Reforma da Previdência é discutida em audiência pública na Assembleia Legislativa

A audiência pública foi proposta pelo presidente da Assembleia, Othelino Neto (PCdoB), e pelos deputados federais Bira do Pindaré (PSB) e Juscelino Filho (DEM),

A Assembleia Legislativa do Maranhão realizou, nesta segunda-feira (10), no Auditório Fernando Falcão, audiência pública que debateu o projeto de reforma da Previdência, em discussão no Congresso Nacional. A audiência pública, proposta pelo presidente da Assembleia, Othelino Neto (PCdoB), e pelos deputados federais Bira do Pindaré (PSB) e Juscelino Filho (DEM), contou com a presença do presidente da Comissão Especial que analisa a proposta em tramitação na Câmara dos Deputados, deputado Marcelo Ramos (PR-AM), além de deputados estaduais, membros do Poder Judiciário e do Ministério Público, sindicalistas, representantes de entidades e de diversos segmentos da sociedade maranhense.

Ao abrir os trabalhos, o deputado Othelino Neto explicou que, com a proximidade da apresentação do relatório da reforma da Previdência, prevista para esta semana na comissão especial da Câmara que analisa a proposta, tornou-se ainda mais urgente e indispensável a realização deste debate, em face da importância do tema para a vida de milhões de brasileiros: “Não há como se evitar a discussão deste tema e esta Casa realiza este seminário, sob a forma de audiência pública, exatamente para ouvir a sociedade e, também, para que possamos externar nossas posições, porque há uma preocupação muito grande com possíveis impactos negativos que possam advir da proposta de reforma apresentada pelo governo federal”.

Othelino Neto foi enfático ao afirmar que a reforma da Previdência não pode deixar de proteger os direitos das pessoas mais pobres: “Uma coisa essencial é assegurar o caráter compensatório da Previdência, que não pode deixar de atender aqueles que mais precisam. Daí a importância deste debate, para que a Previdência seja reformada e não destruída”, enfatizou. Também participaram da audiência pública os deputados federais Márcio Jerry (PCdoB) e Eduardo Braide (PMN).

Em seu discurso, o presidente da comissão especial, deputado Marcelo Ramos (PR-AM), disse que há um saldo negativo nas contas públicas provocado pelo desequilíbrio no pagamento das aposentadorias. “É preciso dizer a verdade: que a Previdência tem deficit, sim. Não é verdade que a Previdência não tem deficit”, enfatizou.

Mas, na avaliação do deputado, o governo também precisa ser mais claro sobre os objetivos das alterações no sistema previdenciário. “Falta dizer que não é verdade que a reforma é só para combater privilégios. Ela é para fazer ajuste fiscal, ela pede sacrifícios de pessoas de renda média e baixa. Mas ela é necessária para gerar empregos a quem não tem renda nenhuma”, ressaltou.

O presidente da Comissão considera que a remoção de alguns temas controversos não implicará em prejuízo aos resultados da reforma. Marcelo Ramos mencionou a aposentadoria especial para professores, a aposentadoria rural e o Benefício de Prestação Continuada (BPC). O benefício é pago para deficientes, sem limite de idade, e idosos, a partir de 65 anos, no valor de um salário mínimo. O benefício é concedido a quem é considerado em condição de miserabilidade, com renda mensal per capita inferior a um quarto do salário mínimo.

“Com a atualização que o governo fez de que a economia prevista com a reforma é de R$ 1,2 trilhão. Se você tirar o BPC, o rural e os professores, nós ainda seremos uma economia na ordem de R$ 1,1 trilhão. O que demonstra que é possível fazer uma reforma protegendo as pessoas mais pobres sem perder a potência fiscal”, disse o deputado.

Bira do Pindaré, um dos autores do pedido de audiência pública, disse que o projeto da reforma da Previdência “é uma proposta muito cruel” e que o governo federal tem condições de promover o ajuste fiscal, sem deixar de proteger os mais pobres: “Não podemos aceitar a penalização dos mais pobres, dos trabalhadores e trabalhadoras que mais se sacrificam por este País”, assinalou, acrescentando que o debate da reforma pode ser tratado com superficialidade e inverdades.

Eduardo Braide na disputa pela Prefeitura de São Luís

Segundo lugar na disputa pela capital em 2016, muitos ainda veem Braide ainda muito distante da discussão sobre 2020

O deputado federal Eduardo Braide (PMN) está na corrida pela sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, em 2020. Segundo lugar na disputa pela capital em 2016, muitos ainda veem Braide ainda muito distante da discussão sobre 2020.

Em uma publicação recente, Braide cobrou a prefeitura sobre uma obra na Cidade Operário e completou: “Em 2020, nós vamos ter a oportunidade de fazer uma São Luís diferente!”.

Alguns políticos e pré-candidatos a vereador compram de Braide uma postura mais firme sobre a disputa. Pelo que tudo indica, o deputado federal deve iniciar discussões sobre as eleições, já que outros pré-candidatos estão se saindo melhor e avançando sobre o eleitorado.

Veja quem são os deputados maranhenses mais influentes nas redes sociais

A pesquisa monitorou todos os parlamentares brasileiros entre fevereiro e março

A nova edição do FSBinfluênciaCongresso, divulgado pelo Instituto FSB Pesquisa, mostrou quem são os parlamentares maranhenses mais influentes nas redes sociais. A pesquisa monitorou todos os parlamentares brasileiros entre fevereiro e março.

O deputado federal Bira do Pindaré (PSB) é o melhor colocado entre os maranhenses e aparece na 83º colocação. Em seguida, aparece Juscelino Filho (DEM), no 122º lugar, e Márcio Jerry (PCdoB), na 131ª colocação.

Os menos influentes nas redes sociais são: Pedro Lucas Fernandes, no 473º lugar; Marreca Filho (Patri), na 502ª colocação; Cléber Verde (PRB), no 503º lugar, e o menos influente é Júnior Lourenço (PR), na 509º colocação.

Veja o ranking completo: Bira do Pindaré – 83°; Juscelino Filho – 122°; Márcio Jerry – 131°; Zé Carlos – 189°; Gil Cutrim – 215°; Josimar Maranhãozinho – 216°; Hildo Rocha – 294°; Eduardo Braide – 333°; Aluísio Mendes – 338°; Pastor Gildenemyr – 357°; Gastão Vieira – 456°; André Fufuca – 412°; João Marcelo – 446°; Edilázio – 453°; Pedro Lucas – 473°; Marreca Filho – 502°; Cléber Verde – 503° e Junior Lourenço – 509°.

Pré-candidatos a vereadores cobram um posicionamento de Eduardo Braide sobre novo partido

Alguns pré-candidatos a vereadores que pretendem disputar as eleições de 2020 em São Luís cobram do deputado federal, Eduardo Braide, uma definição em relação ao novo partido que possivelmente irá disputar a eleição para prefeitura.

Segundo colocado na disputa pela prefeitura da capital em 2016 e segundo colocado na disputa por uma vaga na Câmara dos Deputados em 2018, Braide é um nome praticamente certo na disputa de 2020.

Sem definição de qual partido irá disputar, após a saída do PMN, o deputado tem recebido cobranças de alguns pré-candidatos a vereadores.

As lideranças aguardam a definição do novo partido para iniciar os trabalhos em suas bases e tentar surfar na popularidade de Braide.

Um dos prováveis destinos do deputado pode ser o Podemos ou o Avante.

Sem definição sobre partido, Eduardo Braide observa novas figuras entrarem na disputa pela Prefeitura de São Luís

Decidido em sair do PMN, o deputado ainda não divulgou qual será o seu destino partidário

Após a posse dos deputados estaduais e federais no início de fevereiro, o jogo político se volta para a eleição de 2020. Sem dúvidas, a disputa pela Prefeitura de São Luís será uma das mais concorridas dos últimos anos podendo ter número recorde de candidatos.

A corrida ao Palácio de La Ravardiere já coloca o deputado federal Eduardo Braide como um dos principais concorrentes, principalmente pelos resultados das disputas de 2016 e 2018. Mas sem a definição de seu novo partido, ele olha algumas figuras largando na frente.

Decidido em sair do PMN, o deputado ainda não divulgou qual será o seu destino partidário. Políticos, que desejam se candidatar a vereador em 2020, também aguardam a definição de Braide para decidirem seus destinos e traçar suas estratégias.

Enquanto isso, Eduardo Braide olha algumas figuras darem largada na corrida ao executivo da capital. Até o momento, são pelo menos 15 pré-candidatos que já iniciaram os trabalhos em seus partidos e suas bases.

Eduardo Braide prepara para os próximos dois dias o anúncio do novo partido

O deputado federal eleito, Eduardo Braide, vai anunciar nos próximos dois dias o seu novo partido. Braide foi eleito pelo PMN, legenda em que foi presidente nos últimos anos, mas anunciou sua saída após a legenda não passar pela Cláusula de Barreira, aprovada na última reforma política.

Informações dão conta que Braide pode ir para o Podemos, partido liderado no Maranhão pelo deputado federal Aluísio Mendes e que na última eleição lançou como candidato à Presidência da República o senador Álvaro Dias.

Mesmo com as especulações afirmando que o Podemos pode ser o partido escolhido por Braide, o Avante continua sendo uma das opções e pode acolher o deputado federal. O Avante é presidido no Maranhão pelo prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo.

Eduardo Braide já foi deputado estadual por duas vezes e é um dos prováveis candidatos à prefeitura de São Luís em 2020.

Entrada de Eduardo Braide no PSL teria resistência de Allan Garcês

A saída do deputado federal eleito Eduardo Braide do PMN e sua possível entrada no PSL do presidente Jair Bolsonaro ganhou mais um personagem. O médico e ex-candidato a deputado federal, Allan Garcês, estaria tendo resistência à entrada do parlamentar no PSL.

Allan já é pré-candidato pelo PSL na disputa para a prefeitura de São Luís em 2020. Com a entrada de Braide, ele teme ser retirado da corrida, já que o nome do deputado está em melhor posição do que o seu.

Eduardo Braide já teve dois mandatos de deputado estadual, foi eleito recentemente deputado federal e, em 2016, ficou em segundo lugar na disputa para a prefeitura de São Luís, surpreendendo a todos na eleição da capital.

Como o PMN não passou pela Cláusula de Barreira, Braide já anunciou que sairá da legenda e está em negociação com algumas legendas, entre elas o PSL.

Eduardo Braide deve anunciar novo partido nos próximos dias

Das 21 legendas que passaram pela Cláusula de Barreira, pelo menos nove podem hospedar Eduardo Braide, entre eles está o PSL, PR, PP, PSD, DEM, PSDB, PSC, Podemos e Avante

O deputado federal eleito, Eduardo Braide, vai deixar o PMN, que, juntamente com outras legendas, caíram na Cláusula de Barreira aprovada na última reforma política. Nove partidos ainda estão sem um futuro definido e ficarão sem verba do Fundo Partidário e sem o tempo na TV e no Rádio, entre eles está o PMN.

Eduardo Braide ainda não quis adiantar para qual partido pretende transferir sua filiação. Em entrevista à Rádio Mirante AM, o deputado disse apenas que deseja mudar para um partido com o qual tenha certa afinidade.

“Partido que eu tenha liberdade de votar de acordo com a minha consciência. Não me elegi de forma livre para que chegue em Brasília e o partido seja dono da minha consciência”, afirmou.

Questionado sobre sua eventual candidatura à prefeitura de São Luís em 2020, Braide não confirmou se entrará na empreitada. Entretanto, ao afirmar que um dos motivos de sua saída seria a falta de tempo de televisão, tudo indica que o parlamentar esteja escolhendo uma sigla que lhe permita ter tempo de TV na corrida municipal de 2020.

Das 21 legendas que passaram pela Cláusula de Barreira, pelo menos nove podem hospedar Eduardo Braide, entre eles está o PSL, PR, PP, PSD, DEM, PSDB, PSC, Podemos e Avante.

Em campanha, Rodrigo Maia almoça com deputados maranhenses em São Luís

Rodrigo Maia já conta com o apoio do PSL, PRB, PSD, PPS, além do próprio DEM, o que garantiria o apoio de 153 dos 513 deputados

O deputado federal e presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), está em campanha pelos estados nesta semana para angariar mais apoio à sua recondução. Nesta segunda-feira (07), Maia se reuniu com os deputados maranhenses em um restaurante da Avenida Litorânea, em São Luís.

O deputado já conta com o apoio do PSL, PRB, PSD, PPS, além do próprio DEM, o que garantiria o apoio de 153 dos 513 deputados.

Em São Luís, o almoço de Rodrigo Maia contou com a presença dos deputados federais Rubens Pereira Júnior (PCdoB); Juscelino Filho (DEM); Cléber Verde (PRB), e do senador eleito, Weverton Rocha (PDT). Também participaram os deputados federais eleitos Márcio Jerry (PCdoB); Bira do Pindaré (PSB); Eduardo Braide (PMN); Júnior Marreca Filho (Patriota); Edilázio Júnior (PSD) e Pedro Lucas Fernandes (PTB).

No sábado, Rodrigo Maia esteve em Goiânia, com o governador do Estado, Ronaldo Caiado (DEM-GO) e fará nos próximos dias, mais viagens para outros estados.