Rede estadual de saúde ganha novos leitos com anexo da UPA Itaqui-Bacanga

Nesta segunda-feira (27), mais de 20 leitos clínicos no novo anexo da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Itaqui-Bacanga foram incorporados à rede.

Com o avanço no número de casos no estado, o Governo do Maranhão continua trabalhando na expansão da rede estadual de saúde. Nesta segunda-feira (27), mais de 20 leitos clínicos no novo anexo da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Itaqui-Bacanga foram incorporados à rede. Os leitos ampliam a capacidade de atendimento do sistema público de saúde e, assim, fortalecem no estado o combate ao novo coronavírus.

O local servirá de retaguarda para unidades de saúde da região, recebendo pacientes encaminhados pela UPA Itaqui-Bacanga e pela Unidade Mista do Bacanga, administrada pelo poder público municipal. O novo espaço conta com uma equipe multiprofissional de 89 pessoas, composta por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, assistentes sociais, fisioterapeutas, farmacêuticos, entre outros. 

“Essa é mais uma obra que está finalizada. Serão novos leitos de enfermaria para atender a população. O Governo vem trabalhando para ampliar a capacidade de atendimento do sistema público de saúde e cada leito que entregamos é uma vitória, pois estamos correndo contra o tempo para garantir que mais vidas sejam salvas”, afirma o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula. 

A obra do anexo da UPA Itaqui-Bacanga foi realizada pela gestão estadual e funciona em uma região isolada na área da Unidade Mista do Bacanga, da Prefeitura de São Luís. A unidade começa a receber pacientes ainda nesta segunda-feira (27). 

Mais obras em São Luís


O Hospital do Servidor está em obras de ampliação para disponibilizar mais 30 leitos e, ainda na capital, mais 130 leitos clínicos vão ser abertos com após a conclusão das obras do anexo do Hospital Nina Rodrigues e no Hospital São José. O Governo trabalha também para a montagem do Hospital de Campanha em São Luís, com 200 leitos.

Grande São Luís registra queda de 72% no número de homicídios em cinco anos

Em 2014, houve 910 de homicídios nas quatro cidades da Ilha. Em 2019, o número foi reduzido para 251 casos. Uma diferença de 72%

Em cinco anos, o número de homicídios caiu 72% na Grande Ilha em 2019 na comparação com o ano de 2014, antes da entrada da nova política de segurança no Estado. A tendência de queda vem sendo ininterrupta desde 2015.

Em 2014, houve 910 de homicídios nas quatro cidades da Ilha. Em 2019, foram 251 casos. Uma diferença de 72%. Ou seja, em doze meses, foram salvas 659 vidas com a nova política de segurança. Caso seja levado em consideração todo o período entre 2015 e 2019, comparando com os dados de 2014, foram salvas 1.930 vidas na Grande Ilha.

Estudos e levantamentos nacionais também mostram queda forte dos homicídios em São Luís. A mais recente versão do Atlas da Violência dos Municípios, divulgado em agosto de 2019, mostra que São Luís é a capital brasileira que mais reduziu homicídios desde 2014. O levantamento foi feito pelo Ipea, um instituto de estudos e pesquisas do governo federal. O estudo traz dados atualizados até 2017. O início da série histórica é em 2007.

De 2007 a 2014, a taxa de homicídios cresceu ano a ano em São Luís, sem parar. Em 2007, eram 34,8 homicídios a cada 100 mil habitantes. Em 2014, tinha subido para 82,9, mais do que o dobro.

A partir de 2015, a taxa começa a cair ano a ano. Em 2017 – o período com dados mais recentes divulgado pelo Ipea -, a taxa caiu para 46,9 homicídios a cada 100 mil habitantes. Isso significa uma redução de 43,42% em apenas três anos. Nenhuma outra capital brasileira conseguiu tal queda, de acordo com o Atlas da Violência.

Em setembro, outro estudo confirmou que São Luís é a capital brasileira que mais reduz o número de homicídios. Foi o Anuário Brasileiro da Segurança Pública, divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Trata-se de uma organização sem fins lucrativos. Entre 2017 e 2018, a capital maranhense reduziu em 36,6% os homicídios. Nenhuma outra capital em todo o Brasil conseguiu melhor resultado neste período. A queda ludovicense é bem maior que a média nacional, de 20,7%.

Maranhão reduz índices de criminalidade com investimentos em Segurança Pública

Fruto das medidas implantadas desde 2015, São Luís deixou, em 2017, a lista das 50 cidades mais violentas do mundo

Nos últimos cinco anos, a gestão da Segurança Pública no Maranhão é marcada pelos resultados positivos com a redução dos índices de criminalidade, alcance de metas e uma série de investimentos no setor. Entre os maiores destaques está o aumento do efetivo, a promoção de medidas que valorizam o policial, além de investimentos em infraestrutura das instalações de segurança, aquisição de materiais e equipamentos.

O Governo do Estado tem investido no aparelhamento completo do sistema de Segurança Pública com a aquisição de nova frota de veículos, equipamentos, armamentos, tecnologia, sistemas e infraestrutura. O efetivo possui mais de 15 mil policiais, sendo cerca de 4 mil novos policiais nomeados desde 2015, fazendo deste o maior contingente policial da história do Maranhão. Mais de nove mil policiais receberam promoções, valorizando o esforço e compromisso das equipes. Além da aquisição de mais de 1.100 novas viaturas.

Em infraestrutura, foram inauguradas duas novas bases do Centro Tático Aéreo (CTA), sendo uma em Imperatriz e outra em Presidente Dutra. Antes, apenas São Luís possuía base com helicópteros. O CTA reforça a segurança e faz resgates de acidentados e feridos. O Governo do Maranhão construiu, ainda, 10 novos batalhões e companhias e 10 colégios militares; além de 12 novas delegacias de Polícia Civil.

A investigação ganhou moderno e equipado Instituto de Genética Forense (IGF), um dos maiores em estrutura física do Brasil, onde são analisados material genético e detectada autoria de crimes. Outras ações estruturais do Estado na Segurança Pública incluem a criação das Superintendências de Narcóticos (Senarc) e de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor).

Fruto das medidas implantadas desde 2015, São Luís deixou, em 2017, a lista das 50 cidades mais violentas do mundo, segundo estudo da organização de sociedade civil mexicana Segurança, Justiça e Paz. Paralelamente, as mortes violentas na Grande São Luís diminuíram 63% em 2018, na comparação com 2014.

Grande São Luís tem o menor número de homicídios dos últimos 13 anos

Dois recentes estudos nacionais mostram que São Luís é a capital brasileiro que mais reduz homicídios

Com os homicídios caindo ano a ano desde 2015, a Grande São Luís tem alcançado resultados históricos no combate a esse tipo de crime. Os homicídios em 2019 atingiram o menor número dos últimos 13 anos.

Entre janeiro e setembro de 2019, foram 216 Crimes Letais contra a Vida (CVLIs), que são formados basicamente por homicídios. É o mais baixo número desde 2005, na comparação com o mesmo período dos anos anteriores.

O pico no número de homicídios na Grande Ilha foi em 2014, antes da implementação da nova política de segurança pública no Estado. Naquele ano, entre janeiro e setembro, foram 709 CVLIs, mais do que o triplo do verificado agora em 2019.

Em setembro deste ano, houve redução de 72% dos homicídios na comparação com o mesmo mês de 2014. Naquela época, foram 68 casos. Agora, foram 19. A redução também é significativa comparação com setembro do ano passado, quando houve 28 registros.

Dois recentes estudos nacionais mostram que São Luís é a capital brasileiro que mais reduz homicídios. De acordo com o Atlas da Violência 2019, do Ipea, São Luís foi a capital onde os homicídios mais caíram entre 2014 e 2017. Foi uma queda de 43,42% em três anos.

Já o Anuário Brasileiro da Segurança Pública, divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, mostrou que São Luís foi a capital que mais reduziu os homicídios entre 2017 e 2018. A diminuição foi de 36,6% em um ano apenas.

Maranhão registra mais um recorde na abertura de empresas com mais de 26 mil registros

A sucessão de recordes é fruto, principalmente, do ambiente de negócios mais favorável e dos investimentos que o Governo do Estado tem feito para estimular o empreendedorismo

A Junta Comercial do Maranhão (Jucema) divulgou mais um recorde histórico de abertura de empresas. De acordo com o levantamento do órgão, no acumulado entre janeiro a agosto de 2019, foi consolidado o melhor resultado da abertura de empresas. Foram exatamente 26.314 negócios formalizados no órgão, ou seja, 6.156 mais empresas que o mesmo período de 2018, quando foram abertas 20.158 empresas, representando um crescimento de 30,5%.

A sucessão de recordes é fruto, principalmente, do ambiente de negócios mais favorável e dos investimentos que o Governo do Estado tem feito para estimular o empreendedorismo por meio da desburocratização do registro empresarial, da política de apoio, expansão e atração de novas empresas, assim como da continuidade do conjunto de programas voltados para o setor produtivo.

O relatório divulgado pela Jucema mostra, também, que São Luís está no topo do ranking dos municípios que mais concentraram a abertura de empresas com 2.395 novos negócios. Depois da capital maranhense, está Imperatriz com 554, em terceiro está Balsas com 226, depois São José de Ribamar com 158 e Timon com 145 negócios formalizados.

Já o ranking com os setores de atividades que mais se destacaram entre os empreendimentos abertos estão o de comércio com 3.045, seguido do setor de serviços 2.295, o de construção civil com 260, indústria acumulando 243 e agropecuária com 64.

Em nota, capelães do Sistema de Segurança repudiam ataques…

Os capelães do Sistema de Segurança Pública do Maranhão lançaram nota, no final da tarde desta quarta-feira (03), em repúdio aos ataques que vêm sofrendo e divulgados em setores da mídia.

Segundo eles, tais ataques têm como objetivo atingir não somente o governador do Estado, Flávio Dino (PCdoB), mas prejudicar a imagem dos sacerdotes católicos e pastores evangélicos, bem como a importância social da igreja.

 

VEJA NOTA

CAPELÃES REPUDIAM ATAQUES

Nós, capelães religiosos do Sistema de Segurança do Estado do Maranhão, diante dos ataques que temos recebido nos últimos dias, vimos a público esclarecer a verdade e repudiar as inverdades contra nossa honra e contra nossas igrejas. Tais ataques têm como objetivo atingir não somente o governador do Estado, mas prejudicar a imagem dos sacerdotes católicos e pastores evangélicos, bem como a importância social da igreja. Tem como objetivo também atingir o serviço de capelania religiosa, que foi criado no Maranhão com a Lei nº 149 de 15.07.1843 e também, mais recentemente reformulada e reconhecida há 25 anos.

Para restabelecer a verdade dos fatos, informamos que no quadro de capelães religiosos neste governo, foram mantidos 13 capelães que têm sua origem ou foram nomeados em governos anteriores, a saber: Edson Lobão, José Reinaldo Tavares, Roseana Sarney e Jackson Lago.

Afirmamos que somos sacerdotes cristãos, padres e pastores e que estamos servindo a corporação da polícia militar, corpo de bombeiros, polícia civil e sistema penitenciário com o único propósito de levar a palavra de Deus, o aconselhamento espiritual, bem como a assistência aos familiares daqueles que são servidores públicos ou apenados pela justiça. Quem conhece o nosso sacerdócio, sabe da importância dele.

Ao atacar padres e pastores, estão atacando nossas igrejas católicas e evangélicas, porque somos sacerdotes honrados e respeitados em nossas igrejas e comunidades.

Nós, padres e pastores capelães religiosos, ao defendermos a nossa honra diante destes ataques, conclamamos católicos e evangélicos a orarem pela paz no Maranhão e que a verdade prevaleça.

Capelães religiosos do Sistema de Segurança do Maranhão.

Diálogos pelo Maranhão: O alicerce de um governo de todos os maranhenses

Passados quatro anos, o ‘Diálogos pelo Maranhão’ voltou e veio para dar ênfase a todas as conquistas.

Iniciado em 2014 como uma proposta para colher as principais demandas e anseios do povo maranhense, o ‘Diálogos pelo Maranhão’ foi o símbolo da construção de um governo popular e com propostas para mudar a política retrógrada que assolava o Maranhão por 50 anos e era liderada pela oligarquia Sarney.

Um governador popular foi eleito em um sentimento que contagiou todos os cantos do Estado em outubro de 2014. A alegria de uma mudança histórica foi celebrada pelo povo e a certeza de que o alicerce de um governo ‘Para Todos’ tinha sido construído e daria bons frutos.

Passados quatro anos, o ‘Diálogos pelo Maranhão’ voltou e veio para dar ênfase a todas as conquistas, primeiramente na educação, com os programas: Escola Digna; Cidadão do Mundo; Bolsa Escola; os Centro de Educação Integral; Iemas e muitos outros. E na Infraestrutura, com os programas: Mais Asfalto; Diques da Produção e construção de espaços públicos espalhados por todos as regiões.

No passado, a política maranhense era tocada por um grupo de poucas famílias influentes e que se beneficiavam diretamente com isso. Hoje, um governo popular que já deu certo, está reforçando seus ideais com a participação de lideranças comunitárias, estudandes, professores, sindicalistas e muitas outros atores da nossa população.

A construção de um Plano de Governo popular, é a certeza que as políticas públicas podem chegar a todos. É a certeza que o Maranhão está no rumo certo. É a certeza que um governo humano, que coloca seu povo em primeiro lugar vai continuar trazendo mais conquistas para o Maranhão.

Governador Flávio Dino empossa novos secretários

Posse dos novos secretários de Estado.

Nesta segunda-feira (2), o governador Flávio Dino deu posse aos novos titulares das Secretarias de Estado de Comunicação Social e Articulação Política (Secap); de Agricultura Familiar (SAF); de Desenvolvimento Social (Sedes); de Indústria e Comércio (Seinc); do Trabalho e Renda Solidária (Setres); de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Sagrima); da Casa Civil; da Agência Metropolitana do Estado do Maranhão (Agem); da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp); do VIVA/Procon; e da Comissão Central de Licitação (CCL).
A solenidade de posse aconteceu no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana, em São Luís. Flávio Dino frisou que a mudança é necessária devido ao prazo de desincompatibilização previsto na legislação eleitoral, uma vez que os colaboradores pretendem disputar as eleições deste ano.
O governador ressaltou que todos os novos titulares faziam parte das respectivas equipes, o que garante a continuidade das ações. “Nós estamos fazendo a troca de pessoas, mas o foco principal permanece o mesmo. O governo é o mesmo, o caminho administrativo é o mesmo. As mudanças não vão significar nenhuma perda de qualidade do governo”, acrescentou.
Com as mudanças, a Secap deixa de ser gerida por Márcio Jerry e passa a ter como gestor o secretário Ednaldo Neves. Rodrigo Lago se mantém à frente da Secretaria de Transparência e Controle (STC) e passa a gerir também a Casa Civil. Francisco de Oliveira Júnior agora está à frente da Sedes.
A Seinc tem como novo titular Expedito Rodrigues Silva Júnior. Já Júlio César Mendonça Corrêa passa a responder pela SAF, enquanto Loroana Coutinho de Santana assume a Agerp.
No Viva/Procon, assume Beatriz Taveira Barros. Lívio Jonas Mendonça Correa vai para a Agem. Na Sagrima, entra José Edjahilson Bezerra de Souza e Luis Carlos Oliveira Silva assume a CCL . Silvio Conceição Pinheiro passa a responder pela Setres.
Na semana passada, o Comando da Polícia Militar foi assumido pelo coronel Jorge Luongo.

Edjahilson Souza assume comando da Sagrima

Com a saída de Honaiser, assume a Sagrima o atual subsecretário, Edjahilson Souza.

O governador Flávio Dino anunciou, por meio das redes sociais, a saída do atual secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca, Márcio Honaiser, que se desliga da pasta para concorrer ao cargo de deputado estadual nas eleições de outubro deste ano.

Com a saída de Honaiser, assume a Sagrima o atual subsecretário, Edjahilson Souza.

Cerca de dez auxiliares de primeiro escalão do governo devem se desincompatibilizar nos primeiros dias de abril para disputar as eleições de outubro.