Maranhão se torna o estado com melhor desempenho no combate à Covid-19 no Brasil

Segundo pesquisa nacional divulgada pelo Centro de Liderança Pública (CLP), o Maranhão apresenta o melhor desempenho entre as 27 unidades federativas do Brasil.

O Maranhão ocupa a primeira posição em índice de melhor desempenho no combate à Covid-19, segundo pesquisa nacional divulgada pelo Centro de Liderança Pública (CLP). O estudo avaliou as 27 unidades federativas do Brasil. A pesquisa foi encerrada em 28 de julho.

No Ranking Covid-19, o estado do Maranhão atingiu a nota 25,31. A pesquisa adotou nove critério de avaliação: proporção de casos confirmados, evolução logarítmica de casos e porcentual de mortalidade da Covid-19 e de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG); as notas de transparência do combate à Covid-19 elaboradas pela Open Knowledge Brasil, bem como dados de isolamento social do Google. Quanto maior a nota final, pior é o desempenho dos estados no enfrentamento à pandemia. O Distrito Federal apresentou pior desempenho e lidera o ranking da pesquisa. 

O secretário de Estado da Saúde do Maranhão e presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) lembra que todos os esforços estão sendo realizados para evitar o avanço da Covid-19 no estado. Segundo o gestor, mais de 260 mil testes foram aplicados, sendo 121.581 casos confirmados até 1º de agosto. O número de recuperados é 10 vezes maior do que o de pessoas que estão doentes com Covid-19. No dia 1º de julho, o número de novos casos era de 2.805. Em 31 de julho, o estado contabilizou 1.399, mostrando a tendência de queda de novos casos da doença.  

“Aos poucos o Maranhão alcança a estabilização da pandemia. Entretanto, manter-se vigilante ainda é necessário para o enfrentamento dessa impiedosa doença. Por isso, mais uma vez, peço que confiem na ciência, escutem os profissionais de saúde: mantenham as regras de distanciamento social, usem máscaras e evitem aglomerações. Continuamos trabalhando dia e noite para reduzir os impactos da pandemia em nosso estado”, destacou o secretário Carlos Lula. 

De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde do Maranhão, o estado registou redução no número de internações por complicações da Covid-19. Atualmente, 478 pessoas estão internadas. Anteriormente, no pico da pandemia, o estado chegou a ter 1.700 pessoas internadas na rede estadual. 

Maranhão tem menor taxa de contágio de coronavírus do Brasil, diz estudo da PUC/FGV

O Maranhão aparece entre os Estados com queda no número de mortes no levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa que mapeiam a Covid-19 em todo o país.

O projeto Covid-19 Analytics, feito por pesquisadores da FGV e da PUC-Rio, mostra que o Maranhão é o Estado com a menor taxa de contágio do Brasil. Os dados foram atualizados nesta quarta-feira (29). 

O índice é de 0,84, o mesmo verificado no Espírito Santo. Segundo o levantamento, dez Estados têm taxa abaixo de 1. Outros 16 e o Distrito Federal têm taxa acima de 1. 

Quando a taxa é superior a 1, cada contaminado transmite a doença para mais de uma pessoa, logo o vírus ainda avança. Quando é abaixo de 1, a tendência é que os novos casos comecem a cair. Afinal, uma pessoa passa a contaminar cada vez menos outras pessoas.

O Maranhão chegou à marca de 103.994 pessoas recuperadas do coronavírus, de acordo com o mais recente boletim da Secretaria de Estado da Saúde. Esse número é 11 vezes maior que o número de casos ativos, ou seja, pessoas que ainda estão com a doença: 9.035.

O Maranhão aparece entre os Estados com queda no número de mortes no levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa que mapeiam a Covid-19 em todo o país. São oito estados nessa categoria, incluindo o Maranhão. Outros oito e o Distrito Federal têm aumento no número de mortes. A estabilidade se verifica em oito deles. Dois não divulgaram os dados completos da última semana, período levado em conta para fazer o cálculo.

Inquérito Sorológico de Infecção por Covid-19 é iniciado em municípios maranhenses

A pesquisa amostral que está sendo realizada simultaneamente na Região Metropolitana de São Luís e nas demais regiões do Maranhão deve ocorrer até o dia 10 de agosto

O Governo do Estado iniciou nesta segunda-feira (27) a pesquisa domiciliar com aplicação de teste sorológico que servirá como base para Inquérito Sorológico de Infecção por Covid-19 no Maranhão. A pesquisa, cujo objetivo é avaliar o cenário atual da pandemia no estado e contribuir para conhecer o estágio da infecção dos maranhenses pela doença, já está em andamento em 69 municípios das 19 regiões de saúde do Maranhão que vão contribuir com o estudo. 

A pesquisa amostral que está sendo realizada simultaneamente na Região Metropolitana de São Luís e nas demais regiões do Maranhão deve ocorrer até o dia 10 de agosto, quando a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), parceira da Secretaria de Estado da Saúde (SES) no estudo, fará a tabulação dos dados para a posterior divulgação dos resultados da pesquisa.  

Segundo a superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças da SES, Léa Márcia Melo da Costa, a coleta conta com equipes compostas por entrevistadores, técnicos de coleta e um supervisor de campo. Todos devidamente identificados, vão de casa em casa, com o apoio de agentes municipais de saúde. 

“No momento da coleta, é feito um questionário por meio de um aplicativo e também é coletado o sangue venoso, um método extremamente sensível e de forma inédita no Brasil, visto que os demais estudos feitos em território nacional foram realizados através de teste rápido. Desta forma, poderemos ter um melhor retrato do cenário de infecção pelo coronavírus no estado do Maranhão”, afirma a superintendente Léa Márcia Melo.  

Os pesquisadores realizarão o inquérito nos cidades de Açailândia, Bom Lugar, Conceição do Lago Açu, Lago Verde, Marajá do Sena, Bacabal, Feira Nova do Maranhão, São Raimundo das Mangabeiras, Barra do Corda, Jenipapo dos Vieiras, Afonso Cunha, Caxias, Coelho Neto, Buriti, Anapurus, Araioses, Chapadinha, Milagres do Maranhão, São Bernardo, Codó, Coroatá, Imperatriz, Sítio Novo, Lajeado Novo, Cantanhede, Itapecuru Mirim, Nina Rodrigues, São Benedito do Rio Preto, Vargem Grande, Arari, Vitória do Mearim, Fortuna, Governador Archer, Santa Filomena do Maranhão, São José dos Basílios, Senador Alexandre Costa, Igarapé Grande, Pedreiras, Poção de Pedras, Trizidela, Cedral, Presidente Sarney, Turilândia, Axixá, Humberto de Campos, Rosário, Mirador, Paraibano, Pastos Bons, São João dos Patos, Barão de Grajaú, Alto Alegre do Pindaré, Bom Jardim, Pindaré, Pio XII, Santa Inês, Governador Newton Bello, São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar, Raposa, Alcântara, Timon, São Francisco do Maranhão, Cajapió, Palmeirândia, Governador Nunes Freire, Maracaçumé e Santa Luzia do Paruá.

Estudo Sorológico será iniciado para avaliar o cenário atual da pandemia no Maranhão

A pesquisa de campo será realizada essencialmente por profissionais da Secretaria de Estado da Saúde, tanto da Vigilância Sanitária quanto da Atenção Básica, com suporte dos municípios

O Governo do Maranhão lançou, nesta terça-feira (21), o Inquérito Sorológico de Infecção por COVID-19. Durante a coletiva de imprensa, na Secretaria de Estado da Saúde (SES), foi apresentada a logística da pesquisa domiciliar com aplicação de teste sorológico para estimar as prevalências de anticorpos contra a Covid-19 no Maranhão e avaliar o cenário atual da pandemia no estado.  

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, falou sobre a particularidade do Estudo Sorológico realizado no Maranhão. “É importante destacar que este Estudo Sorológico não será feito por teste rápido, assim como foi feito em São Paulo e no Espírito Santo. Nosso teste será sorológico e vai exigir a coleta de sangue das pessoas, pois tem melhor precisão, o que permitirá uma assertividade maior acerca da existência ou não da imunidade da população ao novo coronavírus”, disse.  

O gestor destacou ainda a importância dessa projeção para saber quais serão os próximos passos em relação à doença. “Hoje nós vemos apenas a ponta do iceberg. Olhamos o número de casos confirmados no Boletim, temos o número de óbitos, mas abaixo dessa ponta do iceberg tem a maior parte, que são as outras pessoas que foram infectadas e não foram catalogadas e, por isso, precisamos ter a real dimensão”, explicou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.  

Nesta quinta-feira (23), será realizado um Projeto Piloto no bairro Vila Esperança, zona rural de São Luís, e no dia 27 de julho a pesquisa amostral começará na Região Metropolitana de São Luís e nas demais regiões do Maranhão, com previsão de término da coleta no dia 7 de agosto, contemplando todas as 19 Regionais de Saúde.  

A pesquisa de campo será realizada essencialmente por profissionais da Secretaria de Estado da Saúde, tanto da Vigilância Sanitária quanto da Atenção Básica, com suporte dos municípios. As equipes serão compostas por um entrevistador e um técnico de coleta, além de motoristas e supervisores regionais e estaduais, que estarão devidamente identificados com coletes e crachás. 

Além da coleta, também será aplicado questionário em entrevista face a face, com a finalidade de estudar as estratégias de enfrentamento da pandemia, como o uso de máscara de proteção, estratégias de higiene das mãos e grau de distanciamento social.

Maranhão registra 745 casos novos de coronavírus e chega a 195 municípios no estado

Atualmente, 195 municípios têm casos confirmados de COVID-19 no estado

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) contabilizou 746 novos casos positivos de COVID-19 no Maranhão. De acordo com os dados, subiu para 13.238 o número de casos positivos, sendo 576 óbitos e 2881 pessoas recuperadas.

Atualmente, 195 municípios têm casos confirmados de COVID-19 no estado, se aproximando do 217 no total.

A SES registra ainda 803 profissionais de saúde infectados pelo novo coronavírus no Maranhão. Destes, 702 já estão recuperados.

Quando analisados os casos positivos de COVID-19, a razão por sexo aponta 6788 (51%) casos em pessoas do sexo feminino e 6449 (49%) em pessoas do sexo masculino.

Maranhão registra 856 novos casos de coronavírus em um só dia

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Maranhão chegou a 6.765 infectados

É cada vez mais assustadora a apresentação do boletim de novos casos de coronavírus no Maranhão. Após registrar 520 casos quinta-feira (07), nesta sexta-feira, o Governo do Maranhão divulgou 856 novos casos, evidenciando que o Estado atravessa um momento difícil.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Maranhão chegou a 6.765 infectados.

Mais 25 óbitos, foram registrados fazendo o número total chegar a 355 óbitos.

Atualmente, 153 municípios têm casos confirmados de COVID-19 no estado.

Oitocentas e noventa e seis pessoas estão internadas, sendo 282 em UTI e 614 em leitos de enfermaria. Mais de três mil e novecentas pessoas estão em isolamento domiciliar. Os outros casos positivos registrados são monitorados pelo Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS). Atualmente, 1587 pessoas receberam alta da quarentena (recuperados).

Até o momento, o Maranhão contabiliza 14.081 testes para diagnóstico de Covid-19 e 6.838 casos seguem em suspeito.

600 pessoas estão recuperadas do coronavírus no Maranhão, número de infectados chega a 2.804

Atualmente, 71 municípios têm casos confirmados de COVID-19 no Maranhão

A Secretaria de Estado da Saúde contabilizou mais 276 novos casos positivos de COVID-19 no Maranhão. De acordo com os dados desta terça-feira (28), subiu para 2.804 o número de casos positivos, sendo 166 óbitos.

A pauta positiva é que 600 pessoas estão recuperadas do coronavírus no estado.

Atualmente, 71 municípios têm casos confirmados de COVID-19 no Maranhão. A SES registra ainda 349 profissionais de saúde infectados, 248 já estão recuperados.

O Maranhão contabiliza 6.899 testes para diagnóstico já realizados e 7.232 continuam suspeitos.

Governo vai abrir mais de 250 novos leitos para assistência a pacientes com a Covid-19 na capital

De acordo com o secretário Carlos Lula, a expansão é uma resposta à crescente preocupação com os pacientes que demandam cuidados hospitalares

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, vistoriou, terça-feira (21), os 200 leitos instalados no Hospital Real, estrutura alugada pelo Governo do Estado para fortalecer o tratamento de pacientes diagnosticados com o novo Coronavírus. Localizado na Avenida Rio Branco, região central de São Luís, a unidade integra as ações e medidas adotadas pelo governador Flávio Dino no enfrentamento da crise sanitária instalada no mundo inteiro, e também no Maranhão.

“Temos acompanhado o crescimento da procura de leitos de internação, sejam eles clínicos ou de UTI. Nós já mais que dobramos a oferta para casos de Coronavírus na rede estadual, porém com o avanço da doença temos visto o esgotamento crescente da rede privada e também da pública, sobretudo na Ilha de São Luís. Por isso mesmo resolvemos alugar mais um hospital privado e, com isso, devemos chegar à oferta de mais 200 leitos”, disse o governador.

No mesmo dia, após a nova aquisição, as equipes da Secretaria de Estado da Saúde (SES) já iniciaram a montagem dos equipamentos necessários. O arrendamento de parte das instalações do Hospital Real se soma aos 50 leitos alugados na Clínica São José, também localizada no centro da capital.

De acordo com o secretário Carlos Lula, a expansão é uma resposta à crescente preocupação com os pacientes que demandam cuidados hospitalares. “Semanalmente observamos o cenário epidemiológico e fazemos uma análise técnica para compreender a demanda de São Luís por novos leitos exclusivos para atendimento dos casos do novo coronavírus. A expectativa é garantir mais de 400 novos leitos até o final do maio. Nos anteciparmos agora é fundamental”, destacou.

Maranhão registra 695 casos de coronavírus e primeira morte em Imperatriz

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, 3.202 continuam sob suspeita e 136 casos foram descartados.

O Governo do Maranhão informou,, nesta quarta-feira (15), que subiu para 695 o número de casos do novo coronavírus no estado. O número de mortos subiu para 37, sendo registrada a primeira morte por COVID-19 em Imperatriz, segunda maior cidade do Maranhão.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, 3.202 continuam sob suspeita e 136 casos foram descartados.

Os casos confirmados do novo coronavírus estão espalhados em 24 municípios maranhenses: São Luís – 582 casos (34 mortes); São José de Ribamar – 47 casos; Paço do Lumiar – 22 casos (2 mortes); Imperatriz – 17 casos (1 morte); Raposa – 03 casos; Santa Rita – 03 casos; Timon – 02 casos e Caxias – 02 casos.

Açailândia, Altamira do Maranhão, Cachoeira Grande, Cajapió, Cantanhede, Chapadinha, Colinas, Davinópolis, Governador Nunes Freire, Mirinzal, Santa Inês, São Benedito do Rio Preto, Urbano Santos, Viana, Vitória do Mearim e Zé Doca registram um caso cada uma.