Grande São Luís registra queda de 72% no número de homicídios em cinco anos

Em 2014, houve 910 de homicídios nas quatro cidades da Ilha. Em 2019, o número foi reduzido para 251 casos. Uma diferença de 72%

Em cinco anos, o número de homicídios caiu 72% na Grande Ilha em 2019 na comparação com o ano de 2014, antes da entrada da nova política de segurança no Estado. A tendência de queda vem sendo ininterrupta desde 2015.

Em 2014, houve 910 de homicídios nas quatro cidades da Ilha. Em 2019, foram 251 casos. Uma diferença de 72%. Ou seja, em doze meses, foram salvas 659 vidas com a nova política de segurança. Caso seja levado em consideração todo o período entre 2015 e 2019, comparando com os dados de 2014, foram salvas 1.930 vidas na Grande Ilha.

Estudos e levantamentos nacionais também mostram queda forte dos homicídios em São Luís. A mais recente versão do Atlas da Violência dos Municípios, divulgado em agosto de 2019, mostra que São Luís é a capital brasileira que mais reduziu homicídios desde 2014. O levantamento foi feito pelo Ipea, um instituto de estudos e pesquisas do governo federal. O estudo traz dados atualizados até 2017. O início da série histórica é em 2007.

De 2007 a 2014, a taxa de homicídios cresceu ano a ano em São Luís, sem parar. Em 2007, eram 34,8 homicídios a cada 100 mil habitantes. Em 2014, tinha subido para 82,9, mais do que o dobro.

A partir de 2015, a taxa começa a cair ano a ano. Em 2017 – o período com dados mais recentes divulgado pelo Ipea -, a taxa caiu para 46,9 homicídios a cada 100 mil habitantes. Isso significa uma redução de 43,42% em apenas três anos. Nenhuma outra capital brasileira conseguiu tal queda, de acordo com o Atlas da Violência.

Em setembro, outro estudo confirmou que São Luís é a capital brasileira que mais reduz o número de homicídios. Foi o Anuário Brasileiro da Segurança Pública, divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Trata-se de uma organização sem fins lucrativos. Entre 2017 e 2018, a capital maranhense reduziu em 36,6% os homicídios. Nenhuma outra capital em todo o Brasil conseguiu melhor resultado neste período. A queda ludovicense é bem maior que a média nacional, de 20,7%.

Maranhão reduz índices de criminalidade com investimentos em Segurança Pública

Fruto das medidas implantadas desde 2015, São Luís deixou, em 2017, a lista das 50 cidades mais violentas do mundo

Nos últimos cinco anos, a gestão da Segurança Pública no Maranhão é marcada pelos resultados positivos com a redução dos índices de criminalidade, alcance de metas e uma série de investimentos no setor. Entre os maiores destaques está o aumento do efetivo, a promoção de medidas que valorizam o policial, além de investimentos em infraestrutura das instalações de segurança, aquisição de materiais e equipamentos.

O Governo do Estado tem investido no aparelhamento completo do sistema de Segurança Pública com a aquisição de nova frota de veículos, equipamentos, armamentos, tecnologia, sistemas e infraestrutura. O efetivo possui mais de 15 mil policiais, sendo cerca de 4 mil novos policiais nomeados desde 2015, fazendo deste o maior contingente policial da história do Maranhão. Mais de nove mil policiais receberam promoções, valorizando o esforço e compromisso das equipes. Além da aquisição de mais de 1.100 novas viaturas.

Em infraestrutura, foram inauguradas duas novas bases do Centro Tático Aéreo (CTA), sendo uma em Imperatriz e outra em Presidente Dutra. Antes, apenas São Luís possuía base com helicópteros. O CTA reforça a segurança e faz resgates de acidentados e feridos. O Governo do Maranhão construiu, ainda, 10 novos batalhões e companhias e 10 colégios militares; além de 12 novas delegacias de Polícia Civil.

A investigação ganhou moderno e equipado Instituto de Genética Forense (IGF), um dos maiores em estrutura física do Brasil, onde são analisados material genético e detectada autoria de crimes. Outras ações estruturais do Estado na Segurança Pública incluem a criação das Superintendências de Narcóticos (Senarc) e de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor).

Fruto das medidas implantadas desde 2015, São Luís deixou, em 2017, a lista das 50 cidades mais violentas do mundo, segundo estudo da organização de sociedade civil mexicana Segurança, Justiça e Paz. Paralelamente, as mortes violentas na Grande São Luís diminuíram 63% em 2018, na comparação com 2014.

Homicídios na Grande São Luís caem 85% em novembro na comparação com 2014

O resultado vem dos sucessivos investimentos que o Governo do Maranhão faz na segurança pública desde 2015

Os homicídios na Grande São Luís tiveram mais uma redução histórica em novembro. A queda foi de 85% na comparação como o mesmo mês de 2014, antes da implementação do novo modelo de segurança pública no Maranhão.

Em novembro de 2014, foram 103 homicídios nos municípios da Grande Ilha. Em 2019, caíram para 15. Ou seja, em apenas um mês foram 88 vidas salvas.

Na comparação com novembro de 2018, também houve queda: de 23 para 15, o que significa 35% a menos. Se for comparado novembro de 2019 com outubro de 2019, mais uma redução: de 26 para 15, ou seja, 42%.

Portanto, qualquer que seja o recorte, há queda expressiva no número de homicídios na Grande São Luís.

O resultado vem dos sucessivos investimentos que o Governo do Maranhão faz na segurança pública desde 2015. Isso inclui a tropa recorde de 15 mil policiais e mais de 1.100 novas viaturas no Estado. Em outubro, mais 180 novos policiais militares se formaram no Maranhão para reforçar a segurança no Estado.

Homicídios na Grande São Luís caem 70% na comparação com 2014

O governo Flávio Dino tem investido fortemente na reestruturação do Sistema Público de Segurança com a contratação de novos policiais e novas viaturas

A curva de homicídios na Grande São Luís continua apontando para baixo. Os crimes vêm caindo ano a ano, sistematicamente, desde 2015, quando uma nova política de Segurança Pública foi implementada no Estado.

No acumulado de janeiro a outubro de 2019, houve queda de 70% sobre o mesmo período em 2014. Isso significa que 512 vidas foram salvas em dez meses.

Em 2014, foram 729 homicídios entre janeiro e outubro. Agora, em 2019, o número caiu para 217.

Na comparação entre os meses de outubro, a redução também é significativa: 62%. Em outubro de 2014, foram 68 casos. No mesmo mês de 2019, foram 26. Ou seja, 42 vidas salvas em 31 dias.

A segurança nas ruas também é reflexo da segurança nos presídios, que antes viviam caos e rebeliões constantes.

Um recente relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) classifica de “caso de sucesso” a gestão dos presídios no Maranhão. O TCU é um órgão federal, responsável pela fiscalização de recursos e patrimônios.

A equipe foi enviada pelo TCU ao Maranhão para levantar boas práticas na área de segurança pública. A ideia é que essas práticas deem subsídios para compor um índice sobre estabelecimentos penais, alternativas penais e atenção ao egresso (quem deixa a cadeia). Esse índice é chamado de IGGSeg.

Grande São Luís tem o menor número de homicídios dos últimos 13 anos

Dois recentes estudos nacionais mostram que São Luís é a capital brasileiro que mais reduz homicídios

Com os homicídios caindo ano a ano desde 2015, a Grande São Luís tem alcançado resultados históricos no combate a esse tipo de crime. Os homicídios em 2019 atingiram o menor número dos últimos 13 anos.

Entre janeiro e setembro de 2019, foram 216 Crimes Letais contra a Vida (CVLIs), que são formados basicamente por homicídios. É o mais baixo número desde 2005, na comparação com o mesmo período dos anos anteriores.

O pico no número de homicídios na Grande Ilha foi em 2014, antes da implementação da nova política de segurança pública no Estado. Naquele ano, entre janeiro e setembro, foram 709 CVLIs, mais do que o triplo do verificado agora em 2019.

Em setembro deste ano, houve redução de 72% dos homicídios na comparação com o mesmo mês de 2014. Naquela época, foram 68 casos. Agora, foram 19. A redução também é significativa comparação com setembro do ano passado, quando houve 28 registros.

Dois recentes estudos nacionais mostram que São Luís é a capital brasileiro que mais reduz homicídios. De acordo com o Atlas da Violência 2019, do Ipea, São Luís foi a capital onde os homicídios mais caíram entre 2014 e 2017. Foi uma queda de 43,42% em três anos.

Já o Anuário Brasileiro da Segurança Pública, divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, mostrou que São Luís foi a capital que mais reduziu os homicídios entre 2017 e 2018. A diminuição foi de 36,6% em um ano apenas.

Anuário Brasileiro da Segurança mostra que São Luís foi a capital que mais reduziu homicídios

O Anuário Brasileiro da Segurança Pública é divulgado anualmente e traz dados do Brasil inteiro

São Luís é a capital brasileira que mais reduz o número de homicídios. A informação foi confirmada pelo Anuário Brasileiro da Segurança Pública, divulgado nesta terça-feira (10) pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Trata-se de uma organização sem fins lucrativos. O Anuário Brasileiro da Segurança Pública é divulgado anualmente e traz dados do Brasil inteiro.

Entre 2017 e 2018, a capital maranhense reduziu em 36,6% a taxa de homicídios. Nenhuma outra capital em todo o Brasil conseguiu melhor resultado neste período. A queda ludovicense é bem maior que a média de redução de todas as capitais, de 15,7%.

As capitais que mais chegam perto da redução verificada em São Luís são Florianópolis (30%), Rio Branco (29,6%), Fortaleza (25,4%), Belo Horizonte (23,9%) e Recife (23,1%).

Há pouco mais de um mês, o Atlas da Violência 2019, do Ipea, havia mostrado que São Luís foi a capital brasileira que mais reduziu homicídios entre 2014 e 2017. Em 2014, a taxa de homicídios era de 82,9 a cada 100 mil habitantes. A partir de 2015, com a nova política de Segurança Pública no Maranhão, a taxa começou a cair ano a ano.

Em 2017, caiu para 46,9 homicídios a cada 100 mil habitantes. Isso significa uma redução de 43,42% em apenas três anos. Ou seja, os dois estudos mostram que São Luís foi a capital que mais reduziu os homicídios entre 2014 e 2018.

Número de mortes violentas na Grande Ilha é o menor dos últimos cinco anos

No estudo do G1, o ano de 2014 fechou com 910 mortes violentas; ao final de quatro anos, em 2018, este dado somou 336

As mortes violentas na Região Metropolitana de São Luís apresentaram queda de 63%, entre os anos de 2014 a 2018. O índice é o menor dos últimos cinco anos e a redução se manteve ano a ano no período, segundo comparativo realizado a partir do Mapa da Violência, estudo nacional elaborado pelo site G1. O estudo aponta os Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), que incluem homicídios, latrocínios (roubo seguido de morte) e lesões corporais com morte. Este conjunto é a base da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) para medir a violência no país.

No estudo do G1, o ano de 2014 fechou com 910 mortes violentas; ao final de quatro anos, em 2018, este dado somou 336. Nos demais anos, a redução se manteve consecutivamente. Em 2015, totalizaram 799; em 2016, foram 693; em 2017, os registros somam 539; e mantêm a redução em 2018, com 336 casos – 37% menos que no ano anterior. A Região Metropolitana de São Luís inclui os municípios de Paço do Lumiar, São José de Ribamar, Rosário e a capital São Luís – cidades onde há maior demanda de ocorrências.

O trabalho para manter os índices de queda reflete, também, nos dados de todo o Maranhão, que no período de cinco anos reduziu em 19% os registros de morte violenta. Em 2014, os registros apontam 2.098 casos; ao final de quatro anos, em 2018, este dado somou 1.699 casos. Nos demais anos, os registros oscilaram até a redução gradativa. Em 2015, totalizaram 2.191; em 2016, foram 2.215; em 2017, os registros diminuem 33% somando 1.948 casos; e mantêm a redução em 2018, com 1.699 ocorrências – 14% menos que no ano anterior.

Levantamento mais recente da SSP-MA, que refere ao primeiro quadrimestre deste ano, reforça a diminuição dos casos de mortes violentas na Grande Ilha e o geral no Estado. De janeiro a abril de 2019, totalizaram 123 casos em 2018; caindo para 100 em 2019, o que representa 18,7% menos ocorrências destes crimes. Considerando o Maranhão, a redução é semelhante – 18,9% menos mortes violentas, sendo que em 2018, somaram 571 registros, caindo para 463 em 2019.

Grande São Luís: Homicídios caem 37% no mês de abril em comparação com mesmo período de 2018

São Luís deixou em 2017 a lista das 50 capitais mais violentas de todo o mundo.

Os homicídios na Grande São Luís caíram 37% no mês de abril deste ano, na comparação com o mesmo mês de 2018. Em abril do ano passado, tinham sido 30 casos desse tipo. Em abril de 2019, foram 19 – queda de 36,66%.

Os homicídios vêm caindo ano a ano no Maranhão. Em abril de 2014, foram 69 homicídios nos quatro municípios da Grande Ilha; em abril de 2015, 53; em abril de 2016, 46; em abril de 2017, 41; em abril de 2018, 30; em abril de 2019, 19.

“Queda de 72% após cinco anos de trabalho sério e honesto, com muitos investimentos”, afirmou o governador Flávio Dino. A queda na criminalidade reflete os investimentos e a nova política de segurança que passaram a ser adotados após 2015.

Hoje, o Maranhão tem mais de 15 mil policiais, a maior tropa da história do Estado. Foram entregues mais de mil viaturas, dando condições de trabalho para a polícia. Também houve investimento em armamento e equipamentos. Com isso, a capital maranhense enfim deixou, em 2017, a lista das 50 capitais mais violentas de todo o mundo.

Homicídios na Grande São Luís caem 15% no mês de março


A tendência de queda neste tipo de crime vem se mantendo e é resultado de operações ostensivas de combate e controle, realizadas pela Secretaria de Estado de Segurança Pública

Os casos de homicídios na Região Metropolitana de São Luís reduziram 15% no mês de março deste ano, no comparativo com o mesmo período do ano anterior. A tendência de queda neste tipo de crime vem se mantendo e é resultado de operações ostensivas de combate e controle, realizadas pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-MA). As ações incluem maior monitoramento e abordagens a pessoas e veículos, incluindo coletivos, em pontos estratégicos.

Os dados da estatística da SSP-MA apontam a ocorrência de 20 casos de homicídios na Grande Ilha, em 2018, número que diminuiu para 17 registros este ano. O delegado Lúcio Reis destaca o reforço policial em áreas mapeadas como de maior incidência de tráfico de drogas, abordagens em pontos identificados de vendas do entorpecente, além de monitoramento e interceptação de suspeitos como contribuintes para a redução e controle dos casos. “Os homicídios, uma vez controlados, refletem na redução de outras criminalidades como o tráfico de drogas e os roubos”, reitera o titular da SHPP.