Flávio Dino defende união do Nordeste para superar “paralisia da economia brasileira”

Para o governador Flávio Dino, a crise econômica que se arrasta no país coloca um gigantesco desafio na mão dos governadores

O governador Flávio Dino participou, na tarde de segunda-feira (17), de reunião com a governadora Fátima Bezerra, do Rio Grande do Norte, em Natal. Durante o encontro, os chefes do Executivo partilharam experiências de gestão e trataram sobre políticas de desenvolvimento regional para a retomada do crescimento do país.

Dino defendeu a união dos estados nordestinos para atravessar a “intempérie nacional” e a mobilização dos governadores visando o enfrentamento dos temas da pauta federativa que tramitam no Congresso Nacional.

“Queremos garantir que os estados possam ser viáveis e termos condições de fazermos investimentos públicos, que haja retomada do crescimento econômico e a superação desse quadro de paralisia da economia brasileira, que vem causando tantos problemas”, pontuou o governador Flávio Dino ao final da reunião.

Para o governador Flávio Dino, a crise econômica que se arrasta no país coloca um gigantesco desafio na mão dos governadores. “A crise fiscal derivada de anos de recessão econômica constrange muito gravemente as finanças públicas e por isso dificulta a implementação de ampliação de direitos, de política públicas, de oportunidades de trabalho, de políticas sociais de um modo geral”, disse.

Ainda de acordo com o governador, há uma profunda convergência de opinões entre ele e governadora Fátima Bezerra sobre qual deve ser o rumo das políticas públicas no país, o que facilita a solidariedade e a união dos estados.

G1: É fake que Flávio Dino aboliu bandeira do Brasil e colocou bandeira vermelha

Em nota, a assessoria de imprensa do governo do Maranhão “nega de forma veemente ter abolido a bandeira do Brasil das fotos oficiais e esclarece que faz parte do protocolo do governo”

G1

Circula nas redes sociais a informação de que o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), “aboliu a bandeira do Brasil das fotos oficiais”. Uma imagem que acompanha a mensagem mostra ainda Dino próximo a uma bandeira vermelha, com estrelas amarelas. O texto é #FAKE.

O vídeo e as fotos que acompanham a mensagem são registros de 9 de junho deste ano. Naquele dia, o governador do Maranhão teve uma agenda com o chinês Xian Zhu, vice-presidente do New Development Bank (NDB), conhecido como o “banco dos Brics”.

O compromisso foi para discutir investimentos em “dois grandes projetos de infraestrutura logística para o Maranhão”, segundo texto publicado no dia pelo governo do Maranhão. A troca de bandeira é um protocolo do governo. Nessas situações, é hasteada a bandeira do país da pessoa visitante. No caso, a bandeira na foto é a da China.

No Twitter, o governador do Maranhão se manifestou sobre o assunto: “Tratamos bem os que nos visitam e tenho fotos com bandeiras de Israel, Canadá, Portugal, entre outros países. Os que inventaram a agressão insana são os mesmos que seguem quem bate continência à bandeira dos Estados Unidos. Não é o meu caso”.

Em nota, a assessoria de imprensa do governo do Maranhão afirma que “nega de forma veemente ter abolido a bandeira do Brasil das fotos oficiais e esclarece que faz parte do protocolo do governo do Maranhão hastear a bandeira de um país em caso de visita de comitiva estrangeira, neste caso, a da China”.

“A visita ocorreu no último dia 9 de junho, ocasião na qual o governador Flávio Dino recebeu o chinês Xian Zhu, que é vice-presidente do New Development Bank (NDB). Outras comitivas estrangeiras também tiveram as bandeiras de seus países hasteadas em reuniões no Palácio dos Leões (sede do governo do Maranhão), a exemplo de Israel e Canadá.”

Governadores do Nordeste querem criar “Mais Médicos” regional

Após a perda dos cerca de 8 mil médicos para o sistema, o Governo Federal prometeu que preencheria todas as vagas com médicos brasileiros, algo que não aconteceu

Revista Fórum

Os governadores dos nove Estados completaram recentemente os trâmites necessários para tornar legal o Consórcio do Nordeste, que tem como objetivo buscar uma maior autonomia em relação ao governo de Jair Bolsonaro e as políticas federais que consideram nocivas para a região.

Uma das primeiras medidas que os líderes nordestinos pretendem impulsar é a retomada do formato original do programa Mais Médicos, com a presença dos profissionais cubanos, que foram embora do país após as críticas ideológicas ao governo da ilha feitas pelo presidente Jair Bolsonaro.

Segundo o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), o Consórcio do Nordeste já está entrou em contato com representantes da OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde), entidade liga à OMS (Organização Mundial da Saúde), e consultou sobre a possibilidade de trazer profissionais estrangeiros, especialmente de Cuba, para refazer a cobertura dada pelo Mais Médicos ao sistema público de saúde nos estados nordestinos.

Em dezembro passado, ainda como presidente eleito, Bolsonaro fez duras críticas a Cuba, dizendo que tratava os médicos cubanos como “escravos”, criando uma crise diplomática que levou o presidente da ilha, Miguel Díaz-Canel, a ordenar o retorno dos profissionais ao seu país.

Após a perda dos cerca de 8 mil médicos para o sistema, o Governo Federal prometeu que preencheria todas as vagas com médicos brasileiros, algo que não aconteceu: uma reportagem recente do New York Times mostrou que centenas de cidades brasileiras continuam a espera de novos médicos para substituir os cubanos que se foram, situação que mantém cerca de 28 milhões de pessoas sem atendimento.

Flávio Dino entrega Cheques Minha Casa para 1.300 famílias da Região Metropolitana

O programa é destinado às famílias de baixa renda, que recebem os cheques para ampliar ou melhorar moradias já existentes

Na tarde de sábado (15), 1.300 famílias selecionadas na primeira etapa do Programa Cheque Minha Casa receberam do governador Flávio Dino o recurso que vão utilizar para as reformas e melhorias em suas moradias.

A solenidade de entrega foi realizada no Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), Unidade Plena de São Luís e foram beneficiadas famílias que moram em São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar e Raposa.

“Quase 10 mil cheques entregues, portanto, quase R$ 50 milhões de reais investidos nesse programa, para as pessoas melhorarem suas casas, que é o espaço mais importante, é um programa que vai na direção certa de combate às desigualdades, distribuição de renda, melhoria efetiva para as pessoas. É o Governo chegando bem perto, na casa de cada cidadão, com medidas importantes como essa”, afirmou o governador Flávio Dino.

O programa é destinado às famílias de baixa renda, que recebem os cheques para ampliar ou melhorar moradias já existentes. Nesta etapa foram priorizados os idosos e pessoas com deficiência.

O secretário das Cidades e Desenvolvimento Urbano, Rubens Pereira Júnior, falou dos próximos beneficiados com o programa. “Até o final deste ano nós teremos mais de 10 mil beneficiados, é o Governo do Estado oferecendo material de construção em casas que tem idosos ou deficientes para fazer melhorias habitacionais, a prioridade são as instalações sanitárias”, completou.

“Se atitude significa ser subserviente, não é realmente o nosso caso”, responde Flávio Dino a João Dória

O governador continuou afirmando que mantém a mesma conduta desde sempre: “diálogo com todos, mas sem abrir mão de princípios.”

O governador Flávio Dino (PCdoB) respondeu as provocações do governador de São Paulo, João Dória (PSDB), que afirmou, em matéria publicada pela Folha de S. Paulo, que faltou aos governadores do Nordeste “atitude” e “voz de comando” para mobilizar deputados da região para que estados e municípios fossem incluídos no relatório da Reforma.

“Governador Doria, na Folha, diz que falta ’atitude’ aos governadores do Nordeste. Se atitude significa ser subserviente, não é realmente o nosso caso. Nossa atitude tem evitado graves retrocessos, em temas como BPC, aposentadoria rural, capitalização, desconstitucionalização. Claro que respeitamos as ’atitudes’ do governador de São Paulo. São escolhas ideológicas e ele que responda por elas. Mas certamente ele não tem o direito de reclamar idênticas “atitudes” de quem deseja preservar direitos sociais dos mais pobres”, escreveu Flávio Dino.

O governador continuou afirmando que mantém a mesma conduta desde sempre: “diálogo com todos, mas sem abrir mão de princípios. Princípios estes que são diferentes dos adotados pelo governador Doria. Diferenças normais em um regime democrático, e por isso têm todo meu respeito”, concluiu.

Obra de Paulo Freire é eterna, diz Flávio Dino durante homenagem ao educador

A homenagem reconhece Paulo Freire como um dos pensadores mais notáveis na história da pedagogia

O governador Flávio Dino entregou nesta quinta-feira (13) a condecoração máxima do Maranhão à viúva do professor doutor Paulo Freire, em cerimônia no Palácio Henrique de La Roque, em São Luís. O evento marcou a concessão da medalha do Mérito Timbira (in memoriam), grau Grã-Cruz, ao educador.

A medalha foi recebida por Ana Maria Freire, viúva do professor. “Eu me sinto profundamente contente e alegre. Flávio Dino reconhece a importância de Paulo para a educação, a filosofia, as ciências humanas, as ciências exatas. Hoje, há trabalhos de Paulo em todos os campos do conhecimento baseados na literatura dele”, afirmou Ana Maria

Ela destacou que Freire sempre buscou a igualdade social. “Sempre buscou defender os oprimidos e sempre buscou a democracia. Ele teve várias táticas para chegar ao sonho maior, que é e democracia brasileira”.

Flávio Dino afirmou que “Paulo Freire é uma referência do pensamento brasileiro, não só da área da pedagogia e da educação, mas em outras áreas do conhecimento. Um homem que dedicou a sua vida a servir à causa da justiça, do combate à desigualdade, da esperança, um nordestino como nós”.

“Ele merece essas homenagens de todo o povo brasileiro, como recebeu em vida dezenas de títulos doutor honoris causa em universidades do mundo inteiro. Recebe hoje essa homenagem do Governo do Maranhão em razão dessa trajetória honrada. E sobretudo em reconhecimento à força, à sobrevivência e à eternidade de sua obra, que inspira gerações e gerações de educadores; e tenho certeza que continuará a inspirar”, acrescentou.

Flávio Dino anuncia pagamento da primeira parcela do décimo terceiro

Com esse anúncio, Flávio Dino mostra que o Estado continua honrando com seus compromissos e que vive uma situação tranquila

O governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou, em sua conta no Twitter, que o pagamento da primeira parcela do décimo terceiro servidores públicos será pago dia 15 de junho.

“13º salário dos servidores do Governo do Maranhão: pagaremos metade referente a 2019 no dia 15 de junho”, escreveu Flávio.

A exemplo do que ocorreu nos anos de 2015, 2016, 2017 e 2018, a determinação do governador Flávio Dino é que, havendo viabilidade financeira, o pagamento seja sempre antecipado.

Com esse anúncio, Flávio Dino mostra que o Estado continua honrando com seus compromissos e que vive uma situação tranquila, mesmo com toda a recessão vivida por todo o país.

Flávio Dino pede afastamento de Sérgio Moro

“Membros do Ministério Público não podem ter militância partidária”, afirmou Flávio Dino em outro trecho

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), manifestou-se por meio de suas redes sociais e pediu o afastamento do ministro da Justiça, Sérgio Moro, após a reportagem publicada pelo The Intercept Brasil na tarde de domingo (9), que mostra o então juiz federal Sergio Moro, hoje ministro da Justiça, e o procurador da Deltan Dallagnol trocando mensagens de texto sobre o andamento da Operação Lava Jato.

“Sergio Moro deve se afastar ou ser afastado do Ministério da Justiça. Quem instrumentalizou a Justiça Federal para fins eleitorais e partidários pode tentar fazer o mesmo com a Polícia Federal, agora sob seu comando direto,” escreveu Flávio.

A reportagem coloca em xeque a imparcialidade do ministro. O site afirma que, em conversas privadas, “Moro sugeriu ao procurador que trocasse a ordem de fases da Lava Jato, cobrou agilidade em novas operações, deu conselhos estratégicos e pistas informais de investigação, antecipou ao menos uma decisão.

“Membros do Ministério Público não podem ter militância partidária. Resultados de eleições, bem como preferência ou antipatia por partidos políticos, não podem ser determinantes para suas atuações processuais. Reportagens mostram que varios de Curitiba não cumpriram as regras. Um juiz que orienta uma das partes no curso do processo é parcial e suspeito. Seus atos são nulos. Está na lei. E como repetiam nos processos de Curitiba: ‘a lei é para todo’. Agora saberemos se ‘as instituições estão funcionando’. Elas vivem a partir de hoje seu maior teste'”, pontuou Flávio.

Flávio Dino diz que reforma da aposentadoria ampliará desigualdades

Ele foi um dos governadores que não assinou uma carta em apoio à manutenção dos estados na proposta

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), criticou neste domingo (9), mais uma vez, a proposta de reforma da previdência enviada pelo governo Bolsonaro ao Congresso. Ele foi um dos governadores que não assinou uma carta em apoio à manutenção dos estados na proposta.

Na opinião do governador, a principal consequência da reforma será ampliar as desigualdades sociais, o país tem um dos piores índices do mundo. No ano passado, atingiu o maior patamar em pelo menos sete anos, segundo a Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV).

Flávio Dino crítica especial ao chamado regime de capitalização pela qual o brasileiro passará a fazer uma poupança individual para conseguir sua aposentadoria.

“Principal objetivo do regime de capitalização proposto na reforma da Previdência: Capitalizar os bancos e descapitalizar o INSS. Ou seja, transformar um fundo social em fundos privados, sob controle do capital financeiro. Consequência: ampliar a desigualdade social”, explicou o governador.