Com filiação anunciada para o Podemos, Eduardo Braide começa 2020 fortalecendo base eleitoral

Com o trabalho sendo fortalecido nos dois partidos ao mesmo tempo, Eduardo Braide deseja entrar em 2020 intensificando ainda mais sua entrada nos bairros de São Luís

Líder das pesquisas eleitorais, o deputado federal e pré-candidato a prefeito em São Luís, Eduardo Braide, já informou que sua ida para o Podemos será efetivada até o final de 2019.

De saída do PMN para o Podemos, Braide trabalha agora para fortalecer sua base eleitoral e levar também para a nova legenda candidatos em potencial, para disputar as vagas do legislativo da capital.

A lista de pré-candidatos a vereador já é extensa, passa por alguns nomes conhecidos, lideranças comunitárias e profissionais das mais diversas áreas, por isso alguns nomes serão divididos entre o Podemos e o PMN, partido que segue presidido pelo irmão do pré-candidato, Fernando Braide.

Com o trabalho sendo fortalecido nos dois partidos ao mesmo tempo, Eduardo Braide deseja entrar em 2020 intensificando ainda mais sua entrada nos bairros de São Luís.

Essa sim, não deve ser fácil, sobretudo, pela quantidade de pré-candidatos com boa avalição na capital.

Irmão de Eduardo Braide assume comando do PMN no Maranhão

A troca acontece pela ida de Braide para o Podemos, partido que deve concorrer à prefeitura de São Luís no próximo ano

Já nas articulações para as eleições de 2020, o deputado federal, Eduardo Braide, emplacou o irmão, Fernando Braide, como o novo presidente do PMN no Maranhão.

A troca acontece pela ida de Braide para o Podemos, partido que deve concorrer à prefeitura de São Luís no próximo ano.

Com isso, o pré-candidato garante o controle das duas legendas para as eleições da capital.

Braide foi presidente do PMN nos últimos anos, partido que, mesmo pequeno, o levou para o segundo turno das eleições em 2016 e elegeu Braide deputado federal com mais de 189 mil votos.

Com o Podemos, Eduardo Braide ganha tempo de TV necessário para 2020

Com uma bancada de 17 deputados federais, o Podemos passa a ser o 12° partido com maior número de deputados. Um tempo de TV bem melhor que o PMN

O deputado federal Eduardo Braide segue articulando sua candidatura à prefeitura de São Luís, em 2020. Um dos maiores obstáculos, que seria uma legenda, parece já ter sido solucionado.

Segundo colocado na disputa pela prefeitura em 2016, e eleito com mais de 189 mil votos para deputado federal em 2018, o deputado viu o PMN não conquistar votos suficientes para passar da cláusula de barreira e com isso perder tempo de TV e os recursos do Fundo Partidário.

O Podemos pode ser a resolução desse problema. O partido elegeu 11 deputados federais em 2018, após as eleições, ainda incorporou o PHS que elegeu seis deputados federais. Com uma bancada de 17 deputados federais, o Podemos passa a ser o 12° partido com maior número de deputados. Um tempo de TV bem melhor que o PMN.

Eduardo Braide ganha tempo de TV no Podemos, mas ainda insuficiente para uma candidatura competitiva, o pré-candidato vai precisar fazer alguns acordos com outras legendas para garantir um bom tempo de propaganda em 2020.

Aluísio Mendes vai assumir PSC no Maranhão

O PSC é o sétimo partido político de Aluísio Mendes

O deputado Aluísio Mendes vai assumir o PSC do Maranhão nos próximos dias. Aluísio, que até então estava no comando do Podemos. Anunciou sua saída com a chegada do deputado federal Eduardo Braide na legenda.

Vale lembrar, que em 2014, o deputado foi eleito pelo PSDC, desde então, já passou pelo PMB, Podemos e agora PSC. Exatos quatro partidos em menos de cinco anos. Aluísio também já foi filiado ao MDB, PL e PR.

O evento para a filiação de Aluísio Mendes no PSC deve acontecer nesta sexta-feira (30), no Hotel Blue Tree Towers e vai contar com a presença do presidente nacional do partido, Pastor Everaldo, do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel e do governador da Amazônia, Wilson Miranda.

Partidos trocam de lideranças e preparam casa para eleições 2020

Desde que as eleições de 2018 acabaram, algumas legendas já promoveram mudanças em seus diretórios no estado

Faltando pouco mais de um ano para as eleições de 2020, partidos políticos no Maranhão estão promovendo mudanças para encarar as disputas e fortalecer suas legendas no estado. Desde que as eleições de 2018 acabaram, algumas legendas já promoveram mudanças em seus diretórios no estado.

O Podemos já trocou seu diretório. No lugar do deputado Aluísio Mendes, assume os aliados de Eduardo Braide. Aluísio por sua vez deve assumir o PSC.

A senadora Eliziane Gama passou o bastão do Cidadania (ex-PPS), para seu irmão, Eliel Gama. Pedro Lucas Fernandes assumiu a presidência do PTB no lugar do seu pai, o ex-deputado Pedro Fernandes.

O deputado federal Edilázio Júnior assumiu o PSD no lugar de Cláudio Trinchão. O deputado Júnior Marreca Filho assumiu o Patriotas no lugar do ex-deputado Jota Pinto. Já no PTC, saiu o deputado Edivaldo Holanda e assumiu o ex-deputado Júnior Verde.

Um outro partido que deve trocar de presidente é o Avante. Hilton Gonçalo perde a presidência do partido para o deputado Josimar de Maranhãozinho, que deve indicar um aliado.

Algumas mudanças ainda podem acontecer até as eleições, sobretudo nos comandos dos diretórios da capital e nas maiores cidades. O jogo da política ainda reserva mais surpresas.

Deputados de PROS, PSB e Podemos são os que menos seguem orientações do partido em votações

O PROS tem a maior taxa de infidelidade no período

G1

Os deputados do PROS, do Podemos e do PSB foram os que menos seguiram as orientações das lideranças ou dos blocos partidários em votações nominais da Câmara. É o que aponta um levantamento do G1 com os dados de todas as votações nominais na Câmara dos Deputados de 1º de fevereiro a 12 de julho de 2019.

O PROS tem a maior taxa de infidelidade no período: 23,3% dos votos dos deputados da sigla foram diferentes da orientação do líder ou do bloco partidário. Em seguida, Podemos e PSB registram taxas de 19,6% e 19,1%, respectivamente.

Por outro lado, os partidos Novo, PCdoB e PSOL têm as menores taxas de infidelidade – ou seja, os deputados registram maior disciplina às orientações. No Novo, por exemplo, apenas um voto contrariou a indicação do líder. Os votos corresponderam à orientação em 99,9% (Novo), 97,7% (PCdoB) e 95,9% (PSOL) das situações.

O levantamento do G1 analisou também o posicionamento dos deputados de acordo com as orientações do governo. PSOL, PT e PCdoB foram os partidos que tiveram posicionamentos mais divergentes em relação às orientações do Palácio do Planalto.

A bancada do PSOL se manifestou de forma igual ao Planalto em 144 dos 905 votos dos deputados no plenário da Câmara. É a menor taxa de governismo nos seis meses de atividade (15,9%). Em seguida, o PT e o PCdoB registraram, respectivamente, taxas de 18,4% e 22,5%.

As bancadas de PSL, Novo e PSDB têm as maiores taxas de governismo. O PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, aderiu às orientações do governo em 94,2% dos votos. Os deputados do Novo votaram com o governo em 90,9% dos votos; o PSDB, em 88,3%.

Eduardo Braide assume o comando do Podemos

Márcio Vinnicius Prestes Prazeres, secretário parlamentar, lotado no gabinete de Eduardo Braide, é o novo presidente estadual da legenda

O deputado federal Eduardo Braide passa a comandar o Podemos no estado do Maranhão. Mesmo ainda filiado ao PMN, onde exerce a liderança na Câmara dos Deputados, Braide já assegurou o Podemos e indicou aliados para o comando temporário da legenda.

Márcio Vinnicius Prestes Prazeres, secretário parlamentar, lotado no gabinete de Eduardo Braide, é o novo presidente estadual da legenda. Outros aliados também fazem parte do novo diretório.

O Podemos passa a ser a legenda onde, possivelmente, Braide deve se canditar ao cargo de prefeito em São Luís.

Líder em todas as pesquisas até o momento, o parlamentar estava na busca de um partido que garantisse tempo de TV e Rádio na próxima eleição.

Após sete meses das eleições, seis partidos já anunciaram incorporações

Os nomes e números do PCdoB, Patriotas e Podemos serão mantidos e os do PPL, PRP e PHS “cairão no esquecimento”

Buscando fugir das penalidades impostas pela Cláusula de Barreira, seis partidos já acertaram fusões e incorporações. São eles: PCdoB e PPL; Patriotas e PRP; e Podemos e PHS.

Essas iniciativas são necessárias para preparar as legendas para as eleições de 2020. Dos 35 partidos que disputaram as eleições de 2018, apenas 21 conseguiram obter votos suficientes para continuar tendo direito ao horário gratuito no Rádio e na TV, além do fundo partidário.

Após as incorporações, o número subiu para 23 legenda. Os nomes e números do PCdoB, Patriotas e Podemos serão mantidos e os do PPL, PRP e PHS “cairão no esquecimento”. O Podemos passou pela cláusula e o PHS, que foi incorporado, não existirá oficialmente.

Pré-candidatos a vereadores cobram um posicionamento de Eduardo Braide sobre novo partido

Alguns pré-candidatos a vereadores que pretendem disputar as eleições de 2020 em São Luís cobram do deputado federal, Eduardo Braide, uma definição em relação ao novo partido que possivelmente irá disputar a eleição para prefeitura.

Segundo colocado na disputa pela prefeitura da capital em 2016 e segundo colocado na disputa por uma vaga na Câmara dos Deputados em 2018, Braide é um nome praticamente certo na disputa de 2020.

Sem definição de qual partido irá disputar, após a saída do PMN, o deputado tem recebido cobranças de alguns pré-candidatos a vereadores.

As lideranças aguardam a definição do novo partido para iniciar os trabalhos em suas bases e tentar surfar na popularidade de Braide.

Um dos prováveis destinos do deputado pode ser o Podemos ou o Avante.