PDT tentará emplacar Rosângela Curado como candidata a vice de Flávio Dino

Foto do Blog de John Cutrim: Rosângela agora é
 forte nome da oposição para compor chapa com Flávio Dino

A filiação da odontóloga Rosângela Curado ao Partido Democrático Trabalhista (PDT), no último sábado (28), representou mesmo uma grande perda para o grupo Sarney. Forte liderança que despontou na região tocantina, principalmente após  as eleições municipais passadas, ela deixou o DEM, partido da base governista, para compor a oposição e agora está entre os nomes que o PDT oferecerá para a vice-governadoria do pré-candidato ao governo pelo PCdoB, Flávio Dino.

A chegada de Rosângela ao PDT soa como um “troco” ao grupo Sarney, exatamente pelo que aconteceu no pleito do ano passado. Na última eleição municipal, onde ficou em segundo lugar na disputa pela Prefeitura de Imperatriz com mais de 37 mil votos, ela, apesar de estar na base de apoio ao governo, foi preterida pela governadora Roseana Sarney que decidiu apoiar a reeleição do atual prefeito Sebastião Madeira (PSDB), tido como “um grande troféu” de oposição naquele momento.

O ato de filiação de Rosângela levou a Imperatriz representantes das diversas esferas da oposição que fazem coro ao projeto de alternância de poder, tamanha é a importância da liderança hoje na região tocantina. Marcaram presença o pré-candidato ao governo, Flávio Dino, os deputados federais Domingos Dutra (ainda no PT, mas de saída já anunciada), Weverton Rocha (PDT), Waldir Maranhão (PP); os deputados estaduais Carlinhos Amorim (PDT), Raimundo Cutrim (PCdoB) e Marcelo Tavares (PSB); o ex-governador José Reinaldo Tavares (PSB), o vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha (PSB), entre outras figuras da política maranhense.

Rosângela Curado, que é cotada na região tocantina para ser a próxima prefeita de Imperatriz, deixou o DEM, partido da base do governo Roseana Sarney, ao romper, no primeiro semestre deste ano, com o governo após ter seu nome arrolado no famoso “Bolsa Eleição”, um conselho estratégico que tinha como finalidade “manter” fortes aliados, com altos cachês, visando às eleições do próximo ano.

Foi Rosângela a primeira a “gritar” em relação ao “Bolsa Eleição”. Na época, desautorizou o governo Roseana a nomeá-la no tal conselho, um dos motivos pelos quais o governo decidiu extinguir o “conselhão”. Conhecida em toda a região tocantina, ela já foi secretária de Saúde em João Lisboa, Imperatriz e Coelho Neto, por onde veio “subindo  degraus”. 
Pelo PDT, Rosângela pretenderia disputar vaga à Câmara Federal, mas seu nome já está arrolado como muito forte para compor chapa com Flávio Dino pela liderança que conquistou na região tocantina e por ser mulher. Além disso, é nome certo para disputar a eleição de 2016, quando concorrerá, mais uma vez, à Prefeitura de Imperatriz com grandes chances. 

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.