General é exonerado do Esporte e deve ser substituído por aliado de Sarney

A saída do general Marco Aurélio Vieira foi publicada no Diário Oficial da União.

Veja

O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) exonerou nesta quinta-feira, 18, o general Marco Aurélio Vieira do cargo de secretário especial do Esporte – correspondente às funções do antigo ministro da área, agora vinculada ao Ministério da Cidadania. A saída de Vieira foi publicada no Diário Oficial da União.

Nos bastidores, as especulação são de que a exoneração do general era necessária para dar lugar ao MDB, com a possível nomeação João Manoel Santos Souza, que seria ligado ao ex-presidente José Sarney. Santos Souza é filho do ex-senador João Alberto, presidente estadual do MDB maranhense. Ministro da Cidadania, Osmar Terra é o único nome do partido na Esplanada.

As mudanças na pasta começaram a ser discutidas no contexto da ampliação da base partidária do governo no Congresso, no momento em que o Palácio do Planalto tenta conseguir os votos necessários para a aprovação da proposta de reforma da Previdência.

Filho de João Alberto assume cargo no governo Bolsonaro

Ex-senador João Alberto e seus filhos João Marcelo, deputado federal e João Manoel, indicado para cargo no governo Bolsonaro

O pastor evangélico João Manoel Santos Souza (MDB-MA), ligado à família Sarney, vai assumir secretaria Nacional de Esporte de Alto-Rendimento. Filho do ex-senador João Albetto (MDB), ele foi indicado pela bancada do Nordeste do MDB na Câmara dos Deputados.

O cargo é o mais importante dentro da secretaria de Esporte (antigo ministério). Caberá ao novo secretário da SNEAR, direcionar os recursos para eventos realizados no Brasil, gerir a Lei de Incentivo ao Esporte, o Bolsa Atleta e tratar das relações com comitês como o COB e as confederações.

João Manoel é mais um nome ligado ao grupo Sarney a ocupar um cargo de importância no governo Bolsonaro. Kátia Bogéa permaneceu na presidência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

João Alberto é reconduzido ao cargo de presidente do MDB maranhense

MDB escolhe novo Diretório Estadual no Maranhão

O Movimento Democrático Brasileiro definiu a composição do Diretório Estadual no Maranhão na tarde de sexta-feira (5). A eleição aconteceu na sede do partido, no São Francisco, em São Luís e o senador João Alberto foi reeleito presidente.

O diretório ainda vai contar com o deputado estadual, Roberto Costa, como 1° vice-presidente; Hildo Rocha, como 2º vice-presidente e Victor Mendes, como 3º vice-presidente. Remi Ribeiro foi eleito para a secretaria do partido e Francisco Soares, como secretário adjunto. Assis Filho foi eleito 1º tesoureiro e Welington Gouveia como 2º.

A eleição do MDB foi classificada como uma derrota para o deputado federal Hildo Rocha que tentou disputar o cargo de presidente, mas viu o grupo ligado ao ex-senador João Alberto e ao deputado estadual Roberto Costa sair vencedor.

João Alberto deve ser reconduzido à presidência do MDB

A briga interna se estende há vários meses com troca de farpas entre os pretendentes. A continuação de João Alberto pode ser a forma da legenda não sair mais desgastada

Diante da falta de entendimento sobre a presidência do diretório estadual do MDB entre os grupos liderados pelo deputado federal Hildo Rocha e o deputado estadual Roberto Costa, o atual presidente, ex-senador João Alberto, deve ser reconduzido ao cargo nesta sexta-feira (5).

A briga interna se estende há vários meses com troca de farpas entre os pretendentes. A continuação de João Alberto pode ser a forma da legenda não sair mais desgastada.

Nos últimos anos, o MDB sofreu grandes derrotas, teve a diminuição das bancadas na Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados, perdeu duas vagas no Senado Federal e está fora da administração estadual deste o fim de 2014 com a eleição de Flávio Dino (PCdoB).

MDB do Maranhão marca para próximo dia 5 de abril sua eleição para presidente

A eleição do próximo mês vai escolher além presidente, delegados e os membros da executiva estadual

O diretório estadual do MDB no Maranhão marcou, para o próximo dia 5 de abril, a eleição interna que escolherá o próximo presidente. O mandato do ex-senador João Alberto chega ao fim e a legenda encontra-se em um pé de guerra para a escolha do novo presidente.

Marcada para dezembro, a eleição para o diretório estadual teve que ser adiada para conter os ânimos dos dois grupos que disputam o comando da legenda.

O deputado federal Hildo Rocha deve disputar a eleição com o apoio da família Sarney, já o deputado estadual Roberto Rocha conta com o apoio do senador João Alberto e da ala jovem do partido. Ambos já trocaram farpas nas redes sociais e em veículos de comunicação.

A eleição do próximo mês vai escolher além presidente, delegados e os membros da executiva estadual.

Enfraquecido após as últimas derrotas eleitorais, o MDB caminha para esta eleição interna menor do que entrou e mais dividido.

Juventude do MDB descarta nome de Hildo Rocha e partido chega à eleição dividido

Um dos que afirmam com todas as letras que não vai desistir da disputa é o deputado federal Hildo Rocha

O final do mandato do senador João Alberto na presidência do MDB do Maranhão vai movimentar o partido nas próximas semanas. Sem intenções de concorrer a mais um mandato, João Alberto apenas assiste aos ânimos se acirrarem entre os postulantes ao cargo.

Um dos que afirmam com todas as letras que não vai desistir da disputa é o deputado federal Hildo Rocha. Ele teria a simpatia de alguns dos integrantes da família Sarney, mas não chega a ser unanimidade dentro da legenda.

Quem vem correndo por fora é o ex-secretário de Juventude do governo Michel Temer, Assis Filho. O jovem militante tem a simpatia do deputado estadual Roberto Costa e da ala mais jovem do partido.

Militantes do JMDB afirmam que o nome de Hildo Rocha não será nem debatido entre eles.

Integrantes do MBD afirmam que o consenso em torno de um nome será defendido, mas o que podemos observar é um partido, cada vez mais, distantes de suas bases e sem perspectivas de renovação dos seus quadros.

Assis Filho caminha para ser o próximo presidente do MDB maranhense

Assis Filho é favorito na disputa, pois muitos integrantes do MDB enxergam que o partido no Maranhão precisa de uma renovação após a derrota amarga de 2018

Ex-secretário nacional de Juventude do governo Michel Temer, Assis Filho (MDB) caminha para ser escolhido o próximo presidente do MDB do Maranhão. Assis é militante do partido e entrou no MDB ainda adolescente.

Com o fim do mandato do senador João Alberto, Assis irá disputar à presidência com o deputado federal Hildo Rocha, que conta com a simpatia da família Sarney. Já Assis conta com o apoio do atual presidente, do deputado federal João Marcelo e o deputado estadual Roberto Costa.

A ex-governadora Roseana Sarney ainda ensaiou uma candidatura para disputar à presidência do partido, mas desistiu após críticas de alguns integrantes do partido.

Assis Filho é favorito na disputa, pois muitos integrantes do MDB enxergam que o partido no Maranhão precisa de uma renovação após a derrota amarga de 2018.

STF acaba com aposentadoria de ex-governadores do Maranhão

A proibição deverá alcançar José Sarney, João Alberto, Edison Lobão, Zé Reinaldo Tavares e Roseana Sarney

O Supremo Tribunal Federal (STF) julgou procedente uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) proposta pela Procuradoria-Geral da República, e acabou com a aposentadoria vitalícia de ex-governadores do Maranhão. A decisão é do mês de setembro.

O benefício era garantido pelo artigo 45 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição do Estado do Maranhão, agora declarado inconstitucional.

Na mesma ação, o plenário da mais alta corte do país também declarou a inconstitucionalidade da Lei estadual nº 6.245/1994, que garantia a aposentadoria às viúvas de ex-governadores.

A proibição deverá alcançar José Sarney, João Alberto, Edison Lobão, Zé Reinaldo Tavares e Roseana Sarney.

As decisões já foram comunicadas ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), e ao presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PC do B).

Roseana se distancia de Lobão e João Alberto

A manobra dos dois filhos de José Sarney evidencia a guerra silenciosa entre Sarney Filho e Edison Lobão

Causou estranheza a ausência dos senadores Edison Lobão e João Alberto, ambos do MDB, na caravana de Roseana Sarney realizada nas cidades de Mirinzal, Central do Maranhão e Pinheiro, na Baixada Maranhense.

Roseana foi acompanhada de seu irmão, o deputado federal Sarney Filho (PV). Ele tenta viabilizar sua pré-candidatura ao Senado Federal e cola em sua irmã para conquistar novas bases políticas.

A manobra dos dois filhos de José Sarney evidencia a guerra silenciosa entre Sarney Filho e Edison Lobão. Ambos os pré-candidatos ao Senado pelo grupo sabem que quem melhor estiver articulado com suas bases pode levar a disputa.

Outra figura do MDB maranhense rifado por Roseana e Sarney Filho foi o senador João Alberto. Para garantir Sarney Filho na disputa, ele foi convencido de desistir de sua reeleição. O senador também sofre resistência da própria ex-governadora em ser aceito como candidato a vice-governador.

Tais movimentações mostram como o grupo Sarney chega fragilizado às eleições de 2018.