Janaína Paschoal ameaça deixar PSL

Com mais de 2 milhões de votos, Janaína Paschoal foi a deputada mais votada da história do país

O endosso do presidente Jair Bolsonaro ao vídeo no qual um pastor o chama de “escolhido de Deus” e o compara com Ciro II, rei da Pérsia até 530 a.C, irritou de tal forma a deputada Janaína Paschoal (PSL-SP) que ela está ameaçando deixar a bancada da sigla na Alesp. Segundo a Jovem Pan, Janaína deixou o grupo de WhatsApp do PSL após uma discussão sobre o conteúdo postado por Bolsonaro.

“E esse vídeo maluco de ‘messias’? O que ele quer com isso?”, perguntou a deputada. “Eu peço que vocês assistam e respondam: ‘O senhor, um presidente da República, na plenitude de suas faculdades mentais, publicaria um vídeo desse?’”, disse.  Na sequência, Janaína criticou a “cegueira” dos colegas. “Amigos, vocês estão sendo cegos. Estou saindo do grupo, vou ver como faço para sair da bancada. Acho que os ajudei na eleição, mas preciso pensar no país. Isso tudo é responsabilidade”, escreveu a deputada.

Antes, a deputada estadual mais votada da história do país, já tinha se pronunciado sobre a convocação das manifestações a favor de Bolsonaro no próximo domingo (26). “Não vou gravar áudios, nem vídeos, por uma razão: essas manifestações não têm RACIONALIDADE. O Presidente foi eleito para GOVERNAR nas regras democráticas, nos termos da Constituição Federal. Propositalmente, ele está confundindo discussões democráticas com toma-lá-dá-cá. Vamos enfrentar os adversários (que são muitos) com argumentos! Há tempos, não temos um Ministério tão bom! Profissionais de ponta, nas pastas adequadas, orientados por boa teoria, bons valores, com experiência prática. E o Presidente gerando o caos?”, escreveu.

Dr. Allan Garcês oficialmente na disputa pela prefeitura de São Luís

Em Brasília, Allan Garcês ocupa o cargo de Diretor Executivo do Ministério da Saúde no Departamento de Articulação Interfederativa e pode ser o nome do PSL em São Luís

Na manhã de domingo(19), a União da Direita Maranhense chancelou apoio ao médico, Dr. Allan Garcês, como pré-candidato à prefeitura de São Luís, ficando desta forma então confirmado mais um nome que entra na disputa de 2020.

Estiveram presentes no evento autoridades, empresários, médicos e políticos como os vereadores Ricardo Diniz, César Bombeiro, Joãozinho e Antônio Garcês, juntamente com o Grão Mestre da Maçonaria, Ubiratan de Castro, a prefeita de Vitória do Mearim, Dídima Coelho, o prefeito de Lago Açum, Alexandre Lavepel e o pré-candidato à prefeitura de Gonçalves Dias, Felipe Gonçalves.

Allan Garcês destacou que é paraense, mas que adotou o Maranhão no coração e mora em São Luís há 15 anos, inclusive, já é possuidor de um Título de Cidadão Ludovicense. Atualmente encontra-se fazendo parte do segundo escalão da gestão do Governo Federal, com estreita relação com o Presidente Jair Bolsonaro, no qual deve receber o seu apoio para o pleito de 2020. Em Brasília, Allan Garcês ocupa o cargo de Diretor Executivo do Ministério da Saúde no Departamento de Articulação Interfederativa.

Pesquisa faltando 17 meses para a eleição pode não ser fidedigna

A pesquisa divulgada recentemente por sites e blogs traz alguns dados que precisam ser levados em consideração

A disputa pela Prefeitura de São Luís ainda está muito longe, 17 meses para ser mais exata. E uma sondagem com tanta antecedência pode não trazer os números reais das intenções de voto da população.

É de conhecimento de todos que muitos eleitores só decidem seus votos dias antes da eleição, a exemplo do que foi a eleição de 2016 na capital, onde o deputado federal Eduardo Braide, que estava em quinto lugar, saltou para segundo dias antes do primeiro turno.

A pesquisa divulgada recentemente por sites e blogs traz alguns dados que precisam ser levados em consideração.

O nome do jornalista Jeisael Marx não consta no questionário, mesmo o apresentador já tendo visitado vários bairros em sua pré-campanha. Outro detalhe importante, nenhum nome do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, foi colocado no questionário. Mesmo que não seja definitivo, uma pesquisa com um postulante do PSL poderia medir como anda o humor do ludovicense com o Governo Federal.

Roberto Veloso pode ser mais um nome na disputa pela Prefeitura de São Luís

Roberto Veloso vem sendo cortejado por dois partidos políticos, o PSL e o Novo

O juiz federal e ex-presidente da Associação de Juízes Federais (Ajufe), Roberto Veloso, pode ser mais um nome na disputa pela sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, em São Luís.

Roberto Veloso vem sendo cortejado por dois partidos políticos, o PSL e o Novo que buscam no juiz um perfil para concorrer ao cargo na capital.

No partido Novo, ele encontraria as melhores condições, já que no PSL a disputa para ser o escolhido da legenda já conta com, pelo menos, mais cinco postulantes.

Governador do PSL escolhe líder do governo do PCdoB

Apesar de eleitos pelo PSL de Jair Bolsonaro, Denarium e Moisés têm procurado se distanciar do modelo de governo do pelo presidente da República

O governador de Roraima, Antonio Denarium, escolheu um comunista para ser seu líder de governo na Assembleia Legislativa: o deputado Soldado Sampaio, do PCdoB.

Já o governador de Santa Catarina, Comandante Moisés, abriu as portas do Palácio Cruz e Sousa, sede do governo estadual, para deputados do PT e integrantes do MST.

Apesar de eleitos pelo PSL de Jair Bolsonaro, Denarium e Moisés têm procurado se distanciar do modelo de governo do pelo presidente da República, dialogando com a oposição.

Léo Índio participa de evento na casa de Maura Jorge

O evento aconteceu na casa de Maura Jorge, o que mostra que o clã Bolsonaro está mais próximo da ex-prefeita e não do presidente estadual legenda, Chico Carvalho

O famoso e polêmico primo de Carlos Bolsonaro, Léo Índio, esteve, na noite de segunda-feira, na casa da ex-prefeita Maura Jorge (PSL), onde debateu assunto de interesse do grupo do presidente Jair Messias Bolsonaro.

Léo Índio veio para falar do projeto de fortalecimento do PSL no Maranhão e aproveitou para ter um contato melhor com a militância.

O evento aconteceu na casa de Maura Jorge, o que mostra que o clã Bolsonaro está mais próximo da ex-prefeita e não do presidente estadual legenda, Chico Carvalho.

Sem organização interna, PSL do Maranhão é deixado de lado por pré-candidatos

O partido do presidente Jair Bolsonaro deve continuar pequeno no Maranhão.

Enquanto outros partidos e pré-candidatos já iniciam suas ações visando às eleições de 2020, o PSL do Maranhão fracassa, mais uma vez, em não preparar sua militância para as próximas disputas.

Presidido pelo vereador de São Luís, Chico Carvalho, o partido ainda não mostrou organização interna, muito menos sinaliza se abrirá prévias para a escolha do possível candidato em São Luís, uma das disputas que promete ser acirrada.

Até mesmo os pretendentes ao cargo de vereadores não enxergam no PSL a melhor oportunidade de disputar as cadeiras para o Legislativo. Dessa forma, o partido do presidente Jair Bolsonaro deve continuar pequeno no Maranhão.

Maura Jorge trabalha na refundação do UDN, possível novo partido de Bolsonaro

Seus aliados e assessores diretos iniciaram o recolhimento das assinaturas necessárias, um dos caminhos que a UDN busca para a refundação do partido

Após vários desentendimentos entre a cúpula nacional do PSL e os escândalos das candidaturas laranjas do partido, o clã Bolsonaro trabalha internamento pela refundação da União Democrática Nacional (UDN), partido extinto no Ato Institucional 2, de 27 de outubro de 1965.

Já de olho na possível ida do presidente Jair Bolsonaro para a UND e após meses de brigas internas com o presidente estadual do PSL, o vereador Chico Carvalho, Maura Jorge já trabalha na refundação da UDN. Seus aliados e assessores diretos iniciaram o recolhimento das assinaturas necessárias, um dos caminhos que a UDN busca para a refundação do partido.

Presidente do PSL comenta possível saída de Bolsonaro do partido

O presidente Jair Bolsonaro revelou a interlocutores que pretende deixar o PSL. Bolsonaro estaria incomodado com as denúncias de candidaturas laranjas na sigla.

Estadão

O presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, chamou de “surreal” a possibilidade de o presidente Jair Bolsonaro abandonar a legenda.

“Isso é surreal. O presidente está muito bem no partido”, declarou Bivar ao Broadcast Político, nesta quarta-feira, 17. O dirigente da sigla falou ainda que não é possível sequer falar em Bolsonaro “ficar” no PSL. “Não é que ele fica, ele é o dono do partido.”