Cutrim colhe assinaturas para CPI da Agiotagem e pede investigação contra ele próprio

Deputado quer ser acareado com o assassino Johnatan Sousa e com o secretário Aluísio Mendes

Raimundo Cutrim pediu investigação contra si próprio


O deputado estadual Raimundo Cutrim (PSD)  passou a colher, a partir desta segunda-feira (29), assinaturas para uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Agiotagem que elucide, de uma vez por todas, o assassinato do jornalista Décio Sá e suas ramificações. O parlamentar preparou também um requerimento submetendo-se a uma investigação da Comissão de Ética da Assembleia Legislativa.

Durante mais um discurso duro, Cutrim disse que denúncias feitas, sobretudo pelo Sistema Mirante de Comunicação, causaram um estrago imensurável a sua imagem perante a sociedade e a família dele. O parlamentar prometeu processar também o grupo Mirante.

O deputado disse que deseja fazer uma acareação com o assassino de Décio, o pistoleiro Johnatan Sousa; com o secretário de Segurança Pública do Estado, Aluísio Mendes; e com todos os delegados, promotores e procuradores envolvidos na investigação.

Raimundo Cutrim criticou lista divulgada, na semana passada, com nomes de gestores que estariam envolvidos com a agiotagem sem, sequer, serem investigados. Segundo o deputado, é necessário que as coisas sejam passadas a limpo e que o crime e suas ramificações sejam esclarecidas.

Cutrim, claro, foi o primeiro a assinar a CPI, seguido do deputado Bira do Pindaré (PT), Eliziane Gama (PPS/DM), Zé Carlos da Caixa (PT), Clayde Coutinho (PSB) e neto Evangelista (PSDB). Até agora, a adesão é muito pequena. São necessárias 14 assinaturas para que a CPI seja instalada na Assembleia Legislativa.

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.