Com Roberto Rocha, PSDB desaparece em São Luís

Os vereadores da capital Dr. Gutemberg e Josué Pinheiro anunciaram suas saídas e foram para o PSC e DEM, respectivamente.

O PSDB, presidido no Maranhão desde dezembro de 2017 pelo senador Roberto Rocha, continua seu processo de desidratação e a cada dia fica menor.

Após a saída do vice-governador Carlos Brandão, de deputados estaduais e prefeitos, agora foi a vez dos únicos representantes da legenda na Câmara Municipal de São Luís anunciarem suas saídas.

Os vereadores da capital Dr. Gutemberg e Josué Pinheiro anunciaram suas saídas e foram para o PSC e DEM, respectivamente.

Com a gestão de Roberto Rocha, o partido que elegeu 30 prefeitos em 2016, não deve eleger nem um dúzia, tamanha é a desaprovação do atual senador

Maura Jorge anuncia filiação ao PSDB

Maura Jorge vai para o PSDB, presidido no Maranhão pelo senador Roberto Rocha

A ex-candidata ao Governo o Estado em 2018 e atual presidente da Funasa no Maranhão, Maura Jorge, anunciou sua filiação ao PSDB.

Pré-candidata à prefeitura Lago da Pedra, Maura já tinha anunciado a desfiliação do PSL logo assim que o presidente Jair Bolsonaro saiu da legenda.

Maura vai para o PSDB, presidido no Maranhão pelo senador Roberto Rocha e desponta como favorita na disputa no município.

A pré-candidata tem até o dia 4 de abril para se desincompatibilizar do cargo na Funasa para seguir na disputa em Lago da Pedra.

CPI da Educação ouve Procon e Conselho de Educação sobre práticas abusivas adotadas por escolas particulares

O presidente da CPI avaliou a reunião como muito produtiva e destacou que há avanços nos esclarecimentos das denúncias que motivaram a CPI.

A CPI da Educação realizou a segunda reunião de trabalho, na tarde desta terça-feira (10), na Sala das Comissões, sob a presidência do deputado Roberto Costa (MDB) e com a presença dos deputados Fernando Pessoa (Solidariedade), Rafael Leitoa (PDT), Wendel Lajes (PMN) e Zito Rolim (PDT). Os parlamentares ouviram a presidente do Procon do Maranhão, Adaltina Venâncio de Queiroga e, em seguida, a presidente do Conselho Estadual de Educação do Maranhão, Soraia Raquel Alves da Silva. O defensor público Luís Otávio Rodrigues de Moraes Rêgo, do Núcleo de Defesa do Consumidor, acompanhou a reunião.

Ao ser inquirida pelos parlamentares, Adaltina Queiroga disse que o Procon vem recebendo denúncias de práticas abusivas de escolas particulares e, ao longo do ano passado, intensificaram-se as reclamações referentes ao sistema bilíngue, o que levou o órgão, em parceria com o Ministério Público Estadual, a ajuizar uma ação civil pública contra 33 colégios que tiveram suas práticas individualizadas.

“Não avançamos mais em nossa ação porque nos sentimos travados, sob o argumento de que a questão de sistema bilingue é uma situação que remete ao aspecto pedagógico e que, para tanto, não temos competência para atuar. Constatamos que têm escolas que comercializam o material escolar com o mesmo CNPJ da instituição do sistema de ensino. Além disso, são muitas as denúncias que recebemos envolvendo práticas abusivas de escolas da rede privada de ensino”, afirmou.

Adaltina Queiroga comprometeu-se a disponibilizar para a CPI o material investigativo coletado pelo órgão. “Nossa expectativa é que essa CPI nos propicie instrumentos que nos permitam a continuidade do nosso trabalho de fiscalização e punição de práticas irregulares cometidas por escola da rede privada”, complementou.

O presidente da CPI avaliou a reunião como muito produtiva e destacou que há avanços nos esclarecimentos das denúncias que motivaram a CPI. “Vamos analisar o material já colhido e definir as convocações a serem feitas para a próxima reunião. As contribuições do Procon e do Conselho Estadual de Educação foram relevantes”, afirmou Roberto Costa.

Rafael Leitoa afirmou que a reunião foi muito proveitosa, pois agregou conhecimento à CPI. “Vamos partir agora para as oitivas com os pais de alunos e donos de escolas e nos debruçar no material coletado até aqui”, acrescentou.

Roberto Rocha garante pré-candidatura de Wellington do Curso

Wellington foi candidato a prefeito em São Luís em 2016 e ficou em terceiro lugar na disputa. Em 2018, trocou o Progressistas pelo PSDB

O senador e presidente estadual do PSDB, Roberto Rocha, confirmou, na noite de quinta-feira (05), a pré-candidatura do deputado estadual Wellington do Curso a prefeito em São Luís.

“Almocei e jantei em minha casa em Brasília com meu companheiro e amigo, deputado Wellington, nosso pré-candidato a prefeito de São Luís. Por mais que os comunistas queiram nos dividir, só conseguem nos fortalecer”, escreveu Roberto em suas redes sociais.

Wellington foi candidato a prefeito em São Luís em 2016 e ficou em terceiro lugar na disputa. Em 2018, trocou o Progressistas pelo PSDB.

Há muito tempo comentava-se sobre o caminho que o PSDB ia seguir na eleição da capital. Até então, o senador Roberto Rocha deixava claro sua intenção de indicar o nome da vaga de vice-prefeito da chapa do pré-candidato Eduardo Braide (Podemos).

Autor de projeto em tramitação, senador maranhense defende cassinos somente no Nordeste

A proposta de Roberto Rocha dispõe sobre a exploração de cassinos exclusivamente em resorts

O Antagonista

Em maio do ano passado, o senador Roberto Rocha, líder do PSDB, renovou o estoque de projetos no Congresso sobre a legalização dos jogos no Brasil.

A proposta do maranhense dispõe sobre a exploração de cassinos exclusivamente em resorts. Os jogos seriam regulamentados pelo Poder Executivo.

“É necessário separar os resorts de jogos de azar como o bicho e máquinas caça-níqueis. Para o turismo, interessa a regulamentação do primeiro tipo de empreendimento, que atrai grupos internacionais e promove o turismo de negócios e eventos”, defende Rocha, na justificativa do projeto.

A O Antagonista, ele afirmou que a ideia é permitir os cassinos — o senador evitar falar em “jogos de azar” — somente na região Nordeste.

“O modelo seria o de Cingapura: resort, cassinos, shoppings e centro de eventos integrados. Liberar cassino não pelos jogos, mas pela política pública de turismo”, comentou.

A íntegra da proposta pode ser conferida aqui. A matéria está na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado, tendo como relator Angelo Coronel, do PSD da Bahia.

O assunto voltou à tona porque Flávio Bolsonaro, filho do presidente da República, compõe uma comitiva da Embratur que está em Las Vegas — bancada com dinheiro público — para tratar também da legalização dos jogos no Brasil — veja aqui.

PSDB do Maranhão segue apenas projeto pessoal de Roberto Rocha

O objetivo de Roberto Rocha é indicar o nome para o cargo de vice numa possível chapa do deputado Eduardo Braide

Não adianta falar em projeto de grupo ou político, quando o assunto é sobre o PSDB do Maranhão. A única certeza de que todos têm é que a legenda segue apenas o projeto pessoal do atual presidente estadual, o senador Roberto Rocha.

Mesmo afirmando que a legenda vai seguir um projeto de partido em relação ao pleito de 2020, em São Luís, é de conhecimento de todos que Roberto Rocha não deseja uma pré-candidatura do deputado estadual Wellington do Curso.

Seu objetivo é indicar o nome para o cargo de vice numa possível chapa do deputado Eduardo Braide (Podemos). E esse nome poderá ser novamente o do seu filho, Roberto Rocha Júnior.

Roberto Rocha revela intenção de apoiar Braide e retira certeza de candidatura de Wellington do Curso

A mensagem de Roberto Rocha reforça a intenção de apoiar Braide e fortalecer o nome mais competitivo da oposição.

O senador Roberto Rocha, presidente estadual do PSDB no Maranhão, falou sobre uma estratégia para garantir uma possível vitória do pré-candidato Eduardo Braide ainda no primeiro turno das eleições em São Luís. A ideia pode ser apoiar o nome de Braide já no primeiro turno e não permitir o que o deputado estadual Wellington do Curso continue com sua pré-candidatura.

“Já temos um pré-candidato, que e é Wellington do Curso. Contudo, é importante saber que pertencemos a um grupo político de oposição ao governo do estado. Neste aspecto, é perceptível a estratégia de Flávio Dino em lançar vários candidatos e forçar um segundo turno na tentativa de impedir uma vitória de Eduardo Braide no primeiro turno”, afirma o senador.

A mensagem de Roberto Rocha reforça a intenção de apoiar Braide e fortalecer o nome mais competitivo da oposição.

Com mais essa declaração, a pré-candidatura do deputado Wellington do Curso fica ainda mais incerta, o que pode exigir do parlamentar a troca de partido.

Ricardo Murad reaparece no Congresso Estadual do PSDB

De acordo com as informações passadas no evento, o ex-deputado pretende disputar a eleição para a prefeitura de Coroatá, em 2020

O ex-deputado estadual e ex-secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, reapareceu na cena política. Desta vez, no Congresso Estadual do PSDB, partido onde se filiou recentemente.

Ex-aliado do grupo Sarney, Ricardo Murad, que também é cunhado de Roseana Sarney, decidiu se afastar um pouco do grupo. Após as eleições de 2018, decidiu embarcar no ninho tucano, dirigido pelo senador Roberto Rocha.

De acordo com as informações passadas no evento, o ex-deputado pretende disputar a eleição para a prefeitura de Coroatá, em 2020. Cidade onde já foi prefeito e que sua mulher também administrou até 2016.

Eventos do Podemos e do PSDB contaram com Roberto Rocha e Eduardo Braide

Muito se comenta sobre uma possível indicação do filho do senador para compor a vice de Braide

Após vários contratempos em seu projeto político, o senador Roberto Rocha (PSDB) resolveu colar no pré-candidato a prefeito de São Luís e líder nas pesquisas, o deputado federal Eduardo Braide (Podemos). Essa união deve ser vista na corrida para a sucessão municipal em 2020.

O final de semana foi cheio de demonstrações de que ambos os políticos poderão repetir a parceria de 2018.

Na sexta-feira (29), Roberto Rocha foi uma das presenças no evento de filiação de Eduardo Braide, no Podemos. Já no sábado (30), foi a vez de Braide prestigiar o evento do PSDB, onde chegou a compor a mesa do evento.

Muito se comenta sobre uma possível indicação do filho do senador para compor a vice de Braide, mas isso só vai ser possível constatar em 2020. O fato, é que, os ex-aliados do grupo Sarney agora se unem para tentar formar uma terceira via no Estado e uma candidatura competitiva para a prefeitura de São Luís.