Quatro jogadores de futebol morrem em queda de avião no Tocantins

Neste domingo (24), um avião com parte da equipe do Palmas Futebol e Regatas, time da Série D, caiu após decolar no distrito de Luzimangues, em Porto Nacional (TO). Quatro jogadores, o presidente da agremiação e o piloto da aeronave morreram.

A equipe enfrentaria o Vila Nova pela Copa Verde em Goiânia. A partida estava programada para esta segunda-feira (25). O Vila Nova emitiu nota lamentando o acidente e informando que vai colaborar para o adiamento da partida.

Imagens feitas no local mostram que a aeronave ficou completamente destruída com o choque. Além do IML e dos Bombeiros, equipes da Polícia Militar estão no local prestando apoio.

Veja a nota divulgada pelo Palmas Futebol e Regatas:

O Palmas Futebol e Regatas vem por meio desta informar que por volta das 8h15 da manhã deste domingo, 24, ocorreu um acidente aéreo envolvendo o presidente do clube Lucas Meira, quando decolava para Goiânia, para a partida entre Vila Nova x Palmas nesta segunda, 25, válida pela Copa Verde. O avião em que Lucas estava junto com o comandante Wagner e os atletas Lucas Praxedes, Guilherme Noé, Ranule e Marcus Molinari, decolou e caiu no final da pista da Associação Tocantinense de Aviação. Lamentamos informar que não há sobreviventes. Neste momento de dor e consternação, o clube pede orações pelos familiares aos quais prestará os devidos apoios, e ressalta que no momento oportuno voltará a se pronunciar.

Covid-19: Maranhão cai para 16° em número de casos no Brasil

Segundo dados do Ministério da Saúde, o Maranhão, que já ocupou as primeiras colocações entre o número de casos totais da covid-19 no Brasil, caiu para o 16° lugar entre os 27 estados da Federação.

Com 206.065 casos totais, o estado vem caindo nas posições ao longo do tempo. Medidas como o lockdown e a abertura de novos hospitais impediram o crescimento em ritmo acelerado no número de casos da Covid-19.

Flávio Dino e Baleia Rossi dialogam sobre defesa da democracia, combate à pandemia e meio ambiente

Na condição de presidente do Consórcio da Amazônia Legal, o governador Flávio Dino trouxe à tona a pauta ambiental no encontro que teve na última sexta-feira (22) com o deputado federal Baleia Rossi, no Palácio dos Leões, em São Luís.

A importância de um amplo diálogo, a pauta federativa, a defesa da democracia, o combate à pandemia também foram alguns dos temas discutidos entre secretários estaduais, deputados estaduais e federais presentes no encontro. Para o governador, a palavra que define o momento é amplitude, por ser a questão principal no amplo arco de alianças em torno do deputado federal Baleia Rossi, no Maranhão.

“Vimos com grande preocupação os cortes anunciados no orçamento de 2021 para proteção da Amazônia, do Meio Ambiente. Temos certeza que o deputado federal Baleia Rossi está comprometido com esta pauta de mediação. Nós defendemos a produção brasileira, os produtores brasileiros, defendemos que o Brasil produza alimentos, defendemos o Meio Ambiente. Em torno dessas pautas se dá essa aliança ampla no Maranhão”, pontuou o governador do Maranhão.

O deputado federal Baleia Rossi agradeceu ao governador pela receptividade no encontro e destacou a importância do diálogo para defesa da democracia e das instituições. “Queremos ter uma Câmara livre, independente para ajudar o nosso país a recuperar a sua economia, superar a pandemia. Vamos trabalhar com independência, harmonia, diálogo. A Câmara forte significa parlamentares fortes para trabalhar em defesa do seu estado, seus municípios e do nosso país”, disse o parlamentar.

Doses da vacina de Oxford vindas da Índia chegam ao Brasil

Após uma semana de espera, 2 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 da Oxford/AstraZeneca chegaram ao Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo, nesta sexta-feira. A carga vinda da Índia chegou em um voo comercial da companhia aérea Emirates.

Após os trâmites alfandegários, a carga seguiu em aeronave da empresa Azul ao aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. A presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, e o ministro Pazuello receberam as doses. As vacinas são produzidas pelo Instituto Serum, parceiro da AstraZeneca na Índia. A Fiocruz pagou R$ 54,9 milhões pelas doses.

A previsão da Fiocruz é de que as vacinas estejam rotuladas e prontas para distribuição em 24 horas. Segundo o Ministério da Saúde, a distribuição começará na tarde deste sábado por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI), que irá repassá-las aos estados de acordo com a proporção populacional de cada território.

O país conta com as 6 milhões de unidades da CoronaVac, mais 4,8 milhões aprovadas nesta sexta-feira pela Anvisa, além das 2 milhões de vacinas de Oxford/AstraZeneca, importadas da Índia. Elas são suficientes para imunizar cerca de 6 milhões de pessoas, pois é necessária a aplicação de duas doses.

Maranhão tem mais de 150 mil novas famílias beneficiárias do Tarifa Social em 2020

Nesta sexta-feira (22), o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (Sedes), reuniu-se com a Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem) e a Equatorial Cemar para analisar os resultados da campanha de adesão ao Programa Tarifa Social de Energia Elétrica em 2020 e planejar as ações de 2021. 

Apesar da pandemia do novo coronavírus, em 2020, mais de 150 mil famílias aderiram ao programa, totalizando 935 mil beneficiários do desconto da tarifa de energia em todo o Maranhão. Isso significa uma injeção de 25 milhões de reais por mês na economia do estado. 

Um alerta foi feito para uma média de 250 mil famílias que têm direito ao benefício, mas ainda não tiveram acesso ao Programa Tarifa Social porque estão com o cadastro desatualizado.

O Tarifa Social de Energia Elétrica foi criado pelo Governo Federal e consiste na redução da tarifa de energia elétrica para clientes residenciais de baixa renda e povos tradicionais. 

Para o presidente da Famem, Erlânio Xavier, a campanha foi uma experiência exitosa que continuará sendo executada nos próximos meses. 

Decreto governamental suspende carnaval em todo o Maranhão

Nesta sexta-feira (22), o governador Flávio Dino (PCdoB) emitiu o decreto que suspende o carnaval em todo o Maranhão. Segundo o documento, a determinação abrange os ambientes públicos e privados devido à pandemia da Covid-19.

O decreto informa ainda que haverá deliberação posterior para estabelecimento de novas datas, à vista dos indicadores sanitários do estado.

Em nota divulgada pela Secretaria de Cultura, o governo diz que também estuda o cancelamento do São João, mas a definição só deve ocorrer próximo ao mês de junho.

Maranhão está entre os três estados com menor índice de casos e mortes por Covid-19

Segundo dados do Portal Coronavírus Brasil, do Ministério da Saúde, o Maranhão está entre os três estados com o menor índice de incidência de casos e mortes pela Covid-19 no país.  

No quesito Incidência de Casos por 100 mil habitantes, o Maranhão ocupa o terceiro lugar entre os estados com a menor incidência do novo coronavírus com uma taxa de 2.887,6 casos por 100 mil habitantes, ficando atrás apenas de Pernambuco (2.561,6/100 mil hab.) e Rio de Janeiro (2.842,9/100 mil hab.) 

No que se refere à Taxa de Mortalidade por 100 mil habitantes, o Maranhão encontra-se empatado com a Bahia, ocupando a segunda menor taxa de óbitos entre os estados do país.

Flávio Dino define prioridades para o Consórcio da Amazônia Legal

O governador Flávio Dino (PCdoB) já definiu o que será prioridade no início de sua gestão como presidente do Consórcio da Amazônia Legal, função para a qual foi escolhido no fim do ano passado e que exercerá até 2022.

Dentre os eixos de atuação estão a saúde, a retomada do Fundo Amazônia, a implementação da Política Nacional de Pagamento por Serviços Ambientais e o apoio a cadeias produtivas da sociobiodiversidade.

A Amazônia Legal é formada por nove estados que abrangem a região Norte e parte do Centro-Oeste e Nordeste: Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e Maranhão.