Obras do Hospital da Ilha entram em nova fase, gerando emprego e renda

O hospital está sendo construído no bairro Turu, em um terreno com 62 mil m² de área total. Ao todo, serão 392 leitos

“É a solução definitiva do problema de urgência e emergência na Ilha de São Luís”, disse o governador Flávio Dino em fevereiro deste ano, durante visita logo após o início da construção do Hospital da Ilha. O hospital foi pensado para suprir a demanda de saúde das cidades que compõem a Região Metropolitana, desafogando o atendimento nos dois outros Socorrões de São Luís.

Na época, a obra estava apenas na fase de execução de terraplanagem e fundações. Menos de seis meses depois, o cenário no canteiro de obras é outro. Com prazo de execução de 32 meses, as construções avançam em ritmo acelerado e boa parte da estrutura do novo hospital já foi levantada.

Orçado em R$ 132.049.108,88, o Hospital da Ilha vai contar com atendimento de urgência e emergência adulto e pediátrico, nove centros cirúrgicos, UTIs, Unidade de Tratamento de Queimados, laboratórios, setor de hemodiálise, tomografia, oito elevadores (sendo cinco exclusivos para maca e pacientes), além de auditório, amplo estacionamento e um heliponto.

O hospital está sendo construído no bairro Turu, em um terreno com 62 mil m² de área total. Ao todo, serão 392 leitos. Na primeira etapa, serão entregues 212 leitos distribuídos em seis blocos (A, B, C, D, E e F). O terreno possui ainda área reservada para expansão, denominado Bloco H, onde estão previstos mais três pavimentos de internação do tipo enfermaria, com um acréscimo de 180 leitos.

A irregularidade do solo e a intensidade do período chuvoso no primeiro semestre não atrapalharam o bom andamento na construção nos blocos D, E, F e G, como explica o gerente de contratos do Consórcio responsável pela obra, o engenheiro Lauro Campos.

Enquanto a obra não fica pronta, ela vem gerando emprego e renda para centenas de trabalhadores. Segundo o engenheiro Lauro Campos, a expectativa é que durante o pico da construção, quando diversas especialidades serão exigidas, o número de trabalhadores chegue a 380 direta e indiretamente.

Maranhão reduz casos de morte materna e infantil e se torna destaque em Brasília

No encontro, Flávio Dino pontuou as principais ações da política de combate à mortalidade materna e infantil implementadas pelo Governo do Maranhão

O governador Flávio Dino apresentou na sede da Organização Pan-americana de Saúde (OPAS), em Brasília, a experiência exitosa do Maranhão na redução da mortalidade infantil e materna. Esta foi a primeira vez que um governador foi convidado a participar de uma reunião da Comissão Intergestores Tripartite, do Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretários da Saúde (CONASS) e Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS).

No encontro, Flávio Dino pontuou as principais ações da política de combate à mortalidade materna e infantil implementadas pelo Governo do Maranhão nos últimos anos, dando destaque a experiência na região de Balsas, onde o Governo agiu conjuntamente com a OPAS/OMS, Conass e municípios.

“Há uma premissa nesse trabalho, que é a da união. Os bons resultados se devem exatamente em razão das parcerias. Viemos demonstrar, em forma de agradecimento a OPAS, OMS, Conass e toda equipe técnica que tem visitado o Maranhão, que a soma de forças tem salvado vidas. E salvar essas mães, salvar essas crianças, é salvar a todos nós”, defendeu o governador Flávio Dino, que esteve acompanhado do prefeito de Balsas, Doutor Erik, e do secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula.

Foram apresentados os resultados gerais do Maranhão e os números alcançados pela Regional de Saúde de Balsas – atualmente formada por 13 municípios do sul do estado. Com a parceria da OPAS/OMS e do Conass foi possível passar todo o ano de 2018 sem um caso de morte materna. O resultado positivo na região foi alcançado após a adoção de estratégias e ações voltadas para a qualidade de vida da mulher, pré-natal, parto e puerpério, como a inauguração do Hospital Regional de Balsas, do Centro Sentinela de Planejamento Reprodutivo e a Planificação da Saúde.

O secretário de Saúde, Carlos Lula, destacou a união de esforços para alcançar os bons resultados. “Queria agradecer o empenho de todos, sem essa união não seria possível esse resultado. A mortalidade materna é um componente muito grave porque desagrega uma família inteira e em Balsas esse indicador era muito alto. E era um desafio diminuir fortemente [esses casos] e nós conseguimos ir além, com o apoio foi possível zerar”, declarou.

Osmar Filho destina recursos para Saúde e leva discussão sobre Plano Diretor para Câmara

O presidente da Câmara ratificou a destinação de recursos da ordem de R$ 600 mil, oriundos de emenda parlamentar de sua autoria, que serão aplicados na saúde de São Luís

O presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho (PDT), reuniu-se com o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), oportunidade na qual recebeu do gestor documento final do Plano Diretor da capital maranhense. O documento, a partir de agora, será discutido no Parlamento Ludovicense. O referido debate, é importante destacar, contará com a participação massiva da população, segundo garantiu o próprio Osmar Filho.

“Trata-se de um documento fundamental, norteador dos novos rumos e do desenvolvimento de nossa capital. A Câmara Municipal, com responsabilidade, debaterá a matéria, estabelecendo junto as suas Comissões Técnicas um cronograma de trabalho composto, inclusive, de audiências públicas, que terá a participação permanente da população e de todos os segmentos da sociedade civil organizada”, afirmou.

Osmar Filho também reuniu-se com o secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, e os defensores públicos Davi Veras e Jean Carlos Pereira. Também participou do encontro, cujo objetivo foi discutir melhorias para o setor da saúde, a diretora administrativa do Hospital Dr. Odorico Amaral de Matos, Yole Saraiva.

O presidente da Câmara ratificou a destinação de recursos da ordem de R$ 600 mil, oriundos de emenda parlamentar de sua autoria, que serão aplicados na saúde de São Luís

O presidente da Câmara ratificou a destinação de recursos da ordem de R$ 600 mil, oriundos de emenda parlamentar de sua autoria, que serão investidos pelo município na melhoria do trabalho desenvolvido no Hospital da Criança; Socorrinhos do Cohatrac e São Francisco; Hospital Aldenora Belo; Maternidade Maria do Amparo; e Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de São Luís (APAE-MA). “Uma das nossas prioridades é levar saúde e qualidade de vida à população”, ressaltou o pedetista.

Osmar Filho e o secretário também trataram sobre a implantação de uma Central de Marcação de Consultas na região da Zona Rural de São Luís.
“Estive na Associação de Moradores de Pedrinhas com seus dirigentes e com representantes de outras comunidades do entorno do bairro, que solicitaram a nossa intervenção no sentido de que seja instalado um posto da CEMARC para que as pessoas possam ter local mais próximo para a marcação de consultas na Rede Pública Municipal”, justificou o parlamentar.

Governo assegura atendimento a pacientes oncológicos da Região Tocantina

Uma reunião entre a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e o Ministério Público do Maranhão (MP/MA) assegurou, a continuidade do serviço.

O serviço oncológico prestado pelo Hospital São Rafael à Região Tocantina está assegurado. Uma reunião entre a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e o Ministério Público do Maranhão (MP/MA) assegurou, a continuidade do serviço.

Participaram da reunião o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, a subsecretária de Saúde, Karla Trindade, os promotores Newton Bello Neto, de Defesa da Saúde de Imperatriz, e Ilma Paiva, coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Saúde do Ministério Público do Maranhão (MPMA), e equipes técnicas.

Para o secretário de Estado da Saúde, o diálogo com o Ministério Público é essencial para que o interesse da população seja sempre resguardado. “Agradecemos muito ao Ministério Público, em especial, à Promotoria de Saúde de Imperatriz, que busca sempre, antes de qualquer judicialização, resolver administrativamente o problema, com o intuito que a população não saia prejudicada. O MP tem o mesmo interesse da SES, que é garantir a manutenção do serviço e impedir qualquer diminuição dele”, disse Carlos Lula.

O promotor Newton Bello Neto reforçou a necessidade de que a população da Região Tocantina seja acalmada com a certeza de que não haverá suspensão dos tratamentos médicos oferecidos na unidade conveniada ao Estado. “Comparecemos à reunião com o secretário no sentido de cobrar atitudes positivas do Estado do Maranhão. O secretário garantiu ao MP que não haverá qualquer tipo de suspensão ou diminuição do serviço e que entrará em contato com a empresa prestadora do serviço para providências cabíveis para regularização total da situação. É importante que a população fique tranquilizada”, afirmou o promotor Newton Bello Neto.

A SES manterá com a diretoria do Hospital São Rafael o diálogo para a mediação do problema

São Luís atinge 91,26% e Edivaldo comemora sucesso da vacinação contra gripe

As vacinas contra a gripo continuam disponíveis nos postos de saúde, agora, para toda a população

Cinquenta e quatro salas de vacinação, postos volantes em shoppings e em bairros populosos da capital, busca ativa em escolas, imunização domiciliar e dois dias “D de Vacinação” foram algumas das estratégias usadas pela gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior para garantir a cobertura da Campanha Nacional de Vacinação contra gripe. Nesta sexta-feira (31) a campanha foi encerrada em São Luís com uma cobertura de 91, 26% do público-alvo. De acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), os grupos que atingiram maior cobertura foram os de comorbidades, professores  e idosos.

“O resultado da cobertura vacinal reflete o compromisso de toda a nossa equipe de saúde para atingir a meta. Desde o início da campanha estamos mobilizados para garantir ampla cobertura e ficamos felizes com os resultados alcançados. As milhares de pessoas que procuraram os nossos postos de vacinação estão agora protegidas da doença. É mais saúde e qualidade de vida”, destacou o prefeito Edivaldo.

Executada pela Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), a ação começou no dia 10 de abril. Com o fim da campanha, as doses ainda disponíveis nos postos podem ser aplicadas não somente no público-alvo, mas também na população de um modo geral. “Superamos a meta em alguns grupos prioritários, mas vamos continuar buscando, por orientação do prefeito Edivaldo, o público-alvo para garantir uma cobertura ainda maior, sobretudo no grupo das crianças, o de menor cobertura”, disse o secretário de  Saúde, Lula Fylho. Os percentuais atingidos até esta sexta-feira foi: idosos 106,61%, puerpera 104,74%, professores 116,07%, pomorbidades 115,65%, crianças 66,47%, gestantes 89,81% e trabalhadores de saúde 87,52%.

“Agradeço o empenho e compromisso de toda a nossa equipe da Semus, que esteve mobilizada em força-tarefa nas unidades básicas de saúde, postos volantes em escolas, bairros e shoppings da capital e outros”, concluiu Edivaldo.

Carlos Lula entrega veículo adaptado ao Centro de Reabilitação da Cidade Operária e APAE

As vans possuem plataforma elevatória, sistemas de segurança para fixação da cadeira de rodas, cintos de segurança e protetores de cabeça para cada cadeirante

O Governo do Estado entregou, nesta sexta-feira (31), ao Centro Especializado em Reabilitação da Cidade Operária (CER) e à Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de São Luís vans adaptadas para transporte de pacientes cadeirantes ou com problema de locomoção. O Serviço de Verificação de Óbitos (SVO) da Secretaria de Estado de Saúde (SES) também recebeu três veículos especiais, do tipo “rabecão”, para o trabalho nos municípios de São Luís e Imperatriz.

“Continuamos levando serviços onde a população precisa. As entregas fazem parte de um grande reajuste e de cuidados com a nossa rede de saúde. Entregamos ambulâncias, veículos para serviços específicos, porque a sociedade precisa disso. Agradecemos o Ministério da Saúde pela parceria para aquisição das vans adaptadas”, disse o secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula.

As duas vans adaptadas são semelhantes ao veículo entregue em janeiro ao Centro Especializado em Reabilitação e Promoção da Saúde do Olho d’Água. Elas possuem plataforma elevatória, sistemas de segurança para fixação da cadeira de rodas, cintos de segurança e protetores de cabeça para cada cadeirante. A doação foi feita pelo Ministério da Saúde.

Com 200 pacientes em reabilitação física, 200 em auditiva e 150 intelectual, a Apae de São Luís também ganhou um veículo adaptado, o primeiro da associação para os cuidados em saúde – eles possuem transporte para o eixo educativo.

A diretora do CER da Cidade Operária, Goreth Almeida, afirmou que o veículo, entregue em maio à população, vai agregar muito ao serviço da unidade. “O veículo garante o acesso da pessoa com deficiência e que não apresenta condições de mobilidade e acessibilidade ao serviço. É um grande ganho para o Estado e para o CER”, comentou.

Carlos Lula nega surto de meningite em São Luís

O secretário pediu, por meio de suas redes sociais, que a população não compartilhe informações falsas, pois gera pânico na população

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, tratou de desmentir o boato de que haveria um surto de meningite em São Luís. O secretário pediu, por meio de suas redes sociais, que a população não compartilhe informações falsas, pois gera pânico na população.

“Compartilhem com seus familiares e amigos: não há surto de meningite no estado. Esta possibilidade está descartada. É uma irresponsabilidade espalhar o pânico sob a forma de fakenews! Espalhe a verdade!”, escreveu.

A meningite é uma inflamação das membranas que revestem o cérebro e a medula espinhal, geralmente causada por uma infecção, normalmente viral. Mas a doença também pode ser causada por bactérias ou fungos. Existem vacinas para a prevenção de algumas formas da meningite.

Os sintomas incluem dor de cabeça, febre e torcicolo. Dependendo da causa, a meningite pode melhorar com o tempo, com tratamento a base de antibióticos, ou ser fatal. Devem ficar atentas as pessoas que apresentarem os seguintes sintomas: Dores nas costas, nos músculos ou pescoço, calafrios, fadiga, febre, letargia, mal-estar, perda de apetite ou tremor, náusea ou vômito ou erupções avermelhadas e manchas vermelhas na pele.

O lindo Dia das Mães da Casa Ninar

As homenageadas da noite também tiveram um dia de beleza, recebendo maquiagem e tratamentos capilares

A Casa de Apoio Ninar realizou um jantar especial em comemoração ao Dia das Mães para homenagear 14 mães de crianças assistidas pelo serviço e servidoras. Música ao vivo, lembranças e muito amor deram o tom da festa da casa, inaugurada pelo Governo do Estado para tratar crianças com problemas de neurodesenvolvimento e suas famílias.

“A vida não pode se tornar só uma repetição de atos corriqueiros. É importante celebrar momentos especiais e de reencontro. A Casa de Apoio Ninar é um reencontro de esperança, de amor, um reencontro dessas mães com seus filhos, que muitas vezes se viram perdidas por conta da doença deles. Esse reencontro de mães e filhos talvez seja o que mais forte tem a casa de apoio”, comentou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

Antes, local da realização de festas e eventos do governo estadual. Hoje, a casa de veraneio deu lugar ao Ninar. Uma linda iniciativa para cuidar de nossas crianças.

No STF, Flávio Dino defende que União assuma custos extras com saúde

Durante a audiência, o ministro Dias Toffoli se comprometeu a discutir a questão junto aos demais ministros do STF.

No Supremo Tribunal Federal, o governador Flávio Dino participou de reunião com os ministros Dias Toffoli, e Gilmar Mendes, para tratar sobre a judicialização da saúde no país. Além do Maranhão, chefes do executivo e representantes de outros 15 estados estiveram presentes.

Atualmente, custos extras da área saúde, oriundos de decisões judiciais, são arcados pelos governos estaduais. O pleito dos governadores é que, para não prejudicar o sistema estadual de saúde, os altos custos de tratamentos de saúde sejam repassados à União.

“O princípio da equidade, da Constituição Federal, visa garantir que as assimetrias sejam corrigidas. Com esse cenário, o princípio da equidade não está sendo observado. O recurso da saúde é mal distribuído, gerando distorções”, assegurou o governador Flávio Dino.

Com a medida defendida pelos governadores, despesas oriundas de decisões que garantem a compra de medicamentos não-homologados pela Anvisa ou que não estejam na cartela fornecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS) passariam a ser custeadas pelo Governo Federal.