Maranhão cria rede regional de ambulatórios para pacientes com coronavírus

O objetivo principal dos ambulatórios é evitar que pacientes com sintomas leves fiquem em situação mais grave

A rede estadual pública de saúde no Maranhão abriu, nas últimas semanas, ambulatórios exclusivos para pacientes com coronavírus. As unidades estão espalhadas pelas regiões do Estado. 

O objetivo principal dos ambulatórios é evitar que pacientes com sintomas leves fiquem em situação mais grave. E, consequentemente, evitar internações. 

Funciona assim: os pacientes são encaminhados por unidades de saúde até o ambulatório. Lá, passam por triagem com enfermeiros. Em seguida, vão para o consultório médico, onde são pedidos exames laboratoriais e de imagem. 

Depois dos resultados, o médico define que tipo de medicamento é preciso. Os remédios são oferecidos pelo próprio ambulatório. O paciente entra, então, em tratamento domiciliar. 

A primeira unidade foi aberta em São Luís, anexo ao Hospital Carlos Macieira, no mês passado. O ambulatório recebe pacientes encaminhados pelas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de São Luís. 

Ou seja, a orientação é que os pacientes não vão diretamente até lá. As UPAs continuam sendo a porta de entrada para o atendimento.

Covid-19: Brasil tem 438.238 casos; total de mortes chega a 26.754

A atualização do ministério registrou 1.156 novas mortes, chegando a 26.754

Ministério da Saúde divulgou, quinta-feira(28), que 26.417 novas pessoas foram incluídas na estatística de infectados pela covid-19, totalizando 438.238 casos confirmados. O resultado marcou um acréscimo de 26.417 em relação a qquart-feira (27), quando o número de pessoas nesta condição estava em 411.821

A atualização do ministério registrou 1.156 novas mortes, chegando a 26.754. O resultado representou um aumento de 1.156 em relação a ontem, quando foram contabilizados 25.598 óbitos por covid-19.

Do total de casos confirmados, 233.880 estão em acompanhamento e 177.604 foram recuperados. Há ainda 4.211óbitos sendo analisados. 

A letalidade (número de mortes pelo total de casos) ficou em 6,1%. Já a mortalidade foi de 12,7 por 100 mil habitantes.

São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no país, concentrando o maior número de mortes (6.980). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (4.856), Ceará (2.733), Pará (2.704) e Pernambuco (2.566).

Hospital de Campanha do Multicenter Sebrae registra primeiro paciente curado de coronavírus

João Vicente foi o primeiro paciente internado na unidade construída pelo Governo do Estado e também o primeiro a receber alta médica.

João Vicente Costa Neto, de 34 anos, comemorou sua alta médica após uma semana internado no Hospital de Campanha de São Luís. Ele foi o primeiro paciente internado na unidade construída pelo Governo do Estado na área de eventos do Multicenter Sebrae e também o primeiro a receber alta médica.

Diabético, João Vicente pode dizer que é mais um a vencer o novo coronavírus (Covid-19). “Eu fico até emocionado porque, como é uma luta grande de todo mundo, todo mundo quer ir pra casa, é muito difícil. Se a gente não tiver fé, a gente não ganha a batalha, como eu ganhei. Tem que ter força de vontade, bastante fé mesmo. Essa doença não é uma brincadeira. Essa doença é séria, os medicamentos são muito fortes. Todos aqui estão na mesma situação. Eu acho que sou o mais novo do Hospital todo. Eu venci”, conta.

Internado no dia seguinte à inauguração do Hospital de Campanha, João Vicente foi encaminhado da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Vinhais com febre persistente. Embora não tenha apresentado falta de ar, ele chegou a pensar que não superaria a doença por estar no grupo de risco. 

“As pessoas levam muito na brincadeira. Eu tive bastante febre, intensa, que eu pensava que não fosse vencer. E eu tô aqui, eu venci. Quase uma semana sem ver a minha família. Eu estava contando as horas e os dias para eu ter alta”, ressalta João Vicente, que elogia o tratamento que recebeu no Hospital de Campanha. “A internação aqui no Hospital foi muito boa. Os médicos, enfermeiros, a limpeza, a alimentação, os banheiros, tudo organizado, tudo em estado perfeito mesmo”, completou.

O Hospital de Campanha de São Luís foi construído pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) e Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh), que administra a unidade. A estrutura dispõe de 200 leitos, sendo 186 de enfermaria e 14 de estabilização com respiradores.

Maranhão ultrapassa 1.500 leitos exclusivos para tratamento de coronavírus

Em março, o Maranhão tinha 232 leitos para a doença. Desde então, o número subiu quase sete vezes.

O Maranhão chegou à marca de 1.519 leitos exclusivos para pacientes com coronavírus na rede estadual de saúde. A expansão dia a dia dos leitos tem evitado o colapso do atendimento diante da curva ainda crescente no Estado – assim como ocorre em todo o Brasil. 

Em março, o Maranhão tinha 232 leitos para a doença. Desde então, o número subiu quase sete vezes.

Apesar do crescimento do número de leitos, a situação continua preocupante, por isso é importante manter as medidas de isolamento social, que ainda é a principal arma contra o Covid-19. 

“Chegamos a 1.519 leitos estaduais dedicados exclusivamente ao coronavírus. Começamos a crise sanitária com 232. Com a colaboração e a consciência de todos, venceremos”, afirmou o governador Flávio Dino. 

Assembleia reforça ações de combate à Covid-19 com aprovação de novas medidas

Após a aprovação dos deputados, o presidente Othelino promulgou os projetos de decreto legislativo reconhecendo o estado de calamidade pública em mais 20 municípios maranhenses

Novas medidas de enfrentamento à pandemia da Covid-19 foram aprovadas pela Assembleia Legislativa, na manhã desta segunda-feira (25), durante a 7ª Sessão Extraordinária com Votação Remota por Videoconferência. Entre as matérias apreciadas estão o Projeto de Lei 162/20, de autoria do deputado Professor Marco Aurélio (PCdoB), que proíbe a suspensão dos planos de saúde, por falta de pagamento do usuário, durante a pandemia, e a Medida Provisória 312/20, propondo a contratação de 106 médicos para o projeto ‘Mais Médico’ e a instituição do programa ‘Reembolso’.

Convocada pelo presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), a sessão virtual contou com a participação de 35 deputados.
“Tivemos uma sessão muito produtiva, na qual importantes matérias legislativas de grande alcance social foram apreciadas e aprovadas pelos deputados estaduais, no sentido de auxiliar no combate ao novo coronavírus em nosso estado”, avaliou Othelino Neto.

Com finalidade semelhante à do projeto do deputado Marco Aurélio, o PL 162/20, de autoria do deputado Zé Inácio Lula (PT), foi anexado à matéria dos planos de saúde, que contou com o apoio e aprovação unânime dos parlamentares.

Prevenção

Além da MP 312/200, outras medidas provisórias do Executivo Estadual foram deferidas. Entre elas, a MP 315/20, que dispõe sobre a indenização de trabalho voluntário na Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP), e a MP 314/20, estabelecendo critérios de multas às instituições bancárias que descumprirem as normas estaduais destinadas à prevenção e contenção da Covid-19.

Também esteve na Ordem do Dia a PEC 023/19, de autoria do Poder Executivo, que altera o artigo 193 da Constituição Estadual, referente à alienação ou cessão de imóveis do Estado. A matéria foi aprovada por unanimidade.

Além dessas matérias, foi aprovado, ainda, o Requerimento de Congratulação 179/20, de autoria dos deputados Adelmo Soares (PCdoB) e Cleide Coutinho (PDT), ao Governo do Estado e à Secretaria de Estado da Saúde (SES) pela implantação de leitos de enfermaria e de terapia intensiva no Hospital Macrorregional de Caxias, exclusivos para o tratamento da Covid-19.

Calamidade pública

Após a aprovação dos deputados, o presidente Othelino promulgou os projetos de decreto legislativo reconhecendo o estado de calamidade pública em mais 20 municípios maranhenses: Trizidela do Vale, Carutapera, Lima Campos, Anapurus, Jenipapo dos Vieiras, Bom Jardim, Amapá, Urbano Santos, Belágua, Bequimão, São Bernado, Cururupu, Alto Alegre do Pindaré, Nova Olinda do Maranhão, Barreirinhas, Humberto de Campos, Sítio Novo, Central do Maranhão Pindaré Mirim e Bacuri.

Governo do Maranhão utiliza UTIs aéreas para transportar pacientes com COVID-19

Aparelhadas com estrutura de UTI, incluindo respiradores e equipe médica, as aeronaves além de fazerem o transporte intermunicipal dos pacientes, garantem o monitoramento em tempo real

O Governo do Maranhão destinou aviões equipados com estrutura de UTI para translado intermunicipal de pacientes com Covid-19. As viagens foram iniciadas no sábado (23) e transportam pacientes entre cidades onde há leitos disponíveis na rede hospitalar estadual de tratamento aos infectados pelo vírus.

“Estamos lutando de todas as formas para combater a Covid-19. Iniciamos a nossa batalha com pouco mais de 200 leitos e, hoje, contamos com aproximadamente 1.500 em todo o estado. O uso dessas aeronaves se soma aos investimentos na rede de assistência aos pacientes e reduz o tempo de transferência para unidades de referência com leitos disponíveis”, disse o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

Aparelhadas com estrutura de UTI, incluindo respiradores e equipe médica, as aeronaves além de fazerem o transporte intermunicipal dos pacientes, garantem o monitoramento em tempo real em caso de alguma intercorrência. O objetivo é aumentar a oferta de atendimento aos casos suspeitos e confirmados por Covid-19.

Os primeiros pacientes atendidos pelo novo serviço saíram da UPA Bernardo Sayão, na cidade de Imperatriz, para leitos no Hospital de Cuidados Intensivos e Hospital Dr. Carlos Macieira, em São Luís. Os pacientes também contam com um acompanhante, cuja alimentação e hospedagem estão sendo custeadas pelo Governo do Maranhão.

Assembleia vota nesta segunda PL de Marco Aurélio que proíbe suspensão de plano de saúde durante a pandemia

Projeto de Marco Aurélio será votado nesta segunda

Está em pauta na Assembleia Legislativa do Maranhão o Projeto de Lei 162/2020, de autoria do deputado Marco Aurélio (PCdoB), que proíbe a suspensão e o cancelamento dos planos de saúde, por falta de pagamento, durante a vigência do Plano de Contingência da Covid-19 no estado. A matéria está na Ordem do Dia da nova Sessão Extraordinária com Votação Remota por Vídeoconferência, convocada pelo presidente da Casa, deputado Othelino Neto (PCdoB), para esta segunda-feira (25), às 10h.

Segundo a proposição, as operadoras de planos de saúde não poderão suspender ou cancelar os serviços por inadimplência dos usuários, enquanto estiverem em vigor as medidas de combate ao novo coronavírus. Após o fim das restrições, as operadoras deverão possibilitar o parcelamento do débito aos seus usuários, sendo vedadas as cobranças de juros e multa.

Em sua justificativa, o deputado Marco Aurélio ressalta que os riscos e restrições oriundos da pandemia trouxeram uma situação econômica muito difícil, com desemprego e atraso nos compromissos por boa parte dos usuários.

“Considera-se, portanto, razoável garantir a não suspensão dos planos de saúde durante a pandemia, haja vista que o mesmo pleito já foi objeto de Proposta da Agência Nacional de Saúde (ANS), junto às operadoras de plano de saúde, mas que não se conseguiu chegar a uma concretização até o momento. Com o PL, espera-se garantir esse direito no âmbito do estado do Maranhão”, destaca o parlamentar no texto da proposta.

Em pauta

Na sessão remota desta segunda-feira, também serão apreciados decretos de reconhecimento do estado de calamidade pública em mais de 20 municípios maranhenses, além de medidas provisórias, projetos de lei e requerimentos com novas medidas de enfrentamento ao novo coronavírus no Maranhão.

Entre as matérias em pauta está a MP 312/20, de autoria do Poder Executivo, que propõe a contratação de 106 médicos para o projeto ‘Mais Médico’ e institui o programa ‘Reembolso’. 

Também será votada a MP 314/20, que estabelece critérios para a aplicação de multa aos bancos que descumprirem as normas estaduais destinadas à prevenção e contenção da Covid-19 e violarem os direitos básicos do consumidor de proteção à vida, saúde e segurança.

Saiba o que pode funcionar a partir desta segunda-feira (25) no Maranhão

Já a partir de 1º de junho, serão retomadas gradualmente outras atividades, ainda a serem definidas.

A partir desta segunda-feira (25), começa a haver uma abertura lenta e gradual das atividades econômicas no Maranhão. Mas ainda estarão mantidas diversas restrições de funcionamento e será necessário seguir regras sanitárias para evitar a disseminação maior do coronavírus. 

Tudo o que já está autorizado a funcionar continua liberado a partir desta segunda (25), como supermercados, farmácias, delivery de alimentos, etc. A novidade é que também podem abrir pequenas empresas exclusivamente familiares.

Já a partir de 1º de junho, serão retomadas gradualmente outras atividades, ainda a serem definidas. Essas definições vão ser semanais. Ou seja, a cada semana serão liberadas mais atividades, de acordo com as avaliações que serão feitas. Esse processo deve durar 45 dias, ou seja, até metade do mês de julho.

Regras de cada município

Além das regras estabelecidas pelo Governo do Estado, os prefeitos têm autonomia para aplicar normas mais rígidas, dependendo da evolução do coronavírus na cidade. Ou seja, os prefeitos podem vetar o funcionamento do que está previsto no decreto estadual. Podem, inclusive, determinar o lockdown (bloqueio total das atividades).

Fiscalização

Para que as regras sejam cumpridas, todos os cidadãos podem colaborar, de modo responsável. As denúncias de funcionamento irregular ou de comportamento contrário às normas sanitárias (tanto de empresas quanto dos consumidores) podem ser feitas por três números de WhatsApp: (98) 99162-8274, (98) 98356-0374, (98) 99970-0608. A Vigilância Sanitária vai receber e encaminhar as denúncias.

Veja algumas atividades que PODEM FUNCIONAR  a partir desta segunda-feira (25) no Maranhão

Pequenas empresas exclusivamente familiares; Supermercados e mercadinhos, com metade da capacidade; Delivery de bar, restaurante, lanchonete, depósitos de bebidas e similares; Hospitais, clínicas, farmácias, óticas e laboratórios; Drive thru ou retirada no local desses mesmos estabelecimentos; Serviços de entrega e retirada de lavanderia; Lojas de tecido; Oficinas e venda de material de construção; Coleta de lixo e postos de combustível.

Veja algumas atividades que ainda NÃO PODEM FUNCIONAR

Academias, shopping centers, cinemas, teatros, bares e casas noturnas; Restaurantes, lanchonetes, salões de beleza e lojas; Visitas a pacientes suspeitos ou confirmados com coronavírus.

Dra. Thaiza Hortegal é internada com coronavírus

Segundo a nota, a situação da parlamentar requer observação e cuidados rigorosos.

A deputado estadual Dra. Thaiza Hortegal (Progressistas), foi internada em estado grave em um hospital particular de São Luís e seu estado é grave, de acordo com o boletim de sua assessoria.

Segundo a nota, a situação da parlamentar requer observação e cuidados rigorosos.

Nota

A deputada estadual Dra. Thaiza Hortegal (PP), médica pediatra, e que atuava como profissional de saúde na comissão de atendimento aos pacientes com COVID, em Pinheiro, encontra-se em estado de saúde delicado.

Sem leitos de UTI disponíveis no Hospital Regional da Baixada e nem no Hospital Municipal Antenor Abreu, que ainda estão em fase final de implantação, a parlamentar teve que ser transferida para a capital São Luís, na noite de quinta-feira (21), após os exames confirmarem COVID-19 e apresentarem um quadro clínico considerado grave.

Dra. Thaiza Hortegal deu entrada no Hospital São Domingos na madrugada desta sexta-feira (22), acompanhada do irmão, Dr. Kaio Hortegal, médico e diretor do Hospital Regional da Baixada, em Pinheiro.

O prefeito de Pinheiro e esposo da parlamentar, Luciano Genésio, recebeu informações, no fim da tarde, de que Dra. Thaiza apresentou melhoras, mas que a situação requer observação e cuidados rigorosos.

Assessoria de Comunicação
Gabinete da Dra. Thaiza Hortegal
Deputada Estadual (PP)