Flávio Dino afirma que se necessário comprará vacinas contra Covid-19

Em entrevista coletiva neta sexta-feira (23), o governador Flávio Dino afirmou que já autorizou à secretaria de Planejamento a viabilidade de aporte de recursos para que o Estado adquira, com recursos próprios, a vacina contra Covid-19 caso não haja uma solução do governo federal. Dino disse que aguarda a definição de qual será o programa nacional de imunização, que cabe ao Ministério da Saúde, e fez um alerta para um crescimento de casos do novo coronavírus em São Luís.

“Determinei à secretária Cynthia Mota que comece a separar recursos do governo do estado para, que se for necessário, nós possamos, nós próprios, comprarmos a vacina caso esta confusão federal não se resolva, caso o poder judiciário não consiga resolver. Ainda não há definição de data, pois, a princípio, é preciso a autorização da Anvisa para que se possa fazer a vacinação, mas vamos esperar até o fim desse mês“, informou o governador.

O governador disse que, no momento, ainda não há cenário de novas medidas restritivas, tendo em vista o leve aumento de casos do Covid-19 em São Luís e o aumento da procura pelos serviços hospitalares da capital de pessoas com sintomas da doença nesta semana.

Dino e outros governadores podem acionar o STF (Supremo Tribunal Federal) contra o presidente Jair Bolsonaro se ele não recuar da decisão de não comprar as 46 milhões de doses da CoronaVac. Partidos de oposição entraram com uma ação no STF (Supremo Tribunal Federal) pedindo que o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) apresenta, em até 30 dias, seus planos sobre vacina e medicamentos contra o novo coronavírus.

Governador Flávio Dino vai ao STF contra o presidente Jair Bolsonaro

Nesta quinta-feira (22), o governador Flávio Dino (PCdoB) foi ao STF contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Segundo o governador, o presidente cometeu calúnia ao dizer à rádio Jovem Pan que tinha viagem prevista para participar de evento evangélico na cidade de Balsas, mas como Dino lhe negara o efetivo da PM para fazer esquema de segurança, teve de desistir.

Na peça enviada ao Supremo, Dino diz que não recebeu solicitação para a segurança presidencial. Na petição, ele exige que Bolsonaro apresente provas da suposta recusa de colocar a polícia à disposição de sua segurança.

Flávio Dino nega boato sobre impedimento de seguranças a Bolsonaro em Balsas

Nesta quinta-feira (22), o governador Flávio Dino (PCdoB) utilizou as redes sociais para desmentir o boato de que teria sido negada uma equipe de segurança para o presidente Bolsonaro durante sua vinda ao Maranhão.

Sobre o fato, a Secretaria de Estado da Segurança Pública emitiu nota negando a informação.

“A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão informa que é mentirosa qualquer versão de que foi negada segurança ao Presidente da República pela pasta da Segurança Pública, em suposta visita à cidade de Balsas”, informou a nota.

Flávio Dino critica “guerra das vacinas” entre Bolsonaro e Dória

Em suas redes sociais, o governador Flávio Dino (PCdoB) criticou a “guerra das vacinas” entre o presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Dória.

Segundo Dino, Bolsonaro “está possuído por uma espécie de ódio a Dória”, o que justificaria o fato de ele se negar a comprar a vacina chinesa, produzida em parceria com o Instituto Butantan, do governo de São Paulo.

“Não queremos uma nova guerra na Federação. Mas com certeza os governadores irão ao Congresso Nacional e ao Poder Judiciário para garantir o acesso da população a todas as vacinas que forem eficazes e seguras. É urgente que haja responsabilidade, diálogo e coordenação nacional. Saúde é um bem maior que disputas ideológicas ou eleitorais”, declarou o governador.

Na última terça-feira (20), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou um possível acordo com o estado de São Paulo para comprar 46 milhões de doses da Coronavac, a vacina da farmacêutica chinesa Sinovac que será produzida no Brasil pelo Instituto Butantan. A afirmação foi feita em reunião com Dória e mais 23 governadores, inclusive Flávio Dino. Contrariando a decisão, o presidente Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (21) que a vacina não será comprada.

“Bolsonaro acabar com a corrupção seria uma espécie de autoextermínio”, dispara Flávio Dino

O governador Flávio Dino (PCdoB) utilizou suas redes sociais para fazer críticas aos discursos do presidente Jair Bolsonaro, que apareceu em um vídeo destacando uma “união estável” com o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado na última quarta-feira (14) com R$ 30 mil em dinheiro vivo na cueca durante uma operação da Polícia Federal contra desvios de recursos públicos destinados ao enfrentamento à pandemia do coronavírus. 

“De um jeito inusitado, a verdade mais uma vez derrotou uma mentira de Bolsonaro. Ele sabe onde a corrupção está, sempre bem perto dele, nos círculos mais íntimos do seu transitório poder. Bolsonaro acabar com a corrupção seria uma espécie de autoextermínio”, disse o governador no Twitter. 

De acordo com as investigações da PF, os desvios de recursos de combate à Covid-19 em Roraima somam aproximadamente R$ 20 milhões em emendas parlamentares. A Controladoria-Geral da União (CGU) também atua na apuração.

Flávio Dino anuncia liberação de cinemas, festas e shows

Nesta sexta-feira (16), durante entrevista coletiva, o governador Flávio Dino anunciou a abertura de cinemas, parques infantis e a liberação de shows e festas para até 150 pessoas.

Na segunda-feira, serão divulgados os atos liberando e definindo regras sanitárias para a abertura dos eventos.

Dino reafirmou que o Réveillon está cancelado no estado. Em relação a festas privadas de fim de ano para mais de 150 pessoas, o governador disse que dará a resposta no começo de dezembro, “se os números da covid-19 estiverem caindo”.

Flávio Dino anunciou também o pagamento do 13º dos servidores no mês de outubro. “O objetivo é antecipar as compras de fim de ano, evitando assim aglomerações e uma forma de estimular a economia”, afirmou.

“Com o pagamento da folha (R$ 383 milhões) e do décimo terceiro (R$191 milhões) serão 575 milhões injetados para estimular o setor de comércio e serviço e gerar emprego”, completou.

Flávio Dino detalha medidas em cenário de pandemia e queda dos casos no Maranhão

Em coletiva à imprensa, na manhã desta sexta-feira (2), no Palácio dos Leões, o governador Flávio Dino fez um resumo das mais recentes ações do Governo do Estado, no combate à pandemia do novo coronavírus. Na ocasião, Flávio Dino enfatizou a redução no número de casos e a continuidade das testagens no sistema drive-thru. Ele enfatizou que cuidar da economia, unida a cuidar da dimensão social, é cuidar da saúde, e que a gestão tem caminhado nessa missão.

O êxito das ações do Governo do Estado é constatado com a redução gradativa dos casos de coronavírus. Dos mais de oito mil registros no mês de setembro, seguiram quedas consecutivas reduzindo para 4,8 mil casos, no primeiro dia de outubro. O Maranhão está a 105 dias consecutivos com tendência de queda da Covid-19. O índice é um recorde nacional. O Estado está ainda entre os 12 do país com situação de estabilidade dos casos da doença.

Com a iniciativa da vacinação em drive-thru, o Governo do Estado já realizou 14.418 testes, destes, 11.795 não detectaram o vírus. Ou seja, mais de 80% dos testes deram negativo. De 19 a 30 de outubro será realizada a segunda fase da testagem, que vai alcançar 5.100 maranhenses de 66 municípios. Paralelamente, no cenário de pandemia, o Governo do Estado executou 13 obras em 12 semanas, equipando e estruturando a área da saúde para continuar o combate à doença.

Com fins à maior valorização e reconhecimento dos profissionais da saúde, que atuaram diretamente no combate ao coronavírus, o governador Flávio Dino editou o Decreto 36.220, de 1º de outubro de 2020. O documento transforma essa experiência em titulação. Com isso, profissionais que concorrerem em concursos ou seletivos no Estado terão este serviço prestado na pandemia como pontuação. O decreto vale para quem atuou em hospitais da rede municipal, estadual, federal e privada do Maranhão.

Na educação, o governador destacou que, provavelmente, não haverá retorno das aulas presenciais no Estado. Porém, as iniciativas de aulas online e outras estratégias, como a distribuição de chips com internet e material de estudo aos alunos, serão intensificadas para que as aulas continuem. “Estamos cuidando do ensino não-presencial, respeitando o pedido da comunidade escolar, e avaliando com atenção o que pode se feito para 2021. Nesse momento, vamos intensificar o ensino não-presencial”, disse.

Será lançado o pré-vestibular Gonçalves Dias, para atender aos estudantes que vão participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O cronograma inclui 45 vídeos semanais, roteiros de estudo disponível para download, mais de 3,5 mil questões comentadas, aulas com os componentes exigidos no Enem e lives no YouTube. O pré-vestibular terá aulas ministradas por professores do Maranhão e convidados de outros estados, iniciando em 10 de outubro até 7 de fevereiro de 2021.

Na geração de emprego e renda, seguem ações diversas do Plano Emergencial de Emprego Celso Furtado. Por meio do plano, já foram investidos R$ 221 milhões em medidas de empregabilidade e renda aos maranhenses. O plano prevê recursos de R$ 558 milhões a serem aplicados no Estado. “O plano Celso Furtado é a resposta maranhense para as dificuldades que se apresentam”, enfatizou o governador.

O Governo do Estado disponibiliza ainda diversos editais abertos, com oportunidades para várias áreas. Entre estes, Mutirão Rua Digna e compras de produtos da economia solidária (até 20/10); compras de produtos de povos indígenas e agricultura familiar (13/10) e Lei Aldir Blanc, que apoia projetos na área da cultura (até 23/10).

Ao finalizar a coletiva, Flávio Dino fez pontuações na Segurança Pública, ressaltando que “as ações continuam com fins a mostrar que não houve e não há nenhum descontrole na área da Segurança Pública. O que houve foram eventos em razão da disputa do próprio mundo do crime e trabalhamos para que esses sejam lamentáveis episódios e não rotina”. O governador reforçou que o sistema de Segurança age e continua a agir.

Flávio Dino pede que a população não divulgue “fake news” sobre violência em São Luís

O governador Flávio Dino (PCdoB) postou em suas redes sociais um apelo para que as pessoas não divulguem fake news sobre casos de violência.

O bombardeio de notícias falsas e verdadeiras sobre a violência em São Luís já resultou em mais de 10 mortes, de quinta (24) para sexta-feira (25). O governador referiu-se a uma notícia sobre um suposto assassinato na Praça Deodoro, que depois foi descoberto tratar-se de um acidente.

“Peço que não divulguem fake news sobre casos de violência. Não houve homicídio na praça Deodoro. Existe gente pegando fotos e vídeos antigos e de outros estados. A sociedade perde com isso, não é o governo que perde. A polícia está nas ruas e fazendo o seu trabalho”, escreveu o governador em sua página no Facebook.

O secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, informou que a Polícia Militar e a Polícia Civil lançaram, nesta sexta-feira (25), um conjunto de operações de combate, controle e prevenção da criminalidade na Região Metropolitana de São Luís, com policiais em diversos bairros, fazendo abordagens a pessoas, veículos e estabelecimentos comerciais.

As operações têm foco na contenção de crimes como homicídios, tráfico de drogas e assaltos a pessoas e veículos.

Pesquisa PoderData aponta crescimento de Flávio Dino na disputa presidencial

Nesta quinta-feira (17), o PoderData divulgou uma pesquisa que confirma a consolidação do nome de Flávio Dino como presidenciável para 2022.
Empatado com Ciro Gomes, o governador do Maranhão já aparece com 3%, tecnicamente empatado com João Dória, que aparece com 4%, e o ex-ministro Henrique Mandetta, que tem 5%.


No cenário em que Dino foi colocado, o presidente Bolsonaro lidera com 35%, seguido por Lula com 21% e Sergio Moro com 11%.


Em outro cenário sem o nome de Lula na disputa, Dino aparece com 4% das intenções, crescimento de um ponto percentual em relação à última pesquisa, divulgada no início de agosto.