Pré-candidatos a prefeito em São Luís ainda não definiram nomes para cargo de vice

As vagas dependem ainda de muita articulação política e alguns nomes podem ser definidos nas últimas horas do fim do prazo para a realização das convenções que vão até o dia 16 de setembro.

Faltando pouco mais de 50 dias para o início das convenções partidárias, os pré-candidatos a prefeito em São Luís ainda não definiram nomes para o cargo de vice-prefeito.

As vagas dependem ainda de muita articulação política e alguns nomes podem ser definidos nas últimas horas do fim do prazo para a realização das convenções que vão até o dia 16 de setembro.

Alguns pré-candidatos já conversam com legendas para que seja oficializado nomes para a composição da chapa majoritária, como são os caso do pré-candidato Neto Evangelista (DEM), que articula com o PDT um nome e de Rubens Júnior (PCdoB) que negocia com o Progresistas.

Eduardo Braide (Podemos), Duarte Júnior (Republicanos) e Bira do Pindaré (PSB) negociam com algumas legendas a indicação dos nomes.

Outros nomes como Jeisael Marx (Rede Sustentabilidade); Adriano Sarney (PV) e Dr. Yglésio (PROS), podem ir para a disputa com chapas “puro sangue”.

Madeira segue recebendo declarações de apoio na disputa pela Prefeitura de São Luís

Carlos Madeira segue ganhando declarações de apoio de várias personalidades da política e vai reforçando sua pré-campanha na disputa pela Prefeitura de São Luís.

O ex-juiz e agora pré-candidato a prefeito, Carlos Madeira (Solidariedade), segue ganhando declarações de apoio de várias personalidades da política e vai reforçando sua pré-campanha na disputa pela Prefeitura de São Luís.

Nas últimas semanas, Madeira já tinha recebido a declaração de apoio oficial da deputada estadual Dra. Helena Duailibi e do vereador Afonso Manoel, além do secretário de Estado da Segurança, Jefferson Portela.

Agora, Madeira adere ao seu projeto, e conta com os apoios do secretário de Estado da Cultura, Anderson Lindoso e de Marlon Reis, auto da Lei da Ficha Limpa.

Todos os apoios refletem em bases distintas, o que pode significar um possível crescimento de Carlos Madeira nas pesquisas de intenções de voto.

Veja: Flávio Dino quer colocar a esquerda para conversar

O governador maranhense enxerga que seu papel, no momento, é o de tentar colocar todo mundo para conversar e deixar “a agenda do passado” para trás

Veja

Governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B) assumiu de vez a missão de construir pontes na esquerda brasileira. Nas últimas semanas iniciou uma maratona de conversas com personagens críticos ao governo Bolsonaro – e fez lives com Lula e Ciro Gomes, a convite do PDT.

Como articulador, Dino avalia que a resistência do ex-presidente em se unir a uma “frente ampla” pró-democracia é momentânea.

“Eu acredito que agora ele está preocupado em reafirmar o PT no cenário político. É uma fase. O Lula entende que o petismo foi muito atacado. Mas vejo que ele estaria disposto, sim, à união”, disse ao Radar.

O governador maranhense enxerga que seu papel, no momento, é o de tentar colocar todo mundo para conversar e deixar “a agenda do passado” para trás.

“O ‘novo normal’ da política é que a gente precisa abandonar o passado e pensar no futuro, renunciar às divergências, que são pequenas. A gente que é do mesmo campo político sabe qual é a nossa agenda”, afirma.

Jair Bolsonaro é diagnosticado com Covid-19

De acordo com Bolsonaro, ele tomou hidroxicloroquina, remédio que vem defendendo como tratamento para a Covid-19

O presidente Jair Bolsonaro informou nesta terça-feira (7) que seu exame para detectar se está com Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, deu positivo.

O presidente afirmou que chegou a ter febre de 38 graus, mas que, à noite, a temperatura começou a ceder. Relatou também que sentiu mal-estar e cansaço. Ele disse que agora está se sentindo “perfeitamente bem”.

De acordo com Bolsonaro, ele tomou hidroxicloroquina, remédio que vem defendendo como tratamento para a Covid-19. Não há comprovação científica da eficácia da hidroxicloroquina para a doença.

“Estou bem, estou normal. Em comparação a ontem [segunda], estou muito bem. Estou até com vontade de fazer uma caminhada, mas não vou fazê-lo por recomendação médica, mas eu estou muito bem”, afirmou.

Bolsonaro já havia informado a apoiadores na segunda-feira (6) que estava com febre e dores no corpo e, por isso, decidiu fazer o exame. Ele também disse que fez uma radiografia e que o pulmão “estava limpo”.

O presidente tem 65 anos e faz parte da faixa etária considerada por especialistas como grupo de risco.

Ele informou que nos próximos dias vai despachar por videoconferência na residência oficial do Palácio da Alvorada e que talvez receba auxiliares para assinar documentos. Bolsonaro cancelou viagens que faria à Bahia e a Minas Gerais.

O presidente fez o anúncio do resultado do exame para a TV Brasil e mais duas emissoras. Nenhuma outra emissora foi convidada. Ao final do anúncio, ele se afastou alguns passos dos repórteres e tirou a máscara. Mostrou o rosto, disse estar “bem” e pediu cuidado aos mais idosos.

Grande São Luís e interior registram queda significativa no número de casos da Covid-19

Ao todo, o Maranhão já realizou 187.217 testes para o novo coronavírus.

O Maranhão chegou a 90.251 casos confirmados do novo coronavírus na noite de segunda-feira (6). De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (SES), já são 2.250 mortos pela doença no Maranhão.

Em 24 horas, foram confirmados apenas 548 casos novos, um número que mostra a queda significativa dos casos no Estado.

Dos novos casos, 134 foram notificados na Grande Ilha, 19 em Imperatriz e 395 nas demais regiões do estado.

Os dados também mostram que 69.615 pessoas já estão curadas em todo o estado.

Ao todo, o Maranhão já realizou 187.217 testes para o novo coronavírus.

Bolsonaro diz ter enviado mais de um bilhão ao Maranhão para combater pandemia

O valor é categorizado como transferências voluntárias, aquelas que não há obrigação do repasse por parte do ente federativo.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, postou banner, em suas redes sociais, sinalizando que, desde o início da pandemia, já liberou para o Maranhão o valor de R$ 1,07 bilhão.

O valor é categorizado como transferências voluntárias, aquelas que não há obrigação do repasse por parte do ente federativo.

De acordo com o Instagram do presidente, 3.317.248 milhões de EPIs, entre luvas e máscaras, e 308.572 testes rápidos e de PCR também foram encaminhados ao Estado.

Segundo a publicação, 238 UTIs foram habilitadas e 241 respiradores foram destinados ao Maranhão.

Ao mesmo tempo que os recursos foram encaminhados ao Maranhão pelo Governo Federal, Bolsonaro pecou na falta do diálogo com os governadores e na briga pela volta precoce das atividades do comércio. Um outro ponto foi a demissão de dois ministros da Saúde em plena crise do coronavírus.

Famem lamenta falecimento do ex-prefeito de Poção de Pedras, Gildásio Ângelo da Silva

Dr. Gildásio, de 59 anos, faleceu domingo (05) em decorrência de complicações causadas pela covid-19

A Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM) lamenta o falecimento do servidor público federal Gildásio Ângelo da Silva, ex-prefeito de Poção de Pedras e ex-diretor desta entidade com histórico de dedicação à causa municipalista.

Dr. Gildásio, de 59 anos, faleceu domingo (05) em decorrência de complicações causadas pela covid-19. Ele estava internando há dois meses no Hospital São Domingos, nesta capital, em tratamento contra a doença.

A Famem se solidariza com a família, amigos e munícipes da região do Médio Mearim neste momento de imenso pesar.

Aprovação do governo Flávio Dino é confirmada por três institutos de pesquisas

Mesmo com a crise econômica e a causada pelo coronavírus, as boas ações realizadas pelo governador refletem nos dados positivos.

Nada menos do que três institutos comprovaram que a aprovação do governador Flávio Dino segue em alta durante seu sexto ano de mandato. Mesmo com a crise econômica e a causada pelo coronavírus, as boas ações realizadas pelo governador refletem nos dados positivos.

De acordo com o Instituto Prever, o governador Flávio Dino tem aprovação de 63,2% da população de São Luís, enquanto 34,1% desaprovam.

O Instituto Escutec também mostrou que o governador tem aprovação da maioria da população na capital. De acordo com os dados, 57% aprovam, contra 35% que desaprovam e 8% não responderam ou não souberam.

Já a pesquisa Exata, mostra que em São Luís, Flávio Dino é aprovado por 65% dos entrevistados, enquanto 32% não aprovam e 3% não souberam ou não quiseram responder. A mesma pesquisa feita em Imperatriz mostra os números ainda mais positivos, onde 69% aprovam, 28% não aprovam e 3% não sabem ou não quiseram responder.

Renato Feder rejeita convite para ser ministro da Educação

Neste sábado (4), o G1 informou que Bolsonaro havia segurado a indicação de Feder após repercussão negativa que o nome teve entre apoiadores de grupos ideológicos e evangélicos.

O secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, publicou mensagem neste domingo (5) na qual afirma ter recusado convite do presidente Jair Bolsonaro para ser o novo ministro da Educação.

Neste sábado (4), o G1 informou que Bolsonaro havia segurado a indicação de Feder após repercussão negativa que o nome teve entre apoiadores de grupos ideológicos e evangélicos.

“Recebi na noite da última quinta-feira uma ligação do presidente Jair Bolsonaro me convidando para ser ministro da Educação. Fiquei muito honrado com o convite, que coroa o bom trabalho feito por 90 mil profissionais da Educação do Paraná. Agradeço ao presidente Jair Bolsonaro, por quem tenho grande apreço, mas declino do convite recebido. Sigo com o projeto no Paraná, desejo sorte ao presidente e uma boa gestão no Ministério da Educação”, escreveu Feder em uma rede social.

Neste domingo, o presidente Jair Bolsonaro, diante das críticas ao nome de Feder, decidiu procurar outra pessoa para o Ministério da Educação.

Feder é o atual secretário de Educação do Paraná. Ele era um dos cotados para o MEC quando o ex-ministro Abraham Weintraub deixou o governo, no fim de junho. Mas Bolsonaro acabou escolhendo o professor Carlos Decotelli, que pediu demissão antes mesmo de tomar posse, em razão da descoberta de informações falsas em seu currículo.

Feder é formado em administração, tem mestrado em economia e já dirigiu escolas. Contando com Decotelli, Feder seria o quarto ministro da Educação no governo Bolsonaro.