Projeto que altera limites dos Lençóis Maranhenses tem atenção de Eliziane

Segundo Eliziane, as comunidades tradicionais, formadas por pescadores, agricultores, extrativistas e artesãos, que já vivem ali há anos, muito antes do Parque ser instituído, em 1981, não foram consultadas

A senadora Eliziane Gama mostrou preocupação com o Projeto de Lei que altera os limites do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Segundo ela, as comunidades tradicionais, formadas por pescadores, agricultores, extrativistas e artesãos, que já vivem ali há anos, muito antes do Parque ser instituído, em 1981, não foram consultadas.

“Protocolei esta semana, na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo, um requerimento que solicita audiência pública para debater o PLS 465/2018 que altera os limites do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. O projeto pretende retirar do interior do parque territórios ocupados por povoados e ampliar a área de unidade de conservação sobre territórios com menor densidade demográfica e no mar do territorial brasileiro”, escreveu Eliziane.

Há dois meses da fraude no Senado, Roberto Rocha ainda não entregou relatório da investigação


Até hoje, ninguém explicou como surgiram 82 votos — são 81 senadores.

O Antagonista

Há dois meses, Davi Alcolumbre era eleito presidente do Senado.

Até hoje, ninguém explicou como surgiram 82 votos — são 81 senadores.

O corregedor da Casa, Roberto Rocha, chegou a dizer que a perícia das imagens seria concluída na semana anterior ao carnaval. Pois é.

Mesmo derrotado nas urnas, Lobão continua no Senado Federal

Em 2018 tentou se reeleger ao Senado, mas não obteve votos suficientes

O Globo

Derrotado nas urnas nas eleições de outubro de 2018, Edison Lobão conseguiu manter-se numa cadeira do Senado — a de presidente do Conselho Editorial, responsável pelas publicações da Casa e pela nomeação de seis assessores parlamentares. Cada um recebe R$ 17,3 mil mensais pelo trabalho.

Para quem achou que Lobão estaria morto e sepultado na política do Maranhão, pode ter se enganado. E aquele ditado popular que diz: quem tem padrinho, jamais morrerá pagã. Foi justamente o que aconteceu com o dono do Sistema Difusora no Maranhão.

Edison Lobão já foi senador, governador do Maranhão e ministro de Minas e Energia. Em 2018 tentou se reeleger ao Senado, mas não obteve votos suficientes

Jornal O Globo mostra iniciativa de Eliziane Gama para que Pacote Anticrime seja também debatido no Senado

A senadora Eliziane Gama (PPS-MA), no plenário do Senado Foto: Moreira Mariz/Agência Senado/27-03-2019

O Globo

Mesmo após o ministro da Justiça, Sérgio Moro, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), chegarem a um acordo para acelerar a tramitação do pacote anticrime, o projeto foi apresentado também no Senado. A iniciativa é da senadora Eliziane Gama (PPS-MA), que teve a ideia inicialmente como uma alternativa à falta de prioridade que existia até então na Câmara. A senadora protocolou nesta quinta-feira três projetos, com o mesmo conteúdo do pacote apresentado por Moro, que serão encaminhados para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Eliziane não considera, contudo, que a tramitação conjunta seja um problema.

Após discutirem publicamente na semana passada, Moro e Maia se reuniram na manhã desta quarta-feira e acertaram uma aceleração da análise do pacote. Depois do encontro, o ministro ressaltou o “compromisso” e minimizou a possibilidade do projeto tramitar também no Senado, ressaltando que era uma iniciativa de alguns senadores e não dela.

Foi acertado um compromisso de o projeto tramitar na Câmara. Têm alguns senadores que querem também tramitar no Senado, isso seria uma iniciativa dos senadores.

Eliziane admitiu que não sabia antecipadamente do acordo, mas disse que o fato do projeto ser apresentado também no Senado “torna o debate mais rico”.

“Recebemos essa informação agora há pouco. A informação que nós tínhamos até ontem é que não havia uma previsão do ponto de vista da tramitação”, afirmou. Acrescentando depois: “Acho que as duas Casas podem andar com os dois projetos. Agora, não podemos nos furtar. Acho que esse movimento do Senado é importante, porque ele torna o debate mais rico .”

Eliziane Gama vence debate contra Major Olímpio

Para Eliziane Gama, o uso irregular do fundo eleitoral, depois de tanta luta do Parlamento para ser direcionado também às mulheres, precisa ser investigado e fiscalizado

Os senadores Major Olímpio (PSL) e Eliziane Gama (PPS) bateram boca na Comissão de Transparência, durante a análise do convite para que Gustavo Bebianno vá ao Senado.

Ele foi contra o convite. Ela, a favor. No embate entre os dois sobre a “moralidade” de destinar parte do fundo partidário para mulheres, Olímpio foi interrompido por Eliziane e começou a gritar com o dedo em riste.

“É imoral, sim, o uso do fundão. Pode ser legal, mas é imoral o uso desses recursos. Não é uma questão de gênero.”

“Vossa excelência não grite comigo, porque eu também sei gritar, senador”, rebateu ela.

Eliziane venceu o debate com Major Olímpio. O ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, deverá esclarecer aos senadores da Comissão de Transparência, as denúncias feitas pela imprensa sobre o uso de candidaturas “laranja” para desvio de recursos eleitorais. O convite foi aprovado pelos integrantes da comissão. Foram 6 votos favoráveis e 5 contrários. Ainda não há data para a vinda do ex-ministro.

Para Eliziane Gama, o uso irregular do fundo eleitoral, depois de tanta luta do Parlamento para ser direcionado também às mulheres, precisa ser investigado e fiscalizado. Usado corretamente, frisou a parlamentar, o recurso ajudou a aumentar a representatividade feminina no Legislativo. A vinda de Gustavo Bebianno, então presidente do partido que é acusado de desviar os recursos carimbados das mulheres para outras candidaturas, será essencial para ajudar a entender “o que está por trás do que não sabemos”:

“Se não aprovarmos este requerimento, vamos incorrer no erro de, quem sabe, termos fatos importantes que poderão e deverão ser colocados à tona para a população brasileira. Não era uma pessoa qualquer, era um ministro da mais inteira confiança do presidente da República”, defendeu a senadora. (Com informações de O Antagonista)

Senado conclui escolha da Mesa Diretora, Weverton Rocha é um dos eleitos

Weverton Rocha é o único maranhense na Mesa Diretora do Senado

Os partidos entraram em acordo político para eleição de dez cargos da Mesa Diretora do Senado e compuseram chapa única para dirigir a Casa. O arranjo foi negociado na reunião dos líderes das legendas ontem na sala do presidente Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Com 72 votos favoráveis, dois contrários e três abstenções, foi eleita a chapa tendo como 1º vice-presidente Antonio Anastasia (PSDB-MG) e 2º vice-presidente Lasier Martins (Pode – RS).

A 1ª secretaria caberá ao senador Sérgio Petecão (PSD-AC); a 2ª secretaria será ocupada por Eduardo Gomes (MDB – TO); a 3ª secretaria terá Flávio Bolsonaro (PSL-RJ); e a 4ª secretaria caberá ao senador Luis Carlos Heinze (PP – RS).

Também foram eleitos os quatro suplentes da Mesa. Marcos do Val (PPS-ES) será o 1º suplente; Weverton (PDT-MA), o 2º suplente; Jaques Wagner (PT-BA), o 3º suplente; e Leila Barros (PSB-DF), a 4ª suplente.

Weverton Rocha é o único maranhense na Mesa Diretora do Senado. Foi eleito em 2018 com quase 2 milhões votos. Além de presidente estadual do PDT, Weverton também foi escolhido líder do partido no Senado.

Davi Alcolumbre é eleito presidente do Senado

Senador de primeiro mandato, Alcolumbre teve uma atuação discreta nos primeiros quatro anos de mandato no Senado

Com 42 votos, o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) foi eleito hoje (2) em primeiro turno presidente do Senado para os próximos dois anos. O principal opositor de Alcolumbre, o senador Renan Calheiros (MDB-AL), retirou a candidatura na tarde de hoje.

Renan Calheiros teve 5 votos. Espiridião Amin (PP-SC) ficou com 13 votos, Ângelo Coronel (PSD-BA) teve 8 votos, Reguffe recebeu (sem partido-DF) 6 votos e Fernando Collor (Pros-AL) ficou com 3 votos.

Senador de primeiro mandato, Alcolumbre teve uma atuação discreta nos primeiros quatro anos de mandato no Senado. Na disputa pelo comando da Casa, revelou-se um hábil articulador, congregando os adversários de Renan Calheiros e os aliados do governo federal.

O novo presidente contou com o apoio do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, também filiado ao DEM.

Aos 41 anos, o senador estreou na política no início deste século. Foi vereador em Macapá, três vezes deputado federal e chegou ao Senado em 2015. Nas eleições de outubro passado, concorreu ao governo do Amapá e ficou em terceiro lugar.

É um dos mais jovens senadores a assumir a presidência da Casa.

PPS indica Eliziane Gama para liderança do partido no Senado

Gama é jornalista e será empossada como senadora nesta sexta-feira (1º). Ela foi eleita com mais de 1,5 milhão de votos na eleição de outubro passado.

A senadora eleita Eliziane Gama (PPS) foi escolhida, na tarde de quinta-feira (31), líder do seu partido no Senado Federal.

“Hoje à tarde fui escolhida para ser líder do PPS no Senado Federal. Nosso partido faz parte do bloco independente composto por 14 senadores e que tem o objetivo de atuar na defesa dos interesses do Brasil”, escreveu Eliziane.

Gama é jornalista e será empossada como senadora nesta sexta-feira (1º). Ela foi eleita com mais de 1,5 milhão de votos na eleição de outubro passado.

A bancada do PPS é formada pelos senadores Alessandro Vieira (SE), Marcos do Val (ES) e Eliziane Gama (MA)

Weverton Rocha é escolhido líder do PDT no Senado Federal

A bancada do PDT no Senado é formando pelos senadores Kátia Abreu (TO), Cid Gomes (CE), Acir Gurgacz (RO) e Weverton Rocha (MA)

O senador maranhense Weverton Rocha, foi escolhido líder da bancada do PDT no Senado Federal.

“Em reunião, os senadores do PDT me escolheram como líder da bancada em 2019. A decisão é uma honra e uma grande responsabilidade. Como fiz na Câmara, atuarei na liderança do PDT no Senado comprometido com os ideais do partido e os interesses da sociedade”, escreveu Weverton em suas redes sociais.

Weverton já exerceu dois mandatos como deputado federal. Em 2018, foi eleito senador com uma votação histórica no estado do Maranhão, contabilizando 1.997,443 votos, o que lhe garante a maior votação para senador da história do Estado.

A bancada do PDT no Senado é formando pelos senadores Kátia Abreu (TO), Cid Gomes (CE), Acir Gurgacz (RO) e Weverton Rocha (MA).