimir e apresentá-la sempre que solicitado por autoridades estaduais e municipais.

Os trabalhadores de serviços essenciais já tinham disponível um modelo de declaração. Mas agora foi feita uma versão exclusiva para motoristas de aplicativos, a fim de facilitar o procedimento.

Essa declaração também vai servir para ser apresentada entres os dias 11 e 14 na Ilha de São Luís, quando haverá rodízio de veículos. Os motoristas de aplicativos – assim como os táxis – não estão incluídos nas restrições do rodízio.

BAIXE AQUI O MODELO DE DECLARAÇÃO PARA MOTORISTAS DE APLICATIVOS

Veja também:

BAIXE AQUI O MODELO DE DECLARAÇÃO PARA FUNCIONÁRIOS DE EMPRESAS

BAIXE AQUI O MODELO DE DECLARAÇÃO PARA SERVIDORES ESTADUAIS

1º dia de lockdown na Ilha de São Luís tem adesão, dezenas de bloqueios e menos movimento

O objetivo é reduzir a curva de contágio do coronavírus, cujos casos estão concentrados na Região Metropolitana.

Avenida Litorânea, Anel Viário, Terminal da Praia Grande, entrada da cidade e Terminal da Ponta da Espera. Todos esses pontos tradicionalmente movimentados ficaram esvaziados ou com pouca circulação nesta terça-feira (5), o primeiro dia do lockdonw (bloqueio) na Ilha de São Luís.

O lockdown foi pedido pelo Ministério Público, concedido pela Justiça e acatado pelo Governo do Maranhão, que pôs em prática diversas medidas. Elas valem até o dia 14, somente na Ilha de São Luís.

O objetivo é reduzir a curva de contágio do coronavírus, cujos casos estão concentrados na Região Metropolitana.

Para ajudar a reduzir a circulação e induzir o cumprimento as regras do decreto acerca do lockdown, foram montados 50 pontos de bloqueio em diversas partes da Ilha. Policiais militares e outros profissionais ajudam na operação.

Nesses bloqueios, só pôde passar quem preenchia os requisitos estabelecidos pelos decretos. Entre eles, profissionais de saúde a trabalho, funcionários e servidores de serviços essenciais e caminhões de carga.

Os trabalhadores de serviços essenciais tiveram que mostrar a Declaração de Serviço Essencial, fornecida pelas empresas. O modelo está disponível nos canais oficiais do Governo do Estado.

O documento tem que estar em papel timbrado. Os trabalhadores devem andar com o original. Cópias não são aceitas.

“São centenas de declarações sendo apresentadas às guarnições. Estamos observando que as pessoas atenderam ao chamado das autoridades sanitárias e houve diminuição significativa de circulação de pessoas tanto a pé quanto em veículos”, afirmou o coronel Pedro Ribeiro, comandante da Polícia Militar do Maranhão.

No caso dos caminhões de carga, a circulação foi liberada para abastecer os mercados, que continuam abertos. O mesmo acontece com feiras, hospitais e farmácias, por exemplo.

Cenas do início do lockdown na Ilha de São Luís

Entrada da Avenida Litorânea amanheceu bloqueada

O lockdown (bloqueio total) foi iniciado, nesta terça-feira (5), na Grande São Luís, como estratégia para conter o aumento do coronavírus. Este é o primeiro caso de bloqueio total no país em meio à pandemia.

O lockdown no Maranhão, decretado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) após determinação judicial da última quinta-feira (30), vale por dez dias na capital, São Luís, e nos municípios Paço do Lumiar, São José de Ribamar e Raposa. A população deve seguir as medidas de restrição sob pena de advertência e multa.

O juiz Douglas Martins determinou o lockdown após um estudo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) apontar que o Maranhão é o estado com maior ritmo de crescimento no número de mortos por Covid-19 no país.

Avenida Rio Branco no Centro também está bloqueada próximo da Caixa Econômica Federal

Até a noite desta segunda-feira (4), o Maranhão havia registrado 4.530 pessoas infectadas e 271 mortes, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Barreiras policiais estão sendo realizadas em várias avenidas e rodovias da Grande São Luís, a exemplo da Avenida Litorânea, Estrada de Ribamar, Daniel de La Touche, Bandeira Tribuzzi e Via Expressa.

O bloqueio também acontece próximo da Ponte Bandeira Tribuzzi
Fotos registram ainda muitas aglomerações na capital, a exemplo da Feira do João Paulo
Muitas pessoas também lotam as agências bancárias na manhã desta terça-feira
Imagens do Anel Viário mostraram um grande fluxo de carros e de pessoas que buscavam ir para a Baixada Maranhense

Veja o que muda com o novo decreto que passa a valer a partir de terça (5) na Ilha de São Luís

Por 10 dias nas cidades de São Luís, Paço do Lumiar, Raposa e São José de Ribamar ficarão em ‘lockdown’ (bloqueio total)

O governador Flávio Dino emitiu domingo (3), o novo decreto (nº 35.784) com o qual acatou a decisão judicial proferida pela Vara de Interesses Difusos e Coletivos da Comarca da Ilha de São Luís sobre o “lockdown” por 10 dias nas cidades de São Luís, Paço do Lumiar, Raposa e São José de Ribamar.

BAIXE AQUI O MODELO DE DECLARAÇÃO PARA FUNCIONÁRIOS DE EMPRESAS

BAIXE AQUI O MODELO DE DECLARAÇÃO PARA SERVIDORES ESTADUAIS

VEJA AQUI A ÍNTEGRA DO DECRETO

O que muda?

Estão suspensas as obras públicas e privadas, exceto as obras relativas às áreas da saúde, segurança pública, sistema penitenciário e saneamento. Somente poderão funcionar indústrias que atuam em turnos ininterruptos ou as do setor de alimentos, bebidas e produtos de higiene e limpeza.

A partir de agora, cabe aos municípios de São Luís, São José de Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar dispor sobre regras de: redução e circulação de pessoas; higiene e de distanciamento social em feiras e mercados; restringir a circulação de veículos particulares em vias municipais; proibir estacionamento de veículos em áreas de lazer ou comércio não-essencial; organizar barreiras de controle e fiscalização nas vias sob jurisdição municipal; além de reduzir a quantidade de pontos de parada de ônibus e diminuir o itinerário de transporte coletivo em áreas de comércio e serviços não-essenciais.

Somente será permitida entrada e saída da ilha de São Luís de: ambulâncias, viaturas policiais, profissionais da saúde em deslocamento, veículos com transporte de passageiros, caminhões e veículos a serviços das atividades essenciais. Serão permitidos apenas quatro trajetos diários de transporte aquaviário de passageiros e veículos por meio de ferryboats (São Luís – Cujupe e Cujupe São Luís), exclusivamente para ambulâncias, profissionais da saúde, veículos com transporte de paciente, viaturas policiais, caminhões e veículos a serviço de atividades essenciais. Está suspenso o trânsito nas rodovias MA 201, MA 202, MA 203 e MA 204, exceto nos casos acima citados.

Nos serviços de transporte semiurbano entre os municípios de São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa, somente será admitida a presença de passageiros com máscaras de proteção, sendo vedado o transporte de passageiros em pé.

Todos os estabelecimentos que estiverem abertos deverão cumprir rigorosamente os protocolos de segurança como: distanciamento social, uso de máscaras, revezamento de funcionários, higienização das superfícies, uso álcool em gel, dentre outros cuidados.

Para controlar a circulação de trabalhadores e servidores públicos estaduais, os órgãos deverão firmar Declaração de Serviço Essencial para cada servidor que esteja trabalhando. Os servidores estaduais deverão comprovar, por meio desse documento, que estão em serviços essenciais. Os profissionais autônomos que estejam exercendo suas funções em razão dos serviços considerados essenciais devem também portar a declaração e realizar as devidas adaptações no documento.

Quem descumprir as medidas?

Serão aplicadas advertências, multas e interdição parcial ou total do estabelecimento a todos aqueles que descumprirem as recomendações propostas no decreto.

Aulas

As aulas presenciais permanecem suspensas até o dia 31 de maio em todas as unidades de ensino da rede pública e privada, municipal, estadual, incluindo faculdades e universidades. São permitidas as atividades internas das instituições de ensino visando a preparação de aulas para transmissão via internet.

Atividades essenciais

Serão permitidas as seguintes atividades nos municípios da Ilha de São Luís: produção e comercialização de alimentos, produtos de limpeza e de higiene pessoal, em supermercados, feiras, quitandas e estabelecimentos semelhantes.

Os serviços de entrega delivery e retirada no estabelecimento podem ser mantidos por restaurantes e lanchonetes. Também são consideradas atividades essenciais a assistência médico-hospitalar, bem como a distribuição e comercialização de medicamentos. Além disso, estão mantidos os serviços relativos ao tratamento e abastecimento de água, tratamento de esgoto e lixo.

Os bancos e lotéricas deverão cumprir todos os protocolos fixados pelas autoridades sanitárias, como distância entre as pessoas, uso de EPIs pelos funcionários, higienização das superfícies, dentre outros.

Energia elétrica, gás e combustíveis; comunicação social; serviços funerários; de telecomunicação; processamento de dados ligados aos serviços essenciais estão mantidos, além da segurança privada, serviços de manutenção, segurança, conservação, cuidado e limpeza em ambientes privados (empresas, residências, condomínios). Também continuam funcionando oficinas, serviços de fiscalização ambiental, defesa do consumidor e proteção dos direitos humanos.

Também permanecem funcionando locais de apoio para trabalho de caminhoneiros, locais de distribuição e comercialização de álcool em gel, bem como serviços de lavanderia.

Fica permitido o funcionamento do aeroporto de São Luís, das ferrovias para transporte de carga e dos portos, bem como das empresas que a eles prestam serviços. Além disso, clínicas e hospitais veterinários continuam funcionando para consultas e procedimentos de urgência e emergência

Em todos os locais públicos e de uso coletivo, ainda que privados, é obrigatório o uso da máscara. É vedada qualquer aglomeração de pessoas em local público ou privado, como shows, congressos, jogos, apresentações, festas em casas noturnas.

Flávio Dino afirma que decisão sobre ‘lockdown’ será cumprida

A declaração aconteceu após a determinação do juiz da Vara de Interesses Difusos e Coletivos da Comarca da Ilha de São Luís, Douglas Martins, que determinou o ‘lockdown

O governador Flávio Dino (PCdoB) afirmou, em suas redes sociais, que vai acatar a determinação da Justiça sobre a decretação do ‘lockdown’ (bloqueio total) nas cidades de Paço do Lumiar, Raposa, São José de Ribamar e São Luís.

A declaração aconteceu após a determinação do juiz da Vara de Interesses Difusos e Coletivos da Comarca da Ilha de São Luís, Douglas Martins, que determinou o ‘lockdown’ pelo prazo de 10 dias, a partir do dia 5 de maio, pelo grande crescimento no número de casos e mortes pelo novo coronavírus na Ilha de São Luís.

“Sobre a decisão judicial de bloqueio na Ilha de São Luís, informo que evidentemente a decisão do Judiciário será cumprida. Esclareço, contudo, que atividades essenciais, como alimentação e remédios, continuarão abertas”, afirmou o governador.

Pela decisão, ficarão suspensas todas as atividades não essenciais à manutenção da vida e da saúde, com exceção de serviços de alimentação, farmácias, portos e indústrias que trabalham em turnos de 24 horas. Também ficará proibida a entrada e saída de veículos da Ilha de São Luís, por dez dias, com exceção para caminhões, ambulâncias, veículos transportando pessoas para atendimento de saúde e atividades de segurança.

A decisão também vai suspender a circulação de veículos particulares, sendo autorizados somente a saída para compra de alimentos ou medicamentos, para transporte de pessoas e atendimento de saúde, serviços de segurança ou considerados essenciais pelo decreto estadual.

Flávio Dino propõe ação conjunta entre prefeitos da Grande Ilha para combater coronavírus

A Ilha de São Luís é a região que concentra mais de 90% dos casos confirmados de Covid-19 no Maranhão

O governador Flávio Dino reuniu nesta sexta-feira (17), por videoconferência, com os prefeitos da Ilha de São Luís para definir novas ações para o enfrentamento do coronavírus nos municípios de São Luís, Raposa, Paço do Lumiar e São José de Ribamar. 

A Ilha de São Luís é a região que concentra mais de 90% dos casos confirmados de Covid-19 no Maranhão. Na reunião, o governador ouviu os gestores municipais e propôs uma ação conjunta com o objetivo de fortalecer as diretrizes de combate ao coronavírus nesses municípios. 

“Precisamos dar as mãos nesse momento e unificar ações importantes para enfrentar esse momento difícil que estamos vivendo nos municípios da Ilha de São Luís que, hoje, apresenta o maior número de casos confirmados no estado”, disse o governador Flávio Dino. 

A disponibilidade de novos leitos e a melhora do fluxo de porta de entrada dos pacientes foram alguns dos pontos tratados entre o governador, gestores municipais e secretários de estado. 

Participaram da reunião as prefeitas Talita Laci (Raposa), Paula (Paço do Lumiar), os prefeitos Edivaldo Júnior (São Luís) e Eudes Sampaio (São José de Ribamar), além dos secretários estaduais Marcelo Tavares (Casa Civil), Carlos Lula (Saúde) e Rodrigo Lago (Secap).