Apresentador do rodízio do JN tem covid-19 e respira com ajuda de aparelhos

Marcelo Magno está há quatro dias internado em um hospital particular de Teresina em estado grave e na UTI.

Na noite de hoje, a TV Clube, afiliada da TV Globo no Piauí, comunicou que o jornalista piauiense Marcelo Magno Ribeiro Barbosa testou positivo para o coronavírus. Ele é um dos integrantes do rodízio de fins de semana do Jornal Nacional e apresentou o telejornal no último dia (7).

Marcelo Magno está há quatro dias internado em um hospital particular de Teresina em estado grave e na UTI. O último boletim médico informou que o jornalista respira com ventilação mecânica.

O apresentador do JN é um dos três pacientes com coronavírus no Piauí. No estado, são 65 casos sob suspeita para a covid-19.

O secretário estadual de Saúde, Florentino Neto, informou que os três pacientes estão em tratamento e sendo acompanhados por especialistas. “Piauí teve três confirmações de coronavírus. Um proveniente do Rio de Janeiro, outro de São Paulo e um terceiro com transmissão no Piauí já após chegada de São Paulo. Além dos cuidados com os pacientes, estamos adotando procedimentos do mapa dos contatos de cada um e busca ativa, para isolamento social e medidas cabíveis”, destacou Florentino Neto.

O governo do estado decretou estado de calamidade e determinou o fechamento de shoppings, bares, restaurantes, cinemas, clubes, academias, casas de espetáculo e clínicas de estética, além de atividades de saúde bucal/odontológica, públicas e privadas, exceto aquelas relacionadas aos atendimentos de urgência e emergência. Eventos esportivos também estão suspensos.

Assembleia Legislativa do Maranhão vai homenagear empresário e ex-senador João Vicente Claudino

A Assembleia Legislativa, por meio dos Projetos de Resolução 096/10 e 097/19, de autoria da deputada estadual Mical Damasceno (PTB), prestará homenagem ao empresário e ex-senador João Vicente de Macedo Claudino, filho de João Claudino Fernandes. Ele receberá, no próximo dia 6, às 11h, no plenário Nagib Haickel, o Título de Cidadão Maranhense e a Medalha do Mérito Legislativo Manuel Beckman, honrarias aprovadas por unanimidade pelos parlamentares.

Na justificativa, a deputada Mical destaca os relevantes serviços prestados na área empresarial. “Atua sempre com brilhantismo e capacidade em prol da comunidade maranhense, assim como de outros estados. Suas empresas são responsáveis por gerar milhares de empregos e renda para as famílias do Maranhão, contribuindo assim para o desenvolvimento social e econômico do Estado”, acentuou.

João Vicente de Macêdo Claudino nasceu no dia 9 de fevereiro de 1963, na cidade de Cajazeiras, Paraíba, filho de João Claudino Fernandes e de Maria Socorro de Macêdo Claudino. É casado com Joselene Claudino e pai de cinco filhos. Iniciou seus estudos em Teresina (PI), onde cursou o 1º grau nas escolas Santo Antonio, Dom Bosco e Colégio São Francisco de Sales – o Diocesano. Suas atividades empresariais hoje se estendem para as regiões sul e sudeste do país, com importantes funções no Grupo Claudino. Ele é sócio proprietário da Socimol S/A (fabricante de imóveis).

A experiência trouxe a confirmação de sua competência profissional. Sua preocupação com o desenvolvimento do Piauí o levou a ocupar outros cargos, inclusive no primeiro escalão do Governo do Estado e em entidades representativas das categorias industrial e logística.

Nas eleições de 2006, ele foi eleito senador pelo PTB do Piauí, com 926.631 votos, o que corresponde a 65% dos votos válidos. Na disputa, derrotou seu principal adversário na campanha, Hugo Napoleão do Rego Neto.

O governador e o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Piauí, Wellington Dias (PT) e Themístocles Filho (MDB), respectivamente, deverão prestigiar a solenidade em homenagem a João Claudino.

Navio vai auxiliar na limpeza de óleo no Delta do Parnaíba, entre Maranhão e Piauí

Considerada um santuário ecológico, a região abriga várias comunidades de pescadores e catadores de caranguejo

Um navio-patrulha da Marinha se juntou hoje (18) às equipes que buscam identificar e recolher parte do óleo que atingiu a região do Delta do Parnaíba, entre os estados do Maranhão e do Piauí.

Considerada um santuário ecológico, a região abriga várias comunidades de pescadores, catadores de caranguejo, coletores de ostras e mariscos e artesãos que vivem do turismo e da coleta de peixes e frutos do mar.

Segundo a Marinha, o navio-patrulha Guanabara tem capacidade para transportar até 29 tripulantes. Equipada com uma lancha de casco semirrígido com capacidade para 10 homens e um bote inflável para seis homens usados para salvamentos e abordagens, a embarcação conta também com um guindaste eletro-hidráulico com capacidade para 620kg.

Assaltante beija idosa durante roubo: ‘não quero seu dinheiro’

A Polícia Militar foi acionada e fez buscas na região, mas ninguém ainda foi identificado

Um ato inusitado de um assaltante chamou a atenção durante um roubo a um comércio na cidade de Amarante, a 160 km de Teresina. Durante assalto na tarde de terça-feira (15) a um estabelecimento, uma idosa, cliente do local, chegou a oferecer seu dinheiro ao autor do crime, que recusou dando um beijo na testa da mulher. A ação foi registrada em vídeo pelas câmeras de segurança.

De acordo com o proprietário do comércio, Samuel Almeida, dois homens chegaram armados ao local por volta das 17h e anunciaram o roubo. No estabelecimento estavam um funcionário e a idosa, que mora próximo ao local.

“Eles anunciaram o roubo, pediram para o meu funcionário passar todo o dinheiro, aí ela estava perto e quis dar o dinheiro dela também, mas ele disse que não precisava. Deu um beijo nela e disse: ‘não, senhora, pode ficar sossegada, não quero seu dinheiro’”, relatou.

Ao funcionário do local, os homens deram a ordem de que entregasse todo o valor do caixa, que somou cerca de R$ 1 mil. Eles levaram ainda algumas mercadorias do local, cujo valor ainda não foi contabilizado.

A Polícia Militar foi acionada e fez buscas na região, mas ninguém ainda foi identificado.

Othelino Neto é eleito, por unanimidade, presidente do Colegiado do ParlaNordeste


Othelino Neto agradeceu aos seus pares pela eleição e disse que o ParlaNordeste é um fórum de fundamental importância, principalmente, pelo momento pelo qual passa o país

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), foi eleito, por unanimidade, presidente do ParlaNordeste para o ano de 2019. A eleição ocorreu na tarde desta sexta-feira (29), na Sala das Comissões do Palácio Manoel Beckman, em São Luís. O evento, em sua terceira edição, reuniu os presidentes das Assembleias Legislativas dos Estados da região Nordeste – Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba e Bahia.

Othelino Neto agradeceu aos seus pares pela eleição e disse que o ParlaNordeste é um fórum de fundamental importância, principalmente, pelo momento pelo qual passa o país. “Precisamos ficar vigilantes para que o Nordeste não tenha prejuízos e retrocessos naquilo que já está previsto na Constituição. Essa instância é de fundamental importância para que nós possamos falar para o Nordeste e para o Brasil”, enfatizou.

Disse, ainda, que o Nordeste, pela sua importância, merece ter mais atenção e mais investimentos para corrigir distorções e injustiças históricas. “Vamos acompanhar de perto junto às nossas bancadas federais, no Senado e na Câmara, o debate sobre as temáticas que discutimos no dia de hoje e em outras reuniões deste fórum, para que nossas posições, enquanto presidentes de Assembleias Legislativas, sejam consideradas”, salientou.

A pauta de discussão do 3º ParlaNordeste tratou do Consórcio de Governadores do Nordeste, Reforma da Previdência, Pacto Federativo e Fortalecimento dos Órgãos Regionais de Desenvolvimento. A posição do ParlaNordeste sobre esses temas foi externada por meio da Carta de São Luís, assinada pelos presidentes das Assembleias e divulgada durante entrevista coletiva de imprensa, no Salão Nobre da Assembleia.

Governadores do Nordeste atuarão em bloco para evitar escanteio de Jair Bolsonaro

Logo após o resultado da eleição, alguns governadores manifestaram publicamente a preocupação de serem deixados de escanteio

El País

A eleição de Jair Bolsonaro acendeu um alerta no grupo de governadores do Nordeste, região onde o militar reformado perdeu para o petista Fernando Haddad. A partir de janeiro do ano que vem, os nove Estados da região estarão governados ou pelo PT ou por partidos aliados, como o PSB e o PCdoB, representando a única região totalmente sob o Governo de siglas da oposição ao novo presidente. O cenário distinto ao do restante do país, onde Bolsonaro venceu, causou preocupação entre os políticos locais, que decidiram que a região deve atuar em bloco e não individualmente, para dar maior musculatura às demandas regionais.

Logo após o resultado da eleição, alguns governadores manifestaram publicamente a preocupação de serem deixados de escanteio. Com isso, poderiam perder verbas do Governo federal para programas e projetos em seus Estados. “Finalizada a eleição, externo aqui o meu desejo de que o presidente eleito, respeitando os princípios da democracia, dialogue com todos os Estados, com respeito e sem discriminação, e busque a solução dos problemas que afligem o país”, escreveu o petista Camilo Santana, do Ceará, em seu Facebook.

A preocupação tomou conta também de um grupo de WhatsApp, formado por todos governadores do Nordeste. Além de Santana, no Ceará, ele inclui Rui Costa (PT), da Bahia, Paulo Câmara (PSB), de Pernambuco, Wellington Dias (PT), do Piauí, Flávio Dino (PCdoB), do Maranhão. Fátima Bezerra (PT), do Rio Grande do Norte, Belivaldo Chagas (PSD), de Sergipe, João Azevêdo (PSB), da Paraíba, e Renan Filho (MDB). O acordo firmado entre eles até o momento foi de aguardar o anúncio da nova equipe ministerial para, então, marcar uma reunião presencial e deliberar as ações. A expectativa gira em torno do perfil dos novos ministros: se serão em maior parte militares, ou se haverá uma composição com membros dos partidos que formam o centrão.

Esse grupo havia sido formado em maio deste ano. Naquele mês, todos os governadores do Nordeste se reuniram, juntamente com o atual governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), para deliberar as principais demandas da região. Da reunião, no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo pernambucano, saiu a Carta do Recife, endereçada a Michel Temer, com 11 pontos considerados importantes para a retomada do desenvolvimento nos Estados. Dentre eles, a oposição à privatização da Eletrobras e da Companhia Hidrelétrica do São Francisco, a Chesf.

Agora, o esforço é por fazer chegar até a mesa de Bolsonaro uma pauta mais enxuta, priorizando três temas mais urgentes: água, segurança pública e saúde. Em relação à água, tema sensível para a região que viveu nos últimos anos uma seca histórica, a demanda é pela retomada das grandes obras que levam o abastecimento oriundo da transposição do rio São Francisco até os moradores do semiárido. No âmbito da saúde, os mandatários reivindicarão a revisão da tabela do Sistema Único de Saúde (SUS). Os governadores pedirão aumento na participação do Governo Federal nos repasses aos hospitais públicos dos Estados. O tema é sensível, já que baterá de frente com a barreira imposta pela PEC do teto de gastos, que limitou o crescimento dos investimentos públicos pelos próximos 20 anos.

A mesma dificuldade pode ser imposta pelas reivindicações na área de segurança pública. Aqui, além dos problemas comuns a todos os Estados, como investimento no aumento do efetivo policial e em sua remuneração, a região Nordeste tem uma questão pontual: a realização de um trabalho de inteligência para desmontar quadrilhas interestaduais especializadas na explosão de caixas eletrônicos. Esse tipo de crime gera um efeito cascata que contribuiu para o aumento dos índices de violência na região. Isso porque, em muitas cidades, há apenas uma agência bancária. Com a explosão dos caixas dessas agências, os clientes precisam se deslocar para as cidades vizinhas para realizar saques e pagamentos. A circulação dessas pessoas com altas quantias de dinheiro pelas estradas torna-se um alvo fácil de assaltos e latrocínio.

Discutidas as principais questões da região, o grupo deve marcar uma reunião presencial assim que os novos ministros forem anunciados pelo presidente Jair Bolsonaro. A expectativa é que demandas locais sejam apresentadas até mesmo antes da posse do novo Governo, no dia 5 de janeiro.

Diálogo com os Estados

Nesta eleição, o Nordeste, repetindo os pleitos anteriores, votou em peso no PT.Fernando Haddad obteve 69% dos votos da região no segundo turno. Ainda assim, o partido perdeu em três capitais: João Pessoa (PB), Natal (RN) e Maceió (AL), sendo nessa última, onde Bolsonaro obteve o maior percentual de votos, 61%. Embora Haddad tenha levado a maioria dos votos na região —20,3 milhões—, o presidente eleito amealhou 8,8 milhões de eleitores. Durante a campanha, muitas capitais nordestinas promoveram atos pró-Bolsonaro, e esse apoio popular sustenta a teoria de que o novo presidente não deve virar as costas para a região.

Sabendo da importância dos nordestinos para sua eleição, Bolsonaro acenou para a população local algumas vezes durante sua campanha. Para se aproximar de um público que historicamente elege o PT, colocou o chapéu de couro, tradicional ornamento local, e afirmou ser nordestino também, argumentando que o sogro nasceu no Ceará. Em uma TV no Piauí, afirmou que acabaria com o “coitadismo” dos nordestinos. Logo após o primeiro turno, em sua primeira entrevista, fez um agradecimento especial aos eleitores do Nordeste. Na sequência, lançou a proposta de 13º para o Bolsa Família, ideia claramente direcionada aos eleitores da região, que abriga metade dos 14 milhões de beneficiados pelo programa.

Porém, seu plano de Governo registrado no TSE trata pouco da região. Menciona o Nordeste somente quando aborda a área de energia, ao afirmar que é um local com “grande potencial de desenvolver fontes de energia renovável, solar e eólica”.

Presidente Othelino Neto é homenageado pelo Governo do Piauí

O governador do Piauí enfatizou a forte atuação de Othelino Neto pela união entre os dois estados

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado estadual Othelino Neto (PC do B), recebeu do governador Wellington Dias a Medalha Grã-Cruz, mais alta comenda da Ordem Estadual do Mérito Renascença do Piauí. A homenagem ocorreu durante cerimônia realizada na noite de sexta-feira (19), no Teatro 4 de Setembro, em Teresina (PI), como parte das comemorações alusivas ao 196º Aniversário da Adesão do Piauí à Independência do Brasil.

O parlamentar foi homenageado, entre outras importantes personalidades que foram condecoradas, por serviços dignos e admiráveis prestados ao povo piauiense. “Estar no Piauí é sempre uma grande satisfação e, com muita alegria, levo esta medalha para o Maranhão, reconhecendo que a homenagem foi, também, para o nosso povo. Nós e o Piauí temos diversas situações em comum e essa parceria entre os estados, por meio de seus Governos e Casas Legislativas, com políticas públicas corretas, tem mudado para melhor nossas realidades, beneficiando cada vez mais maranhenses e piauienses”, enfatizou.

O governador do Piauí enfatizou a forte atuação de Othelino Neto pela união entre os dois estados

Sobre as ações conjuntas de governo, em prol de ambos os estados, Othelino Neto ressaltou as melhorias já alcançadas em diversas áreas, destacando a do Turismo, ao citar como exemplo a Rota das Emoções, que envolve os litorais do Maranhão, Piauí e Ceará . “Já estamos concluindo o último trecho de pavimentação entre Barreirinhas e Paulino Neves, o que vai melhorar ainda mais essa rota tão bela que também envolve Barra Grande. Será um ganho para ambos os estados, graças à boa articulação entre os governos”, disse.

O governador do Piauí enfatizou a forte atuação de Othelino Neto pela união entre os dois estados. “Nós temos uma relação muito boa com o Maranhão em diversas áreas, mas destaco a área da Infraestrutura. Quando precisei interligar a região de Luzilândia com ponte e asfalto, pude contar com o Governo do Maranhão e o apoio da Assembleia Legislativa. Othelino Neto é um deputado maranhense muito querido pelos piauienses, já que ele sempre lida com temas comuns aos dois estados”, destacou.

Rafael Leitoa (PDT), deputado estadual reeleito que tem forte atuação em Timon, região integrada metropolitana do estado do Piauí, participou da cerimônia e classificou como importante a homenagem ao presidente Othelino Neto. “Um reconhecimento de suma importância ao nosso presidente pela irmandade que há entre os dois estados. A ocasião também nos faz retribuir o que a Assembleia do Maranhão fez ao governador Wellington Dias por todos os serviços prestados aos maranhenses. Isso faz com que os dois estados se estreitem ainda mais, inclusive nas políticas sociais de desenvolvimento”, avaliou.

Avião cai no Maranhão com o ex-governador do Piauí

Wilson Martins retornava de uma viagem no interior do Piauí e quando estava próximo a cidade de Teresina o acidente aconteceu.

Um avião monomotor que transportava o ex-governador do Piauí Wilson Martins (PSB) e o deputado federal Rodrigo Martins (PSB) fez um pouso forçado na cidade de Timon, na manhã dessa sexta-feira (20). Além de Wilson e Rodrigo Martins, estava o piloto e José Augusto, chefe de gabinete da Codevasf, em Brasília.

O ex-governador usou suas redes sociais para informar o ocorrido. Ainda não se sabe o motivo fez o avião realizar o pouso de emergência na cidade maranhense.

Leia mais: Mais de 1200 policiais militares serão nomeados pelo governador Flávio Dino

Wilson Martins retornava de uma viagem no interior do Piauí e quando estava próximo a cidade de Teresina o acidente aconteceu.

“Retornando do sul do Estado, chegando a Teresina, na comunidade Florada, estrada Timon-Poções, tivemos que fazer um pouso forçado. Fomos socorridos por um conterrâneo e parente de Oeiras, Michel Nunes e por toda comunidade da região, que foi muito solidária. Todos estamos muito bem e sem nenhum arranhão. Muita gratidão a Deus por esse livramento, às pessoas que nos socorreram e ao André, piloto da aeronave, que com sua habilidade e perícia pousou o avião evitando o pior”, escreveu Wilson.

 

Leia mais: Convenção dos partidos da base de Flávio Dino já tem local e horário marcado

Assembleia aprova concessão de Medalha Manuel Beckman a governador do Piauí

Requerimento de Othelino Neto foi subscrito por vários outros deputados estaduais

O plenário da Assembleia Legislativa do Maranhão aprovou, por unanimidade, Projeto de Resolução Legislativa, número 024/2017, de autoria do deputado estadual Othelino Neto (PCdoB), que concede a Medalha do Mérito Legislativo  ao governador do Piauí, Wellington Dias (PT). A matéria foi subscrita por vários parlamentares, como Bira do Pindaré (PSB), Rafael Leitoa (PDT), Zé Inácio Rodrigues (PT), Rigo Teles (PV) e Wellington do Curso (PP).

Na mesma sessão, o plenário também aprovou, por unanimidade, projeto de Othelino Neto que concede Título de Cidadão Maranhense ao ex-ministro-chefe da Secretaria Nacional de Portos do Brasil, Leônidas Cristino, que atuou no cargo durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

A Medalha do Mérito Legislativo Manuel Beckman é a maior honraria do Poder Legislativo do Maranhão. Ela foi instituída pelo Decreto Legislativo nº 68/80, publicado no Diário Oficial de 12 de dezembro de 1980, e que tem como objetivo homenagear personalidades que tenham contribuído para o desenvolvimento do Estado.

Wellington Dias é bancário e político brasileiro, filiado ao Partido dos Trabalhadores. Ele cumpre seu terceiro mandato como governador do Estado do Piauí, eleito em 2014, depois de ter exercido o cargo entre 2003 a 2010. Detentor de carreira política clássica, dentro de uma década, foi eleito vereador, deputado estadual, deputado federal e governador. Em 2010, foi o senador mais votado com quase 1 milhão de votos.

José Wellington Barroso de Araújo Dias é filho do caminhoneiro Joaquim Antônio Neto e da professora Teresinha Araújo Dias. Nasceu na cidade de Oeiras, Piauí, em 5 de março de 1962,  e foi criado em Paes Landim, no Vale do Fidalgo. É casado com Rejane Ribeiro Sousa Dias e tem três filhos: Iasmin, Vinícius e Daniely. Estudou Letras na Universidade Federal do Piauí (1982). Fez especialização em Políticas Públicas e Governo, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1998).

Ofício e Arte
Bancário e escritor, Wellington trabalhou no Banco do Nordeste do Brasil, Banco do Estado do Piauí e Caixa Econômica Federal, da qual é funcionário de carreira. É também radialista, tendo trabalhado na Rádio Difusora de Teresina. Filiou-se ao PT em 1985 e iniciou suas atividades sindicais como integrante da CUT Central Única dos Trabalhadores, e presidente da APCEF Associação de Pessoal da Caixa Econômica Federal, entre 1986 e 1989. Na sequência, foi presidente do Sindicato dos Bancários do Estado do Piauí, no período de 1989 a 1992.

Além da política, ele enveredou ainda pela literatura. É contista e autor do livro “Macambira”, premiado em 1980 e publicado em 1995. Teve vários outros contos premiados: “Maria Valei-me” (1984) que recebeu menção honrosa pelo “Concurso de Contos João Pinheiro”, da extinta Secretaria de Cultura do Piauí. Escreveu as peças “Reisados da Minha Terra e Estamos Todos Inocentes”. Foi incluído nas coletâneas “O Conto na Literatura Piauiense” (1981) e “Novos Contos Piauienses” (1984). Lançou o livro As Tiradas de Tio Sinhô, em junho de 2007.

Política
O governador iniciou na vida pública em 1992, quando foi eleito vereador de Teresina. Em 1994, elegeu-se deputado estadual, chegando à presidência do diretório regional do PT, onde ficou de 1995 a 1997. Em 1996 foi candidato a vice-prefeito de Teresina na chapa de Nazareno Fonteles. Em 1998, foi o primeiro deputado federal eleito pelo PT no Piauí e, no ano 2000, foi candidato a prefeito de Teresina, tendo Francisca Trindade como companheira de chapa. Renunciou ao mandato de deputado federal em 29 de novembro de 2002. Em seu lugar, foi efetivado o seu primeiro suplente, Roberto John, também do PT.

Governador
Wellington Dias foi anunciado pelo PT como candidato ao Senado em 2002, mas uma articulação com outros partidos, comandada pelo diretório nacional do Partido dos Trabalhadores, o fez candidato ao Governo do Estado. Foi eleito em primeiro turno para o cargo de governador do Piauí pela coligação A Vitória que o Povo Quer, tendo Osmar Ribeiro de Almeida Júnior como o vice-governador, O governador Wellington Dias PT foi reeleito no dia 1º de outubro de 2006, sendo o seu companheiro de chapa, Wilson Nunes Martins.

Deixou o cargo em março de 2010, para disputar as eleições ao Senado Federal, sendo eleito com votação histórica (997.513 votos).