Situação da pandemia de coronavírus mostra estabilidade no Maranhão

Os casos ativos continuam caindo, e o número de pessoas recuperadas segue em alta. 

O Maranhão chega ao fim desta semana com a situação do coronavírus em estabilidade. Os casos ativos continuam caindo, e o número de pessoas recuperadas segue em alta. 

De acordo com o boletim da Secretaria de Estado da Saúde, são cerca de 19 mil casos ativos (que ainda estão com a doença) e cerca de 65 mil recuperados.

“Se fôssemos definir em uma palavra a situação do coronavírus, seria o termo estabilidade. É a situação que temos no momento, ou seja, nem temos neste instante uma tendência de agravamento em níveis expressivos e tampouco temos uma tendência de rapidamente nos livrarmos do problema”, afirmou o governador Flávio Dino. 

Além dos casos ativos x recuperados, outros fatores estão sendo levados em conta nessa análise. Entre eles, os dados sobre internação e a consulta feita pelo Governo do Maranhão aos prefeitos.

De acordo com o governador, porém, é possível que haja aumento no número de casos nas próximas três semanas devido a, principalmente, três fatores. 

O primeiro é a previsão de aumento de testes em todo o Maranhão. O segundo é o aumento de casos em outros Estados, o que impacta todo o país, já que existe circulação de pessoas e de cargas. O terceiro é a reabertura gradual das atividades comerciais, que cumpre um importante papel econômico e social, mas também aumenta a circulação de pessoas. 

Flávio Dino acresceu que, neste instante, o que define o rumo da batalha contra o coronavírus são dois aspectos principais: as medidas assistenciais e as sanitárias.

Rubens recebe apoio de Eliziane Gama e Cidadania

A cerimônia de apoio foi realizada pelas redes sociais e contou com a participação de dirigentes das duas legendas.

O partido Cidadania, presidido no Maranhão pela da senadora Eliziane Gama, declarou, na sexta-feira (3), o apoio oficial à pré-candidatura do deputado federal Rubens Júnior (PCdoB) à prefeitura de São Luís.

A cerimônia de apoio foi realizada pelas redes sociais e contou com a participação de dirigentes das duas legendas.

O Cidadania é o quarto partido a declarar apoio ao nome de Rubens na disputa na capital, além da legenda, Rubens conta com o apoio do PCdoB, Progressistas e Democracia Cristã.

Rubens já foi deputado estadual, deputado federal e deixou recentemente a Secretaria de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano para se dedicar à pré-candidatura.

Com mudanças no calendário eleitoral, Jeisael Marx volta apresentar programas na TV e rádio

Jeisael retorna na segunda-feira (6) com a apresentação do programa Brasil Urgente, na Band Maranhão e o programa Ponto Continuando, na Rádio Mais FM.

Após a votação que confirmou o adiamento das eleições de 2020 na Câmara dos Deputados, todas as regras do calendário eleitoral foram alteradas. Uma delas diz respeito à presença de pré-candidatos a prefeito e vereador em programas de rádio e de TV.

Com isso, o apresentador do programa Brasil Urgente e pré-candidato a prefeito em São Luís, Jeisael Marx volta a apresentar o programa diário na TV e no rádio.

Com o novo prazo que vai para 11 de agosto, Jeisael retorna na segunda-feira (6) com a apresentação do programa Brasil Urgente, na Band Maranhão e o programa Ponto Continuando, na Rádio Mais FM.

Jesaiel Marx é filiado ao partido Rede Sustentabilidade, fundado pela ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva e aparece bem posicionado nas pesquisas de intenções de voto na disputa pela Prefeitura de São Luís.

Othelino recebe visita do novo procurador-geral de Justiça e reafirma harmonia entre Legislativo e MP

O encontro serviu para reforçar o relacionamento harmonioso entre o Poder Legislativo e o Ministério Público Estadual, estreitando o diálogo entre as instituições.

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), recebeu, nesta quinta-feira (2), a visita de cortesia do novo procurador-geral de Justiça do Maranhão, Eduardo Nicolau. O encontro serviu para reforçar o relacionamento harmonioso entre o Poder Legislativo e o Ministério Público Estadual, estreitando o diálogo entre as instituições.

O chefe do Parlamento Estadual ressaltou que a relação respeitosa entre o Poder Legislativo e o Ministério Público, incluindo, também, os outros poderes e órgãos constitucionais, é muito importante para o Maranhão.

“A sociedade é quem ganha com esse diálogo permanente e aberto, inclusive estabelecido pela nossa Constituição Federal e repetido na Constituição Estadual, que determina a harmonia e a independência. Com esse diálogo, cada um cumprindo com o seu papel constitucional, vamos fazendo com que o Maranhão sirva de exemplo para o Brasil. Desejo ao doutor Eduardo, que inicia essa importante missão, êxito na condução do Ministério Público, uma instituição fundamental na defesa dos interesses da sociedade”, assinalou.

Eduardo Nicolau foi recentemente empossado no cargo de procurador-geral de Justiça e comandará a instituição no biênio 2020/2022. Ele destacou a disponibilidade do Poder Legislativo na apreciação de pautas de interesse não só do Mistério Público, mas de toda a sociedade.

“Estou aqui para saudar o presidente da Assembleia e os deputados queridos e dizer a eles que o Ministério Público mudou o seu gestor, mas a vontade sempre foi, e sempre será, de andar em parceria com a Assembleia Legislativa. Sei da disposição do presidente Othelino em trabalhar pelo Maranhão e vamos fazer uma grande rede para ajudar o nosso governador a melhorar, cada vez mais, a vida dos cidadãos maranhenses”, disse o novo procurador-geral de Justiça, que estava acompanhado do promotor Carlos Henrique Vieira.

Os deputados Professor Marco Aurélio (PCdoB) e Dr. Yglésio (PROS), que também participaram do encontro, ressaltaram que o gesto sinaliza uma continuidade na boa relação que há entre a Assembleia e o MP.

Renato Feder é indicado por Bolsonaro como novo ministro da Educação

Feder havia se reunido com Bolsonaro antes da escolha de Carlos Alberto Decotelli, que pediu demissão depois de denúncias sobre incoerências em seu currículo.

O presidente Jair Bolsonaro indicou que escolheu o secretário de Educação do Paraná e ex-executivo Renato Feder para ser o novo ministro da Educação. A informação de que ele foi convidado para o cargo foi confirmada por fontes ao Estadão. Feder havia se reunido com Bolsonaro antes da escolha de Carlos Alberto Decotelli, que pediu demissão depois de denúncias sobre incoerências em seu currículo.

A expectativa é de que o anúncio seja feito ainda nesta sexta-feira e Feder está viajando a Brasília. No entanto, o Estadão apurou que presidente está sofrendo pressão para não nomeá-lo. Antes de assumir a secretaria do Paraná, ele era empresário do ramo de tecnologia e não tem ligação nem com a ala militar e nem com a ideológica, que estavam influenciando na escolha do novo ministro.

Na semana passada, Bolsonaro havia ligado para Feder para agradecer a conversa que tiveram antes da escolha de Decotelli. Mas ele teria preferido alguém mais velho. Decotelli tem 70 anos e Feder, 42.

O presidente tinha preterido Feder, segundo fontes, também por sua relação com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). O empresário doou R$ 120 mil à campanha do tucano para prefeito.

Feder é paulistano, formado em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e mestre em Economia pela Universidade de São Paulo (USP).

No Paraná, seus contatos com empresários e terceiro setor fizeram com que ele fosse indicado a Ratinho Junior (PSD) para o cargo, no ano passado. Durante a pandemia, o Estado é um dos que tem se destacado por ter criado rapidamente um sistema de educação a distância bem estruturado com aulas online.

Bolsonaro sanciona, com vetos, lei que obriga uso de máscaras em locais públicos pelo país

O presidente vetou, ainda, o trecho que obrigava o poder público a fornecer máscaras à população vulnerável economicamente.

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, com vetos, a lei que obriga o uso de máscaras em espaços públicos, transportes públicos como táxis, carros de aplicativos, ônibus, aeronaves e embarcações fretadas. A sanção foi publicada na madrugada desta sexta-feira (3) no Diário Oficial da União.

Bolsonaro vetou, porém, a obrigatoriedade do uso de máscaras em órgãos e entidades públicos e em estabelecimentos comerciais, industriais, templos religiosos e demais locais fechados em que haja reunião de pessoas. O presidente argumentou que o trecho “incorre em possível violação de domicílio”.

Os estabelecimentos também não serão obrigados a fornecer máscaras gratuitamente aos funcionários.

O presidente vetou, ainda, o trecho que obrigava o poder público a fornecer máscaras à população vulnerável economicamente.

Bolsonaro também excluiu do texto a proposta do Congresso que agravava a punição para infratores reincidentes ou que deixassem de usar máscara em ambientes fechados.

O projeto foi aprovado na Câmara dos Deputados no dia 9 de junho, após voltar do Senado com algumas mudanças.

O texto prevê multa a quem descumprir a medida, mas o valor será definido pelos estados e municípios.

Diversos governos locais têm adotado o uso obrigatório de máscara em locais públicos. Não havia, contudo, uma lei nacional sobre o tema. O uso é recomendado pelas autoridades de saúde como uma das formas de evitar a disseminação do novo coronavírus.

Rede estadual de ensino prepara estrutura para retorno das aulas em agosto

O plano de retorno das atividades tem como foco o cumprimento dos protocolos de biossegurança.

Novo planejamento do espaço físico, implantação do ensino chamado ‘híbrido’ e revezamento de estudantes são algumas das medidas da rede estadual de ensino para retorno das aulas presenciais. A proposta é um retorno gradual com a adoção de medidas sanitárias e cumprimento de protocolos de biossegurança na proteção contra o coronavírus. O anúncio feito pelo governador Flávio Dino prevê a volta das atividades escolares em agosto.

O plano de retorno das atividades tem como foco o cumprimento dos protocolos de biossegurança. As medidas e reformulações foram definidos em amplo diálogo da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e setores da saúde. Todo o planejamento pode ser revisto conforme o cenário, segundo explica a secretária adjunta de Gestão da Rede de Ensino e da Aprendizagem da Seduc, Nadya Dutra. 

“Essa data de retorno é uma referência, para a qual nos preparamos, mas sempre está passível de análise, considerando o próprio cenário de pandemia. Sabemos que o Maranhão tem avançado no controle do coronavírus, mas, sabemos que o momento requer ainda nosso cuidado e atenção. A escola será estratégica para que o Estado siga combatendo a doença, no sentido de cumprir os protocolos e garantir um ano letivo seguro”, pontua a secretária adjunta.

Os protocolos incluem uso universal de máscara; rotina de assepsia e higienização dos ambientes e comunidade escolar; nova rotina de entrada e saída de estudantes; e remodelamento de rotinas diárias no que se refere à alimentação escolar e número de alunos por turma, respeitando o distanciamento orientado pelos órgãos de referência.

O objetivo, segundo a gestora, é que esse plano sirva de base para a organização e execução do planejamento pedagógico, que compreende a combinação de atividades presenciais e não-presenciais e o rodízio de estudantes. “É um novo modelo que estamos chamando de ensino híbrido. Uma recomendação cumprida no mundo inteiro e que observamos a aplicação prática em outros países”, diz.

Ritmo de contágio da Covid-19 permanece há um mês abaixo de um 1 na capital

De acordo com a Plataforma Farol Covid, na capital maranhense, desde o dia 31 de maio o ritmo de contágio segue abaixo de 1

O ritmo de contágio da Covid-19 continua em retração na capital e no Estado do Maranhão. Atualmente, ambos se encontram abaixo de 1, ou seja, cada pessoa contaminada está transmitindo a doença para menos de uma pessoa, comprovando o resultado das medidas assertivas executadas pelo Governo para conter o avanço do novo coronavírus no estado. 

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, destaca que os meses de março, abril e maio foram meses muito complicados, onde o ritmo de contágio chegou a 3. “Hoje é importante entendermos que o nosso ritmo de contágio está abaixo de um, nós estamos vindo há pelo menos três ou quatro semanas, seja em São Luís ou no Maranhão, diminuindo bastante a curva de transmissão da doença. Vamos continuar fazendo testagem, estabelecendo medidas de vigilância e ampliando nossa capacidade hospitalar, para garantir atendimento e não permitir o colapso no nosso sistema de saúde”, ressalta. 

De acordo com a Plataforma Farol Covid, na capital maranhense, desde o dia 31 de maio o ritmo de contágio segue abaixo de 1 e nesta quinta-feira (02) encontra-se entre 0.7 e 0.8. Já o Maranhão também está há 24 dias com o ritmo de contágio está abaixo de 1 e hoje registra a taxa entre 0.8 a 0.9. Ambos os índices são considerados bons e com tendência de estabilização segundo a Plataforma. 

“Isso não quer dizer que estejamos aliviados, pelo contrário, continuamos em alerta. É possível que aconteça o aumento dos casos, se a população não continuar tomando os devidos cuidados, como o uso de máscaras, o distanciamento social e a higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel. Medidas que precisam ser mantidas mesmo com o retorno das atividades econômicas do Estado”, alerta o secretário da Saúde, Carlos Lula. 

Outro dado disponibilizado pela Plataforma é a taxa de subnotificação. Nesse quesito, de acordo com os dados divulgados nesta quinta-feira (2), o Maranhão se destaca entre os estados que mais testam e diagnosticam pessoas com a Covid-19. A cada 10 pessoas doentes, 7 são diagnosticadas. Um índice considerado bom e que deixa o estado como 11º colocado no ranking nacional, com 83.256 casos confirmados e 169.126 testes realizados.  

Congresso adia eleições 2020 para 15 de novembro

A PEC aprovada pelo Congresso adia o primeiro turno para 15 de novembro, e o segundo, para 29 de novembro.

O Congresso Nacional aprovou a proposta de emenda à Constituição (PEC) que altera as datas do calendário eleitoral deste ano em razão da pandemia do novo coronavírus.

O calendário inicial, definido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em dezembro do ano passado, previa o primeiro turno em 4 de outubro, e o segundo, em 25 de outubro. A PEC aprovada pelo Congresso adia o primeiro turno para 15 de novembro, e o segundo, para 29 de novembro.

O adiamento foi debatido pelo Congresso em audiências com especialistas e integrantes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Veja abaixo as datas do calendário eleitoral deste ano:

– A partir de 11 de agosto: emissoras ficam proibidas de transmitir programa apresentado ou comentado por pré-candidato, sob pena de cancelamento do registro do beneficiário;

– 31 de agosto a 16 de setembro: período destinado às convenções partidárias e à definição sobre coligações;

– 26 de setembro: prazo para registro das candidaturas;

– A partir de 26 de setembro: prazo para que a Justiça Eleitoral convoque partidos e representação das emissoras de rádio e TV para elaborarem plano de mídia;

– Após 26 de setembro: início da propaganda eleitoral, também na internet;

– 27 de outubro: prazo para partidos políticos, coligações e candidatos divulgarem relatório discriminando as transferências do Fundo Partidário e do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (Fundo Eleitoral), os recursos em dinheiro e os estimáveis em dinheiro recebidos, bem como os gastos realizados;

– 15 de novembro: primeiro turno da eleição;

– 29 de novembro: segundo turno da eleição;

– Até 15 de dezembro: para o encaminhamento à Justiça Eleitoral do conjunto das prestações de contas de campanha dos candidatos e dos partidos políticos, relativamente ao primeiro turno e, onde houver, ao segundo turno das eleições;

– Até 18 de dezembro: será realizada a diplomação dos candidatos eleitos em todo país, salvo nos casos em que as eleições ainda não tiverem sido realizadas.