Sem estudos técnicos, Roberto Rocha propõe uma ponte entre São Luís e Alcântara

Só a título de comparação, a ponte proposta pelo senador é maior do que a Rio-Niterói que mede 13.290 km

Sem ao menos ser do Executivo Estadual ou Federal, o senador Roberto Rocha (PSDB) usou suas redes sociais para propor mais uma obra fora da realidade. Desta vez, ele sugeriu uma ponte entre São Luís e Alcântara.

Isso mesmo leitores. Uma ponte de mais de 14 quilômetros entre a capital e a cidade de Alcântara.

Talvez o senador não estivesse embasado em estudados técnicos, mas a viabilidade de uma ponte que adentraria a baía por mais de 14 quilômetros é quase impossível. Só a título de comparação, a ponte proposta pelo senador é maior do que a Rio-Niterói que mede 13.290 km.

Essa não é a primeira vez que Roberto Rocha propõe uma ponte gigante sem estudos de viabilidade financeira. Na campanha para o governo do Estado em 2018, o senador propôs uma ponte que sairia do Bairro da Estiva, em São Luís, passaria por cima da Ilha dos Caranguejo, atravessaria a foz do Rio Mearim e chagaria à cidade Cajapió. Só que o eleitorado não comprou a ideia de Roberto Rocha, que acabou perdendo.

Câmara de São Luís realiza primeira audiência para discutir Plano Diretor

A próxima audiência acontecerá na terça-feira (05), a partir das 19h, na Universidade Federal do Maranhão (UFMA)

A primeira das oito audiências públicas que debatem a alteração, revisão e atualização da lei 4.669/2006, do Executivo, que trata sobre o Plano Diretor de São Luís, ocorreu na noite desta última sexta-feira (01), no auditório do Instituto Federal do Maranhão (IFMA), no campus do Monte Castelo.

Nesta primeiro encontro, que reuniu parlamentares, membro do Poder Público e representantes de vários segmentos da sociedade, foram discutidas as linhas gerais do Plano, a importância da nova proposta, seus objetivos, além de alterações sugeridas na legislação urbanística.

Coordenando os trabalhos, o vereador Pavão Filho (PDT) destacou a ação inédita promovida pela Câmara Municipal, presidida pelo também pedetista Osmar Filho, de estimular o amplo debate acerca do tema, que será votado no Plenário Simão Estácio da Silveira em dezembro. Também estiveram presentes os vereadores Cézar Bombeiro (PSD), Barbara Soeiro (PSC), Estevão Aragão (PSDB), Marcial Lima (PRTB), Genival Alves (PRTB), Umbelino Junior (Cidadania), Honorato Fernandes (PT), Dr. Gutemberg (PSC); além de todo corpo técnico da Casa Legislativa.

“Este espaço que estamos abrindo, com as audiências, se destina a ouvir o ludovicense sobre o que ele pensa como modelo de cidade através da reformulação do Plano. Queremos que a população participe cada vez mais para contribuir com São Luís”, afirmou Pavão, que preside a CCJ e a Comissão Mista responsável em analisar o projeto elaborado pela Prefeitura.

Em seguida, foi a vez do presidente do Instituto da Cidade, Pesquisa e Planejamento Urbano e Rural (INCID), Marcelo do Espírito Santo, explanar os princípios fundamentais e técnicos que norteiam a política de desenvolvimento urbano regidos na jurisprudência do Plano Diretor.

“O Plano, hoje, é fruto de uma discussão coletiva, tanto no Conselho da Cidade, como no Executivo, e agora, no Legislativo. Estamos aqui, resguardando a função técnica da proposta, com o intuito de melhorar a cidade, e essa é uma das funções do Instituto’’, explicou.

Também estiveram presentes os deputados estaduais, Dr. Yglésio (PDT) e Adriano Sarney (PV); o promotor de Justiça e titular da Promotoria Especializada de Proteção do Meio Ambiente, Fernando Barreto, o presidente do Conselho da Cidade e o secretário municipal de Projetos Especiais, Gustavo Marques; os presidentes do Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Maranhão (SINDUSCON-MA) e da Associação Comercial do Maranhão (ACM), Fabio Nahuz e Felipe Mussalém respectivamente; além de membros do Conselho da Cidade e demais entidades representativas.

A próxima audiência acontecerá na terça-feira (05), a partir das 19h, na Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Câmara divulga calendário de audiências para discutir com a sociedade Plano Diretor de São Luís

Serão oito audiências, quatro na zona urbana e quatro na zona rural – nesta região, para oferecer comodidade e estimular a participação popular

A Mesa Diretora da Câmara Municipal de São Luís divulgou o calendário das audiências públicas nas quais os vereadores irão debater com a comunidade a proposta do novo Plano Diretor da capital maranhense, encaminhado à Casa de Leis pelo Poder Executivo.

A realização das audiências é uma ação inédita do Poder Legislativo e visa promover um amplo debate, inclusive reunindo representantes da Prefeitura, acerca do projeto de revisão da legislação urbanística da cidade, cuja apreciação no plenário da Câmara ocorrerá em dezembro.

Serão oito audiências, quatro na zona urbana e quatro na zona rural – nesta região, para oferecer comodidade e estimular a participação popular, a CMSL disponibilizará ônibus para fazer o transporte dos moradores, caso haja necessidade – que serão promovidas ao longo do próximo mês de novembro.

A definição dos locais e datas ocorreu após reuniões entre o presidente da Casa, vereador Osmar Filho; os vereadores que presidem as Comissões Temáticas responsáveis em analisar a proposta – quais sejam Pavão Filho (Constituição e Justiça), Umbelino Júnior (Mobilidade Urbana), Edson Gaguinho (Indústria e Comércio) e Estevão Aragão (Saúde e Meio Ambiente) – e membros do Conselho Municipal das Cidades e de entidades representativas da sociedade. Também participaram dos encontros outros parlamentares membros de Comissões, como Honorato Fernandes, Genival Alves e Marquinhos, por exemplo.

“Atendendo pedido das entidades representativas, elaboramos um calendário regionalizado, que contempla todos os bairros de São Luís. A Câmara, com as audiências, quer ouvir a população acerca da proposta do novo Plano”, afirmou Osmar Filho.

A primeira audiência será realizada na sexta-feira (01), a partir das 19h, no teatro do campus do IFMA do Monte Castelo. A segunda será promovida no dia 05, também a partir das 19h, no Centro Pedagógico Paulo Freire, na UFMA. A terceira ocorrerá no bairro Pedrinhas, dia 09, a partir das 9h. Em seguida, no dia 12 de novembro, a partir das 19h, o debate será promovido no auditório da Cidade Universitária da UEMA.

No dia 16, o bairro Itapera e localidades próximas receberão as discussões, que terão início às 14h. A sexta audiência ocorrerá na Assembleia Legislativa do Maranhão, dia 19, a partir das 19h. Coquilho e outras comunidades vizinhas também situadas na zona rural receberão a audiência no dia 23, a partir das 9h. O ciclo de debates será encerrado na Vila Maranhão, no dia 26, com programação marcada para ter início às 18h.

São Luís sediará congresso internacional dos 400 anos da presença Açoriana no Maranhão

A abertura oficial do Congresso ocorrerá às 19h do dia 23 de outubro (quarta-feira), no Convento das Mercês

Nos dias 23, 24 e 25 de outubro, São Luís vai se transformar na 10ª Ilha do Arquipélago dos Açores. Durante esses três dias, o Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão (IHGM), o Instituto Geográfico de Santa Catarina (IHGSC) e a Casa dos Açores do Maranhão (CAMAR) realizarão o Congresso Internacional dos 400 anos da presença Açoriana no Maranhão, evento que reúne uma programação diversificada, que irá tratar do 4° centenário dos Ilhéus em nosso Estado.

O “Congresso Internacional dos 400 anos de Presença Açoriana no Maranhão: História, Cultura e Identidade”, pretende reunir os principais investigadores da área, com a presença de professores, estudantes, pesquisadores e escritores do Brasil, Bélgica e Portugal.

O Congresso tem como objetivo, ainda, fomentar o estreitamento das relações entre São Luís e os Açores, além de buscar desenvolver parcerias e fortalecer possíveis acordos entre as nossas instituições e as organizações dos países envolvidos.

Trata-se de um evento que contará com a participação da comunidade científica e acadêmica, visando o resgate histórico e cultural das nossas raízes. No quadro de palestrantes e debatedores, estão confirmadas as presenças de representantes de instituições internacionais, a exemplo do Governo dos Açores – Portugal, Universidade Católica de Louvain – Bélgica, Universidade de Salamanca – Espanha, Instituto Internacional Juarez Machado, Rádio e Televisão Portuguesa- RTP, Instituto Universitário de Lisboa- ISCTE, e Universidade dos Açores, bem como de outras importantes instituições brasileiras, tais como: Universidade Federal de Santa Catarina, UFMA, UEMA ,Casa dos Açores de Santa Catarina, de São Paulo e do Rio Grande do Sul, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – (PUC-SP), Universidade de São Paulo – ( USP), Fundação Catarinense de Cultura, Academia Catarinense Letras , Academia Maranhense de Letras, IEMA, Núcleo de Estudos Açorianos -UFSC, Associação dos Amigos da Fazenda Nova, Federação das Academias de Letras do Maranhão(FALMA), Academia Imperatrizense de Letras(AIL) e Academia Icatuense de Letras(AILCA), além de outras conceituadas representações.

O evento contará, também, com a presença do Diretor do Governo Regional dos Açores, Dr. Paulo Teves, que fará a conferência de abertura com o tema “Casa dos Açores como portas para as relações internacionais”.

A abertura oficial do Congresso ocorrerá às 19h do dia 23 de outubro (quarta-feira), no Convento das Mercês. Nos dias 24 e 25 acontecerão as conferências e mesas redondas. A programação contemplará, também, uma visita aos locais de referência cultural açoriana. Diante disso, no dia 26, a cidade de Alcântara será o destino dos palestrantes.

Partido Novo estará pela primeira vez em uma eleição no Maranhão

Anunciada pelo diretório nacional, a cidade de São Luís está incluída em uma lista de 68 cidades que terão candidatos do Novo

O partido Novo, presidido pelo ex-candidato a presidente João Amoedo, estará pela primeira vez em uma disputa eleitoral no Maranhão. A sigla, que fundou recentemente seu diretório após a filiação de 151 integrantes, trabalha para definir os nomes para a disputa.

O que se sabe, até o momento, é que o Novo lançará candidatos em São Luís. O processo para a escolha do candidato a prefeito já foi aberto. Os candidatos a vereador também serão escolhidos a partir de provas.

O Novo tem uma dinâmica bem diferente dos demais, para candidatar-se, é preciso mostrar preparo e conhecimento sobre os mais diversos assuntos como economia, administração e legislação.

Anunciada pelo diretório nacional, a cidade de São Luís está incluída em uma lista de 68 cidades que terão candidatos do Novo.

Escutec deve divulgar números de sua primeira pesquisa para prefeitura de São Luís

Faltando um ano para as eleições de 2020, os números prometem movimentar ainda mais os bastidores da política lidovicense

O Instituto Escutec deve divulgar os números oficiais da sua primeira pesquisa para a prefeitura de São Luís, neste fim de semana.

A pesquisa para medir como andam os nomes postulantes ao mandato de prefeito foi encomendando pelo jornal O Estado Maranhão.

Faltando um ano para as eleições de 2020, os números prometem movimentar ainda mais os bastidores da política lidovicense.

Os números da Escutec devem mostrar quem larga na frente. Com a aproximação da eleição, alguns nomes vão ganhando força e destacando-se na disputa. Os números das pesquisas também servem para embalar toda a estratégia da pré-campanha. É aguardar para conferir.

Jornal O Globo mostra São Luís como a única capital do Nordeste que cria empregos

Com 4.822 empregos formais gerados, São Luís está na sexta posição entre todas as capitais brasileiras

A edição desta terça-feira do jornal O Globo mostra que São Luís é a única capital nordestina que acumula saldo positivo na criação de empregos com carteira assinada neste ano. Os dados foram extraídos de levantamento feito pela Consultoria Tendências.

A pesquisa vai de janeiro até agosto, o último dado disponível. Com 4.822 empregos formais gerados, São Luís está na sexta posição entre todas as capitais brasileiras.

Todas as demais do Nordeste perderam vagas no acumulado deste ano.

“A recuperação do mercado de trabalho encontra entraves no Nordeste, onde oito das nove capitais tiveram resultado negativo, segundo os dados da consultoria Tendências, e em dois estados que apresentam grave crise fiscal: Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. O pior resultado é o do Rio”, diz O Globo.

O desempenho de São Luís segue o do Maranhão, que tem gerado empregos novos pelo terceiro ano seguido.

O emprego com carteira assinada no Estado vem crescendo mais do que a média brasileira. Entre janeiro e agosto deste ano, o aumento dos postos formais foi de 1,63% no Maranhão. No Brasil inteiro, foi de 1,55%.

A expansão maranhense é bem maior que a do Nordeste, que cresceu 0,09% no acumulado do ano. Além disso, o Maranhão é o segundo Estado que mais abriu empregos com carteira assinada no Nordeste entre janeiro e agosto de 2019. Foram 7.569 vagas formais até agora. No Nordeste, só a Bahia tem desempenho melhor.

Veja: Osmar Filho é autor de lei que torna São Luís primeira cidade livre de plásticos descartáveis

A lei de autoria de Osmar Filho determina ainda que os produtos plásticos descartáveis sejam substituídos por descartáveis de material comprovadamente biodegradável

Terra do bumba-meu-boi, do tambor de crioula, da dança do cacuriá, do reggae, do casario de arquitetura portuguesa e do centro histórico declarado patrimônio cultural da humanidade pela Unesco, São Luís é agora a primeira cidade brasileira livre de plásticos descartáveis. Com isso, a capital do Maranhão também se torna uma referência em sustentabilidade ambiental para o país.

A proibição da aquisição e uso de utensílios de plásticos descartáveis em São Luís é resultado de projeto de lei apresentado pelo presidente da Câmara Municipal, vereador Osmar Filho (PDT). O texto, aprovado pelo Parlamento local, foi sancionado pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) na última quinta-feira 26.

De acordo com a prefeitura de São Luís, o objetivo da nova Lei Municipal nº 6.554/19 é preservar o meio ambiente, contribuindo para a implementação de uma nova cultura, ecologicamente correta e voltada a garantir um futuro melhor para todas as gerações.

“Trata-se de uma lei de extrema importância, que faz com que a nossa capital tenha ainda mais destaque no trabalho de preservação ambiental. A prefeitura, ao longo dos últimos anos, obteve várias conquistas neste setor, como são os casos dos EcoPontos e o novo Aterro da Ribeira, referência no país”, disse o prefeito Edivaldo Holanda Júnior, cumprimento o vereador Osmar Filho pela iniciativa.

O texto sancionado pelo prefeito proíbe a aquisição e uso de copos e demais utensílios plásticos descartáveis em todos os órgãos (secretarias, empresas públicas e fundações, por exemplo) da administração pública do município de São Luís. A proibição também se estende a restaurantes, bares, lanchonetes, barracas de praia, ambulantes e similares, tanto no que se refere à utilização quanto em relação ao fornecimento desse tipo de produto na capital do Maranhão, um dos principais destinos de turismo doméstico e internacional no país.

A lei determina ainda que os produtos plásticos descartáveis sejam substituídos por descartáveis de material comprovadamente biodegradável – aqueles aptos à decomposição natural, como papel ou de uso permanente. Segundo a lei, a administração pública municipal e os estabelecimentos comerciais têm 120 para se adequar as novas normas, contados a partir do último dia 26, quando o texto foi publicado no Diário Oficial do Município.

Nesse período, explicou o vereador Osmar Filho, a Câmara Municipal e a prefeitura de São Luís vão promover, uma ampla campanha de conscientização da população e dos comerciantes para que deixam de usar material plástico.

“Lançamos recentemente o projeto “Generocidade”, que visa estimular as boas práticas de preservação e cuidado com a nossa São Luís. Essa lei soma-se a esse esforço, uma vez que objetivamos acabar com o plástico, material que polui vários ecossistemas”, lembrou o vereador.

Osmar Filho destacou que a Câmara Municipal já reduziu o uso desses utensílios. “Em breve, acabaremos de uma vez. Agradeço o apoio do prefeito Edivaldo, que enxergou em nosso projeto uma ferramenta importante para contribuir com a preservação do meio ambiente e implantação de uma nova cultura sustentável”, disse o presidente do Legislativo de São Luís.

Anuário Brasileiro da Segurança mostra que São Luís foi a capital que mais reduziu homicídios

O Anuário Brasileiro da Segurança Pública é divulgado anualmente e traz dados do Brasil inteiro

São Luís é a capital brasileira que mais reduz o número de homicídios. A informação foi confirmada pelo Anuário Brasileiro da Segurança Pública, divulgado nesta terça-feira (10) pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Trata-se de uma organização sem fins lucrativos. O Anuário Brasileiro da Segurança Pública é divulgado anualmente e traz dados do Brasil inteiro.

Entre 2017 e 2018, a capital maranhense reduziu em 36,6% a taxa de homicídios. Nenhuma outra capital em todo o Brasil conseguiu melhor resultado neste período. A queda ludovicense é bem maior que a média de redução de todas as capitais, de 15,7%.

As capitais que mais chegam perto da redução verificada em São Luís são Florianópolis (30%), Rio Branco (29,6%), Fortaleza (25,4%), Belo Horizonte (23,9%) e Recife (23,1%).

Há pouco mais de um mês, o Atlas da Violência 2019, do Ipea, havia mostrado que São Luís foi a capital brasileira que mais reduziu homicídios entre 2014 e 2017. Em 2014, a taxa de homicídios era de 82,9 a cada 100 mil habitantes. A partir de 2015, com a nova política de Segurança Pública no Maranhão, a taxa começou a cair ano a ano.

Em 2017, caiu para 46,9 homicídios a cada 100 mil habitantes. Isso significa uma redução de 43,42% em apenas três anos. Ou seja, os dois estudos mostram que São Luís foi a capital que mais reduziu os homicídios entre 2014 e 2018.