Na presença de velhos caciques, MDB do Maranhão prega renovação

Mesmo na presença do atual presidente nacional da legenda, o jovem deputado federal Baleia Rossi, o que se viu é que o MDB do Maranhão continua parado no tempo

Durante o encontro estadual de lideranças do MDB, realizado na Assembleia Legislativa do Maranhão, o discurso de todos os presentes foi de renovação. O fato é que os discursos e as falas estão longe da renovação que a legenda necessita após passar por tantas derrotas nos últimos anos.

No encontro, o que se viu é que o atual presidente do MDB João Alberto, não deseja largar a política e que após ser governador, senador e deputado, vai disputar uma das vagas na Câmara Municipal de Bacabal.

O que se viu também foi uma tentativa de colocar novamente a ex-governadora na cena política para que ela seja uma das candidatas à prefeitura de São Luís. A mesma Roseana que já foi governadora por quatro mandados.

Mesmo na presença do atual presidente nacional da legenda, o jovem deputado federal Baleia Rossi, o que se viu é que o MDB do Maranhão continua parado no tempo. Sem a perspectiva do surgimento de lideranças jovens.

Roberto Costa afirma que MDB já definiu nome de Roseana Sarney para disputa em São Luís

Vale lembrar que, para pessoas mais próximas, a ex-governadora já afirmou que não pretende entrar na disputa pela prefeitura de São Luís

O deputado estadual Roberto Costa (MDB) voltou a defender, durante discurso na Assembleia Legislativa, que seu partido lance o nome da ex-governadora Roseana Sarney como candidata a prefeita de São Luís, em 2020.

“O nosso partido, tanto o Diretório Municipal de São Luís como o Diretório Estadual do partido, tomou uma posição em relação a São Luís, onde nós teremos uma candidatura própria a prefeito. Nós temos vários nomes que já foram discutidos e que estão sendo discutidos no partido, mas o partido tomou uma decisão muito clara e definitiva de que é para a cidade de São Luís apresentar o nome da ex-Governadora Roseana para disputar a Prefeitura de São Luís pelo MDB. É uma decisão que o partido toma no sentido, primeiro, de respeitar todo o legado da Governadora Roseana por tudo o que ela fez pela cidade de São Luís”, disse Roberto Costa.

O parlamentar prosseguiu falando dos argumentos da defesa da ex-governadora pela legenda. “As grandes obras estruturantes passaram pela Roseana. A avenida Via Expressa, a avenida IV Centenário, os viadutos, os Viva’s, as UPAs, tudo foi construção dela. Por isso a proposta que nós temos é a candidatura da ex-governadora Roseana Sarney”, afirmou.

Vale lembrar que, para pessoas mais próximas, a ex-governadora já afirmou que não pretende entrar na disputa pela prefeitura de São Luís e que segue afastada da política.

Adriano Sarney e Roseana Sarney em palanques separados nas eleições de São Luís?

O comentário desta quinta-feira (7), é sobre a possível candidatura da ex-governadora Roseana Sarney para prefeitura de São Luís, Adriano Sarney afirma que também será candidato

Um tanto quantos improvável que nas próximas eleições municipais em São Luís, dois nomes do grupo Sarney estejam na disputa e ainda mais, encabeçando candidaturas diferentes.

O comentário desta quinta-feira (7), é sobre a possível candidatura da ex-governadora Roseana Sarney na eleição para a sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

Pelos últimos resultados, como a derrota para o governador Flávio Dino (PCdoB), em 2018. A ex-governadora não entraria em uma nova disputa para perder. No máximo um cargo no legislativo federal ou estadual seria o que Roseana, nos seus 66 anos de idade toparia.

Um outro detalhe é que o deputado estadual Adriano Sarney (PV) afirma para todos que não retira seu nome em nenhuma hipótese.

O que reforça que a eleição na capital não terá dois nomes do grupo Sarney. Se unidos já não garantem vitórias majoritárias, imagine separados.

MDB fala em renovar, mas nova direção tem filhos de políticos e chapa única

O nome da ex-governadora, Roseana Sarney, acabou sendo ventilado como um dos possíveis nomes para a direção, mas acabou não acontecendo.

Sob o discurso da renovação, o MDB elegeu neste domingo chapa única composta por filhos e apadrinhados de caciques da legenda. Dos nove integrantes da nova cúpula, três são filhos nomes tradicionais do partido e seis já estão na política há muitos anos. O deputado federa l Baleia Rossi (SP), que é filho do ex-ministro da Agricultura na gestão do PT, Wagner Rossi, assume a presidência com a missão de unificar o partido.

Batizada de Renovação Democrática, a chapa foi aprovada por 311 votos, dos 209 convencionais. A eleição não teve a presença do ex-presidente Michel Temer. O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, disponibilizou seu avião para levá-lo a Brasília, mas Temer não foi. O mais tietado foi o ex-presidente José Sarney, que aos 89 anos, se disse “jovem” e entusiasmou a militância a participar da política. Também participaram tradicionais nomes da legenda, como o ex-senador Eunício Oliveira (CE), Renan Calheiros (AL), Eduardo Braga (AM).

A legenda perdeu quase metade da sua bancada na Câmara nas eleições de 2018, e várias de suas lideranças históricas foram presas ou respondem a processos por corrupção, como o próprio Temer.

A chapa tem na terceira-vice presidência o ex-deputado federal Daniel Vilela, filho do ex-governador de Goiás, Maguito Vilela, e na secretaria-geral o deputado Newton Cardoso Júnior, filho do ex-governador de Minas Gerais Newton Cardoso. A primeira vice é ocupada pelo senador Confúcio Moura, que já governou Rondônia por duas vezes, já foi prefeito por dois mandatos e deputado federal.

A segunda vice presidência fica com o deputado federal Carlos Chiodini (SC) e a primeira-secretaria será comandado pelo deputado estadual Gabriel Souza (RS). Ambos representam a bancada do sul, muito representativa na Câmara. A segunda-secretaria do MDB será do prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis (RJ), ex-deputado federal.

A chave do cofre do MDB fica aos comandos do senador Marcelo Castro (PI). Ex-deputado federal por cinco mandatos, Castro teve o apoio dos senadores Eduardo Braga (MDB-AM) e Renan Calheiros (MDB-AL) para se alçar ao posto de tesoureiro da legenda. Marcelo Castro terá como adjunto o deputado federal Raul Henry (PE), que atende à indicação do ex-deputado federal e senador Jarbas Vasconcelos (PE).

O nome da ex-governadora, Roseana Sarney, acabou sendo ventilado como um dos possíveis nomes para a direção, mas acabou não acontecendo.

Roseana e João Alberto no fim de suas carreiras políticas

Caso as duas candidaturas aconteçam, iriam confirmar o fim menos triste das carreiras políticas de Roseana Sarney e João Alberto

Políticos que comandaram o Maranhão por várias décadas, Roseana Sarney e João Alberto, ambos do MDB, ainda não desistiram da vida política e podem disputar mais uma eleição, dessa vez em cargos menores, para não amargarem outras derrotas.

A ex-governadora Roseana Sarney estaria disposta a competir uma das 42 cadeiras da Assembleia Legislativa do Maranhão. Quatro vezes governadora, mas derrotada pelo governador Flávio Dino em 2018, Roseana viu seu capital político ser reduzido e encontraria no parlamento estadual uma forma de não acabar sua vida política derrotada.

Já o ex-senador João Alberto deve disputar uma vaga na Câmara Municipal de Bacabal, antigo desejo do político que também já governou o Maranhão.

Caso as duas candidaturas aconteçam, iriam confirmar o fim menos triste das carreiras políticas de Roseana Sarney e João Alberto, que por muitos anos comandaram o Maranhão, mas hoje, após várias derrotas, estão bem distantes da aceitação da população.

Isolado, Chiquinho Escórcio cobra que grupo Sarney comece a agir

Chiquinho defendeu que seu grupo político já trabalhe nomes desde agora

Totalmente desgastado e sem optar por uma renovação, o grupo Sarney caminha para mais derrotas. Isso é o que sinalizou o ex-senador e ex-deputado Chiquinho Escórcio (MDB), em uma postagem no Facebook.

Chiquinho defendeu que seu grupo político já trabalhe nomes desde agora. E deu a entender que a ex-governadora Roseana Sarney deva se candidatar ao Senado Federal e seu irmão, Sarney Filho, ao governo.

“O grupo Sarney, não pode errar como em 2014 e 2018, em colocar seus candidatos faltando 3 meses para as eleições, o grupo já deve ter o nome que vai liderar a oposição a partir de agora, as eleições de 2022 devem ser diferente, acredito que o grupo Sarney já tem o nome de seus candidatos ao governo e senado para as eleições de 2022″, escreveu.

Aluísio Mendes tenta inviabilizar Maura Jorge no governo Bolsonaro

Desde o início do governo Bolsonaro, Maura Jorge tenta ganhar espaço na esfera federal, mas após meses com suas andanças em Brasília, não conseguiu nenhuma indicação

O deputado federal Aluísio Mendes, presidente do Podemos no Maranhão e aliado do clã Bolsonaro, estaria trabalhando para inviabilizar a ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge (PSL), no governo Bolsonaro, a pedido de Roseana Sarney (MDB).

Roseana Sarney ainda teria intenções de disputar mais uma eleição em 2022, mas, desta vez, para o Senado Federal e enxerga em Maura Jorge uma possível rival na disputa.

Desde o início do governo Bolsonaro, Maura Jorge tenta ganhar espaço na esfera federal, mas após meses com suas andanças em Brasília, não conseguiu nenhuma indicação.

Se não bastasse o desprestígio com o governo Bolsonaro, a ex-candidata ao governo do Estado ainda enfrenta uma disputa interna com o presidente do PSL no Maranhão, o vereador Chico Carvalho.

Morte de Bita do Barão repercute no meio político e na imprensa nacional

O Jornal Nacional noticiou, na noite de quinta, a morte do pai de santo

Políticos e entidades se manifestaram pela morte do Pai de Santo, Bita do Barão, na tarde de quinta-feira (18) na UTI de um hospital particular de Teresina, no Piauí. Ele estava internado há 10 dias devido a uma infecção pulmonar, que se agravou para um problema renal e de pressão alta. A morte repercutiu na imprensa nacional. O Jornal Nacional noticiou, na noite de quinta, a morte do pai de santo.

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Igualdade Racial, lamentou o falecimento do religioso de matriz africana, Wilson Nonato de Souza, conhecido como Bita do Barão. A nota afirmou que, neste momento de perda para as comunidades de matriz africana, o Governo do Maranhão se solidariza com a família e com as lideranças religiosas dos cultos afros.

Para a ex-governadora Roseana Sarney, Bita do Barão será sempre um referência de preservação do culto e religião de matrizes africanas e externos seu pesar aos familiares, amigos e seguidores do Babalorixá. Para o deputado estadual César Pires, Bita era um líder religioso respeitado e amado por milhares de codeenses e além das fronteiras de Codó.

A Federação de Umbanda e Culto Afro-Brasileiro do Maranhão (FUCABMA) lamentou profundamente a passagem para o plano espiritual, afirmando que Bita do Barão teve uma esplendorosa trajetória espiritual no plano terrestre. O vereador, vice-presidente da Câmara Municipal de São Luís e pai de Santo, Astro de Ogum (PR) também emitiu uma nota lamentando o falecimento de Bita do Barão. No texto, o vereador disse que a Umbanda perde um dos seus maiores filhos e manifestou condolências aos familiares, amigos e admiradores.

Flávio Dino rebate ataques de opositores

Flávio Dino também comentou que, mesmo com a torcida da família Sarney para que o Estado quebre, o Maranhão anda com as finança em dia

O governador Flávio Dino (PCdoB) manifestou-se, por meio de suas redes sociais, sobre os ataques que vem sofrendo da oposição. A ação orquestrada teve início após o Governo do Estado ter encaminhado para a Assembleia Legislativa um pedido para autorização de um empréstimo de R$ 600 milhões. O dinheiro deve ser usado para o pagamento de precatórios deixados pelo governo Roseana Sarney.

“Lamento que a turma do passado insista em mentir e agredir. Quem deu calote em precatórios (dívidas judiciais) foi Roseana Sarney. Quase nada pagou entre 2012 e 2014. Eu já paguei mais de R$ 500 milhões desse rombo que eles deixaram. E esse é apenas um dos rombos. Todos os empréstimos bilionários que eles fizeram no passado são pagos por mim. Inclusive uma estranha dívida atrelada à variação do DÓLAR. Que sangra dramaticamente os cofres do Maranhão. E eles ainda têm coragem de falar em “rombos”?”, escreveu Flávio Dino.

Flávio Dino também comentou que, mesmo com a torcida da família Sarney para que o Estado quebre, o Maranhão anda com as finança em dia.

“Desde 2015 que pregam que o Maranhão está “quebrado” e anunciam o caos. Torcem pelo pior. Nunca gostaram do Maranhão e sim dos seus interesses familiares. Com síndrome de abstinência de cofres públicos, ficam agressivos. Pegamos a maior recessão econômica nacional desde 1929. Não me queixo. Luto com o que tenho e como posso. Mantemos o Estado funcionando. Ampliamos serviços públicos. Eles foram rejeitados em 2014 e 2018, mas, em desespero, querem voltar a mandar no grito. Coisa feia”, concluiu Flávio.