No Rio de Janeiro, Flávio Dino destaca avanços da segurança pública no Maranhão

Os índices de redução de criminalidade do Maranhão foram destaque durante palestra do governador Flávio Dino no Fórum Violência e Direito à Segurança Pública, na capital do Rio de Janeiro. O evento, realizado na noite de sexta-feira (30), é promovido conjuntamente pelo Armazém Utopia e o Instituto Ensaio Aberto. Na ocasião, Flávio Dino mostrou os investimentos em segurança pública e no sistema penitenciário que permitem a trajetória descendente dos números de violência em todo o estado.

O governador lembrou que, após ações efetivas na área da segurança pública, São Luís deixou a lista das 50 cidades mais violentas do mundo. A atual gestão do Governo do Estado investe na valorização profissional, aumento do efetivo, descentralização da atuação policial, policiamento ostensivo e estratégico, nova frota veicular e novos armamentos. No mês de julho, período de férias e de grande movimentação, por exemplo, outra conquista: o Maranhão apresentou o menor índice de homicídios dos últimos 14 anos.

“Procuramos o máximo, no nosso estado, que segurança pública e direitos humanos não sejam antinômicos. Temos resultados inequívocos. Quando assumimos o Governo, a ilha de São Luís tinha três homicídios por dia. Hoje conseguimos reduzir para um. Quando terminar 2019, esse número vai ser ainda menor”, pontuou o governador.

As conquistas no Sistema Penitenciário também mereceram destaque. Em 2013, foram registrados 61 homicídios dentro do complexo penitenciário. Até o momento, em 2019, há o registro de apenas um caso. Segundo análise do governador, a redução do número é fruto dos investimentos em educação e trabalho dentro do sistema.

“Multiplicamos por cinco o número de presos trabalhando e estudando. Não é mágica, é prioridade. Assumimos um gasto anual médio de R$ 170 milhões por ano e elevamos para R$ 300 milhões. Fizemos porque acreditamos que esse é o caminho”, defendeu Flávio Dino.O governador reconheceu ainda a importância dos investimentos em educação para a redução dos índices de criminalidade. “Inauguramos 19 escolas no mês de agosto. Estamos perseguindo a meta de 1000 obras educacionais, porque é a forma prática de um governo abrir caminho e oportunidades “, enfatizou.

“Alfabetizamos 100 mil adultos, dobramos o número de bolsas de pesquisa, enviamos mais de 300 alunos de escolas públicas para estudar no exterior, criamos mais uma universidade estadual, implantamos 50 escolas de tempo integral. São muitas conquistas que não estão com o Governo, estão com as pessoas”, enumerou o governador Flávio Dino.

Todos os números positivos são fruto da alta taxa de investimentos no estado, a segunda maior do país, mesmo em um cenário de crise econômica nacional. “Nós investimos 11% da Receita Corrente Líquida. É uma resistência prática que procuramos fazer no Maranhão”, disse.

Porto do Itaqui bate recorde histórico de movimentação mensal de cargas

Esses números são fruto, principalmente, do crescimento de movimentação do milho, dos fertilizantes e de granéis líquidos

O Porto do Itaqui bateu recorde histórico de movimentação mensal, fechando agosto com mais de 2,8 milhões de toneladas de cargas. O aumento é de 17% sobre o recorde mensal anterior, de outubro de 2018 (2,4 milhões de toneladas) e 37% acima do registrado em agosto do ano passado. E no acumulado desde janeiro, o porto público do Maranhão movimentou 16,1 milhões de toneladas de cargas, 18% a mais do que no mesmo período em 2018.

Esses números são fruto, principalmente, do crescimento de movimentação do milho, dos fertilizantes e de granéis líquidos. Também contribuem para esse novo recorde os investimentos da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) e da iniciativa privada na ampliação da infraestrutura do Porto do Itaqui.

“Nossos resultados refletem os esforços voltados ao aumento da produtividade por meio de capacitação de equipe, investimentos em equipamentos e tecnologia, tudo dentro de uma concepção de gestão com foco em resultados”, afirma o presidente da Emap, Ted Lago.

Com 745,3 mil toneladas movimentadas, as operações de combustíveis tiveram aumento de 79% sobre o planejado e de 31% em relação ao total operado em agosto de 2018. Essa alta vem sendo registrada desde a entrada em operação do Berço 108 e a retomada da movimentação de carga de entreposto de combustíveis para as demais regiões do país, no ano passado.

Também, foi registrado recorde histórico na movimentação mensal de milho e de fertilizantes. O volume de milho chegou a 693 mil toneladas, o que representa alta de 162% em relação ao planejado para o mês e de 421% sobre o que foi movimentado no mesmo período do ano passado.

Com volume de 310,5 mil toneladas movimentadas, as operações de fertilizantes cresceram 41% sobre o planejado e 228% em relação ao total importado em agosto passado. Em breve esses números serão ainda maiores em razão dos investimentos de mais de R$ 1 bilhão, entre recursos públicos e privados a serem aplicados até 2022 na ampliação de infraestrutura do Tegram, e de novo terminal de fertilizantes e expansão de tancagem (combustíveis).

Aluísio Mendes assume PSC maranhense

Aluísio sai do Podemos e assume a presidência do PSC com a promessa de preparar a legenda para as eleições de 2020 e 2022.

Na manhã de sexta-feira (30), o deputado federal Aluísio Mendes assumiu o comando do PSC no Maranhão. A cerimônia de filiação teve a participação do presidente nacional da legenda, Pastor Everaldo, além do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel.

Aluísio sai do Podemos e assume a presidência do PSC com a promessa de preparar a legenda para as eleições de 2020 e 2022.

Na cerimônia de ontem, mais de dez prefeitos anunciaram filiação ao PSC, além do vereador de São Luís, Dr. Gutemberg.

Vale lembrar que o PSC é a sétima legenda da vida política de Aluísio Mendes, que está no seu segundo mandato na Câmara dos Deputados.

Maranhão antecipa folha de agosto, enquanto Rio Grande do Sul paga atrasado folha de julho

Aos críticos de plantão, Flávio segue mostrando a saúde financeira do estado, mesmo com a crise nacional

O governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou, por meio de suas redes sociais, a antecipação do pagamento dos servidores públicos do Maranhão, referente ao mês de agosto, que seria efetuado no início de setembro.

“Pagamento dos servidores do Governo do Maranhão, relativo a agosto de 2019, será feito no dia 31”, escreveu Flávio.

Há mais de quatro anos, o Governo do Maranhão paga antecipadamente o salários dos servidores públicos. Aos críticos de plantão, Flávio segue mostrando a saúde financeira do estado, mesmo com a crise nacional.

Enquanto isso, o governo do Rio Grande do Sul quitou nesta sexta-feira (30), os salários referentes à folha de julho dos servidores estaduais. Segundo o estado, a folha de agosto começará a ser paga no dia 10 de setembro, mesma data em que entrarão as consignações referentes a julho. No último dia 20, foram pagos os salários de julho de 80% do funcionalismo gaúcho. Servidores estaduais que recebem acima de R$ 2,5 mil líquidos tiveram quitados valores até R$ 5 mil.

Conforme a Secretaria da Fazenda, a quitação dos salários de julho foi possível, nesta sexta, pela economia de despesas e melhora das receitas nos últimos dias, o que deu segurança para antecipar o pagamento. Anteriormente, o estado havia anunciado que só iria quitar a folha de julho em 10 de setembro.

“Extremismo não é adequado para algo complexo como meio ambiente”, afirma Dino em reunião com Bolsonaro

Para Flávio Dino, é preciso “moderação e diálogo”. Dino se referia ao embate entre Bolsonaro e o presidente francês, Emmanuel Macron.

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), reclamou da postura do presidente Jair Bolsoanro (PSL) na condução da crise ambiental deflagrada tanto pela alta no desmatamento quanto pelas queimadas na Amazônia. Para ele, é preciso “moderação e diálogo”. Dino se referia ao embate entre Bolsonaro e o presidente francês, Emmanuel Macron.

Dino alertou para os possíveis efeitos do entrevero internacional. “O extremismo não é adequado para uma questão complexa como o meio ambiente. Quando se solta uma faísca no nível mais alto do poder, pode gerar um incêndio quando chegar lá embaixo. Não é com uma postura reativa que vamos sair dessa crise internacional de imagem que o Brasil se encontra”, destacou.

O governador continuou: “Não podemos rasgar a Constituição. Precisamos proteger a soberania nacional. Ela não se afirma retoricamente, mas sim, no cumprimento de ações. Ela não é retórica, um slogan. Não podemos repelir ações cooperadas. O diálogo com outros países é imprescindível. Por obvias razões. Se o Brasil se isola, ele se expõe a sanções internacionais”, disse durante a reunião com Bolsonaro.

O chefe do Executivo maranhense pediu o destravamento dos recursos do Fundo Amazônia. “Temos projetos em andamento e outros que aguardam análise do fundo. No Maranhão, temos um projeto para compra de equipamentos de R$ 33 milhões que aguarda apreciação. Espero que haja esse destravamento. Não podemos rasgar dinheiro. Isso não é sensato”, frisou.

Dino defendeu que em vez de embates, o governo deve priorizar o uso sustentável da Amazônia. “Não precisamos de modificações legislativas, já estão aprovados nos governos anteriores. Temos uma legislação ambiental considerada uma das melhores do mundo. Uso consciente e inteligente da Amazônia. O que é possível”, concluiu.

O governador oposicionista ainda criticou recentes declarações de Bolsonaro, mas não o citou nominalmente. “Não podemos dizer que as ONGs são inimigas do Brasil. Temos que distinguir o trabalho que pode ajudar a proteger a Amazônia brasileira. Os índios são brasileiros e brasileiras que têm direitos assegurados pela Constituição, como uso e preservação de suas terras”, afirmou.

Flávio Dino anuncia medida para combater incêndios no Maranhão

Fica proibido, de 27 de agosto até 30 de novembro de 2019, o uso de fogo para limpeza e manejo de áreas

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), anunciou, por meio de suas redes sociais, medida que visa combater os incêndios no Maranhão. Fica proibido, de 27 de agosto até 30 de novembro de 2019, o uso de fogo para limpeza e manejo de áreas. Nos últimos dias, a Amazônia Legal, estados onde o Maranhão está incluído, vem sofrendo com um número muito grande de incêndios florestais.

“Considerando que o Maranhão integra a Amazônia Legal, e visando prevenir situações críticas quanto a queimadas, editei agora Decreto PROIBINDO o uso de fogo para limpeza de áreas”, escreveu Flávio Dino.

Flávio Dino anuncia a medida após o Maranhão ter sido excluído, juntamente com o Amapá, da operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) determinada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), para conter as queimadas.

Até agora, o emprego dos militares já foi autorizado em sete estados: Rondônia, Roraima, Pará, Tocantins, Mato Grosso, Acre e Amazonas. O decreto que instituiu a GLO permite o reforço das Forças Armadas para os estados da Amazônia Legal desde que os governadores formalizem o pedido.

Bombeiros e Exército montam estratégia para prevenção contra queimadas no Maranhão

Como parte do trabalho de prevenção, 150 integrantes do Exército estão sendo capacitados pelo Corpo de Bombeiros do Maranhão para o combate e a prevenção de queimadas

O Corpo de Bombeiros do Maranhão e o Exército brasileiro montaram nesta segunda-feira (26) uma sala de situação para fazer o monitoramento das queimadas no Estado. A sala tem um trabalho preventivo, já que a situação no Maranhão não está fora de controle. Agosto é um mês de estiagem, em que há historicamente mais incidências de queimadas no Estado.

“É uma ação daqui para frente permanente. Enquanto durar o período crítico, estaremos reunidos. O Maranhão está numa situação sob controle, mas a gente não está se descuidando de que é necessário entrar com a prevenção, a fim de evitar o aumento no número de queimadas”, afirma o coronel Célio Roberto, comandante do Corpo de Bombeiros no Maranhão.

Como parte do trabalho de prevenção, 150 integrantes do Exército estão sendo capacitados pelo Corpo de Bombeiros do Maranhão para o combate e a prevenção de queimadas. O trabalho faz parte da continuidade de cooperação já existente entre o Exército e os bombeiros, de acordo com o tenente-coronel Luciano Sousa Filho, comandante do 24º Batalhão de Infantaria de Selva.

“Já temos uma parceria ao longo do ano com o Corpo de Bombeiros para capacitação de nossas equipes de prevenção e combate a incêndio. Estamos aproveitando para reciclar o conhecimento do nosso pessoal. Essa parceria já é muito forte entre o Corpo de bombeiros do Maranhão e o Exército brasileiro. Prontamente atenderam o nosso chamado para reciclar o conhecimento da nossa companhia operacional”, afirma o tenente-coronel.

Nesta terça-feira (27), será feito um sobrevoo nas áreas onde se registram os maiores focos de queimada. “Estamos com todo o planejamento pronto para enfrentar esse período de estiagem de 2019. Temos o trabalho do Batalhão de Bombeiros Ambiental e as unidades operacionais do interior do Estado, que inclusive já estão trabalhando bastante no combate aos focos de incêndio em todo o Maranhão”, conta o major José Lisboa, dos Bombeiros.

“Estamos trabalhando no sentido de prevenir. No momento, não temos a necessidade de montar a força-tarefa para pronto-emprego. Mas já estamos fazendo a preparação de todo esse pessoal para, caso seja necessário, já estar apto e capacitado para enfrentar esse combate em qualquer município do nosso estado”, diz Lisboa.

Maranhão mantém alta de geração de emprego

Os dados do Caged mostram que, referente aos primeiros setes meses de 2019, foram registradas 6,1 mil contratações líquidas no Maranhão, saldo decorrente de 94.386 admissões e 88.277 demissões

Mesmo em um período onde o país ainda apresenta um cenário de crise econômica e política, o Maranhão mostra sinais de que está ‘remando contra a correnteza’ e mantém a alta na geração de empregos formais no ano de 2019. Apresentando um bom equilíbrio entre o número de admissões e demissões, o Estado registra um saldo positivo de mais de 6 mil novos postos de trabalho no ano.

Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados sexta-feira (23), mostram que, referente aos primeiros setes meses de 2019, foram registradas 6,1 mil contratações líquidas no Maranhão, saldo decorrente de 94.386 admissões e 88.277 demissões. Em relação à distribuição setorial, o setor de Serviços apresentou o maior saldo de contratações no acumulado do ano, com 6,4 mil novos postos de trabalho.

Além do setor de Serviços, mais três contrataram mais do que demitiram, de janeiro a julho de 2019. O saldo ficou positivo ainda nos setores de Indústria de Transformação, com 800 novas contratações, Agropecuária, com 501 novas vagas e Extrativa Mineral, com a abertura de 41 novos postos de trabalho. E negativo, nos setores da Construção Civil, Serviços Industriais de Utilidade Pública, Comércio e Administração Pública.

Os dados do Caged apontam que pelo segundo mês consecutivo, o emprego formal cresceu no Maranhão. Os números revelam que, em julho, houve abertura de vagas em seis dos oito setores da economia. O maior número de empregos criados foi registrado na Construção Civil, com saldo de 656 contratações. Tiveram registro de novas vagas, também, os setores do Comércio, Extrativa Mineral, Agropecuária, Administração Pública e Serviços Industriais de Utilidade Pública. Serviços e Indústria de Transformação foram os únicos setores que demitiram no período.

Mais uma mostra de que o Maranhão caminha na contramão do cenário de crise e estagnação econômica, é a queda no desemprego no estado, no 2º trimestre de 2019, apontada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em pesquisa divulgada esse mês. A taxa de desemprego média no estado recuou para 14,6% no 2º trimestre, ante 16,3% no 1º trimestre, representando uma queda de 1,7 pontos percentuais.

Fim das coligações pode unir DEM e PSDB, diz Rodrigo Maia

Em uma possível fusão do DEM e PSDB, com quem ficaria o novo partido no Maranhão?

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que, com o fim das coligações nas eleições, afusão entre DEM e PSDB é uma “forte possibilidade”. No Maranhão o DEM é presidido pelo deputado federal Juscelino Filho e o PSDB pelo senador Roberto Rocha.

“Não tenho dúvida de que o fim das coligações vai nos levar, no futuro, à necessidade de uma reorganização partidária, aonde o Brasil voltará a ter três, quatro, cinco partidos fortes. Um desses partidos fortes será certamente, com uma forte possibilidade daqui a alguns anos, o DEM e o PSDB com uma mesma força”, afirmou Maia.

Nesta terça, o presidente da Câmara disse ainda que DEM e PSDB estão juntos nas próximas eleições municipais e qualificou Doria como um “ótimo nome” para concorrer à Presidência. “PSDB e DEM estarão juntos em 2020, estarão juntos em 2022. Nada diferente do que vem acontecendo desde a primeira eleição do presidente Fernando Henrique. Estaremos cada vez mais próximos e mais fortes”, sentenciou.

Em uma possível fusão das legendas, com quem ficaria o novo partido no Maranhão? Com Roberto Rocha que conseguiu a proeza de desidratar por completo o PSDB ou Juscelino, que tem um cargo menor do que Roberto, é jovem e tem mais tempo de menos tempo de vida política, mas mesmo assim está fazendo com que o DEM se torne um dos maiores partidos do Estado? Fica o questionamento…