Centrão entra na Educação e enfraquece ministro Weintraub

Ministro Abraham teria se irritado com o ‘toma lá, dá cá’ iniciado por Jair Bolsonaro

Ao entregar para o Centrão uma diretoria do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), órgão com orçamento previsto para este ano de R$ 29,4 bilhões, o presidente Jair Bolsonaro deu sinal claro do enfraquecimento do ministro da Educação, Abraham Weintraub, um dos pilares da chamada ala ideológica do seu governo. A avaliação foi feita por aliados do próprio ministro, que o veem no momento mais frágil desde que assumiu o posto, em abril do ano passado, mesmo tendo o apoio dos filhos do presidente.

Desta vez, porém, Weintraub bateu de frente com Bolsonaro ao questionar a nomeação de indicados pela “velha política”. Contrariado, o ministro da Educação, segundo interlocutores, foi reclamar com o presidente por retomar a prática do “toma lá, dá cá”, no qual o governo distribui cargos em troca de votos no Congresso. Mas teve que “engolir seco”. O presidente se irritou com o subordinado, inclusive o acusando de ter vazado informações sobre a negociação.

Sob pressão de aliados e após sofrer sucessivas derrotas políticas, Bolsonaro passou nas últimas semanas a distribuir cargos a políticos do Centrão para evitar um possível processo de impeachment. Progressistas e Republicanos já haviam sido contemplados com cargos. 

Na segunda-feira, 18, a diretoria de Ações Educacionais do FNDE, uma das mais importantes do órgão, foi entregue ao PL, sigla do ex-deputado Valdemar da Costa Neto, condenado no mensalão. Garigham Amarante Pinto, ex-assessor do gabinete do partido na Câmara, vai ocupar o posto.

Weintraub delegou ao seu secretário executivo, Antonio Vogel, assinar o ato de nomeação no Diário Oficial da União. Procurado, o MEC não esclareceu o motivo. A expectativa é de que nos próximos dias a presidência do FNDE seja entregue a um nome indicado pelo Progressistas, do senador Ciro Nogueira (PI). Há ainda promessa de uma chefia no órgão ao Republicanos, do deputado Marcos Pereira (SP). Os dois políticos são alvo da Lava Jato e já ganharam cargos no governo.

Detinha já conta com o apoio do PL, Avante e Patriotas

Caso seja confirmada em convenção, Detinha pode ser o único nome feminino na disputa pela prefeitura da capital

Em menos de uma semana, a deputada estadual Detinha entrou na disputa pela Prefeitura de São Luís e já mudou todo o cenário da pré-campanha.

Detinha, que é casada com o deputado federal Josimar de Maranhãozinho, é filiada ao PL e já recebeu publicamente o apoio dos partidos Avante e Patriotas, o que garante um tempo razoável de propaganda no rádio e na TV.

Caso seja confirmada em convenção, Detinha pode ser o único nome feminino na disputa pela prefeitura da capital.

Detinha também ensaia disputar Prefeitura de São Luís

Na negociação, já estaria assegurado o apoio dos partidos PL, Avante e Patriotas.

O deputado federal e presidente do PL, Josimar de Maranhãozinho, estuda lançar sua esposa, a deputada estadual Detinha, como pré-candidata a prefeita em São Luís.

A possibilidade foi tratada em reunião em que estiveram os deputados federais Josimar Maranhãozinho, Júnior Lourenço, Pastor Gildenemyr e Junior Marreca Filho, a deputada estadual Detinha, o ex-deputado federal Júnior Marreca e o vereador Aldir Júnior.

Josimar articulava a indicação de seu sobrinho, o vereador por São Luís Aldir Júnior, para o posto de vice-prefeito na chapa do pré-candidato Eduardo Braide, mas não obteve sucesso.

Na negociação, já estaria assegurado o apoio dos partidos PL, Avante e Patriotas.

Josimar de Maranhãozinho aproxima-se de Duarte

A pauta principal do encontro foi a composição do PL com o Republicanos na eleição de São Luís.

O pré-candidato a prefeito Duarte Júnior, agora no Republicanos, esteve reunido nesta quinta-feira (13), em Brasília, com o deputado federal Josimar Maranhãozinho.

A pauta principal do encontro foi a composição do PL com o Republicanos na eleição de São Luís. Além do PL, o apoio do Avante também estaria na negociação.

O interesse de Josimar, como já é de conhecimento de todos, é indicar seu sobrinho, o vereador Aldir Júnior, para a a vaga de vice de algum pré-candidato a prefeito.

Josimar Maranhãozinho pode levar PL e Avante para apoiar nome governista

Após uma reunião com o governador Flávio Dino, o parlamentar pode anunciar seu apoio para um pré-candidato governista.

O jogo político das eleições em São Luís muda novamente a direção dos ventos e o que estava sendo dado como certo, já não deve acontecer.

O início desta publicação refere-se ao apoio do deputado federal, Josimar Maranhãozinho, presidente do PL, a um nome na disputa pela prefeitura da capital.

Até então encaminhado para indicar seu sobrinho, o vereador de São Luís Aldir Júnior, para a vaga de vice da chapa de Eduardo Braide, o parlamentar se afastou do pré-candidato e pode agora anunciar seu apoio para outro nome.

Detentor do PL e Avante no Maranhão, Josimar tem o peso do tempo de TV e rádio ao seu lado e pode ser decisivo na campanha de um nome.

Após uma reunião com o governador Flávio Dino, o parlamentar pode anunciar seu apoio para um pré-candidato governista.

Paulo Marinho Júnior troca o PP pelo PL

O ato de filiação contou com a presença do presidente nacional do PL, Waldemar da Costa Neto e de Josimar Maranhãozinho

O suplente de deputado federal e vice-prefeito de Caxias, Paulo Marinho Júnior, filiou-se ao PL, partido comandado no Maranhão pelo deputado federal Josimar de Maranhãozinho.

O ato de filiação contou com a presença do presidente nacional do PL, Waldemar da Costa Neto, de Josimar Maranhãozinho e de outras lideranças da legenda.

Paulo Marinho Júnior vai assumir por três meses o mandato na Câmara Federal no lugar de Josimar e mais três meses no lugar do também deputado federal Júnior Lourenço, ambos do PL.

Partidos correm para filiar dissidentes do PSL

Patriota, PL e Republicanos buscam filiar seguidores de Bolsonaro que pretendem abandonar o PSL

Com a avaliação de que o presidente Jair Bolsonaro e seus apoiadores enfrentam dificuldades para viabilizar, a tempo das eleições de 2020, o Aliança pelo Brasil, dirigentes partidários se movimentam para abrigar pré-candidatos alinhados ao governo e, assim, absorver o capital político bolsonarista. Ao vislumbrar um cenário em que não existirá um partido bolsonarista nas urnas, Patriota, PL e Republicanos buscam filiar seguidores de Bolsonaro que pretendem abandonar o PSL.

A coordenação do Aliança já indicou que, caso não consiga obter o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até março, deve liberar seus pré-candidatos para entrarem nos partidos que quiserem. Segundo um dirigente envolvido na criação do partido, não é do interesse dos bolsonaristas negociar um acordo com uma única sigla. A intenção é evitar um “novo PSL”, que resulte em brigas internas e dissidências. Reportagem do Estado publicada no domingo (2), mostrou que a busca pelas 491,9 mil assinaturas para formalizar a legenda tem enfrentado ritmo lento.

“A gente tem vários pré-candidatos em várias cidades e alguns partidos têm se mobilizado para tentar atrair esses pré-candidatos caso a Aliança não saia a tempo. Um deles é o Patriotas, o outro é o PRB (hoje Republicanos) e o PRTB também. Esses são os três que mais têm chamado as pessoas que eu conheço”, diz a deputada Carla Zambelli (PSL-SP), seguidora da família Bolsonaro.

No Patriota, uma ala da direção defende fazer movimento semelhante. Integrantes da Executiva nacional consideram absorver tanto os insatisfeitos do PSL que já detém mandato, quanto pré-candidatos hoje em tratativas com o Aliança. Com cinco cadeiras na Câmara dos Deputados, a intenção do partido é viabilizar um grande crescimento neste ano.

Internamente, no entanto, o abrigo aos bolsonaristas do Aliança é motivo de cautela. A principal preocupação é garantir que, caso alguns dos candidatos sejam eleitos e o Aliança seja efetivamente criado, o Patriota não sofra uma debandada.

Othelino Neto, Josimar Maranhãozinho e PL reforçam aliança política pelo Maranhão

O encontro também foi acompanhado pelos deputados estaduais Dr. Leonardo Sá e Vinicius Louro, ambos da base do PL

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), recebeu, nesta terça-feira (22), a visita de cortesia do deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL). Durante o encontro, Othelino destacou a importância da parceria com o parlamentar em prol do Maranhão.

“É razão de muita alegria receber o deputado Josimar Maranhãozinho, um amigo de longas datas, convivendo juntos como deputados estaduais e militando, também juntos, na última campanha de 2018. O deputado Josimar é, hoje, uma das lideranças de maior envergadura do estado do Maranhão. Lidera, inclusive, uma bancada de quatro deputados na Assembleia. Enfim, é uma aliança política que serve para o Maranhão e que, certamente, vai ter muitos resultados futuros para todos nós”, destacou Othelino.

Josimar Maranhãozinho também reforçou a amizade com o presidente da Alema e a parceria em vários municípios. “Eu tenho o Othelino como um grande amigo e um grande parceiro político. Tenho certeza que com a nossa união, o que dialogamos aqui, ao ser colocado em prática, será muito bom para o nosso Maranhão”, afirmou o deputado federal.

O encontro também foi acompanhado pelos deputados estaduais Dr. Leonardo Sá e Vinicius Louro, ambos da base do PL

Em entrevista, Josimar fala sobre o destino de seu grupo político nas eleições de São Luís

O parlamentar, além de comandar o PL no Maranhão, já tem o controle do Avante e trabalha para assumir o controle do PROS

O deputado Josimar de Maranhãozinho, presidente estadual do PL no Maranhão, concedeu entrevista ao programa Ponto e Vírgula, da Rádio Difusora, na tarde de segunda-feira (30), e sobre os rumos do seu grupo político nas eleições de São Luís, em 2020.

Josimar confirmou que já dialogou com os pré-candidatos Rubens Júnior (PCdoB) e Eduardo Braide (PMN), e que a indicação de um nome para a vaga de vice-prefeito pode fazer parte do acordo. Mas afirmou que ouvirá o governador Flávio Dino (PCdoB), antes de tomar qualquer decisão sobre o apoio do PL nas eleições da capital.

Sobre o nome do deputado estadual Duarte Júnior (PCdoB), Josimar afirmou que ofertou o PL para que ele possa concorrer concorrer pelo partido.

O parlamentar, além de comandar o PL no Maranhão, já tem o controle do Avante e trabalha para assumir o controle do PROS.