Na presença de velhos caciques, MDB do Maranhão prega renovação

Mesmo na presença do atual presidente nacional da legenda, o jovem deputado federal Baleia Rossi, o que se viu é que o MDB do Maranhão continua parado no tempo

Durante o encontro estadual de lideranças do MDB, realizado na Assembleia Legislativa do Maranhão, o discurso de todos os presentes foi de renovação. O fato é que os discursos e as falas estão longe da renovação que a legenda necessita após passar por tantas derrotas nos últimos anos.

No encontro, o que se viu é que o atual presidente do MDB João Alberto, não deseja largar a política e que após ser governador, senador e deputado, vai disputar uma das vagas na Câmara Municipal de Bacabal.

O que se viu também foi uma tentativa de colocar novamente a ex-governadora na cena política para que ela seja uma das candidatas à prefeitura de São Luís. A mesma Roseana que já foi governadora por quatro mandados.

Mesmo na presença do atual presidente nacional da legenda, o jovem deputado federal Baleia Rossi, o que se viu é que o MDB do Maranhão continua parado no tempo. Sem a perspectiva do surgimento de lideranças jovens.

MDB e PSDB do Maranhão parados no tempo e sem perspectivas de renovação

Aqui no Maranhão, o mau momento das duas legendas é visto pelas últimas derrotas

O MDB e o PSDB são dois partidos que, tanto em nível nacional, quanto estadual, estão bem longe de mostrar uma renovação. Ambos os partidos vêm, nos últimos anos, sendo dirigidos por figuras já bem conhecidas da política.

A parada no tempo foi refletida na redução drástica das duas legendas na Câmara dos Deputados, que reflete diretamente na redução do tempo de TV. A bancada do MDB foi reduzida de 66 deputados federais para 34. Já o PSDB reduziu de 54 para 29 deputados federais.

Aqui no Maranhão, o mau momento das duas legendas é visto pelas últimas derrotas. Tanto o MDB, quanto o PSDB, sofreram derrotas em 2018 na disputa pelo Governo do Estado, além de diminuírem consideravelmente o número de prefeitos e de representantes no legislativo estadual e nos municipais.

Ambos os partidos precisam enxergar que nem a ex-governadora Roseana Sarney, muito menos o senador Roberto Rocha, refletem a renovação que as legendas necessitam. Caso contrário e na continuação desse pensamento, a desidratação das legendas vai continuar ainda mais.

Após anos de união, MDB e PV estarão em palanques separados

Roberto Costa já afirmou que o MDB não vai apoiar um nome do PV de Adriano Sarney, confirmando os planos do presidente da legenda, João Alberto

Ao que tudo indica, duas legendas com históricos no grupo Sarney, MDB e PV, estarão em palanques separados nas eleições pela prefeitura de São Luís, em 2020.

O PV, presidido no Maranhão pelo deputado estadual Adriano Sarney, já bateu o martelo e deve lançar um nome para a prefeitura da capital e este, deve ser o próprio Adriano, que para aliados, já declarou que vai entrar na disputa em qualquer das circunstâncias.

Já o MDB, presidido pelo ex-senador João Alberto, trabalha pela escolha de um outro nome que represente o esforço de reerguer o MDB no estado. Resume-se que este não seja um nome do PV.

Até mesmo o deputado estadual Roberto Costa, aliado de primeira hora de João Alberto, já afirmou que as únicas opções debatidas dentro do MDB são, lançar um nome próprio ou apoiar a candidatura do deputado estadual Neto Evangelista (DEM), afastando de vez o apoio ao nome de Adriano Sarney.

Sem a união das duas legendas, o grupo Sarney pode ter nas eleições de 2020, uma outra derrota, complicando seus planos de voltar ao poder em 2022.

Roseana e João Alberto no fim de suas carreiras políticas

Caso as duas candidaturas aconteçam, iriam confirmar o fim menos triste das carreiras políticas de Roseana Sarney e João Alberto

Políticos que comandaram o Maranhão por várias décadas, Roseana Sarney e João Alberto, ambos do MDB, ainda não desistiram da vida política e podem disputar mais uma eleição, dessa vez em cargos menores, para não amargarem outras derrotas.

A ex-governadora Roseana Sarney estaria disposta a competir uma das 42 cadeiras da Assembleia Legislativa do Maranhão. Quatro vezes governadora, mas derrotada pelo governador Flávio Dino em 2018, Roseana viu seu capital político ser reduzido e encontraria no parlamento estadual uma forma de não acabar sua vida política derrotada.

Já o ex-senador João Alberto deve disputar uma vaga na Câmara Municipal de Bacabal, antigo desejo do político que também já governou o Maranhão.

Caso as duas candidaturas aconteçam, iriam confirmar o fim menos triste das carreiras políticas de Roseana Sarney e João Alberto, que por muitos anos comandaram o Maranhão, mas hoje, após várias derrotas, estão bem distantes da aceitação da população.

José Sarney participa de reunião do MDB de São Luís

O partido se prepara internamente para disputar as eleições da capital em 2020

O ex-presidente José Sarney participou de uma reunião do diretório municipal do MBD, em São Luís. O partido se prepara internamente para disputar as eleições da capital em 2020.

O partido pretende lançar de 30 a 40 candidatos a vereadores. O nome do ex-deputado federal, Victor Mendes, vem sendo debatido como um possível nome para a disputa pela prefeitura de São Luís.

Além da participação de José Sarney, também chamou atenção a presença do vereador de São Luís, Astro de Ogum, que busca uma legenda para disputar o cargo de prefeito ou vice-prefeito nas próximas eleições.

O presidente estadual do MDB no Maranhão, João Alberto, prometeu debater a possível candidatura de Astro pelo MDB.

General é exonerado do Esporte e deve ser substituído por aliado de Sarney

A saída do general Marco Aurélio Vieira foi publicada no Diário Oficial da União.

Veja

O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) exonerou nesta quinta-feira, 18, o general Marco Aurélio Vieira do cargo de secretário especial do Esporte – correspondente às funções do antigo ministro da área, agora vinculada ao Ministério da Cidadania. A saída de Vieira foi publicada no Diário Oficial da União.

Nos bastidores, as especulação são de que a exoneração do general era necessária para dar lugar ao MDB, com a possível nomeação João Manoel Santos Souza, que seria ligado ao ex-presidente José Sarney. Santos Souza é filho do ex-senador João Alberto, presidente estadual do MDB maranhense. Ministro da Cidadania, Osmar Terra é o único nome do partido na Esplanada.

As mudanças na pasta começaram a ser discutidas no contexto da ampliação da base partidária do governo no Congresso, no momento em que o Palácio do Planalto tenta conseguir os votos necessários para a aprovação da proposta de reforma da Previdência.

Filho de João Alberto assume cargo no governo Bolsonaro

Ex-senador João Alberto e seus filhos João Marcelo, deputado federal e João Manoel, indicado para cargo no governo Bolsonaro

O pastor evangélico João Manoel Santos Souza (MDB-MA), ligado à família Sarney, vai assumir secretaria Nacional de Esporte de Alto-Rendimento. Filho do ex-senador João Albetto (MDB), ele foi indicado pela bancada do Nordeste do MDB na Câmara dos Deputados.

O cargo é o mais importante dentro da secretaria de Esporte (antigo ministério). Caberá ao novo secretário da SNEAR, direcionar os recursos para eventos realizados no Brasil, gerir a Lei de Incentivo ao Esporte, o Bolsa Atleta e tratar das relações com comitês como o COB e as confederações.

João Manoel é mais um nome ligado ao grupo Sarney a ocupar um cargo de importância no governo Bolsonaro. Kátia Bogéa permaneceu na presidência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

João Alberto é reconduzido ao cargo de presidente do MDB maranhense

MDB escolhe novo Diretório Estadual no Maranhão

O Movimento Democrático Brasileiro definiu a composição do Diretório Estadual no Maranhão na tarde de sexta-feira (5). A eleição aconteceu na sede do partido, no São Francisco, em São Luís e o senador João Alberto foi reeleito presidente.

O diretório ainda vai contar com o deputado estadual, Roberto Costa, como 1° vice-presidente; Hildo Rocha, como 2º vice-presidente e Victor Mendes, como 3º vice-presidente. Remi Ribeiro foi eleito para a secretaria do partido e Francisco Soares, como secretário adjunto. Assis Filho foi eleito 1º tesoureiro e Welington Gouveia como 2º.

A eleição do MDB foi classificada como uma derrota para o deputado federal Hildo Rocha que tentou disputar o cargo de presidente, mas viu o grupo ligado ao ex-senador João Alberto e ao deputado estadual Roberto Costa sair vencedor.

João Alberto deve ser reconduzido à presidência do MDB

A briga interna se estende há vários meses com troca de farpas entre os pretendentes. A continuação de João Alberto pode ser a forma da legenda não sair mais desgastada

Diante da falta de entendimento sobre a presidência do diretório estadual do MDB entre os grupos liderados pelo deputado federal Hildo Rocha e o deputado estadual Roberto Costa, o atual presidente, ex-senador João Alberto, deve ser reconduzido ao cargo nesta sexta-feira (5).

A briga interna se estende há vários meses com troca de farpas entre os pretendentes. A continuação de João Alberto pode ser a forma da legenda não sair mais desgastada.

Nos últimos anos, o MDB sofreu grandes derrotas, teve a diminuição das bancadas na Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados, perdeu duas vagas no Senado Federal e está fora da administração estadual deste o fim de 2014 com a eleição de Flávio Dino (PCdoB).