Jota Pinto troca Patriotas pelo PDT para disputar prefeitura de São José de Ribamar

A filiação do pré-candidato deve acontecer no próximo dia 1° de fevereiro

O ex-deputado Jota Pinto vai trocar seu atual partido, o Patriotas, para disputar as eleições municipais em São José de Ribamar, pelo PDT. A informação foi confirmada pelo pré-candidato durante entrevista ao programa Ponto Continuando, da Rádio Mais FM, na noite de quinta-feira (16).

Terceiro maior município de Maranhão, São José de Ribamar, localizado na região metropolitana de São Luís, é uma cidade estratégica e agora se torna importante para o projeto político do PDT.

A ida de Jota Pinto para o PDT é resultado de um convite feito pelo presidente estadual e senador, Weverton Rocha, além de ter a simpatia do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr.

A filiação do pré-candidato deve acontecer no próximo dia 1° de fevereiro, na cidade balneária e deve contar com a presença de boa parte da militância do PDT e outras legendas que já estão com Jota Pinto.

PDT e DEM seguem alinhados e discutindo alianças

Sobre as eleições de 2020, em São Luís, as duas legendas continuam debatendo os cenários

Duas das maiores legendas, tanto em nível nacional como no Maranhão, PDT e DEM, seguem alinhadas e articulando como serão as próximas eleições no Maranhão.

A foto que mostra o senador e presidente estadual do PDT, Weverton Rocha, o deputado federal e presidente estadual do DEM, Juscelino Filho, e o presidente nacional do DEM, o prefeito de Salvador, ACM Neto, mostra que as legendas seguem com afinidades e podem dividir projetos iguais no Maranhão.

Sobre as eleições de 2020, em São Luís, as duas legendas continuam debatendo os cenários onde já foram colocados seus dois pré-candidatos, Osmar Filho do PDT e Neto Evangelista do DEM.

Sobre uma possível aliança para 2020, só os próximos meses e as convenções podem confirmar isso.

Dr. Yglésio confirma saída do PDT

Dr. Yglésio foi eleito deputado estadual em 2018 pelo PDT, mas decidiu sair da legenda para tentar disputar as eleições para a prefeitura de São Luís, em 2020.

O deputado estadual Dr. Yglésio anunciou nesta terça-feira (17), por meio de suas redes sociais, a confirmação de sua saída do PDT.

“A alegria de quem pode correr atrás dos seus sonhos. Que venha 2020! Saindo do TRE, depois do resultado favorável à nossa ação de desfiliação partidária. Agradeço ao PDT Maranhão pela oportunidade de fazer parte deste grande partido e a sua anuência em me liberar sem obstáculos para discutir São Luís no próximo ano! Vamos em frente!”, escreveu o parlamentar.

Dr. Yglésio foi eleito deputado estadual em 2018 pelo PDT, mas decidiu sair da legenda para tentar disputar as eleições para a prefeitura de São Luís, em 2020. O pré-candidato tenta agora encontrar um partido para entrar oficialmente na disputa.

Dr. Yglésio na busca de uma legenda para disputar eleição em 2020

O prazo vai até abril de 2020 e, pelo menos, três legendas seguem dialogando com o pré-candidato

O deputado estadual e pré-candidato a prefeito de São Luís, Dr. Yglésio, permanece sem legenda para disputar a sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, em 2020.

Eleito pelo PDT em 2018, Dr. Yglésio tinha apalavreada a possibilidade de disputar a eleição pelo Solidariedade, mas o partido mudou os planos e deve apoiar a candidatura do atual juiz federal, José Carlos do Vale Madeira, que está em processo de aposentadoria.

Sem o apoio do PDT e do Solidariedade, o parlamentar continua a busca por uma nova legenda que dê a garantia de uma candidatura.

O prazo vai até abril de 2020 e, pelo menos, três legendas seguem dialogando com o pré-candidato.

Com a saída de Dr. Yglésio do PDT, aumentam as especulações sobre futuro partidário do deputado

As conversas já foram iniciadas com o Solidariedade. Outros partidos, como o Cidadania, Avante, PL e PSD, estão na mira e também são alternativas do parlamentar

Com o aval da saída do PDT, dado pelo senador e presidente estadual, Weverton Rocha, o deputado estadual Dr. Yglésio já iniciou articulações para definir sua nova legenda. A mudança parte da garantia de que será candidato à prefeitura de São Luís, em 2020.

As conversas já foram iniciadas com o Solidariedade. Outros partidos, como o Cidadania, Avante, PL e PSD, estão na mira e também são alternativas do parlamentar.

A única certeza, até o momento, é que a composição das bancadas na Assembleia Legislativa do Maranhão será alterada. O PDT deve diminuir suas cadeiras de sete para seis.

Existe a possibilidade do deputado estadual Fernando Pessoa trocar o Solidariedade pelo PDT e fazer o caminho inverso do deputado Dr. Yglésio, mas nada ainda confirmado.

Destino de Gil Cutrim pode ser o Solidariedade

Sem representante maranhense na Câmara dos Deputados, o Solidariedade é um dos partidos mais cobiçados

Após votar a favor da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, desentender-se com o PDT e entrar na Justiça para não perder o mandato, o deputado federal Gil Cutrim pode migrar para outro partido. O mais comentado é o Solidariedade.

Com o pé fora do PDT, Gil Cutrim encontraria no Solidariedade uma legenda com estrutura e que faz parte da base do governador Flávio Dino (PCdoB).

As conversas para uma filiação já foram iniciadas. O que não se sabe ainda, é como se daria a entrada de Gil no partido. Se assumiria a legenda no Maranhão ou entraria apenas como um filiado.

No Maranhão, o Solidariedade é presidido pelo secretário de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, que ficou na suplência para deputado federal e não conseguiu se eleger.

Sem representante maranhense na Câmara dos Deputados, o Solidariedade é um dos partidos mais cobiçados, o que complica a permanência de Simplício Araújo na presidência.

Osmar Filho é forte no jogo da sucessão municipal

Osmar também já conta com o apoio de mais de 20 vereadores, o que garante entrada nos bairros e comunidades de São Luís

Engana-se quem coloca o nome do presidente da Câmara Municipal de São Luís, o vereador Osmar Filho (PDT), como um dos pré-candidatos menos competitivos na disputa pela prefeitura de São Luís, em 2020. Pelo contrário. Ele não é carta fora do baralho e pode ser considerado, seguramente, um dos com maior potencial de crescimento. Vejamos os porquês.

Integrante de um dos maiores partidos da capital, Osmar Filho agora é unanimidade entre a militância do PDT, essa mesma que fez prefeitos como Jackson Lago, Tadeu Palácio e elegeu Edivaldo Holanda Jr. nas últimas duas eleições.

Aliado a isso, Osmar também já conta com o apoio de mais de 20 vereadores, o que garante entrada nos bairros e comunidades de São Luís. Tem o aval do senador Weverton Rocha (PDT), forte liderança com bastante presença e capital político em São Luís, além de ser um dos principais nomes da base do governador Flávio Dino (PCdoB).

Outro detalhe, Osmar Filho é o único nome que tem o apoio declarado, até o momento, de dois partidos, o PDT e PTB.

Com todas essas vantagens, Osmar Filho está correndo por fora e em questão de tempo, seu nome deve se consolidar na disputa pela sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Jr.

Gil Cutrim anuncia processo de desfiliação do PDT

Gil Cutrim e mais seis deputados federais anunciaram que vão pedir a desfiliação de seus respectivos partidos ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

Quatro deputados federais do PDT, entre eles o maranhense Gil Cutrim e três do PSB anunciaram na tarde de terça-feira (15) que vão pedir a desfiliação de seus respectivos partidos ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O grupo está na lista de parlamentares punidos pelas siglas por votar a favor da reforma da Previdência e contrariar a posição de seus partidos.

Anunciaram o desligamento de seus partidos: Tabata Amaral (PDT-SP); Marlon Santos (PDT-RS); Gil Cutrim (PDT-MA); Flávio Nogueira (PDT-PI); Felipe Rigoni (PSB-ES); Rodrigo Coelho (PSB-SC) e Jefferson Campos (PSB-SP).

De acordo com o grupo, serão protocolados pedidos individuais, com cada deputado citando seus motivos de desfiliação. Os pedidos devem alegar justa causa, para que não corram o risco de perder o mandato.

Os pedidos ainda não tinham sido protocolados no tribunal eleitoral. Caberá ao TSE decidir se os parlamentares vão manter o mandato. Questionados, os parlamentares disseram que só discutirão para qual sigla irão após a desfiliação.

Tábata Amaral afirma que Gil Cutrim vai brigar na Justiça para não perder mandato

Se a decisão for seguida pelo deputado federal Gil Cutrim, o PDT perde seu único representante maranhense na Câmara Federal

A deputada Tábata Amaral (PDT-SP), que contrariou orientação partidária ao votar a favor da reforma da Previdência, anunciou no programa Roda Viva que sairá da legenda, mas afirmou que lutará na Justiça para não perder o mandato.

“O PDT deixou de ser meu partido. Não atuo mais como vice-líder, os projetos que eu tinha em São Paulo foram cancelados. Eu estava construindo esse partido”, afirmou.

Tabata entrará com uma ação contra o PDT, junto à Justiça Eleitoral, reivindicando a “propriedade” de seu mandato. A deputada afirmou que os deputados Flávio Nogueira, Marlon Santos e Gil Cutrim irão fazer o mesmo.

Se a decisão for seguida pelo deputado federal Gil Cutrim, o PDT perde seu único representante maranhense na Câmara Federal.