Júnior Verde assume PTC no Maranhão

Júnior Verde assumiu o comando do PTC, após passar vários anos na militância do Partido Republicano Brasileiro (PRB), hoje Republicanos.

O ex-deputado estadual Júnior Verde é o novo presidente do Partido Trabalhista Cristão (PTC), no Maranhão.

Júnior Verde assumiu o comando do PTC, após passar vários anos na militância do Partido Republicano Brasileiro (PRB), hoje Republicanos.

O PTC passou anos sob o comando do deputado estadual Edivaldo Holanda, pai do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior. Após o partido não passar pela Cláusula de Barreira, Edivaldo pai anunciou sua saída da legenda.

Mesmo sem receber recursos do Fundo Partidário e sem tempo na TV e Rádio, Júnior Verde vai preparar a legenda para lançar o máximo possível de candidatos a vereadores e prefeitos.

Presidente do PTC do Rio de Janeiro é encontrado morto

A causa da morte não foi divulgada, mas não haveria sinais de violência

O presidente regional do Partido Trabalhista Cristão (PTC), no Rio, Daniel Tourinho Filho, de 35 anos, foi encontrado morto em seu apartamento na tarde de sexta-feira, 21. A causa da morte não foi divulgada, mas não haveria sinais de violência.

Em nota publicada numa rede social, o PTC do Rio lamentou a morte de seu presidente e informou que Tourinho Filho vinha apresentando problemas de saúde.

“Já faz algum tempo que o presidente enfrentava problemas de saúde, tendo sido atendido em outras ocasiões em rede hospitalar. Daniel vinha trabalhando de forma incansável para montar nominatas justas em todo Rio de Janeiro. A política de nosso estado perde uma grande figura, atuante e sonhador de um mundo melhor para todos. Descanse em paz”, diz o texto.

Daniel Tourinho Filho era filho do presidente nacional do partido, Daniel Sampaio Tourinho.

12 partidos continuam sem definição após Cláusula de Barreira

Uma das soluções para os 14 partidos que não obtiveram êxito na última eleição é a proposta de fusão com outros partidos

Dos 35 partidos registrados no Tribunal Superior Eleitoral, 14 legendas não passaram pela Cláusula de Barreira aprovada na última reforma política. Desses, apenas 21 continuarão recebendo recursos do Fundo Partidário e terão acesso ao tempo no rádio e na TV.

Uma das soluções para os 14 partidos que não obtiveram êxito na última eleição é a proposta de fusão com outros partidos. Foi o que PCdoB e PPL aprovaram na noite de domingo (2).

O PCdoB continuará com o número e nome da legenda, por sua vez irá incorporar o a estrutura do PPL. Os partidos foram os primeiros a apresentarem soluções para suas militâncias após os resultados da cláusula de barreira.

Outros 12 partidos ainda continuam sem definição sobre qual a melhor estratégia. Entre os partidos estão: PHS, PRP, PRTB, PMN, PTC, PMB, PCB, PSTU, PCO, Patriotas, Rede Sustentabilidade e Democracia Cristã.

As tratativas precisam ser decididas até o início do trabalho legislativo em fevereiro de 2019 e para que sejam definidos os melhores caminhos para os políticos dessas legendas.

Flávio Dino chega às eleições 2018 com sete partidos a mais em relação a 2014

Exatos 16 partidos, o que garante ao governador Flávio Dino mais de 5 minutos do tempo de TV do horário eleitoral gratuito

O governador Flávio Dino (PCdoB) teve seu nome homologado em uma grande convenção para mais de 10 mil pessoas neste sábado (28). São exatas 16 agremiações que declararam apoio a ele nestas eleições.

Em relação ao ano de 2014, quando Flávio Dino encerrou 50 anos de domínio do grupo Sarney, o então candidato tinha o apoio de 9 partidos: PCdoB, PDT, PSDB, PSB, PP, PPS, PROS, PTC e Solidariedade. Desses, apenas o PSDB não está com Flávio Dino em 2018.

Para essa eleição, somam-se ao time governista PT, DEM, PR, PRB, PTB, PPL, Patriotas e agora o Avante. Exatos 16 partidos, o que garante ao governador Flávio Dino mais de 5 minutos do tempo de TV do horário eleitoral gratuito.

Convenção vai oficializar Flávio Dino candidato à reeleição neste sábado (28)

Neste sábado (28) será realizada a convenção partidária Todos Pelo Maranhão, quando será confirmada a chapa majoritária do governador Flávio Dino, pré-candidato à reeleição. O ato contará com a participação de diversas lideranças de 15 partidos: PCdoB, PDT, PP, PPS, PROS, PSB, PT, PTB, PR, PRB, DEM, PEN, PTC, Solidariedade e PPL, que compõem a base aliada de Flávio Dino.

Flávio Dino ressaltou que a convenção Todos Pelo Maranhão é o momento em que sua coligação vai “conversar sobre o nosso Programa de Governo para o período 2019-2022. O nosso vice-governador Carlos Brandão também vai participar. Todos convidados”.

O presidente do diretório estadual do PCdoB no Maranhão, Márcio Jerry, também falou sobre a realização da convenção. “Será a coalizão de 15 partidos políticos, movimentos sociais e o povo do Maranhão para que em outubro possamos reconduzir o melhor governador do Maranhão, que é o governador Flávio Dino”, pontuou Jerry, que é também pré-candidato a deputado federal.

Para a presidente da União Brasileira de Mulheres no Maranhão (UBM-MA), Thays Campos, a convenção é o momento da celebração de um governo que mostrou que é possível fazer uma gestão pública diferente, priorizando os mais necessitados.

“Não temos dúvida da grande festa e encontro do governante com a sua militância. Temos a certeza que o povo do Maranhão vai continuar a sorrir e vai continuar sendo rei e rainha da sua própria vida”, analisou Thays Campos.

O encontro será realizado na data em que é comemorado um marco histórico para Maranhão. No dia 28 de julho de 1823, o estado aderiu oficialmente à independência do Brasil. A convenção de Flávio Dino, portanto, tem o simbolismo de romper de vez os laços com o passado e não permitir que a elite que mandou e desmandou no Maranhão volte a ter os privilégios de antigamente.

Partidos da base do governador Flávio Dino definem chapas proporcionais para a Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados

Quem participou da reunião afirmou que houve muito diálogo na construção das chapas que prometem eleger o maior número de deputados para a Assembleia Legislativa e para o Congresso Federal

Os 15 partidos que fazem parte da base de apoio do governador Flávio Dino (PCdoB) chegam à convenção coletiva com as chapas proporcionais montadas. Elas foram definidas na quinta-feira (26) com um clima muito bom entre os presidentes das siglas. Quem participou da reunião afirmou que houve muito diálogo na construção das chapas que prometem eleger o maior número de deputados para a Assembleia Legislativa e para o Congresso Federal.

As chapas para a Assembleia Legislativa foram definidas da seguinte forma:
Chapa 1: PCdoB, PDT, DEM, PSB, PP, PR, PRB, PTC
Chapa 2: PEN, PTB, PROS, PPS, PPL
Chapa 3: PT
Chapa 4: SD

As chapas para a Câmara dos Deputados foram definidas assim:
Chapa 1: PCdoB, PRB, PTB, PSB, PEN, SD, DEM, PROS, PTC, PPL e PPS
Chapa 2: PR, PDT e PP
Chapa 3: PT

Convenção dos partidos da base de Flávio Dino já tem local e horário marcado

Flávio Dino já tem confirmado o apoio do PCdoB, PDT, PSB, PT, PPS, PRB, DEM, PTB, PP, PR, PROS, PTC, PPL, Patriotas e Solidariedade

A grande convenção dos partidos da base do governo Flávio Dino (PCdoB) que já tinha sido anunciada para o dia 28 de julho, agora já tem local e horário marcado.

Em reunião realizada nesta terça-feira (17) pelos representantes dos 15 partidos que estarão com Flávio Dino no projeto de reeleição, foi escolhido o Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana como o local para a realização da convenção coletiva.

Leia mais: Grupo político de Flávio Dino faz dois grandes eventos simultâneos no Maranhão

O evento, que vai iniciar às 8h30 minutos, promete reunir caravanas de todas as cidades do estado e consagrar o nome do governador Flávio Dino para a reeleição, de Carlos Brandão para a vaga de vice-governador e dos pré-candidatos Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS) para o Senado Federal.

Flávio Dino já tem confirmado o apoio do PCdoB, PDT, PSB, PT, PPS, PRB, DEM, PTB, PP, PR, PROS, PTC, PPL, Patriotas e Solidariedade.

 

Leia mais: Flávio Dino entregou 154 novas ambulâncias, contra 50 de Roseana Sarney

Por “sobrevivência”, PTC recua da candidatura de Collor ao Planalto

De acordo com Tourinho, o recuo de concorrer à Presidência tem como foco a “sobrevivência” do PTC. O partido quer ultrapassar a cláusula de desempenho nas eleições de outubro

A direção executiva nacional do PTC (Partido Trabalhista Cristão) decidiu não lançar candidatura à Presidência da República. Com a decisão, o senador e ex-presidente Fernando Collor (AL) não deverá concorrer novamente ao Planalto.

Collor havia anunciado sua pré-candidatura à Presidência em discurso no Senado em fevereiro. O comunicado foi divulgado na noite desta segunda-feira (25/6) em nota assinada pelo presidente nacional da legenda, Daniel Tourinho.

De acordo com Tourinho, o recuo de concorrer à Presidência tem como foco a “sobrevivência” do PTC. O partido quer ultrapassar a cláusula de desempenho nas eleições de outubro. Pela regra eleitoral, legendas devem alcançar 1,5% dos votos válidos para a Câmara dos Deputados e, nove estados para terem acesso, por exemplo, ao fundo partidário e tempo de rádio e televisão.

Em 1989, Collor foi eleito presidente na primeira eleição pós-redemocratização do país. Na ocasião, derrotou nomes como Leonel Brizola (PDT) e Ulysses Guimarães (PMDB) no primeiro turno e Luiz Inácio Lula da Silva (PT), no segundo turno. Collor foi o primeiro presidente a ser afastado temporariamente em processo de impeachment no país. Renunciou ao cargo horas antes de ser condenado pelo Senado por crime de responsabilidade.

Leia a íntegra da nota:

“O PTC – Partido Trabalhista Cristão, em reunião da comissão executiva nacional, após intensa discussão interna e avaliação do cenário político brasileiro, decidiu não lançar candidatura própria ao cargo de Presidente da República.

A Direção Nacional do PTC possui duas grandes responsabilidades junto ao partido. A primeira, com a sobrevivência do mesmo.

A segunda, com os milhares de pré-candidatos a deputados federais, deputados estaduais e senadores filiados ao partido, onde todos estão trabalhando arduamente, com sacrifícios pessoais e profissionais para, além de se elegerem, levar o PTC a ultrapassar a cláusula de barreira, elegendo deputados federais e obtendo mais de 1,5% dos votos válidos, nacionalmente.

Assim, com essa decisão de não lançar candidatura própria na corrida presidencial, o PTC busca, de forma sensata, respeitar as diversidades e diferenças estaduais e regionais do Brasil, exercendo a democracia dentro do partido e com seus filiados.

Daniel Tourinho – Presidente do PTC.”

PTC garante apoio à reeleição de Flávio Dino…

Durante o Encontro, o PTC confirmou apoio a Flávio Dino

No 14º Encontro Estadual do Partido Trabalhista Cristão (PTC), que aconteceu na sexta-feira (1), em São Luís, a sigla confirmou a disposição em apoiar a reeleição do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). A legenda é presidida pelo  deputado Edivaldo Holanda.

O evento contou com as presenças do  governador Flávio Dino (PCdoB); do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT); dos deputados federais Weverton Rocha e Deoclides Macedo, ambos do PDT; e de várias outras lideranças, Othelino Neto enalteceu as figuras de Flávio Dino, Weverton Rocha, o prefeito Edivaldo Júnior, o deputado Edivaldo Holanda e a disposição do PTC em apoiar a reeleição do governador.

Durante o Encontro, o presidente em exercício da Assembleia Legislativa do Estado, Othelino Neto (PCdoB), elogiou o sucesso do evento, que estava superlotado, no Hotel Abbeville, e garantiu que o PTC não é um partido pequeno. Ele destacou que a legenda é muito importante para o Maranhão, ao decidir juntar-se a várias outras siglas que vão apoiar a candidatura de Flávio Dino a governador.

Othelino lembrou que o prefeito Edivaldo Júnior foi eleito pelo PTC, mas que foi sabotado e perseguido pelo grupo Sarney por dois anos, sem receber qualquer tipo de parceria. De acordo com ele, quando Flávio Dino assumiu, o quadro mudou. Segundo o parlamentar, o governador tem levado obras para todos os municípios, não apenas para a capital.

Maranhão melhor

“O Maranhão está cada vez melhor, com o governador Flávio Dino fazendo parceria com os municípios e aplicando os recursos públicos de forma responsável, em obras como escolas.  Em 2018, vamos reeleger ele porque o Maranhão não pode voltar ao passado”, afirmou Othelino. O presidente em exercício da Assembleia defendeu também a eleição de Weverton Rocha para senador. “Assim vamos ter um senador de verdade, de confiança, não como fazem alguns votando contra o Maranhão”, acusou.

Em seu discurso, Edivaldo Holanda agradeceu a todos e disse que graças à parceria com o Governo do Estado é que a prefeitura de São Luís está realizando diversas obras. Holanda defendeu a reeleição do governador e garantiu que o presidente em exercício Othelino Neto tem conduzido os trabalhos na Assembleia, por conta do presidente Humberto Coutinho está se restabelecendo de problemas de saúde, “com maestria nesse momento delicado”.

“O PTC fez questão de colocar faixas com saudações ao governador Flávio Dino, porque precisamos reelegê-lo para continuar com esse trabalho de mudanças que vem realizando em todos as áreas, nos quatro cantos do Estado”, apelou Edivaldo Holanda. O presidente do PTC defendeu também a candidatura de Weverton Rocha a senador, dizendo que o Estado precisa de um nome que represente bem o Maranhão no Senado.

O deputado Toca Serra  também participou ativamente do Encontro Estadual do PTC e disse que o encontro contou com as presenças de vários vereadores, prefeitos e vice-prefeitos. Enalteceu ainda a recondução de Edivaldo Holanda à presidência estadual da legenda, além da candidatura à reeleição do governador Flávio Dino.

Balanço de obras

Ao discursar, Flávio Dino agradeceu ao deputado Edivaldo Holanda por haver levado o PTC ser o primeiro partido a decidir oficialmente em encontro, que vai apoiar a reeleição dele a governador. Ele falou longamente das obras que vem fazendo pelo Estado, da parceria com a Prefeitura de São Luís, e agradeceu ao presidente em exercício, Othelino Neto, pelo apoio. No final, terminou declarando apoio também à candidatura de Weverton Rocha a senador, assunto que o governador tratou pela primeira vez em público. Também pediu uma salva de palmas pelo restabelecimento do presidente Humberto Coutinho.