Reprovação de Bolsonaro cresce e chega a 38%, diz pesquisa CNI/Ibope

O estudo foi feito entre os dias 5 e 8 de dezembro e ouviu 2 mil pessoas em 127 municípios.

Subiu para 38% o índice de brasileiros que consideram o governo do presidente Jair Bolsonaro como ruim ou péssimo, segundo revela a pesquisa divulgada sexta-feira (20), pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), em parceria com o Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope). No levantamento anterior, publicado em 25 de setembro, o índice era de 34%.

De acordo com a entidade, o estudo foi feito entre os dias 5 e 8 de dezembro e ouviu 2 mil pessoas em 127 municípios.

Segundo a pesquisa, 29% da população considera o governo Bolsonaro ótimo ou bom e 31% classificam como regular. Em setembro, 31% consideravam ótimo ou bom, 32% classificavam como regular.

O levantamento também informa que aumentou para 53% o índice de desaprovação sobre a maneira de governar do presidente Jair Bolsonaro. O percentual foi de 50% na pesquisa anterior.

A pesquisa informa ainda que 56% dos brasileiros afirmam que não confiam no presidente Jair Bolsonaro, enquanto 41% dizem que confiam.

Governo Bolsonaro é aprovado por 35% da população

O estudo foi realizado de 12 a 15 de abril com 2.000 pessoas em 126 municípios

Pesquisa do Ibope e encomendada pela Confederação Nacional da Indústria mostra que 35% avaliam o governo de Jair Bolsonaro como bom ou ótimo. O estudo foi divulgado nesta quarta-feira (24). Outros 31% acham o governo regular; 27% responderam péssimo ou ruim; e 7% não souberam responder.

O estudo foi realizado de 12 a 15 de abril com 2.000 pessoas em 126 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais e o nível de confiança de 95%.

Em março deste ano, o Ibope também divulgou 1 levantamentosobre a avaliação do governo. A pesquisa não foi encomendada pela CNI, mas mostra uma queda de 14 pontos percentuais na popularidade da gestão desde janeiro.

Última pesquisa Ibope mostra Bolsonaro com 56% dos votos válidos e Haddad com 46%

O Ibope divulgou neste sábado (27) a última pesquisa do instituto sobre a intenção de voto para o 2º turno da eleição presidencial. Segundo o instituto, Jair Bolsonaro (PSL) venceria se eleição fosse hoje. Mas a distância dele para Fernando Haddad (PT) diminuiu.

A pesquisa com os votos válidos, que excluem os brancos, nulos e o percentual de eleitores indecisos. Um candidato é eleito no segundo turno se conseguir cinquenta por cento dos votos válidos mais um voto.

Nos votos válidos, Jair Bolsonaro (PSL) lidera com 54% e Fernando Haddad (PT) tem 46% dos votos válidos. Na pesquisa anterior, Bolsonaro tinha 57% e Haddad, 43% dos votos válidos.

Votos totais

Nos votos totais, Jair Bolsonaro (PSL) tem 47%, Fernando Haddad (PT) aparece com 41%. Votos brancos e nulo somam 10%. Não sabe 2% Na pesquisa anterior, Bolsonaro tinha 50% e Haddad, 37%.

Rejeição

A pesquisa também apontou o potencial de voto e rejeição para presidente. O Ibope perguntou: “Para cada um dos candidatos a Presidente da República citados, gostaria que o(a) sr(a) dissesse qual destas frases melhor descreve a sua opinião sobre ele”?

Jair Bolsonaro

Com certeza votaria nele para presidente – 39%

Poderia votar nele para presidente – 10%

Não votaria nele de jeito nenhum – 39%

Não o conhece o suficiente para opinar – 11%

Não sabem ou preferem não opinar – 1%

Fernando Haddad

Com certeza votaria nele para presidente – 33%

Poderia votar nele para presidente – 12%

Não votaria nele de jeito nenhum – 44%

Não o conhece o suficiente para opinar – 10%

Não sabem ou preferem não opinar – 2%

A pesquisa Ibope entrevistou 3.010 eleitores entre os dias 26 e 27 de outubro. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi registrada no TSE sob o número BR‐ 02934/2018.

Ibope: Bolsonaro mantém liderança com 57% dos votos válidos; Haddad tem 43%

O Ibope ouviu 3.010 eleitores em 208 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos

O Ibope divulgou, na noite desta terça-feira (23), o resultado da segunda pesquisa de intenções de votos do segundo turno das eleições 2018. A pesquisa foi realizada entre os dias 21 a 23 de outubro.

Jair Bolsonaro (PSL) lidera a pesquisa com 57% dos votos válidos, já Fernando Haddad (PT) aparece com 43% dos votos.

Na pesquisa anterior, Bolsonaro tinha 59% e Haddad, 41% dos votos válidos.

Para calcular os votos válidos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no 2º turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

Nos votos totais, Jair Bolsonaro (PSL) aparece com 50%, Fernando Haddad (PT) tem 37%. Brancos e nulos somam 10%. Não sabem 3%.

A pesquisa também apontou o potencial de voto e rejeição para presidente. O Ibope perguntou: “Para cada um dos candidatos a Presidente da República citados, gostaria que o(a) sr(a) dissesse qual destas frases melhor descreve a sua opinião sobre ele”?

Jair Bolsonaro

Com certeza votaria nele para presidente – 37%

Poderia votar nele para presidente – 11%

Não votaria nele de jeito nenhum – 40%

Não o conhece o suficiente para opinar – 11%

Não sabem ou preferem não opinar – 2%

Fernando Haddad

Com certeza votaria nele para presidente – 31%

Poderia votar nele para presidente – 12%

Não votaria nele de jeito nenhum – 41%

Não o conhece o suficiente para opinar – 14%

Não sabem ou preferem não opinar – 2%

O Ibope ouviu 3.010 eleitores em 208 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi registrada no TSE sob o número: 07272/2018.

Ibope para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%

O Ibope ouviu 2.506 eleitores em 176 municípios, entre os dias 13 e 14 de outubro

A pesquisa Ibope para presidente da República a divulgada na noite desta segunda-feira (15), a primeira do instituto neste segundo turno, mostra uma vantagem de 18 pontos do capitão reformado e deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) sobre o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT). No cálculo dos votos válidos, Bolsonaro tem 59%, e Haddad, 41%. Confira os números:

Votos válidos:

Jair Bolsonaro (PSL): 59%

Fernando Haddad (PT): 41%

Votos totais (incluindo brancos, nulos e indecisos):

Jair Bolsonaro (PSL): 52%

Fernando Haddad (PT): 37%

Em branco/nulo/nenhum: 9%

Não sabe: 2%

Rejeição

O instituto também perguntou em quais candidatos o eleitor não votaria sob nenhuma hipótese. Confira os índices:

Fernando Haddad (PT): 47%

Jair Bolsonaro (PSL): 35%

O Ibope ouviu 2.506 eleitores em 176 municípios, entre os dias 13 e 14 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi registrada no TSE sob o número BR-01112/2018

Ibope e TV Mirante reconhecem vitória de Flávio Dino no primeiro turno

A pesquisa foi encomendada pela TV Mirante. Margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O instituto ouviu 1.008 eleitores, entre os dias 2 a 4 de outubro

A TV Mirante divulgou, nesta quinta-feira (4), a última pesquisa do Instituto Ibope em que reconhecem a vitória do governador Flávio Dino (PCdoB) no primeiro turno. A pesquisa tambem aponta vantagem dos candidatos ao Senado Federal, Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS).

Na pesquisa estimulada para o governo, considerando todas as intenções de votos, inclusive as respostas dos eleitores que se declaram indecisos ou que votariam em branco ou nulo, Flávio Dino (PCdoB) aparece com 56%. Em segundo lugar aparece Roseana Sarney (MDB), com 30%; Maura Jorge (PSL), com 4%; Roberto Rocha (PSDB), com 2%; Ramon Zapata (PSTU), com 1%; Odívio Neto (PSOL), com 1%

Brancos/nulos somaram 4%, não sabem ou não opinaram 2%.

Em relação ao levantamento anterior, divulgado no dia 19 de setembro. Flávio Dino subiu de 49% para 56%. Roseana Sarney (MDB) caiu de 32% para 30%. Maura Jorge (PSL) passou de 5% para 4%. Roberto Rocha (PSDB) se manteve com 2%. Ramon Zapata (PSTU) passou de 0% para 1%. Odívio Neto (PSOL) passou de 0% para 1%. Brancos/nulos foi de 7% para 4%. Não sabe foi de 5% para 2%

Votos válidos

Considerando apenas os votos válidos, Flávio Dino vence ainda no primeiro turno com 59%. Para calcular esses votos são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto. Veja os índices:

Flávio Dino tem 59%. Em segundo lugar aparece Roseana Sarney com 32%; Maura Jorge tem 5%; Roberto Rocha tem 2%; Ramon Zapata tem 1% e Odívio Neto tem 1%.

A TV Mirante também divulgou os números do Ibope para o Senado Federal. Os números apontam que se a eleição fosse hoje, Weverton e Eliziane seriam eleitos.

Weverton Rocha (PDT) tem 35%; Eliziane Gama (PPS) tem 34%; Sarney Filho (PV) tem 25%; Edison Lobão (MDB) tem 23%; Zé Reinaldo (PSDB) tem 10%; Alexandre Almeida (PSDB) tem 5%; Saulo Pinto (PSOL) tem 4%; Samuel de Itapecuru (PSL) tem 3%; Preta Lú (PSTU) tem 2%; Saulo Arcangeli (PSTU) tem 2%; Iêgo Bruno (PCB) tem 1%

Branco/Nulo – Vaga 1: 12%. Branco/Nulo – Vaga 2: 20%. Não sabem: 24%

A pesquisa foi encomendada pela TV Mirante. Margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O instituto ouviu 1.008 eleitores, entre os dias 2 a 4 de outubro. A pesquisa foi registrada no TRE sob o número MA-07570/2018

Ibope: Bolsonaro cresce entre mulheres, pobres e ricos; Haddad sobe no Nordeste

A última pesquisa Ibope entrevistou 3.010 eleitores em 208 municípios de 29 a 30 de setembro

A última pesquisa Ibope para a Presidência, divulgada nesta segunda-feira (1º) , mostrou que o candidato Jair Bolsonaro ( PSL) passou de 27% das intenções de votos, registrados na semana anterior, para 31%. Os dados completos da amostra apontam para um aumento significativo dele entre as mulheres e entre os eleitores mais pobres (que ganham até um salário mínimo) e mais ricos (acima de cinco salários mínimo). Fernando Haddad ( PT) , por sua vez, que ficou estagnado com 21% no levantamento, cresceu apenas no Nordeste.

Entre as mulheres, Bolsonaro cresceu de 18% para 24%, já Haddad oscilou negativamente de 21% para 20%. A pesquisa foi feita entres os dias 29 e 30 de setembro, fim de semana marcado por protestos de milhares de mulheres em mais de cem cidades contra Bolsonaro. Houve também manifestações a favor dele.

A pesquisa é também a primeira do Ibope realizada após a reportagem da revista “Veja” mostrar que Ana Cristina, ex-mulher de Bolsonaro, relatou que o presidenciável agia com “desmedida agressividade” durante processo judicial em que o político disputava a guarda do filho. Dias antes, reportagem do jornal “Folha de S.Paulo” mostrou que a ex afirmou a um funcionário da embaixada do Brasil na Noruega ter sido ameaçada de morte por ele.

Bolsonaro cresce entre ricos e pobres

O capitão reformado do Exército subiu nas pesquisas também entre os mais pobres e os mais ricos. O crescimento entre os que ganham até um salário mínimo foi de 13% para 19%. Já entre os mais ricos, que ganham mais de cinco salários, a alta foi de 40% para 46%.

Bolsonaro também teve alta entre os mais jovens e mais velhos. Ele cresceu de 24% para 31% entre os eleitores de 16 a 24 anos. Entre as pessoas com 55 anos ou mais, Bolsonaro passou de 21% para 28%.

Ele teve ainda o seu maior crescimento entre os eleitores com ensino superior, com alta de 31% para 40% das intenções de votos. No mesmo segmento, Haddad passou de 18% para 14%.

Haddad sobe para 35% no Nordeste

De todos os segmentos, Haddad supera Bolsonaro apenas entre os menos escolarizados, entre os mais pobres e entre os nordestinos.

O único cenário em que o petista cresceu foi no Nordeste, onde os dois aumentaram as intenções de votos. Haddad passou de 30% para 35% e Bolsonaro, de 15% para 21%.

Haddad tem 26% das intenções de votos das pessoas com até a 4ª série completa contra 19% de Bolsonaro. Quem ganha até um salário mínimo também prefere o petista. Haddad tem 26% contra 19% de Bolsonaro.

Foram entrevistados 3.010 eleitores em 208 municípios de 29 a 30 de setembro. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança da pesquisa é de 95%. O registro no TSE é o BR- 08650/2018.

Veja a nova pesquisa Ibope para presidente: Bolsonaro, 27%; Haddad, 21%; Ciro, 12%

O Ibope ouviu 2 mil eleitores em 126 municípios entre os dias 22, 23 e 24 de setembro. A pesquisa foi registrada no TSE sob o número BR-04669/2018. O nível de confiança: 95%. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos

Uma nova pesquisa Ibope de intenção de voto para presidente foi divulgada nesta quarta-feira (26). O levantamento foi encomendado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). A pesquisa ouviu 2 mil eleitores em 126 municípios no sábado (22), domingo (23) e segunda-feira (24).

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Os resultados foram os seguintes:

Jair Bolsonaro (PSL): 27%
Fernando Haddad (PT): 21%
Ciro Gomes (PDT): 12%
Geraldo Alckmin (PSDB): 8%
Marina Silva (Rede): 6%
João Amoêdo (Novo): 3%
Alvaro Dias (Podemos): 2%
Henrique Meirelles (MDB): 2%
Guilherme Boulos (PSOL): 1%
Cabo Daciolo (Patriota): 0%
Vera Lúcia (PSTU): 0%
João Goulart Filho (PPL): 0%
Eymael (DC): 0%
Branco/nulos: 11%
Não sabe/não respondeu: 7%

Em relação à pesquisa Ibope anterior (com entrevistas feitas no sábado, dia 22 e domingo, dia 23), a atual pesquisa (realizada no sábado, 22, domingo, 23 e segunda-feira, dia 24) mostra que:

Jair Bolsonaro caiu de 28% para 27%;
Fernando Haddad caiu de 22% para 21%;
Ciro Gomes subiu de 11% para 12%;
Geraldo Alckmin se manteve com 8%;
Marina Silva subiu de 5% para 6%;

Os indecisos oscilaram de 6% para 7% e os brancos ou nulos, de 12% para 11%.

Todas as oscilações ocorreram dentro da margem de erro.

Rejeição

Os entrevistados responderam em qual candidato não votariam de jeito nenhum (nessa hipótese, o entrevistado pode responder mais de um nome; daí, a soma superar 100%). Os resultados foram:

Jair Bolsonaro: 44%
Fernando Haddad: 27%
Marina Silva: 27%
Geraldo Alckmin: 19%
Ciro Gomes: 16%
Cabo Daciolo: 11%
Henrique Meirelles: 11%
Eymael: 10%
Alvaro Dias: 9%
Guilherme Boulos: 9%
Vera Lúcia: 9%
João Amoêdo: 8%
João Goulart Filho: 7%
Poderia votar em todos: 2%

Não sabe/não respondeu: 7%

Simulações de segundo turno

Haddad 42% x 38% Bolsonaro (branco/nulo: 16%; não sabe: 4%)

Ciro 44% x 35% Bolsonaro (branco/nulo: 17%; não sabe: 3%)

Alckmin 40% x 36% Bolsonaro (branco/nulo: 20%; não sabe: 3%)

Bolsonaro 40% x 38% Marina (branco/nulo: 19%; não sabe: 3%)

Ibope: Bolsonaro mantém liderança com 28% e Haddad sobe para 22%

Na terceira colocação, a disputa segue embolada

Pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (24) mostrou Jair Bolsonaro (PSL) liderando as intenções de voto, mas estagnado com 28% ante o levantamento do dia 18 de setembro. Na sequência aparece Fernando Haddad (PT), que passou de 19% para 22%.

Na terceira colocação, a disputa segue embolada, desta vez com dois candidatos: Ciro Gomes (PDT) ficou estagnado nos 11% enquanto Geraldo Alckmin (PSDB) teve oscilação positiva de 7% para 8%. Marina Silva, por sua vez, segue perdendo força, passando de 6% para 5%.

Confira os números:

Jair Bolsonaro (PSL): manteve 28%
Fernando Haddad (PT): de 19% para 22%
Ciro Gomes (PDT): manteve 11%
Geraldo Alckmin (PSDB): de 7% para 8%
Marina Silva (Rede): de 6% para 5%
Alvaro Dias (Podemos): manteve 2%
João Amoêdo (Novo): de 2% para 3%
Henrique Meirelles (MDB): manteve 2%
Guilherme Boulos (PSOL): de 0% para 1%
Cabo Daciolo (Patriota): de 1% para 0%
Vera Lúcia (PSTU): manteve 0%
João Goulart Filho (PPL): manteve 0%
Eymael (DC): manteve 0%
Branco/nulos: de 14% para 12%
Não sabe/não respondeu: de 7% para 6%

A pesquisa foi feita entre os dias 22 e 23 de setembro com 2.506 pessoas em 178 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%. O registro no Tribunal Superior Eleitoral foi feito sob o protocolo BR-06630/2018.

Segundo turno

Nas quatro simulações de segundo turno feitas, todas com a presença de Bolsonaro, o deputado do PSL passou a perder em todas os cenários, conseguindo empatar apenas com Marina Silva. Veja:

Haddad 43% x 37% Bolsonaro (branco/nulo: 15%; não sabe: 4%)

Ciro 46% x 35% Bolsonaro (branco/nulo: 15%; não sabe: 4%)

Alckmin 41% x 36% Bolsonaro (branco/nulo: 20%; não sabe: 4%)

Bolsonaro 39% x 39% Marina (branco/nulo: 19%; não sabe: 4%)

Rejeição

Sobre o cenário de rejeição (em qual candidato o eleitor não votaria de jeito nenhum), os dois líderes da pesquisa viram seus números piorarem, em especial Bolsonaro, com sua taxa subindo de 42% para 46%. Enquanto isso, Marina Silva oscilou de 26% para 25% e Alckmin se manteve com rejeição de 20%. Confira os números:

Jair Bolsonaro: de 42% para 46%
Fernando Haddad: de 29% para 30%
Marina Silva: de 26% para 25%
Geraldo Alckmin: manteve 20%
Ciro Gomes: de 19% para 18%
Henrique Meirelles: de 12% para 11%
Cabo Daciolo: manteve 11%
Eymael: manteve 11%
Guilherme Boulos: de 10% para 11%
Vera Lúcia: de 9% para 10%
Alvaro Dias: de 10% para 9%
João Amoêdo: manteve 9%
João Goulart Filho: de 8% para 9%
Poderia votar em todos: manteve 2%
Não sabe/não respondeu: de 9% para 7%