Em quatro anos, crimes violentos caem 64% na Grande Ilha

A queda sistemática tem sido possível graças aos investimentos feitos na Segurança Pública

O número de crimes violentos caiu 64% na Grande São Luís entre 2014 e 2018. As estatísticas levam em conta os chamados CVLI (Crimes Violentos Letais Intencionais), que são compostos sobretudo pelos homicídios.

Em 2014, foram 988 registros desse tipo de crime. A partir de 2015, quando foi implementada uma nova política de segurança e combate à violência, esse número foi caindo ano a ano, até chegar a 362 em 2018.

A queda sistemática tem sido possível graças aos investimentos feitos na Segurança Pública. Hoje o Maranhão tem 15 mil policiais, o maior número da história. Mais de mil viaturas novas foram entregues em quatro anos. Dezenas de prédios para a Segurança Pública foram reformados ou construídos. Cerca de 9 mil policiais receberam promoções.

Sarney segue com forte influência no governo Bolsonaro

No Maranhão, o grupo de José Sarney mantém indicados em órgãos como a Codevasf, Iphan e Correios

O Globo

Cobrado por parlamentares a nomear apadrinhados para órgãos federais em troca de apoio, o governo Bolsonaro mantém, quase quatro meses após assumir o comando do país, indicados de caciques longevos na política em cargos comissionados nos estados. Apelidados nos corredores do Congresso como “esqueceram de mim”, afilhados de antigas lideranças como Eunício Oliveira (MDB-CE), Romero Jucá (MDB-RR), José Sarney (MDB-AL) e Garibaldi Alves (MDB-RN) permanecem em chefias regionais de órgãos federais.

No Maranhão, o grupo de José Sarney, que inclui sua família e os ex-senadores João Alberto Souza e Edison Lobão, ambos do MDB, mantém indicados em órgãos como a Codevasf, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e os Correios. No comando do Iphan no estado está Maurício Itapary, que, também apadrinhado por Sarney, já havia passado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Ele é filho de Joaquim Itapary, colega de Sarney na Academia Maranhense de Letras.

Ex-prefeito de Nina Rodrigues (MA), o emedebista Jones Braga é o superintendente da Codevasf no estado. Quando Roseana Sarney foi governadora, ele ocupou a subchefia da Casa Civil. O superintendente do Ministério da Agricultura, Antônio José dos Santos, também foi indicado pelo grupo. Já nos Correios, a superintendência está a cargo de Ricardo Melo Sousa Barroso, indicado pelo então deputado federal Victor Mendes (MDB), do grupo de Sarney.

Corpo de Bita do Barão é sepultado em Codó

O pai de santo, conhecido em todo o país, faleceu aos 86 anos

O corpo do babalorixá Bita do Barão foi levado em cortejo pelas ruas de Codó e sepultado por volta das 18h30 de sábado (20) no Cemitério Central. Antes, um ritual conhecido como “Tambor de Choro” foi realizado pelos filhos de santo de Bita do Barão.

O pai de santo, conhecido em todo o país, faleceu aos 86 anos na tarde de quinta-feira (18) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital particular de Teresina, no Piauí. O velório aconteceu no Palácio de Iansã, que fica na Tenda Espírita Rainha Iemanjá, em Codó. Orações e rituais da umbanda foram realizados durante todo velório.

Internos de Pedrinhas fazem ovos de Páscoa para crianças carentes

Pedrinhas mudou, apostou na ressocialização e os resultados são vistos por todos

O sistema carcerário que ficou conhecido mundialmente em 2013 e 2014, em razão da barbárie em Pedrinhas, agora é visto como uma referência de melhorias, ajudando a aprimorar a segurança de toda a sociedade. São Luís vivia aterrorizada com sangrentas rebeliões e “toques de recolher” impostos por facções quase que semanalmente. Hoje, Pedrinhas mudou, apostou na ressocialização e os resultados são vistos por todos, como esse publicado pelo governador Flávio Dino (PCdoB).

“Os presos em Pedrinhas fizeram milhares de ovos de Páscoa nas oficinas de trabalho que lá mantemos. E esse trabalho virou momentos de alegria para crianças de creches”, escreveu.

Morte de Bita do Barão repercute no meio político e na imprensa nacional

O Jornal Nacional noticiou, na noite de quinta, a morte do pai de santo

Políticos e entidades se manifestaram pela morte do Pai de Santo, Bita do Barão, na tarde de quinta-feira (18) na UTI de um hospital particular de Teresina, no Piauí. Ele estava internado há 10 dias devido a uma infecção pulmonar, que se agravou para um problema renal e de pressão alta. A morte repercutiu na imprensa nacional. O Jornal Nacional noticiou, na noite de quinta, a morte do pai de santo.

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Igualdade Racial, lamentou o falecimento do religioso de matriz africana, Wilson Nonato de Souza, conhecido como Bita do Barão. A nota afirmou que, neste momento de perda para as comunidades de matriz africana, o Governo do Maranhão se solidariza com a família e com as lideranças religiosas dos cultos afros.

Para a ex-governadora Roseana Sarney, Bita do Barão será sempre um referência de preservação do culto e religião de matrizes africanas e externos seu pesar aos familiares, amigos e seguidores do Babalorixá. Para o deputado estadual César Pires, Bita era um líder religioso respeitado e amado por milhares de codeenses e além das fronteiras de Codó.

A Federação de Umbanda e Culto Afro-Brasileiro do Maranhão (FUCABMA) lamentou profundamente a passagem para o plano espiritual, afirmando que Bita do Barão teve uma esplendorosa trajetória espiritual no plano terrestre. O vereador, vice-presidente da Câmara Municipal de São Luís e pai de Santo, Astro de Ogum (PR) também emitiu uma nota lamentando o falecimento de Bita do Barão. No texto, o vereador disse que a Umbanda perde um dos seus maiores filhos e manifestou condolências aos familiares, amigos e admiradores.

Governo do Estado mantém equipes de plantão nas rodovias estaduais

Equipes estarão de plantão para serviços de emergência nas rodovias

Mesmo durante o feriado prolongado da Semana Santa, as equipes do Governo do Maranhão, que trabalham na manutenção das rodovias maranhenses, por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra), seguem com um planejamento estratégico para atender a qualquer demanda emergencial nas rodovias.

Segundo o secretário da Sinfra, Clayton Noleto, o mapa de trabalho da secretaria está dividido em 11 grandes regionais – Itapecuru, Imperatriz, Grajaú, Bacabal, Balsas, Caxias, Colinas, Pinheiros, Santa Inês, Santa Quitéria e Grande Ilha – onde os trabalhos estão sendo realizados de acordo com a necessidade das rodovias que passam por cada cada região. “Estamos com nossas frentes de serviço trabalhando em quarenta operações, simultaneamente em todo o Maranhão. São equipes de plantão, com maquinário e equipamentos, para que em caso de qualquer eventualidade, apesar das as fortes chuvas, possamos garantir a trafegabilidade das rodovias”, disse.

Alexandre de Moraes revoga decisão que mandou site retirar notícia do ar

A medida foi tomada após críticas de membros da Corte, da Procuradoria-geral da República (PGR), de parlamentares e de entidades como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)

Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes revogou, há pouco, a decisão que determinou a retirada de uma reportagem sobre o presidente da Corte, ministro Dias Toffoli, do site O Antagonista e da revista Crusoé. A medida foi tomada após críticas de membros da Corte, da Procuradoria-geral da República (PGR), de parlamentares e de entidades como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Na segunda-feira (15), por determinação do ministro, o site de notícias O Antagonista e a revista Crusoé foram obrigados a retirar da internet a reportagem intitulada O amigo do amigo de meu pai. A matéria trata de uma citação feita pelo empresário Marcelo Odebrecht, um dos delatores da Operação Lava Jato, a um codinome usado em troca uma de e-mailscom um ex-diretor da empreiteira.

Segundo os advogados do delator, a expressão “o amigo do um amigo de meu pai” refere-se ao ministro Dias Toffoli. O texto das mensagens não trata de pagamentos ou de alguma situação ilícita. O caso teria ocorrido quando Toffoli era advogado-geral da União (AGU), durante o governo da então presidente Dilma Rousseff, sobre interesses da Odebrecht nas licitações envolvendo usinas hidrelétricas.

General é exonerado do Esporte e deve ser substituído por aliado de Sarney

A saída do general Marco Aurélio Vieira foi publicada no Diário Oficial da União.

Veja

O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) exonerou nesta quinta-feira, 18, o general Marco Aurélio Vieira do cargo de secretário especial do Esporte – correspondente às funções do antigo ministro da área, agora vinculada ao Ministério da Cidadania. A saída de Vieira foi publicada no Diário Oficial da União.

Nos bastidores, as especulação são de que a exoneração do general era necessária para dar lugar ao MDB, com a possível nomeação João Manoel Santos Souza, que seria ligado ao ex-presidente José Sarney. Santos Souza é filho do ex-senador João Alberto, presidente estadual do MDB maranhense. Ministro da Cidadania, Osmar Terra é o único nome do partido na Esplanada.

As mudanças na pasta começaram a ser discutidas no contexto da ampliação da base partidária do governo no Congresso, no momento em que o Palácio do Planalto tenta conseguir os votos necessários para a aprovação da proposta de reforma da Previdência.