6 milhões de doses da CoronaVac são autorizadas pela Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a importação de 6 milhões de doses da CoronaVac, vacina produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

A licença, por enquanto, é apenas para importação do imunizante. A distribuição das doses, ainda sem registro, depende de autorização da própria Anvisa. O pedido de importação em caráter excepcional foi feito pelo Instituto Butantan.

A CoronaVac está na terceira fase de testes clínicos. Atualmente, 9.039 voluntários participam dos estudos clínicos da vacina, feitos com profissionais da área da saúde de sete estados. Como a Anvisa já havia aprovado a ampliação do estudo para 13 mil voluntários, o governo paulista decidiu ampliar o número de centros de pesquisa. Na fase atual, metade dos participantes recebe a vacina e a outra metade, placebo.

Caso a última etapa de testes comprove a eficácia da vacina, o acordo entre a Sinovac e o Butantan prevê a transferência de tecnologia para produção do imunizante no Brasil.

Se o imunizante atingir os índices necessários de eficácia e segurança, será submetido a uma avaliação da Anvisa para registro e só então a vacina estaria liberada para aplicação na população.

Brasil adere a aliança para aceleração da vacina contra a Covid-19

Governo de São Paulo inicia testes com vacina contra o novo coronavírus.

Nesta quinta-feira (24), o governo federal anunciou a adesão ao Instrumento de Acesso Global de Vacinas Covid-19 (Covax Facility), ação administrada pela Aliança Gavi e a liberação de cerca de R$ 2,5 bilhões para viabilizar o ingresso do Brasil nesta iniciativa.

Dessa forma, espera-se que o Brasil possa comprar imunizantes para garantir a proteção de 10% da população até o final de 2021, o que permite atender populações consideradas prioritárias.

Com a adesão, será permitido o acesso a nove vacinas em desenvolvimento, além de outras em análise. Com a diversificação de possíveis fornecedores, aumentam as chances de acesso da população brasileira à vacina no menor tempo possível. Caberá à Covax Facility negociar com os fabricantes o acesso às doses das vacinas em volumes especificados, os cronogramas de entrega e os preços.

Com o objetivo de acelerar o desenvolvimento e a fabricação de vacinas contra a covid-19 a partir da alocação global de recursos para que todos os países aderentes à iniciativa tenham acesso igualitário à imunização, a Covax Facility é uma aliança internacional da Organização Mundial de Saúde (OMS), Gavi Alliance e da Coalition for Epidemic Preparedeness Innovations (CEPI).

SES realizará audiência pública para debater medidas contra o Coronavírus durante as eleições

Visando a proteção da população maranhense durante as eleições municipais a serem realizadas em novembro deste ano, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) sugeriu ao Ministério Público Federal (MPF-MA) uma audiência pública para aprovação de minuta com medidas sanitárias voltadas ao período eleitoral. Na solicitação, a autoridade em saúde pública do Maranhão destacou a necessidade de orientações a candidatos, eleitores, colaboradores da justiça eleitoral e sociedade em geral.

Anexado ao ofício encaminhado ao MPF, a SES também destinou a minuta da portaria, que sugere a aprovação do Protocolo Sanitário de Regulação para as Atividades Eleitorais, a fiscalização e sanções relativas ao cumprimento das regras sanitárias de enfrentamento da Covid-19, bem como um protocolo específico aprovado de modo a não interferir nas prerrogativas da Justiça Eleitoral.

As medidas adotadas e indicadas pela gestão estadual têm como base os incisos I e IV do Artigo 69 a Constituição de Estado do Maranhão, considerando também as disposições contidas no decreto nº 35.660, de 16 de março de 2020. Entre as orientações contidas na portaria a ser avaliada, estão diretrizes gerais e específicas que impliquem em atos presenciais e com risco sanitário.  

A proposta da Secretaria é, depois da audiência pública e das sugestões apresentadas, encaminhar o documento para o Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública do Estado do Maranhão (COE) para que seja então formalizado o instrumento normativo que será amplamente divulgado. 

Governo do Maranhão adere a protocolo com a Rússia para obtenção de vacina contra Covid-19

Durante entrevista coletiva por videoconferência, o governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou que o Governo do Maranhão aderiu, via Consórcio do Nordeste, ao protocolo com o Governo da Rússia para a obtenção de vacina contra o novo coronavírus. As tratativas ocorrem em caráter preliminar.

“O governador da Bahia está, em nome dos nove estados do Nordeste, tratando com empresas e Governo da Rússia sobre a assinatura de um protocolo que garanta o acesso a esse momento de experimentos. Temos buscado esse diálogo visando o futuro abastecimento do nosso estado para a possível vacina produzida, seja naquele país ou em qualquer outro”, afirmou Dino.

Se concretizada, esta será a terceira tentativa do Maranhão e do Consórcio Nordeste de fazer negócios internacionais relacionados à pandemia do novo coronavírus.

“O primeiro lote da nova vacina contra a covid-19 foi produzido no Centro de Pesquisas Gamaleya”, anunciou o ministério da Saúde da Rússia em um comunicado citado pelas agências de notícias do país.

Em associação com o ministério russo da Defesa, o presidente Putin afirmou que uma primeira vacina “bastante eficaz” foi registrada na Rússia pelo Centro de Pesquisas de Epidemiologia e Microbiologia Nikolai Gamaleya, em Moscou.

Coronavírus: Maranhão ultrapassa 125 mil curados

Paciente de 106 anos recebe alta de UPA recém-inaugurada em Paço do Lumiar.

Segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Maranhão alcançou a marca de 125.321 curados do novo coronavírus neste sábado (15). Nas últimas 24 horas, 1.285 pacientes receberam alta médica.

O Maranhão possui 7.706 casos ativos da Covid-19. Deste número, 7.261 estão em isolamento domiciliar, 260 internados em enfermarias e 185 em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

A secretaria afirma que 3.203 profissionais da saúde já foram diagnosticados com a doença no estado, sendo que 3.121 se recuperaram e 57 morreram.

Desde o início da pandemia, o estado já registrou 136.280 casos positivos e 3.253 mortes por Covid-19. Até o momento, 3.347 pacientes seguem sob suspeita.

Até o momento, 301.198 testes para a Covid-19 já foram realizados no estado e 162.238 foram descartados.

Coronavírus é detectado em embalagem de frango importado do Brasil

Segundo comunicado do governo chinês, divulgado nesta quinta-feira, uma amostra de asas de frango congeladas importadas de um frigorífico do Brasil apresentou resultado positivo para o novo coronavírus.

Por meio de nota divulgada, o Ministério da Agricultura brasileiro afirmou que, até o momento, não foi notificado oficialmente pelas autoridades chinesas sobre a ocorrência, mas que consultou o GACC (Administração-Geral de Aduanas da China) na noite de ontem, em busca de informações.

De acordo com a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), ainda não está claro em que momento houve a eventual contaminação da embalagem, e se ocorreu durante o processo de transporte de exportação.

A associação disse ainda que o “setor exportador brasileiro reafirma que todas as medidas para proteção dos trabalhadores e a garantia da inocuidade dos produtos foram adotadas e aprimoradas ao longo dos últimos meses, desde o início da pandemia global”.

Ainda de acordo com o Ministério, o Escritório de Prevenção e Controle de Epidemiologia de Shenzhen informou que todas as pessoas que manusearam ou entraram em contato com o material testaram negativo para a Covid-19 e que outras amostras do mesmo lote foram coletadas, analisadas e os resultados foram negativos.

O governo de Shenzhen identificou a unidade por seu número de registro em uma publicação em seu site oficial, que ao ser checada com registros brasileiros aponta para uma planta da Aurora em Santa Catarina. A Aurora, que não é listada em Bolsa, é a terceira maior empresa do Brasil em processamento de carne de frango e suína. A cooperativa não respondeu de imediato a um pedido de comentário.


Maranhão é o estado com maior queda nos casos de Coronavírus

Durante coletiva virtual, realizada na última sexta-feira (7), novos dados apresentados pelo governador Flávio Dino apontam que o Maranhão vem se destacando a nível nacional no combate ao novo Coronavírus.

O Maranhão é o estado brasileiro que está a mais tempo com o indicador de transmissão de contágio abaixo de 1, ou seja, significa que a média de pessoas contaminadas por um infectado está abaixo de uma, indicando redução no ritmo da epidemia, segundo estudo.

“Esse é um resultado que demonstra o nosso esforço sério, comprometido e dedicado em salvar vidas no nosso estado. Além disso, hoje consolidamos a conquista de casos ativos abaixo de 10 mil. Esse também é um indicador importante para o Maranhão”, disse Flávio Dino.

Além desses dados, o governador destacou que o Maranhão é um dos estados que apresenta maior redução no número de óbitos do país. Segundo boletim divulgado pela Secretaria de Saúde, a ocupação dos leitos de UTI estava em 39,90%, enquanto os leitos clínicos registraram taxa de ocupação de 22,86%.

Educação
Na coletiva, o governador apresentou números sobre a educação durante o período da pandemia. Ao todo, já foram 444 aulas gravadas em vídeo ou rádio; mais de 230 mil estudantes assistem às aulas não presenciais; foram distribuídos 90 mil chips com pacote de internet aos alunos da rede estadual como suporte às aulas online e foram impressos mais de 90 mil materiais do “Terceirão não tira férias”.

A coletiva foi encerrada com a apresentação de números sobre as ações de fiscalização da Vigilância Sanitária e do Procon em todo o Maranhão.

De março a julho foram feitas mais de 3 mil ações de fiscalização da Vigilância Sanitária, 633 termos de intimação, 145 autos de infração e 6 interdições sanitárias. Pelo Procon, foram feitas, de março a agosto, mais de 800 ações de fiscalização, 90 sanções e mais de R$ 5,5 milhões em sanções.

Bolsonaro diz que novo teste manteve resultado positivo para covid-19

Jair Bolsonaro segue em isolamento no Palácio da Alvorada, residência oficial, de onde tem se reunido com ministros por videoconferência.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (15), em uma transmissão nas redes sociais, que realizou um novo exame para covid-19 e o resultado se manteve positivo. O presidente está se tratando desde o último dia 7 de julho, quando teve a confirmação da doença. Ele segue em isolamento no Palácio da Alvorada, residência oficial, de onde tem se reunido com ministros por videoconferência.

“Ontem de manhã fiz o exame, à noite deu resultado que eu ainda estou positivo para o coronavírus, então a gente espera que, nos próximos dias, eu faça um novo exame e, se Deus quiser, dê tudo certo para a gente voltar logo à atividade”, afirmou o presidente, momentos antes de participar do arriamento da bandeira, no gramado do Palácio da Alvorada.

Na transmissão, que durou pouco mais de 4 minutos, Bolsonaro falou sobre os sintomas que teve e voltou a dizer que tem tomado a hidroxicloroquina para o tratamento da covid-19. O medicamento não tem eficácia científica comprovada contra a covid-19 e seu uso por pacientes no tratamento da doença gera controvérsias entre médicos.

“Quero dizer a todos vocês que, graças a Deus, estou muito bem. Fui medicado desde o início com a hidroxicloroquina, com a recomendação médica para isso. Senti melhora no dia seguinte. Não tive nenhum sintoma forte. Uma febre pequena, na segunda-feira retrasada, 38 graus, um pouco de cansaço, umas dores musculares, e no resto tudo bem. Coincidência ou não, sabemos que não tem nenhuma comprovação científica, mas deu certo comigo”, afirmou.

Infectado com a covid-19, Bolsonaro reclama da quarentena: ‘É horrível’

Presidente Jair Bolsonaro na frente do Palácio da Alvorada durante a quarentena, após teste positivo para a covid-19. Brasilia, 12.07.2020

O presidente Jair Bolsonaro, em quarentena há quase uma semana após testar positivo para o novo coronavírus, anunciou hoje que se submeterá a um novo exame na terça e admitiu que vai aguardar ansioso os resultados porque não aguenta mais ficar em casa.

O resultado do exame RT-PCR “deve sair em poucas horas e eu aguardo com bastante ansiedade porque eu não aguento essa rotina de ficar em casa. É horrível”, disse Bolsonaro em entrevista por telefone à CNN Brasil do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, em Brasília.

Cético da pandemia e contrário às quarentenas adotadas por governadores e prefeitos, Bolsonaro reiterou, como tem feito nos últimos dias, que se sente muito bem, sem febre e sem dificuldade para respirar. Tampouco perdeu o paladar, um dos sintomas mais comuns da infecção pelo novo coronavírus.

“Amanhã [terça-feira] não sei se vai se confirmar [a presença do vírus] com o novo exame. Se estiver tudo bem, a gente volta ao trabalho. Claro, do contrário, a gente aguarda mais alguns dias”, acrescentou o presidente de 65 anos, que espera retomar as atividades no máximo em uma semana.

“No mais, tudo bem, estamos despachando por videoconferência o tempo todo e fazendo o possível para não deixar nada acumular nestes dias que estou aqui no Alvorada”, comentou.

Bolsonaro disse na quinta-feira passada, em sua live semanal pelo Facebook, que desde que começou a sentir mal-estar toma um comprimido diário de hidroxicloroquina, um medicamento antimalária, cuja eficácia contra o novo coronavírus não foi comprovada cientificamente.

“Deixo bem claro pra vocês […] Eu tomei [a hidroxicloroquina] e deu certo e tô muito bem, graças a Deus”, disse na ocasião o presidente, que defende o uso do remédio para tratar a covid-19, apesar das discussões na comunidade científica internacional sobre sua idoneidade.