Maranhão reduz mortes por coronavírus e aumenta geração de empregos, aponta levantamento nacional

O estado apresentou 33% de redução nos óbitos, apontam dados de pequisa do G1/Consórcio de Veículos de Imprensa.

Em meio ao cenário de prejuízos causados pela pandemia do novo coronavírus, o Maranhão está entre os estados do país que teve queda nas mortes pela doença, segundo levantamento nacional. O estado apresentou 33% de redução nos óbitos, apontam dados de pequisa do G1/Consórcio de Veículos de Imprensa. Paralelamente, é o primeiro do Nordeste e o quarto estado do país na geração de empregos, segundo o Governo Federal, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Outro dado positivo se refere aos leitos para atendimento da doença, com apenas 46% ocupados, que significa alta na oferta de leitos para outros atendimentos. 

“Isso significa a confirmação de uma trajetória conquistada arduamente, e faço o convite para que continuemos com a atitude que tivemos até aqui, com menos danos que em outros locais. É um  indicador altamente relevante e que levamos alguns meses para conquistar. A expectativa é que essa curva continue declinante para agosto”, pontuou o governador Flávio Dino em coletiva de imprensa pelas redes do Governo do Estado, na manhã desta sexta-feira (31). 

A tendência de redução se repete ainda na utilização dos leitos exclusivos para coronavírus. A ocupação destes leitos está em apenas 46%, representando alta oferta destes, disponibilizados para outros procedimentos que a rede estadual de saúde atende. “Com isso, pode-se pensar na plena retomada destes leitos para outros atendimentos médicos”, reforça o governador.

A queda reflete também no setor da economia. Em levantamento do Governo Federal, por meio do Caged, referente a junho, o Maranhão teve a maior geração de empregos formais do Nordeste e é o quarto do Brasil em maior geração de empregos, com 3.907 postos de trabalho gerados. “Queremos que o Brasil vença as dificuldades, e o Maranhão em particular. Nosso governo apoia o empreendedorismo e em nome dessa geração de empregos, precisamos cumprir as normas sanitárias vigentes”, alerta o governador. 

O governador ressaltou que o Estado está em um processo de abertura econômica, iniciado em maio. São quase R$ 2 bilhões de investimentos em andamento no Maranhão, o que significa milhares de empregos, citou o governador. “Estamos conseguindo avançar na flexibilização da economia, conforme atesta o Governo Federal”, reforça. Dino lembra que a medida foi corajosa e bastante criticada. “Porém, sustentamos essa posição e os resultados positivos estão aqui”, enfatizou.

Flávio Dino lembrou a impossibilidade, no cenário atual, da promoção de eventos que causem aglomerações e que estes serão fiscalizados pelos órgãos competentes. “Este não é o momento ainda. O que se discute aqui é o cumprimento das normas sanitárias. É um processo contínuo. Estamos analisando tecnicamente pleitos diversos e veremos o que é razoável liberar”, informou. 

Vigilância Sanitária interdita estrutura na Península por aglomeração e venda de bebida

O espaço foi utilizado para promoção de evento no fim de semana, o que resultou em aglomeração, infringindo decretos e portarias sanitárias de prevenção ao coronavírus.

Em ação da Superintendência de Vigilância Sanitária do Estado (Suvisa), a Secretaria de Estado da Saúde (SES) realizou auto de infração e interdição de uma estrutura montada na região da Península, nesta segunda-feira (27). O espaço foi utilizado para promoção de evento no fim de semana, o que resultou em aglomeração, infringindo decretos e portarias sanitárias de prevenção ao coronavírus.

De acordo com o superintendente de Vigilância Sanitária do Maranhão, Edmilson Diniz, a quantidade de pessoas chamou a atenção das autoridades sanitárias. “Ao chegarmos ao local, encontramos estrutura de tendas, com isopor para armazenamento de bebida, além da identificação de uma marca associada a uma empresa. Vamos verificar o CNPJ dessa marca para que seja formalizada a autuação sanitária”, afirmou o superintendente.

Após constatação dos fiscais sanitários da SES, foi observada infração do Artigo 10 da Lei 6.437, de 20 de agosto de 1977, e do Artigo 11 da Lei Complementar 039, de 15 de dezembro de 1998, que abrangem as medidas sanitárias a serem seguidas e adotadas. O responsável pela estrutura não foi encontrado no momento da autuação, contudo, após a autuação ser formalizada ele terá 15 dias para apresentar defesa na Superintendência de Vigilância Sanitária do Estado.

Outro ponto que resultou na determinação sanitária foi que o evento realizado no espaço ofereceu risco à saúde pública, uma vez que gerou aglomeração de pessoas em um espaço favorável a possível contaminação em larga escala. A organização também foi de encontro às vigentes Portarias nº 039 e 042, expedidas pela Casa Civil.

Para Flávio Dionísio, proprietário de um restaurante na mesma região, atividades irregulares prejudicam quem segue as recomendações sanitárias. “Eu sou absolutamente contra isso. Por ser proprietário de um restaurante, sei dos protocolos sanitários a serem seguidos, inclusive restringimos o funcionamento somente aos sábados e domingos, para estarmos de acordo com as normas estabelecidas”, compartilhou.

Inquérito Sorológico de Infecção por Covid-19 é iniciado em municípios maranhenses

A pesquisa amostral que está sendo realizada simultaneamente na Região Metropolitana de São Luís e nas demais regiões do Maranhão deve ocorrer até o dia 10 de agosto

O Governo do Estado iniciou nesta segunda-feira (27) a pesquisa domiciliar com aplicação de teste sorológico que servirá como base para Inquérito Sorológico de Infecção por Covid-19 no Maranhão. A pesquisa, cujo objetivo é avaliar o cenário atual da pandemia no estado e contribuir para conhecer o estágio da infecção dos maranhenses pela doença, já está em andamento em 69 municípios das 19 regiões de saúde do Maranhão que vão contribuir com o estudo. 

A pesquisa amostral que está sendo realizada simultaneamente na Região Metropolitana de São Luís e nas demais regiões do Maranhão deve ocorrer até o dia 10 de agosto, quando a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), parceira da Secretaria de Estado da Saúde (SES) no estudo, fará a tabulação dos dados para a posterior divulgação dos resultados da pesquisa.  

Segundo a superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças da SES, Léa Márcia Melo da Costa, a coleta conta com equipes compostas por entrevistadores, técnicos de coleta e um supervisor de campo. Todos devidamente identificados, vão de casa em casa, com o apoio de agentes municipais de saúde. 

“No momento da coleta, é feito um questionário por meio de um aplicativo e também é coletado o sangue venoso, um método extremamente sensível e de forma inédita no Brasil, visto que os demais estudos feitos em território nacional foram realizados através de teste rápido. Desta forma, poderemos ter um melhor retrato do cenário de infecção pelo coronavírus no estado do Maranhão”, afirma a superintendente Léa Márcia Melo.  

Os pesquisadores realizarão o inquérito nos cidades de Açailândia, Bom Lugar, Conceição do Lago Açu, Lago Verde, Marajá do Sena, Bacabal, Feira Nova do Maranhão, São Raimundo das Mangabeiras, Barra do Corda, Jenipapo dos Vieiras, Afonso Cunha, Caxias, Coelho Neto, Buriti, Anapurus, Araioses, Chapadinha, Milagres do Maranhão, São Bernardo, Codó, Coroatá, Imperatriz, Sítio Novo, Lajeado Novo, Cantanhede, Itapecuru Mirim, Nina Rodrigues, São Benedito do Rio Preto, Vargem Grande, Arari, Vitória do Mearim, Fortuna, Governador Archer, Santa Filomena do Maranhão, São José dos Basílios, Senador Alexandre Costa, Igarapé Grande, Pedreiras, Poção de Pedras, Trizidela, Cedral, Presidente Sarney, Turilândia, Axixá, Humberto de Campos, Rosário, Mirador, Paraibano, Pastos Bons, São João dos Patos, Barão de Grajaú, Alto Alegre do Pindaré, Bom Jardim, Pindaré, Pio XII, Santa Inês, Governador Newton Bello, São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar, Raposa, Alcântara, Timon, São Francisco do Maranhão, Cajapió, Palmeirândia, Governador Nunes Freire, Maracaçumé e Santa Luzia do Paruá.

Equipe de saúde leva idosa em recuperação da Covid-19 para realizar sonho de conhecer o mar

Natural do município Presidente Sarney, dona Lourimar Ferreira ainda está debilitada, mas mesmo assim fez questão de agradecer o passeio. “Eu vim olhar o mar, muito obrigada, foi muito bom”, relatou a idosa, emocionada.

Depois de sete décadas de vida, dona Lourimar Ferreira, de 72 anos, conheceu pela primeira vez a praia. O sonho de criança foi realizado em um momento delicado da vida, pois ela está se recuperando da Covid-19 no Hospital Dr. Genésio Rêgo. Para realizar o sonho da paciente, uma equipe de saúde organizou a visita, tomando todos os cuidados necessários para preservar a saúde da paciente e dos profissionais. 

Natural do município Presidente Sarney, dona Lourimar Ferreira ainda está debilitada, mas mesmo assim fez questão de agradecer o passeio. “Eu vim olhar o mar, muito obrigada, foi muito bom”, relatou a idosa, emocionada. 

“Ela não respondia e não conversava. Agora ela já está conversando, já está orientada, dá sinais psicológicos importantes, bem melhor do que há semanas atrás, quando estava um pouco depressiva. Na visita dela à praia para poder conhecer o mar, já se percebe a alegria. A felicidade dela certamente é a felicidade da nossa equipe”, reforçou o diretor chefe da UTI do Genésio Rêgo, o médico Demian Borges. 

Segundo a equipe, esse tipo de abordagem costuma ter impacto positivo no tratamento dos pacientes, uma vez que é preciso considerar tanto a recuperação física quanto a psicológica. “Realizamos o desejo da paciente que já está há muito tempo internada com a gente. Estamos fazendo esse trabalho de manejo humanizado que nosso hospital promove com participação da nossa equipe clínica. O objetivo é proporcionar uma satisfação maior para a paciente, em um ambiente diferente do hospitalar”, reforçou Ulysses Moura, enfermeiro supervisor da UTI. 

Todos os cuidados foram tomados para a realização do grande sonho da idosa. Dona Lourimar é mais uma das mais de 90 mil pessoas que já conseguiram vencer a batalha contra a Covid-19 no Maranhão. “Facilita muito na recuperação dos pacientes. Os dias de internação não são fáceis, o paciente fica muito tempo isolado, fica sem a família, então trouxemos a paciente. Foi pedido dela, portanto montamos toda essa força-tarefa”, explicou a enfermeira Lorena Rezende, do setor de controle de infecção do Hospital Dr. Genésio Rêgo. 

A idosa foi internada na unidade no dia 26 de junho com a Covid-19. Ela não transmite mais a doença, mas permanece internada tratando outras comorbidades. O translado para a Praia do Araçagy foi realizado seguindo os protocolos sanitários e dentro dos rígidos padrões de segurança. O transporte foi feito em uma ambulância com todo o aparelhamento de assistência, bem como o acompanhamento dos profissionais de saúde. 

Governo debate com Exército andamento das obras da BR-135

O Exército Brasileiro iniciou serviços de manutenção na via que é a única entrada terrestre para a capital São Luís

O secretário de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), Simplício Araújo, reuniu com o 3º Batalhão de Engenharia de Construção do Exército Brasileiro, nesta quarta-feira (22), para dialogar sobre o andamento das obras de recuperação da BR-135 e sobre a manutenção da área cedida pela Seinc, que está sendo usada como base do Exército durante a execução das obras.

Foi discutido, também, sobre a manutenção da área cedida pela Seinc ao Exército – uma antiga área onde seria instalada a refinaria Premium, de responsabilidade da Secretaria – para a construção de uma usina de asfalto no canteiro de obras.

“Estamos acompanhando de perto a recuperação da BR-135, que conta com o apoio da Seinc desde o início. Estamos empenhados em agilizar este processo juntamente ao Exército, assim como o funcionamento da base, para juntos entregarmos esta importante via de transporte que impacta diretamente na vida dos maranhenses”, afirmou o secretário.

A área cedida passou por vistorias da Seinc e do Exército, após o início dos levantamentos topográficos do local.

“Esta usina será de extrema importância, principalmente para acelerar os trabalhos de restauração asfáltica, que irá servir tanto para o trecho de Bacabeira à São Luís quanto como de Bacabeira para Miranda, que será duplicada agora”, acrescentou Simplício Araújo.

Casos de coronavírus em queda no Maranhão

Os destaques do novo boletim são os números da região metropolitana de São Luís e a cidade de Imperatriz.

O Maranhão chegou, nesta quarta-feira (22), aos 94.466 curados da Covid-19 dentre os 109.731 casos confirmados no estado e 2.810 mortos pela infecção do novo coronavírus. As informações foram divulgadas no boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Nas últimas 24 horas, o estado confirmou mais 1.612 pessoas recuperadas da doença. O estado segue com 12.455 casos ativos, que são as pessoas em tratamento. Destas, 11.851 estão em isolamento domiciliar, 350 em enfermarias e 254 estão em leitos de UTI.

Os destaques do novo boletim são os números da região metropolitana de São Luís e a cidade de Imperatriz. Enquanto apenas 103 casos foram confirmados na Grande São Luís, a segunda maior cidade do estado registrou apenas 1 caso.

“A responsabilidade principal é do presidente da República”, diz Flávio Dino sobre crise econômica

Flávio Dino afirmou ainda que se não houver uma rápida coordenação federal, o Brasil continuará tendo que conviver com graves problemas sanitários e econômicos

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (17) o governador Flávio Dino afirmou o quanto precisou ter firmeza para, em meio a críticas, sustentar medidas sanitárias de prevenção ao coronavírus no Maranhão, como fechamento de estabelecimentos comerciais e lockdown.

“Qual a consequência nós estamos vendo hoje? Não nos livramos do coronavírus, nem da crise econômica e a responsabilidade principal é do presidente da República que não compreendeu o que estava acontecendo. Os governadores continuam na luta cotidiana e postulando isto de que haja essa coordenação nacional, ainda é tempo”, disse Dino.

Ele afirmou ainda que se não houver uma rápida coordenação federal, o Brasil continuará tendo que conviver com graves problemas sanitários e econômicos, como o desemprego. “Não discuto se o remédio a, b ou c são eficazes porque não me cabe, não sou médico. O presidente tampouco é. Então o que cabe a nós, lideres políticos, é cuidar das políticas públicas. Quem cuida de remédio é o médico, que o prescreve”, pontuou o governador.

Governo consegue com os EUA hospital de campanha para Bacabal

O hospital de campanha terá 40 leitos e será mais um reforço para tratar pacientes com Covid-19 em Bacabal e região. 

A Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), após diálogos com o governo dos Estados Unidos da America (EUA), conseguiu a doação de um hospital de campanha que será implantado na cidade de Bacabal.

Recentemente, o secretário de Estado de Indústria, Comércio e Energia, Simplício Araújo, esteve dialogando, por meio de videoconferência, com o Consulado dos EUA no Brasil, alinhando as tratativas para a implantação da unidade de saúde, que terá 40 leitos e será mais um reforço para tratar pacientes com Covid-19 em Bacabal e região. 

“Conseguimos, por meio do consulado americano, mais esse importante espaço. O Governo Americano vai doar toda a estrutura do hospital e insumos, como material de limpeza hospitalar e EPIs”, informou Simplício Araújo. Além dos insumos, o Governo Americano vai doar toda a estrutura do hospital, como macas, aparelhos de ar-condicionado e o gerador de energia. 

Infectado com a covid-19, Bolsonaro reclama da quarentena: ‘É horrível’

Presidente Jair Bolsonaro na frente do Palácio da Alvorada durante a quarentena, após teste positivo para a covid-19. Brasilia, 12.07.2020

O presidente Jair Bolsonaro, em quarentena há quase uma semana após testar positivo para o novo coronavírus, anunciou hoje que se submeterá a um novo exame na terça e admitiu que vai aguardar ansioso os resultados porque não aguenta mais ficar em casa.

O resultado do exame RT-PCR “deve sair em poucas horas e eu aguardo com bastante ansiedade porque eu não aguento essa rotina de ficar em casa. É horrível”, disse Bolsonaro em entrevista por telefone à CNN Brasil do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, em Brasília.

Cético da pandemia e contrário às quarentenas adotadas por governadores e prefeitos, Bolsonaro reiterou, como tem feito nos últimos dias, que se sente muito bem, sem febre e sem dificuldade para respirar. Tampouco perdeu o paladar, um dos sintomas mais comuns da infecção pelo novo coronavírus.

“Amanhã [terça-feira] não sei se vai se confirmar [a presença do vírus] com o novo exame. Se estiver tudo bem, a gente volta ao trabalho. Claro, do contrário, a gente aguarda mais alguns dias”, acrescentou o presidente de 65 anos, que espera retomar as atividades no máximo em uma semana.

“No mais, tudo bem, estamos despachando por videoconferência o tempo todo e fazendo o possível para não deixar nada acumular nestes dias que estou aqui no Alvorada”, comentou.

Bolsonaro disse na quinta-feira passada, em sua live semanal pelo Facebook, que desde que começou a sentir mal-estar toma um comprimido diário de hidroxicloroquina, um medicamento antimalária, cuja eficácia contra o novo coronavírus não foi comprovada cientificamente.

“Deixo bem claro pra vocês […] Eu tomei [a hidroxicloroquina] e deu certo e tô muito bem, graças a Deus”, disse na ocasião o presidente, que defende o uso do remédio para tratar a covid-19, apesar das discussões na comunidade científica internacional sobre sua idoneidade.