Jeisael Marx, a surpresa das últimas pesquisas

Os 2,9% na última pesquisa do DataM, divulgados no dia 30 de dezembro de 2019, mostram o pré-candidato melhor posicionado que outros nomes já conhecidos

Ninguém tem dúvida de que a surpresa das últimas pesquisas de intenções de voto para a prefeitura de São Luís é a boa colocação do jornalista e pré-candidato Jeisael Marx.

Os números das pesquisas dos institutos Econométrica e DataM mostram que o representante da Rede Sustentabilidade aparece bem posicionado, na frente de nomes bastante conhecidos da política maranhense.

Jeisael impressiona por não ter um histórico político com mandatos, não tem família política e, somente com presença nas redes sociais e na mídia, já aparece na frente de outros pré-candidatos tarimbados.

Os 2,9% na última pesquisa do DataM, divulgados no dia 30 de dezembro de 2019, mostram o pré-candidato melhor posicionado que outros nomes como Rubens Júnior, Carlos Madeira e Luís Fernando Silva.

Jeisael inicia 2020 mostrando que seu projeto de pré-candidatura está bem posicionado junto ao eleitorado de São Luís e que deve crescer, ainda mais, com a proximidade da campanha.

Delator da Camargo Correa entregou esquema envolvendo Luís Fernando, Ilson Mateus e Lobão

Estadão

Delator envolveu o nome de Luís Fernando Silva em esquema de propina a Lobão

Delator envolveu o nome de Luís Fernando Silva em esquema de propina a Lobão

 

Ilson Mateus receberia parte da propina da Camargo Correa

Ilson Mateus receberia parte da propina da Camargo Correa

O delator Luiz Carlos Martins, ligado à empreiteira Camargo Corrêa, afirmou em depoimento que cogitou comprar R$ 1 milhão em suco de fruta, junto ao empresário Ilson Mateus, para maquiar suposta propina ao senador Edison Lobão (PMDB-MA), nas obras da Usina de Belo Monte. O executivo prestou novas declarações à Polícia Federal, em Brasília, no fim de março, e reiterou tudo o que disse em sua delação premiada.

Neste depoimento, Luiz Carlos Martins detalhou a ‘operacionalização dos pagamentos’ a Lobão, que teriam ocorrido em 2011, e envolveu a empresa AP Energy Engenharia e Montagem LTDA. Lobão, na ocasião, era ministro de Minas e Energia do governo Dilma Rousseff.
“O ‘caminho’ utilizado para fazer o dinheiro chegar ao destinatário, o então ministro de Minas e Energia Edison Lobão, foi mencionado em reunião do Conselho-Diretor do CCBM (Consórcio Construtor Belo Monte); que, especificamente, recorda-se que foram cogitados vários “caminhos”, sendo que um deles envolvia Luiz Fernando Silva,
que teria sido Secretario Estadual no Maranhão e que teria vínculos com o então ministro Lobão”, relatou o delator.
Luiz Carlos Martins disse à PF que precisava ‘efetivar os repasses’ e solicitou ao funcionário da Camargo Corrêa, Gustavo da Costa Marques, que fosse ao Maranhão para se certificar do suposto vínculo entre Luiz Fernando Silva e o então ministro Lobão. Ao retornar, contou o executivo, Gustavo Marques afirmou que o ‘caminho era aquele mesmo, ou seja, via Luiz Fernando Silva’.
De acordo com o executivo, Gustavo Marques lhe deu o telefone de contato de Luiz Fernando Silva e informou que os valores deveriam ser encaminhados também a um empresário de nome Ilson Mateus.
“Como se tratava de um empresário atuante no ramo de supermercados, houve dificuldade da parte do declarante quanto à forma de contratação de alguma empresa desse setor pela Camargo Corrêa, de modo que os valores pudessem ser remetidos ao Maranhão”, relatou Luiz Carlos Martins. “Enquanto discutia essa dificuldade com Gustavo Marques, em momento de descontração, surgiu a ideia de aquisição de R$ 1 milhão em suco de fruta, o que ilustra a dificuldade que havia em operacionalizar o envio do dinheiro.”

VEJA O DEPOIMENTO:

depoimento mateus lobao-1 depoimento mateus lobao-2 depoimento mateus lobao-3

Pré-candidato do grupo Sarney usa prefeitos para “lotar” eventos no interior

Em Alto Alegre, prefeito "intima" servidores para evento com Luís Fernando

Em Alto Alegre, prefeito “intima” servidores para evento com Luís Fernando

O prefeito de Alto Alegre do Maranhão,  Emmanuel da Cunha Santos Aroso, enviou ofício aos servidores municipais, praticamente, intimando os “barnabés” para participar de um evento oficial com o pré-candidato do grupo Sarney ao governo do Estado, secretário estadual de Infraestrutura, Luís Fernando Silva, no último sábado (15).

“Assim, devo lembrar que a presença de todos será indispensável para o evento. Traga amigos, familiares e vizinhos. O não comparecimento deixará claro o descomprometimento com a gestão atual“, diz o documento assinado pelo prefeito no dia 11 de março.

O mesmo expediente já vem sendo usado por vários prefeitos aliados do grupo Sarney com o objetivo de “lotar” os eventos que contam com a presença de Luís Fernando Silva.

Ofício encaminhado aos servidores

documento

Rubens Júnior denuncia irregularidades em convênio firmado por Luís Fernando em Ribamar

Deputado do PCdoB fez denúncia com base em relatório do TCE

Deputado do PCdoB fez denúncia com base em relatório do TCE

O  líder do Bloco de Oposição, deputado estadual Rubens Júnior (PC do B), denunciou, na sessão desta quarta-feira (05), que uma auditoria realizada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), no período de 10 a 14 de janeiro de 2011, constatou irregularidades praticadas pelo então prefeito de São José de Ribamar, Luís Fernando Silva, às vésperas das eleições de governador, ocorridas em 2010.

As supostas irregularidades denunciadas pelo líder da Oposição aconteceram em relação ao Convênio 061, firmado entre o governo do Estado e a Prefeitura de São José de Ribamar, em 2010, no valor de R$ 5 milhões para pavimentação de ruas daquele município. “De acordo com o Portal da Transparência, 96% dos recursos destinados para este convênio já foram, efetivamente, pagos. No dia 15 de junho de 2010, oito dias antes da Convenção da senhora governadora, foram pagos 50%”, revelou Rubens Jr.

Deputado mostrou documentos na tribuna

Munido de vários documentos, dentre os quais o relatório do TCE, Rubens Júnior mostrou que o Plano de Trabalho do convênio diverge do seu objeto, pois nele constam, além da pavimentação de ruas, a reforma de um estádio de futebol denominado Dário Pereira, que envolveria plantio de grama “batatais”, a instalação de cadeiras nas arquibancadas e a construção da cobertura.

Dentre as irregularidades constatadas pelo documento do TCE, apresentado pelo deputado comunista, estão indício de fraude na concorrência, uma vez que o referido contrato foi assinado antes mesmo da abertura do procedimento licitatório, e o fato de o município de Ribamar não poder receber transferências voluntárias, à época, por não haver aplicado, em 2008 e 2009, os limites constitucionais relativos à educação.

No entendimento do líder de Oposição, o Ministério Público Estadual e o prefeito de São José de Ribamar, Gil Cutrim (PMDB), têm que apurar as responsabilidades relativas à série de irregularidades apontadas pelo TCE na gestão do então prefeito Luís Fernando.

Governistas saíram em defesa do ex-prefeito

Os deputados César Pires (DEM), Max Barros (PMDB), Alexandre Almeida (PTN), Hélio Soares (PMDB) e Roberto Costa (PMDB) contestaram, na sessão desta quarta-feira (5), discurso proferido pelo deputado Rubens Pereira Júnior que, na condição de líder da Oposição, levantou suspeitas sobre a execução de um convênio celebrado no ano de 2010 entre o Governo do Estado e a Prefeitura de São José de Ribamar.

O deputado Max Barros foi o primeiro a sair em defesa de Luís Fernando, dizendo que o deputado Rubens Júnior usou o expediente de se valer de um relatório preliminar do Tribunal de Contas do Estado (TCE) para fazer acusação contra o ex-prefeito Luís e atual secretário de Infraestrutura do Estado, pelo fato de se tratar de um forte pré-candidato à sucessão da governadora Roseana Sarney.

AGORA É OFICIAL: Neto Evangelista “sarneysou” mesmo!

Neto Evangelista, com a influência da sogra sarneysista, não esconde mais de ninguém que sua opção é pelo pré-candidato do grupo Sarney

Neto Evangelista, com a influência da sogra sarneysista, não esconde mais de ninguém que sua opção é pelo pré-candidato do grupo Sarney, Luís Fernando Silva

Só para confirmar posts do ano passado do blog, publicados nos meses de setembro e dezembro de 2013 (relembre “Sutilmente, Neto Evangelista começa a sarneyzar” e “Neto Evangelista faz jogada política com discurso do VLT”), o deputado estadual Neto Evangelista (PSDB) já tornou pública a opção que faz em torno do pré-candidato ao governo do Maranhão pelo grupo Sarney, Luís Fernando Silva, e já aparece, oficialmente, ao lado do ungido.

Na quarta-feira (29), ele não poupou “elogios” ao secretário de Infraestrutura, em Lago da Pedra, durante evento na companhia da sogra e prefeita do município, Maura Jorge, sarneysista de carteirinha.

Neto Evangelista acompanhou a sogra sarneysista no evento de assinatura da ordem de serviço da pavimentação da MA-245, em Lago da Pedra, com a presença de Luís Fernando, claro, em plena campanha pela sucessão estadual

Para Neto, é preciso reconhecer o trabalho desempenhado por Luís Fernando na Sinfra. “Se existe um pai deste projeto (pavimentação da MA), esse se chama Luis Fernando. Foi ele quem, de fato, trabalhou para a estrada deixar de ser apenas um sonho e se transformar realidade”, disse o deputado neosarneysita.

Independente da decisão do PSDB, Neto Evangelista irá com grupo Sarney

Não é novidade mais para ninguém. Neto Evangelista faz de tudo para levar o PSDB ao palanque de Luís Fernando e vem demonstrando que, se não houver uma decisão do PSDB nesse sentido, deve encarar o apoio de forma individual e isolada como fará também o prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira.

Neto Evangelista já assumiu também, em conversas com a Imprensa, que não votará e nem pedirá voto para o candidato do PCdoB ao governo Maranhão, Flávio Dino, em caso do PSDB se decidir pelo apoio ao comunista.

Disputa pela Prefeitura de São Luís em 2016

Além do propósito de garantir a releição de deputado estadual, Neto Evangelista pensa também nas eleições municipais de 2016, quando não esconde de ninguém a pretensão de sair como candidato a prefeito de São Luís.

Neto Evangelista sabe que se  o PSDB for com Flávio Dino, a possibilidade de disputar o comando da Prefeitura da capital maranhense será mais remota. Portanto, abre caminho junto ao grupo Sarney para, quem sabe, viabilizar esse projeto daqui a dois anos também com as bênçãos do clã.

Levando em conta as postagens e as evidências, quero mostrar que este blog sempre teve razão. A imagem não inventa! Os fatos estão aí…

Mas afinal, quem será o candidato a vice de Luís Fernando?

Pesado nas pesquisas, Luís Fernando ainda terá que "carregar" fardo do PT

Pesado nas pesquisas, Luís Fernando ainda terá que “carregar” fardo do PT

A mídia sarneysista bate tanto na tecla de quem será o candidato a vice-governador na chapa do pré-candidato ao governo do Maranhão pelo PCdoB, Flávio Dino, que esquece de especular sobre o fraco time de opções que o PT, partido que deve se manter na aliança com o grupo Sarney, tem a oferecer para formar chapa ao lado do peemedebista Luís Fernando Silva.

O mais cotado para a vaga de vice na chapa de Luís Fernando, caso a aliança PMDB/PT seja mantida mesmo (hoje a probabilidade é grande para que isso aconteça), é o atual presidente estadual do Partido dos Trabalhadores, Raimundo Monteiro, aliado mais próximo do agora conselheiro do Tribunal de Contas (TCE), Washington Oliveira. A densidade eleitoral do “pupilo” de WO é mínima e pouco acrescentaria ao pré-candidato sarneysista que, por si só, já é pesado nas pesquisas e tem dificuldade de decolar.

Outros nomes

Outros nomes com menor chance, mas porém cotados, são os do atual secretário estadual do Trabalho, José Antonio Heluy, e do superintendente do Incra, Zé Inácio Rodrigues. Os dois também de baixíssima densidade eleitoral.

Vale citar também que o deputado Zé Carlos da Caixa chegou a ser cotado para o posto de vice de Luís Fernando, mas perdeu a indicação com a briga interna pelo Processo de Eleição Direta (PED), quando tentou viabilizar um segundo turno para favorecer o segundo colocado na disputa, Henrique Souza.

Outro nome que chegou a ser cotado para o posto de vice, na chapa com o grupo Sarney, foi o do secretário estadual de Relações Institucionais, Rodrigo Comerciário, que rompeu com Washington Oliveira e se tornou “carta fora do baralho”.

Opções de dar sono

Como se vê, o leque de opções de vice do que restou do PT, hoje totalmente dominado pelo grupo Sarney, para Luís Fernando é de dar sono. Todos com pouco a somar com uma pré-candidatura que também ainda caminha a passos muito lentos nas pesquisas de opinião já realizadas.

Enquanto Flávio Dino tem dificuldade de definir o candidato a vice pelo volume de opções de partidos como o PDT, o SDD e o PSDB, por exemplo, Luís Fernando Silva vai ter que engolir um fardo mais pesado do que ele próprio, isso se realmente for mesmo o secretário de Infraestrutura o ungido para a disputa que se avizinha!

“Não se vê ninguém brigando para ser vice do lado de Luís Fernando”, diz Marcelo Tavares

“Só há disputa pelo posto de vice quando o pré-candidato é bom”, afirma deputado do PSB sobre grupo de Flávio Dino

Marcelo Tavares disse que Luís Fernando Silva não empolga e não consegue provocar disputa pelo posto de candidato vice-governador

Marcelo Tavares disse que Luís Fernando Silva não empolga e não consegue provocar disputa pelo posto de candidato vice-governador

O deputado estadual Marcelo Tavares (PSB), que deve  coordenar a campanha do pré-candidato ao governo do Maranhão, Flávio Dino, falou ao blog, nesta quarta-feira (06), sobre a disputa de bastidores que se dá entre os partidos de oposição pelo posto de vice-governador na chapa do líder comunista. Segundo ele, esse interesse por uma composição é um bom sinal para o termômetro político.

“Só há disputa pelo posto de candidato a vice-governador quando o pré-candidato é bom. Do outro lado (grupo Sarney), por exemplo, não se vê ninguém brigando para ser o vice. Sinal de que o provável candidato, Luís Fernando Silva, não empolga”, observou Marcelo Tavares em conversa com a titular deste blog.

Marcelo Tavares, no entanto, disse acreditar que Flávio Dino vai administrar bem essa disputa pela vaga de vice entre os partidos, que devem firmar aliança  com o comunista para as eleições de 2014, sem perder espaço com as siglas.

Disputa já é intensa

A disputa pela vaga de vice na chapa de Flávio Dino já é intensa há menos de um ano para as eleições. O PDT acha que tem direito a indicar um nome para o posto por conta de acordo que teria sido firmado no pleito municipal passado.

Enciumado com a possibilidade da vaga ficar com o PSDB, a “noiva” mais cobiçada do momento, o partido está ameaçando lançar candidato próprio, usando como “instrumento de pressão” o ex-prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, de baixa densidade eleitoral.

O PSDB, por sua vez, só forma aliança com Flávio Dino se tiver pelo menos a indicação para o candidato a vice, já que o nome da oposição para o Senado já está selado com o vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha, que deve renunciar ao cargo em abril do próximo ano para encarar as urnas.

Outro partido que se movimenta, nos bastidores, para indicar o vice de Flávio Dino é o PTC, presidido pelo ex-deputado Edivaldo Holanda (o pai), e que tem em seus quadros o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr. Os petecistas querem emplacar o apóstolo Alex Nunes, liderança na região tocantina, para o posto.

A disputa promete!