Segunda fase de vacinação contra o sarampo começa nesta segunda-feira (18)

O sarampo é uma doença grave que pode deixar sequelas ou causar o óbito

A segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação contra Sarampo inicia, nesta segunda-feira (18), para pessoas com idade entre 20 e 29 anos. Nesta etapa, a imunização será realizada no período de 18 a 30 de novembro. O Maranhão recebeu cerca de 430 mil doses de vacinas. Mais 95 mil doses extras devem ser liberadas para o estado reforçar a vacinação nos 217 municípios maranhenses.

O “Dia D” de mobilização nacional será dia 30. Segundo a superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças da SES, Léa Costa, o ideal é que o público desta idade procure o posto de vacinação para fazer a avaliação do cartão vacinal. “Estamos incentivando o público alvo da campanha que busque o posto de vacinação, ainda mais se tiver dúvidas se tomou ou não as doses corretamente, se precisa fazer reforço”, contou.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio das Unidade Regionais de Saúde (URS), abasteceu os municípios com a vacina para a segunda etapa da campanha. Além disso, a rede estadual promoveu capacitação para as equipes municipais que atuam na área de imunização, com foco também no registro de dados das doses aplicadas.

A primeira etapa da vacinação ocorreu entre 7 e 25 de outubro, com foco nas crianças de seis meses a menores de 5 anos de idade. O chamado “Dia D” foi em 19 de outubro. Na ocasião, o Ministério da Saúde fez um levantamento da situação vacinal de 6,5 milhões de crianças para análise. O documento subsidiará os gestores na elaboração de estratégias para assegurar o esquema vacinal completo das crianças. Segundo dados parciais do Ministério da Saúde, o Maranhão registrou 82,45% de cobertura na primeira etapa da vacinação.

O sarampo é uma doença prevenível por vacinação. É uma doença grave que pode deixar sequelas ou causar o óbito. As crianças são mais suscetíveis às complicações da doença.  Até o momento, o Maranhão registrou seis casos da doença no estado.

Famem oferece capacitação a gestores para o Sistema DigiSUS

A capacitação dos gestores tem sido ressaltada pelo presidente em exercício da Famem, prefeito Eric Costa, como uma das prioridades da gestão atual

A Famem iniciou segunda-feira (11), por meio da Escola de Gestão Municipal, ao curso de Capacitação de Gestão do Sistema digiSUS. Com oferecimento de 300 vagas para gestores, secretários municipais de saúde e especialistas indicados pelas prefeituras, a capacitação é uma parceria da Federação com o Ministério da Saúde e Secretaria de Estado da Saúde.

A superintendente do núcleo do Ministério da Saúde no Maranhão, Josilda Rodrigues, fez a abertura do curso que prosseguiu até terça-feira (12) na sede da Famem em dois turnos. O curso teve as participações das técnicas do Ministério da Saúde no Maranhão, Mariana Nogueira e Josilene Costa; e da técnica de planejamento da Secretaria de Estado da Saúde, Graça Boralho.

A capacitação dos gestores tem sido ressaltada pelo presidente em exercício da Famem, prefeito Eric Costa, como uma das prioridades da gestão atual para elevar a qualidade e eficiência dos serviços.

O digiSUS é a estratégia do Ministério da Saúde (MS) de incorporação da saúde digital (e-Saúde) como uma dimensão fundamental para o Sistema Único de Saúde (SUS). Por meio da disponibilização e uso de informação abrangente, de forma precisa e segura, a ação visa à melhoria constante da qualidade dos serviços, dos processos e da atenção à saúde.

Aprovado pela Resolução CIT nº 19, de 22 de junho de 2017, da Comissão Intergestores Tripartite (CIT), o documento da estratégia, que se alinha às diretrizes e princípios do SUS e à política brasileira de governo eletrônico, propõe uma visão de e-Saúde e descreve mecanismos contributivos para sua incorporação ao SUS.

Até 2020, a e-Saúde estará incorporada ao SUS como uma dimensão fundamental, sendo reconhecida como estratégia de melhoria consistente dos serviços de Saúde por meio da disponibilização e uso de informação abrangente, precisa e segura que agilize e melhore a qualidade da atenção e dos processos de Saúde, nas três esferas de governo e no setor privado, beneficiando pacientes, cidadãos, profissionais, gestores e organizações de saúde.

Alema destina R$ 4,2 milhões em emendas à Fundação Antônio Dino

O presidente da Alema, Othelino Neto, ressaltou que a destinação das emendas é uma forma objetiva de colaborar com a situação e fruto de uma decisão unânime de todos os 42 parlamentares

Por iniciativa do presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão (Alema), deputado Othelino Neto (PCdoB), a Alema destinou R$ 4,2 milhões em emendas parlamentares à Fundação Antônio Dino, instituição mantenedora do Hospital Aldenora Bello, referência no tratamento oncológico no estado. A carta compromisso foi entregue, nesta quarta-feira (23), ao vice-presidente da Fundação, Antônio Dino Tavares.

O documento entregue solicita a destinação de recursos do orçamento do Estado à Fundação Antônio Dino, com a indicação de emendas, no valor de R$ 100 mil, de cada um dos 42 deputados da Casa, para ajudar o Hospital Aldenora Bello a superar a crise por falta de recursos financeiros, que ocasionou a suspensão de alguns serviços aos pacientes em tratamento de câncer.

“Nós percebemos a crise por qual passa o Hospital Aldenora Bello que, embora seja um hospital gerido por uma fundação privada, tem um aspecto social muito forte. Então, o Poder Legislativo ajuda, como agente político, a mediar essa situação com relação, principalmente, à utilização de recursos do Fundo de Combate ao Câncer, que é um fundo cujas decisões de utilização não são exclusivamente do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Saúde, mas ele tem uma composição e a sua utilização precisa passar pela aprovação dessa composição, que inclui o Ministério Público e outros representantes”, explicou Othelino.

O presidente da Alema ressaltou que a destinação das emendas é uma forma objetiva de colaborar com a situação e fruto de uma decisão unânime de todos os 42 parlamentares, que se dispuseram a ajudar com suas emendas. “Serão R$ 4,2 milhões, que nós combinamos com o secretário de Saúde, Carlos Lula, que disponibilizasse em seis parcelas, tendo em vista a limitação financeira do Governo do Estado, e ficamos felizes em poder ajudar. Esperamos encontrar soluções definitivas para que não haja a suspensão dos serviços do Aldenora Bello”, afirmou.

Othelino informou, ainda, que alguns serviços que haviam sido suspensos já foram retomados, a exemplo das quimioterapias. “Os serviços de quimioterapia, por exemplo, já foram retomados, onde o Governo do Estado já mandou para o Aldenora Bello uma quantidade razoável de medicamentos que estavam em falta. Na semana que vem, os serviços de cirurgia também devem voltar a funcionar”, assegurou.

Parlamentares estaduais assinam ofício para destinação de emendas à Fundação Antônio Dino

Cada deputado destinará R$ 100 mil de suas emendas á fundação que administra o Hospital Aldenora Belo

Os 42 deputados da Assembleia Legislativa do Maranhão (Alema) assinaram, ofício solicitando a liberação de emendas, no valor de R$ 100 mil de cada parlamentar, a serem destinadas à Fundação Antônio Dino, instituição mantenedora do Hospital Aldenora Bello, que deixou de oferecer alguns serviços aos pacientes com câncer por falta de recursos financeiros. O documento com as assinaturas deverá ser entregue nesta quarta-feira (23), ao vice-presidente da Fundação, Antônio Dino Tavares.

“Nosso objetivo é auxiliar, concretamente, a resolver e superar essa crise por qual passa o Hospital Aldenora Bello e ter a garantia dos serviços. Embora a Fundação Antônio Dino seja uma fundação privada, em razão da quantidade de pacientes que trata, nós entendemos que é necessário ajudar”, afirmou Othelino Neto, presidente da Alema.

A iniciativa dos parlamentares é fruto de reunião com a direção da Fundação Antônio Dino, que expôs as dificuldades enfrentadas pelo Hospital Aldenora Bello, referência no tratamento de câncer no Maranhão.

“Eles nos entregaram uma planilha para que nós pudéssemos saber como eles iriam aplicar esses recursos das emendas e, também, agilizar a burocracia para liberar a parcela do Fundo Estadual de Combate ao Câncer. Também se comprometeram, de imediato, a retomar os serviços”, assinalou Othelino Neto.

Na tribuna, o deputado Hélio Soares (PL) elogiou a iniciativa da Presidência da Casa em manter o diálogo com a fundação e com todos os parlamentares, em busca de uma solução para a situação da casa de saúde. “Inicio enaltecendo, aqui, a atitude de nosso presidente Othelino, que teve a iniciativa de fazer com que cada deputado destinasse uma parte das suas emendas para o hospital que é de grande importância para o nosso estado, o Aldenora Bello”, disse o parlamentar.

Governo entrega medicamentos para o Hospital Aldenora Bello

Os medicamentos auxiliam no tratamento de câncer infantil, destes, os principais são: linfoma, leucemia e sarcomas.

Governo do Maranhão entregou, nesta sexta-feira (18), medicamentos para o Hospital Aldenora Bello retomar o atendimento das crianças. A medida traz alívio para as famílias dos pacientes atendidos no hospital filantrópico, que é administrado pela Fundação Antônio Dino.

“Os quimioterápicos doados de forma emergencial ao Hospital Aldenora Bello. Com isso, vamos poder retomar imediatamente a quimioterapias das crianças. A parceria entre Governo do Estado e a unidade tenta solucionar o problema. Neste sentido, na segunda-feira iremos entregar mais medicamentos”, destacou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

De acordo com o presidente da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh), Rodrigo Lopes, o momento é de alívio para pacientes e seus familiares. “Não é um momento fácil este o que estamos vivendo na saúde de maneira geral, mas acredito que com este ato nós conseguimos ajudar todo mundo”, disse.

Antônio Dino Tavares, vice-presidente da Fundação Antônio Dino afirmou que a entrega dos medicamentos representa mais uma vez o empenho do Estado para evitar a suspensão do tratamento dos pacientes atendidos no hospital filantrópico.

“Além da Secretaria de Estado da Saúde, também estamos dialogando com outros agentes políticos para contornar a situação. De forma emergencial foram trazidos para nós quimioterápicos para que possamos retomar o tratamento imediato das crianças, e em breve também iremos retornar com as cirurgias”, observou.

Os medicamentos doados pela Secretaria de Estado da Saúde auxiliam no tratamento de câncer infantil, destes, os principais são: linfoma, leucemia e sarcomas.

Aprovado projeto que trata sobre cuidados paliativos a pacientes com doenças graves

O Projeto de Lei 250/2019 tem autoria do deputado Drº Yglésio Moisés (PDT) e coautoria do deputado Othelino Neto (PC do B)

O plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão aprovou, na sessão desta segunda-feira(16), o Projeto de Lei 250/2019, de autoria do deputado Drº Yglésio Moisés (PDT) e coautoria do deputado Othelino Neto (PC do B), presidente da Casa, que estabelece diretrizes estaduais para a implementação de cuidados paliativos direcionados aos pacientes com doenças que ameaçam a vida. O projeto, aprovado em segundo turno, vai agora à sanção governamental. 

O projeto tem como finalidade reafirmar a vida e a morte como processos naturais, a melhoria da qualidade de vida das pessoas e seus familiares, por meio da identificação precoce, prevenção e alívio do sofrimento físico, social, emocional e espiritual.

Os cuidados paliativos deverão ser ofertados em qualquer ponto da rede de atenção à saúde, notadamente a atenção básica, a atenção domiciliar, a atenção ambulatorial, urgência e emergência e atenção hospitalar. O poder público poderá criar, em parceria com as instituições de ensino superior maranhenses, três cadastros distintos, mas complementares entre si, quais seja:

– Cadastro Estadual de Portadores de Doenças Crônicas, de Evolução Progressiva, Degenerativas e Sem Possibilidade de Cura;

– Cadastro dos Profissionais da Equipe Multidisciplinar;

– Cadastro dos Serviços que Oferecerão os Cuidados Paliativos, que deverá auxiliar os pacientes e seus familiares no momento da escolha pela mais adequada prátca de assistência, que visa oferecer dignididade e diminuição de sofrimento. 

Antes da aprovação em plenário, o projeto recebeu pareceres favoráveis da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), com a relatoria do deputado Antônio Pereira (DEM) e da Comissão de Saúde, com a relatoria do deputado Wendell Lages (PMN).

Obras do Hospital da Ilha entram em nova fase, gerando emprego e renda

O hospital está sendo construído no bairro Turu, em um terreno com 62 mil m² de área total. Ao todo, serão 392 leitos

“É a solução definitiva do problema de urgência e emergência na Ilha de São Luís”, disse o governador Flávio Dino em fevereiro deste ano, durante visita logo após o início da construção do Hospital da Ilha. O hospital foi pensado para suprir a demanda de saúde das cidades que compõem a Região Metropolitana, desafogando o atendimento nos dois outros Socorrões de São Luís.

Na época, a obra estava apenas na fase de execução de terraplanagem e fundações. Menos de seis meses depois, o cenário no canteiro de obras é outro. Com prazo de execução de 32 meses, as construções avançam em ritmo acelerado e boa parte da estrutura do novo hospital já foi levantada.

Orçado em R$ 132.049.108,88, o Hospital da Ilha vai contar com atendimento de urgência e emergência adulto e pediátrico, nove centros cirúrgicos, UTIs, Unidade de Tratamento de Queimados, laboratórios, setor de hemodiálise, tomografia, oito elevadores (sendo cinco exclusivos para maca e pacientes), além de auditório, amplo estacionamento e um heliponto.

O hospital está sendo construído no bairro Turu, em um terreno com 62 mil m² de área total. Ao todo, serão 392 leitos. Na primeira etapa, serão entregues 212 leitos distribuídos em seis blocos (A, B, C, D, E e F). O terreno possui ainda área reservada para expansão, denominado Bloco H, onde estão previstos mais três pavimentos de internação do tipo enfermaria, com um acréscimo de 180 leitos.

A irregularidade do solo e a intensidade do período chuvoso no primeiro semestre não atrapalharam o bom andamento na construção nos blocos D, E, F e G, como explica o gerente de contratos do Consórcio responsável pela obra, o engenheiro Lauro Campos.

Enquanto a obra não fica pronta, ela vem gerando emprego e renda para centenas de trabalhadores. Segundo o engenheiro Lauro Campos, a expectativa é que durante o pico da construção, quando diversas especialidades serão exigidas, o número de trabalhadores chegue a 380 direta e indiretamente.

Maranhão reduz casos de morte materna e infantil e se torna destaque em Brasília

No encontro, Flávio Dino pontuou as principais ações da política de combate à mortalidade materna e infantil implementadas pelo Governo do Maranhão

O governador Flávio Dino apresentou na sede da Organização Pan-americana de Saúde (OPAS), em Brasília, a experiência exitosa do Maranhão na redução da mortalidade infantil e materna. Esta foi a primeira vez que um governador foi convidado a participar de uma reunião da Comissão Intergestores Tripartite, do Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretários da Saúde (CONASS) e Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS).

No encontro, Flávio Dino pontuou as principais ações da política de combate à mortalidade materna e infantil implementadas pelo Governo do Maranhão nos últimos anos, dando destaque a experiência na região de Balsas, onde o Governo agiu conjuntamente com a OPAS/OMS, Conass e municípios.

“Há uma premissa nesse trabalho, que é a da união. Os bons resultados se devem exatamente em razão das parcerias. Viemos demonstrar, em forma de agradecimento a OPAS, OMS, Conass e toda equipe técnica que tem visitado o Maranhão, que a soma de forças tem salvado vidas. E salvar essas mães, salvar essas crianças, é salvar a todos nós”, defendeu o governador Flávio Dino, que esteve acompanhado do prefeito de Balsas, Doutor Erik, e do secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula.

Foram apresentados os resultados gerais do Maranhão e os números alcançados pela Regional de Saúde de Balsas – atualmente formada por 13 municípios do sul do estado. Com a parceria da OPAS/OMS e do Conass foi possível passar todo o ano de 2018 sem um caso de morte materna. O resultado positivo na região foi alcançado após a adoção de estratégias e ações voltadas para a qualidade de vida da mulher, pré-natal, parto e puerpério, como a inauguração do Hospital Regional de Balsas, do Centro Sentinela de Planejamento Reprodutivo e a Planificação da Saúde.

O secretário de Saúde, Carlos Lula, destacou a união de esforços para alcançar os bons resultados. “Queria agradecer o empenho de todos, sem essa união não seria possível esse resultado. A mortalidade materna é um componente muito grave porque desagrega uma família inteira e em Balsas esse indicador era muito alto. E era um desafio diminuir fortemente [esses casos] e nós conseguimos ir além, com o apoio foi possível zerar”, declarou.

Osmar Filho destina recursos para Saúde e leva discussão sobre Plano Diretor para Câmara

O presidente da Câmara ratificou a destinação de recursos da ordem de R$ 600 mil, oriundos de emenda parlamentar de sua autoria, que serão aplicados na saúde de São Luís

O presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho (PDT), reuniu-se com o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), oportunidade na qual recebeu do gestor documento final do Plano Diretor da capital maranhense. O documento, a partir de agora, será discutido no Parlamento Ludovicense. O referido debate, é importante destacar, contará com a participação massiva da população, segundo garantiu o próprio Osmar Filho.

“Trata-se de um documento fundamental, norteador dos novos rumos e do desenvolvimento de nossa capital. A Câmara Municipal, com responsabilidade, debaterá a matéria, estabelecendo junto as suas Comissões Técnicas um cronograma de trabalho composto, inclusive, de audiências públicas, que terá a participação permanente da população e de todos os segmentos da sociedade civil organizada”, afirmou.

Osmar Filho também reuniu-se com o secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, e os defensores públicos Davi Veras e Jean Carlos Pereira. Também participou do encontro, cujo objetivo foi discutir melhorias para o setor da saúde, a diretora administrativa do Hospital Dr. Odorico Amaral de Matos, Yole Saraiva.

O presidente da Câmara ratificou a destinação de recursos da ordem de R$ 600 mil, oriundos de emenda parlamentar de sua autoria, que serão aplicados na saúde de São Luís

O presidente da Câmara ratificou a destinação de recursos da ordem de R$ 600 mil, oriundos de emenda parlamentar de sua autoria, que serão investidos pelo município na melhoria do trabalho desenvolvido no Hospital da Criança; Socorrinhos do Cohatrac e São Francisco; Hospital Aldenora Belo; Maternidade Maria do Amparo; e Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de São Luís (APAE-MA). “Uma das nossas prioridades é levar saúde e qualidade de vida à população”, ressaltou o pedetista.

Osmar Filho e o secretário também trataram sobre a implantação de uma Central de Marcação de Consultas na região da Zona Rural de São Luís.
“Estive na Associação de Moradores de Pedrinhas com seus dirigentes e com representantes de outras comunidades do entorno do bairro, que solicitaram a nossa intervenção no sentido de que seja instalado um posto da CEMARC para que as pessoas possam ter local mais próximo para a marcação de consultas na Rede Pública Municipal”, justificou o parlamentar.