Obras do Hospital da Ilha entram em nova fase, gerando emprego e renda

O hospital está sendo construído no bairro Turu, em um terreno com 62 mil m² de área total. Ao todo, serão 392 leitos

“É a solução definitiva do problema de urgência e emergência na Ilha de São Luís”, disse o governador Flávio Dino em fevereiro deste ano, durante visita logo após o início da construção do Hospital da Ilha. O hospital foi pensado para suprir a demanda de saúde das cidades que compõem a Região Metropolitana, desafogando o atendimento nos dois outros Socorrões de São Luís.

Na época, a obra estava apenas na fase de execução de terraplanagem e fundações. Menos de seis meses depois, o cenário no canteiro de obras é outro. Com prazo de execução de 32 meses, as construções avançam em ritmo acelerado e boa parte da estrutura do novo hospital já foi levantada.

Orçado em R$ 132.049.108,88, o Hospital da Ilha vai contar com atendimento de urgência e emergência adulto e pediátrico, nove centros cirúrgicos, UTIs, Unidade de Tratamento de Queimados, laboratórios, setor de hemodiálise, tomografia, oito elevadores (sendo cinco exclusivos para maca e pacientes), além de auditório, amplo estacionamento e um heliponto.

O hospital está sendo construído no bairro Turu, em um terreno com 62 mil m² de área total. Ao todo, serão 392 leitos. Na primeira etapa, serão entregues 212 leitos distribuídos em seis blocos (A, B, C, D, E e F). O terreno possui ainda área reservada para expansão, denominado Bloco H, onde estão previstos mais três pavimentos de internação do tipo enfermaria, com um acréscimo de 180 leitos.

A irregularidade do solo e a intensidade do período chuvoso no primeiro semestre não atrapalharam o bom andamento na construção nos blocos D, E, F e G, como explica o gerente de contratos do Consórcio responsável pela obra, o engenheiro Lauro Campos.

Enquanto a obra não fica pronta, ela vem gerando emprego e renda para centenas de trabalhadores. Segundo o engenheiro Lauro Campos, a expectativa é que durante o pico da construção, quando diversas especialidades serão exigidas, o número de trabalhadores chegue a 380 direta e indiretamente.

O plano de expansão do PSL

O objetivo é conseguir ter 1 milhão de filiados até outubro de 2020

O Partido Social Liberal (PSL), partido do presidente Jair Bolsonaro, colocou em andamento um plano ambicioso de expansão dos seus quadros. O objetivo é conseguir ter 1 milhão de filiados até outubro de 2020.

Em junho, o PSL tinha 270 mil integrantes e quer chegar a 500 mil até março. Depois disso, o sonho é alcançar a marca de 1 milhão justamente no período das eleições municipais.

Um documento está sendo elaborado pelo partido para posicionar a legenda “como referência de ideias liberais na economia e valores baseados na pátria e na família”.

Nota da Bancada Maranhense às recentes declarações de Jair Bolsonaro

Esperamos do Exmo. Sr. Presidente uma atitude de respeito aos brasileiros e brasileiras que residem no Maranhão

Os deputados e senadores que compõem a Bancada Maranhense no Congresso Nacional vêm a público lamentar as declarações do presidente da República, Jair Bolsonaro, em relação ao estado do Maranhão e ao seu governador, Flávio Dino.

Não é aceitável, na democracia, que um Presidente da República determine a um Ministro de Estado perseguição a um ente federado e, por consequência ao seu povo, por questões políticas. 

Esperamos do Exmo. Sr. Presidente uma atitude de respeito aos brasileiros e brasileiras que residem no Maranhão.

Toda nossa solidariedade ao Governador Flávio Dino, que realiza um trabalho por todos reconhecido, especialmente pelo querido povo maranhense que também temos a honra de representar.

Weverton Rocha – Senador (PDT)

Eliziane Gama – Senadora (Cidadania)

Juscelino Filho – Deputado Federal – (DEM) – Coordenador da Bancada Estadual MA

Cléber Verde – Deputado Federal (PRB)

Gastão Vieira – Deputado Federal (PROS)

André Fufuca – Deputado Federal (PP)

Zé Carlos – Deputado Federal (PT)

Bira do Pindaré – Deputado Federal (PSB)

Gil Cutrim – Deputado Federal (PDT)

Marreca Filho – Deputado Federal (Patriotas)

Márcio Jerry – Deputado Federal (PCdoB)

Júnior Lourenço – Deputado Federal (PL)

Pedro Lucas Fernandes – Deputado Federal (PTB)

Josimar de Maranhãozinho – Deputado Federal (PL)

ParlaNordeste repudia declarações de Jair Bolsonaro

O ParlaNordeste ressalta o importante trabalho desenvolvido pelos nove governadores eleitos e reeleitos democraticamente pelo povo nordestino

O Colegiado de Presidentes de Assembleias Legislativas dos Estados do Nordeste (ParlaNordeste) recebeu, com repulsa, as declarações preconceituosas do presidente da República, Jair Bolsonaro, na sexta-feira, 19 de julho. A região, terceira maior economia do Brasil, é morada de 53 milhões de brasileiros que têm orgulho de viver não só na Paraíba, mas também, no Maranhão, em Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí.

O ParlaNordeste ressalta o importante trabalho desenvolvido pelos nove governadores eleitos e reeleitos democraticamente pelo povo nordestino, os quais não têm medido esforços para promoverem o desenvolvimento dos seus estados e proporcionarem uma vida digna à população. Por isso, lutaremos contra todo tipo retaliação em função de diferenças políticas ou preconceito. Exigimos respeito e não abriremos mão do cumprimento dos deveres do Governo Federal para com a nossa região.

Othelino Neto – presidente do Parlanordeste (MA)
Adriano Galdino (PB) – vice-presidente do Parlanordeste
José Sarto (CE) – secretário do Parlanordeste
Themístocles Filho (PI)
Luciano Bispo (SE)
Nelson Leal (BA)
Marcelo Vitor (AL)

Bolsonaro diz que fala sobre governadores de ‘paraíba’ foi crítica a Dino e Azevêdo

O uso de um termo pejorativo para se referir aos nordestinos provocou a reação de governadores da região

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado (20) que a fala sobre governadores de “paraíba” foi uma “crítica” aos governadores do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), e da Paraíba, João Azevêdo (PSB), “nada mais além disso”.

Na sexta-feira (19), durante uma conversa informal com o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil), antes de um café com jornalistas, Bolsonaro afirmou que daqueles “governadores de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão; tem que ter nada com esse cara”.

A conversa foi registrada pela TV Brasil e viralizou nas redes sociais na tarde de sexta-feira.

O uso de um termo pejorativo para se referir aos nordestinos provocou a reação de governadores da região, que manifestaram “espanto e profunda indignação”.

Neste sábado, durante entrevista a jornalistas em frente ao Palácio da Alvorada, Bolsonaro foi questionado sobre a declaração. Ele disse que foi “uma crítica em 3 segundos” e que a imprensa “fez uma festa” com a declaração.

“Eu fiz uma crítica ao governador do Maranhão e da Paraíba. Vivem me esculhambando. Obras federais que vão para lá, eles dizem que é deles. Não são deles, são do povo. A crítica foi a esses dois governadores, nada mais além disso”, disse o presidente.

Bolsonaro acrescentou que os governadores do Nordeste “são unidos” e têm a mesma ideologia. “Perderam as eleições e tentam o tempo todo, através da desinformação, manipular eleitores nordestinos”, declarou.

Cantora Alcione exige respeito de Bolsonaro com o povo nordestino

Cantora Alcione desabafa após vídeo polêmico de Jair Bolsonaro

A cantora Alcione foi mais uma entre as milhares de pessoas que se somaram à campanha virtual em defesa da população nordestina após os ataques preconceituosos de Jair Bolsonaro (PSL), contra a região.

Em vídeo divulgado nas redes sociais, na manhã deste sábado (20), a Marrom, como é carinhosamente chamada, disse que não se arrepende de não ter votado no capitão da reserva e exigiu respeito do presidente.

“Meu pai sempre me dizia, que meu avó já dizia para ele: quem tem respeito, se dá. E o senhor não está se dando respeito. O senhor precisa respeitar o povo nordestino. Respeite o Maranhão. O senhor tem medo de facada, tem medo de tiro, mas o senhor precisa ter medo do pensamento. O pensamento é uma força. Pense em mais de 30 milhões de nordestinos pensando contra o senhor? Comece a nos respeitar. Respeite o povo brasileiro”, afirmou, com o dedo em riste.

Alcione é maranhense, estado citado nominalmente pelo presidente em sua fala xenófoba.

Nesta sexta-feira, pouco antes de um café da manhã com jornalistas em Brasília, Bolsonaro afirmou que “dos ‘governadores de Paraíba’, o pior é o do Maranhão. Não tem que ter nada com esse cara”, sem saber que seu áudio estava aberto para uma transmissão ao vivo.

Hotéis em Barreirinhas e São Luís chegam a ter reservas esgotadas nas férias

Em são Luís, a ocupação varia entre 70% e 85%, a depender do público alvo de hotéis e pousadas

Empreendedores do setor hoteleiro em São Luís e Barreirinhas celebram o aumento da ocupação no período de férias. Em Barreirinhas, a maior parte dos hotéis já tem ocupação completa até o final da temporada. Em são Luís, a ocupação varia entre 70% e 85%, a depender do público alvo de hotéis e pousadas.

Michele Feitosa, subgerente de uma pousada em Barreirinhas com foco em turistas regionais, explica que o hotel já tem lotação garantida até o final de julho e observa que as ações do governo são fundamentais para estimular o setor. “O Mais Cultura e Turismo faz toda diferença para o turismo na cidade. Além da garantir uma agenda cultural para esse período, estimula os turistas a voltarem. Nós agradecemos muito a sensibilidade do governo em promover ações desse tipo”, diz.

Iniciativa do Governo do Maranhão, o Programa Mais Cultura e Turismo garante a apresentação de grupos culturais, companhias teatrais e músicos da cultura popular maranhense no período de férias. Em Barreirinhas, desde o dia 25 de junho, a Beira Rio é palco de dezenas de atrações culturais que mobilizam moradores e visitantes durante o fim de semana.

Com o bem-sucedido São João do Maranhão e a ampliação do calendário cultural no mês de julho, a permanência de turistas na capital maranhense é reforçada pela percepção de que o Maranhão oferece atrações culturais mais ricas e interessantes do que outras capitais conhecidas por festas durante o período.

De acordo com o Instituto Interpreta, que realizou pesquisa durante o São João em São Luís, para 79,3%, dos visitantes, a festa em São Luís é melhor que no restante do país. Outros 19,2% responderam que é igual.

“Muitos dos visitantes que se hospedaram aqui fizeram observações positivas sobre a organização dos eventos, até familiares meus que vieram de Brasília se surpreenderam com as medidas de acessibilidade nos arraiais, além da multiplicidade de ritmos e grupos culturais. Essa percepção é fundamental para que o turista tenha o interesse em retornar ao destino, mantendo a cadeia do turismo sempre ativa”, destaca Saulo Bezerra, gerente de um hotel próximo a orla da capital maranhense.

“O presidente da República não pode determinar perseguição”, responde Flávio ao ataque de Bolsonaro

Dino também afirmou que mesmo após a postura de Bolsonaro continuará dialogando com autoridades do governo federal

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) rebateu em uma publicação em seu Twitter nesta sexta-feira (19) às provocações de Jair Bolsonaro (PSL), após em um café com jornalistas o presidente criticar Dino e o governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB).

Sem saber que seu áudio estava aberto em uma transmissão ao vivo, Bolsonaro atacou os governadores nordestinos, se referindo à região como “paraíbas”. Bolsonaro comentou com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni: “Daqueles governadores de ‘Paraíba’, o pior é do Maranhão. Não tem que ter nada com esse cara”.

“Independentemente de suas opiniões pessoais, o presidente da República não pode determinar perseguição contra um ente da Federação”, publicou Flávio Dino em seu Twitter. “Seja o Maranhão ou a Paraíba ou qualquer outro Estado. “Não tem que ter nada para esse cara” é uma orientação administrativa gravemente ilegal”, afirmou.

Dino também afirmou que mesmo após a postura de Bolsonaro continuará dialogando com autoridades do governo federal. “Eu respeito os princípios da legalidade e impessoalidade”, disse.

Bolsonaro ataca Flávio Dino e governador da Paraíba

Em seu ataque, o presidente se referiu justamente a governadores que estão entre os mais bem avaliados do Brasil.

Em café da manhã com jornalistas nesta sexta-feira (19), no Palácio do Planalto, em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro atacou Flávio Dino (PCdoB), que é governador do Maranhão, e João Azevêdo (PSB), que é governador da Paraíba.

Sem saber que seu áudio estava aberto em uma transmissão ao vivo, Bolsonaro disse ao ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni: “O governador de Paraíba é pior que esse do Maranhão. Não tem que ter nada com esse cara”.

Em seu ataque, o presidente se referiu justamente a governadores que estão entre os mais bem avaliados do Brasil.

Flávio Dino foi reeleito em primeiro turno como governador do Maranhão em 2018 e sua aprovação ultrapassa os 50%. Sob sua gestão, o estado atingiu os melhores níveis socioeconômicos já vistos na região e é lá que os professores ganham os melhores salários do país. Dino foi eleito o melhor governador do Brasil por sites especializados em duas ocasiões.

O deputado federal Márcio Jerry reagiu aos ataques de Bolsonaro e criticou a postura do presidente. “Agride de novo a democracia, se mostrando totalmente despreparado para o exercício da Presidência”, afirmou.