Com a saída de Dr. Yglésio do PDT, aumentam as especulações sobre futuro partidário do deputado

As conversas já foram iniciadas com o Solidariedade. Outros partidos, como o Cidadania, Avante, PL e PSD, estão na mira e também são alternativas do parlamentar

Com o aval da saída do PDT, dado pelo senador e presidente estadual, Weverton Rocha, o deputado estadual Dr. Yglésio já iniciou articulações para definir sua nova legenda. A mudança parte da garantia de que será candidato à prefeitura de São Luís, em 2020.

As conversas já foram iniciadas com o Solidariedade. Outros partidos, como o Cidadania, Avante, PL e PSD, estão na mira e também são alternativas do parlamentar.

A única certeza, até o momento, é que a composição das bancadas na Assembleia Legislativa do Maranhão será alterada. O PDT deve diminuir suas cadeiras de sete para seis.

Existe a possibilidade do deputado estadual Fernando Pessoa trocar o Solidariedade pelo PDT e fazer o caminho inverso do deputado Dr. Yglésio, mas nada ainda confirmado.

Destino de Gil Cutrim pode ser o Solidariedade

Sem representante maranhense na Câmara dos Deputados, o Solidariedade é um dos partidos mais cobiçados

Após votar a favor da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, desentender-se com o PDT e entrar na Justiça para não perder o mandato, o deputado federal Gil Cutrim pode migrar para outro partido. O mais comentado é o Solidariedade.

Com o pé fora do PDT, Gil Cutrim encontraria no Solidariedade uma legenda com estrutura e que faz parte da base do governador Flávio Dino (PCdoB).

As conversas para uma filiação já foram iniciadas. O que não se sabe ainda, é como se daria a entrada de Gil no partido. Se assumiria a legenda no Maranhão ou entraria apenas como um filiado.

No Maranhão, o Solidariedade é presidido pelo secretário de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, que ficou na suplência para deputado federal e não conseguiu se eleger.

Sem representante maranhense na Câmara dos Deputados, o Solidariedade é um dos partidos mais cobiçados, o que complica a permanência de Simplício Araújo na presidência.

Osmar Filho é forte no jogo da sucessão municipal

Osmar também já conta com o apoio de mais de 20 vereadores, o que garante entrada nos bairros e comunidades de São Luís

Engana-se quem coloca o nome do presidente da Câmara Municipal de São Luís, o vereador Osmar Filho (PDT), como um dos pré-candidatos menos competitivos na disputa pela prefeitura de São Luís, em 2020. Pelo contrário. Ele não é carta fora do baralho e pode ser considerado, seguramente, um dos com maior potencial de crescimento. Vejamos os porquês.

Integrante de um dos maiores partidos da capital, Osmar Filho agora é unanimidade entre a militância do PDT, essa mesma que fez prefeitos como Jackson Lago, Tadeu Palácio e elegeu Edivaldo Holanda Jr. nas últimas duas eleições.

Aliado a isso, Osmar também já conta com o apoio de mais de 20 vereadores, o que garante entrada nos bairros e comunidades de São Luís. Tem o aval do senador Weverton Rocha (PDT), forte liderança com bastante presença e capital político em São Luís, além de ser um dos principais nomes da base do governador Flávio Dino (PCdoB).

Outro detalhe, Osmar Filho é o único nome que tem o apoio declarado, até o momento, de dois partidos, o PDT e PTB.

Com todas essas vantagens, Osmar Filho está correndo por fora e em questão de tempo, seu nome deve se consolidar na disputa pela sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Jr.

Gil Cutrim anuncia processo de desfiliação do PDT

Gil Cutrim e mais seis deputados federais anunciaram que vão pedir a desfiliação de seus respectivos partidos ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

Quatro deputados federais do PDT, entre eles o maranhense Gil Cutrim e três do PSB anunciaram na tarde de terça-feira (15) que vão pedir a desfiliação de seus respectivos partidos ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O grupo está na lista de parlamentares punidos pelas siglas por votar a favor da reforma da Previdência e contrariar a posição de seus partidos.

Anunciaram o desligamento de seus partidos: Tabata Amaral (PDT-SP); Marlon Santos (PDT-RS); Gil Cutrim (PDT-MA); Flávio Nogueira (PDT-PI); Felipe Rigoni (PSB-ES); Rodrigo Coelho (PSB-SC) e Jefferson Campos (PSB-SP).

De acordo com o grupo, serão protocolados pedidos individuais, com cada deputado citando seus motivos de desfiliação. Os pedidos devem alegar justa causa, para que não corram o risco de perder o mandato.

Os pedidos ainda não tinham sido protocolados no tribunal eleitoral. Caberá ao TSE decidir se os parlamentares vão manter o mandato. Questionados, os parlamentares disseram que só discutirão para qual sigla irão após a desfiliação.

Tábata Amaral afirma que Gil Cutrim vai brigar na Justiça para não perder mandato

Se a decisão for seguida pelo deputado federal Gil Cutrim, o PDT perde seu único representante maranhense na Câmara Federal

A deputada Tábata Amaral (PDT-SP), que contrariou orientação partidária ao votar a favor da reforma da Previdência, anunciou no programa Roda Viva que sairá da legenda, mas afirmou que lutará na Justiça para não perder o mandato.

“O PDT deixou de ser meu partido. Não atuo mais como vice-líder, os projetos que eu tinha em São Paulo foram cancelados. Eu estava construindo esse partido”, afirmou.

Tabata entrará com uma ação contra o PDT, junto à Justiça Eleitoral, reivindicando a “propriedade” de seu mandato. A deputada afirmou que os deputados Flávio Nogueira, Marlon Santos e Gil Cutrim irão fazer o mesmo.

Se a decisão for seguida pelo deputado federal Gil Cutrim, o PDT perde seu único representante maranhense na Câmara Federal.

Com PDT e PTB, Osmar Filho larga vantagem na disputa pela prefeitura de São Luís

Com o PDT e o PTB juntos, Osmar Filho ganha tempo no rádio e na TV, algo crucial na disputa majoritária

Em um universo de apenas 23 partidos – os únicos dos 35 que passaram da Cláusula de Barreira – já ter o apoio de duas grandes legendas faltando ainda mais de 12 meses para as eleições já é um grande começo.

A pré-candidatura do presidente da Câmara Municipal de São Luís ganha musculatura com o apoio declarado do PTB, além de já ter a confirmação de que será o nome na disputa pela prefeitura da capital dada pelo presidente estadual do PDT, o senador Weverton Rocha.

Com o PDT e o PTB juntos, Osmar Filho ganha tempo no rádio e na TV, algo crucial na disputa majoritária.

Mas a pré-campanha continua e outros partidos podem se somar ao projeto. É esperar para saber dos próximos passos.

Flávio Dino articula frente anti-Bolsonaro nas eleições de 2020 em São Paulo

A articulação está sendo feita em São Paulo e pode se estender a Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Porto Alegre

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) está articulando a formação de uma frente de centro-esquerda de oposição a Jair Bolsonaro nas eleições municipais de 2020, informa a jornalista Mônica Bergamo, em sua coluna na Folha de S.Paulo.

A articulação está sendo feita em São Paulo e pode se estender a Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

Dino já conversou sobre o assunto com o ex-governador de São Paulo, Márcio França (PSB-SP), que pretende se candidatar a prefeito da capital paulista.

Setores do PT paulistano são simpáticos à ideia. Caso a frente se concretize, será a primeira vez, desde 1985, que a legenda não teria candidato próprio na capital.

Dino afirma que a gravidade do momento exigiria uma frente plebiscitária contra Bolsonaro que incluiria PDT, PSB, PCdoB, PSOL e PT.

A sintonia de Flávio Dino e Weverton Rocha

O registro vem num momento em que surgem muitas especulações sobre as eleições de 2020

Líder maior do grupo que interrompeu os 50 anos de domínio do grupo Sarney, o governador Flávio Dino (PCdoB) segue sendo um político admirado, de grupo, que trabalha para mostrar resultados e para tirar o Maranhão de anos de atraso. Uma das qualidades mais destacadas é o fato de sempre dialogar com sua base. E isso fica sempre evidente quando a oposição tenta plantar informações desencontradas.

Nos últimos dias, alguns meios de comunicação tentam plantar o rompimento do PCdoB e PDT nas eleições de São Luís. Mas, tanto Flávio, quando o presidente estadual do PDT, o senador Weverto Rocha, mostram a sintonia entre os dois líderes e que sempre vai permanecer o diálogo dentro do grupo. O senador Weverton fez questão de deixar isso evidenciado em suas redes.

“Em agenda com o governador Flávio Dino, conversamos bastante sobre o cenário atual, avaliando os desafios que temos, a agenda em Brasília e como podemos continuar ajudando o Maranhão. Falamos sobre Previdência, PEC da Cessão Onerosa (uma grande vitória para os municípios e estados, incluindo o MA, que terá mais esse recurso) e outras pautas. Reafirmamos a nossa parceria e a nossa unidade em favor dos maranhenses”, escreveu Weverton.

O registro vem num momento em que surgem muitas especulações sobre as eleições de 2020 e acaba com todas as artimanhas do grupo opositor em querer plantar o rompimento do grupo governista.

Ivaldo Rodrigues retira nome da disputa pela prefeitura de São Luís e declara apoio a Osmar Filho

O ato reforça o nome de Osmar Filho e a união dentro do PDT na disputa pela prefeitura da capital

O vereador licenciado e secretário municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento, Ivaldo Rodrigues (PDT), declarou na noite de quinta-feira-feira (22), a sua desistência na disputa pela prefeitura de São Luís e declarou total apoio ao pré-candidato Osmar Filho nas eleições de 2020.

“Declino de ser pré-candidato a prefeito de minha querida São Luís, em nome da unidade do PDT, partido do meu coração e da minha vida. Agora volto todo o meu pensamento e forças à minha reeleição de vereador, e continuarei fortalecendo meu trabalho a frente da Semapa.  Declaro meu apoio ao companheiro Osmar Filho rumo à vitória, na garantia de preservar o legado de trabalho do nosso partido na capital maranhense”, declarou Ivaldo.

A declaração de apoio foi dada em uma grande reunião promovida pelo secretário. O ato reforça o nome de Osmar Filho e a união dentro do PDT na disputa pela prefeitura da capital.