Bolsonaro afirma que Sarney Filho vendeu Amazônia a ONGs

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) teceu críticas ao ex-ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho (PV). Em uma conversa com o empresário do ramo de pesca, Gilson Machado Neto, o presidente concordou com as críticas aos entraves burocráticos enfrentados por quem atua na pesca no país e acusa Sarney Filho de vender “parte do nosso território a ONGs internacionais”.

Bolsonaro estava se referindo ao acordo assinado em 19 de dezembro de 2017 entre o Ministério do Meio Ambiente, o Banco Mundial, a ONG brasileira FunBio e a ONG norte-americana, com sede em Washington, D.C. Conservation International, tendo Sarney Filho à frente do ministério.

Pelo acordo o governo brasileiro teria “vendido” uma área da Amazônia de 3 milhões de hectares por US$ 60 milhões. Em troca, segundo o acordo, o Banco Mundial e as duas ONGs se comprometeram a criar, nos 3 milhões de hectares, novas Unidades de Conservação, nos próximos cinco anos.

Conhecido como “Triplo A”, o projeto pretende ser um grande plano internacional para criar um corredor de áreas protegidas (e soberania relativa) na calha norte do Rio Amazonas ligando o Pacífico ao Atlântico. O corredor “Triplo A” sofre grande oposição das Forças Armadas brasileiras e foi rebatizado de “Projeto Paisagens Sustentáveis da Amazônia”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *