Haddad reúne-se com representantes de igrejas evangélicas em São Paulo

O candidato a Presidente, Fernando Haddad, em encontro com pastores evangélicos Foto: Edilson Dantas

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, se reuniu nesta quarta-feira (17) num hotel do centro de São Paulo com representantes e integrantes de igrejas evangélicas, como a Batista, Metodista, Presbiteriana, assembleia de deus e anglicana.

O candidato ouviu músicas e orações e recebeu apoio de pastores. Haddad divulgou uma carta aos evangélicos, na qual diz que “desde as eleições de 1989, o medo e a mentira são semeados entre o povo cristão contra candidatos do PT.”

No texto, pontuado por passagens da Bíblia, ele escreveu: “A legalização do aborto, o kit gay, a taxação de templos, a proibição de culto público, a escolha de sexo pelas crianças não constam de meu programa de governo”.

No discurso, Haddad também defendeu a liberdade religiosa. “Num país tão desigual quanto o Brasil, o único projeto que eu concebo é um projeto que garanta a mais ampla liberdade para as pessoas. Mais ampla e em todos os âmbitos. Liberdade de se expressar, liberdade de se organizar, liberdade de abraçar uma religião, liberdade de dizer o que pensa, de ser convencido e convencer”, afirmou o candidato.

Para Haddad, “o Estado não pode ser propriedade de uma religião, tem que abraçar todas”.

Ele também disse que assumiu um compromisso com aqueles que mais precisam. Para combater a desigualdade, ele ressaltou que o governo precisa dar oportunidades iguais.

“O que nós queremos é que, independentemente disso, seja católico ou evangélico, seja judeu ou muçulmano, seja nordestino ou sulista, branco ou negro, homem ou mulher, todo mundo tem rigorosamente as mesmas condições de se desenvolve”, disse.

“Deus distribuiu talento democraticamente. Todo mundo tem talento […] Mas se nós criarmos condições para que todos possam se desenvolver, você vai descobrir pianistas, médicos, engenheiros, advogados, artistas, cantores, compositores em cada um de nós, porque todo mundo nasceu com talento pra desenvolver”, completou Haddad.

O candidato ainda se disse preocupado com onda de calúnias nas redes sociais e defendeu uma campanha sem violência.

“Nós não podemos agredir quem pensa diferente da gente”, argumentou. “Matar nunca é a solução. Nunca é a solução. Torturar nunca é a solução”, concluiu

Haddad recebe ato de apoio e defende reformas bancária e tributária

Para Haddad, a reforma tributária deve prever aumento de impostos a grandes fortunas e zerar os impostos para quem ganha até cinco mínimos

Em entrevista para âncoras de 90 rádios nordestinas, o candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, defendeu as reformas nos sistema tributário e bancário brasileiro. Segundo ele, é necessário taxar os bancos, que cobram juros altos, regulamentando e reformulando o sistema. “Sem reforma bancária e sem reforma tributária, a economia não vai reagir”, disse ele em Brasília.

Para Haddad, a reforma tributária deve prever aumento de impostos a grandes fortunas e zerar os impostos para quem ganha até cinco mínimos. “Com isso o poder de compra vai aumentar, isso vai aquecer a economia que é o caminho para arrecadar mais”. Segundo ele, os “milionários” é que devem pagar mais tributos.

Ao deixar o local da entrevista, na região central de Brasília, o candidato foi cercado por algumas dezenas de simpatizantes e apoiadores. Ele recebeu abraços e tapas nas costas, ouviu palavras com desejos de sorte e estímulo para a campanha neste segundo turno. O ato de apoio incluiu cânticos e referências ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Corrupção

Na entrevista, Haddad disse que, uma vez eleito, vai apoiar o Judiciário, a Controladoria-Geral da União e a Polícia Federal no combate à corrupção. De acordo com ele, serão investidos mais recursos em um sistema associado ao aperfeiçoamento de gestão e tecnologia de ponta: “Temos que fazer uma gestão muito mais integrada com estados e municípios do que agora”

Programas sociais

Em um futuro governo, Haddad afirmou que construirá mais 2 milhões de unidades do programa Minha casa, Minha vida. Ele pretende, no entanto, construir as casas mais próximas dos centros urbanos: “Nós vamos construir casas mais próximas da cidade, para isso nós vamos usar os terrenos da união em todas as capitais brasileiras.”

Haddad disse que, uma vez eleito, vai utilizar 10% das reservas cambiais em projetos de energia solar e eólica no Nordeste. Segundo ele, o governo Lula acumulou cerca de US$ 400 bilhões em reservas cambiais.

“Nós vamos usar 10% para energia eólica e solar no Nordeste para gerar energia a custo baixo. Vai ser o maior programa de geração eólica e solar da história do país”, afirmou o candidato, reiternado que até o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva o “Nordeste era uma área esquecida”. “O Nordeste continua colhendo os frutos da política que nós adotamos”, disse.

Aliado de Ciro anuncia apoio a Bolsonaro, que ganha primeiro palanque no NE

O candidato do PDT ao governo do Rio Grande do Norte, que também disputa o segundo turno, anunciou que apoia Jair Bolsonaro

O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro , ganhou seu primeiro palanque no Nordeste para o 2º turno nesta sexta-feira (12). O candidato do PDT ao governo do Rio Grande do Norte, que também disputa o segundo turno, anunciou que apoia o capitão reformado do Exército. Carlos Eduardo (PDT) enfrenta Fátima Bezerra (PT) na votação do próximo dia 27.

No país todo, Bolsonaro leva vantagem neste quesito e terá mais palanques que Haddad : de 28 candidatos que disputam governos estaduais no segundo turno, 12 já anunciaram que apoiam o candidato do PSL.

No início da semana, o PDT anunciou que daria um “apoio crítico” a Fernando Haddad (PT) , mas o presidenciável do partido, Ciro Gomes, que ficou em terceiro lugar na disputa, não quis falar sobre a decisão da legenda nem manifestar apoio particular.

O PDT informou que Ciro não subirá ao palanque nem fará campanha, e o candidato viajou para a Europa, devendo voltar apenas na semana da votação do segundo turno, segundo sua assessoria de imprensa. Foi um revés para o petista, que esperava ver Ciro engajado na campanha ao longo do segundo turno.

A falta de firmeza no apoio do presidenciável do PDT pode ter estimulado o candidato da sigla no RN a marcar posição favorável a Bolsonaro, que precisa de bandeiras em relação a sua adversária, correligionária de Haddad. Fátima ficou na frente no primeiro turno, com 46,17% dos votos válidos , contra 32,45% de Carlos Eduardo.

O UOL procurou o presidente do PDT, Carlos Lupi, para perguntar se caberia alguma espécie de sansão em relação ao candidato, por ter contrariado a orientação do partido, mas ele não atendeu aos telefonemas. A direção nacional também foi procurada, por meio de sua assessoria de imprensa, mas não retornou os contatos até a publicação desta reportagem. Ao jornal Folha de S. Paulo, Lupi afirmou que não via problema na declaração de apoio . “Não posso impor uma situação que inviabilize meu candidato”, afirmou.

Eduardo divulgou seu apoio por meio de um vídeo distribuído em grupos de WhatsApp. Até a tarde desta sexta, não havia sido publicado nos canais oficiais do candidato no Facebook, Twitter, Instagram ou Youtube. O UOL não conseguiu contato com a assessoria de imprensa do candidato, mas a um jornal local, a campanha confirmou a autenticidade do vídeo e do apoio.

No vídeo, ele lamenta a ausência de Ciro Gomes no segundo turno. Diz que o PT assumiu prometendo um país mais justo com emprego, educação e saúde.

“Doze anos depois, temos um Brasil dividido e vivendo sua maior crise econômica, com 13 milhões de desempregados, a maior violência de todos os tempos e a maior crise ético e moral de toda sua história”, afirma Eduardo na mensagem. “Por tudo isso, e para que o Rio Grande do Norte não fique de fora no novo Brasil que sairá vencedor das urnas, Bolsonaro presidente.

Autoridades e população se manifestam em defesa ao secretário Carlos Lula…

Secretário recebeu inúmeras manifestações de apoio

Autoridades políticas e civis de várias partes do Maranhão se manifestaram em defesa da democracia e condenaram os ataques contínuos da oposição contra o secretário Carlos Lula, responsável pela Secretaria de Estado da Saúde.

O deputado Marco Aurélio usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão para destacar os avanços da saúde na gestão do secretário Carlos Lula, relembrando o aumento de 40% no número de leitos na saúde do estado. O parlamentar também destacou a inauguração do Hospital de Traumatologia e Ortopedia, a chegada da Casa de Apoio Ninar e o fortalecimento da assistência em oncologia.

“Ao contrário de algumas pessoas que já estiveram sentadas naquela cadeira como secretário de saúde, Carlos Lula é um homem integro, trabalhador, que se esforça… É uma pessoa de mãos limpas ao contrário de outras no passado que fizeram todo tipo de artimanhas, inclusive proteger pessoas. É uma pessoa que de fato se dedica para melhorar a saúde do estado e é o que ele tem feito nesses anos que está à frente da SES”, afirmou do deputado durante discurso.

No Twitter, a deputada federal Eliziane Gama alertou a população que Carlos Lula tem sido alvo de perseguição política, já que as suspeitas contra ele não têm qualquer fundamento. “Conheço o secretário Carlos Lula desde quando era deputada Estadual e sua forma de agir e conduta sempre foram de retidão moral e extremo zelo com suas atividades profissionais. As acusações que ele sofre atualmente são infundadas e tentam macular a história de um profissional íntegro. Vivemos em tempos onde, por conta da disputa política eleitoral, tentam manchar a biografia de pessoas honradas e dignas. O secretário de saúde do Maranhão Carlos Lula tem passado limpo e tem tocado a saúde do Maranhão de maneira irretocável”, publicou em sua rede social.

O deputado federal Rubens Júnior também usou as redes sociais para falar sobre o compromisso e a confiança da população na atual gestão da saúde do Maranhão. “Uma das principais virtudes do governador Flávio Dino é ter uma equipe republicana como ele. Carlos Lula é exemplo de competência e seriedade. Tem nossa irrestrita confiança.

Além das autoridades, a população também manifestou apoio ao secretário com críticas ao Sistema Mirante de Comunicação, principal instrumento de calúnia e difamação contra Carlos Lula. Vários questionamentos sobre a parcialidade da emissora foram publicados no Facebook.

“Está chegando as eleições e eles querem a todo custo continuarem comendo lagosta às custas do povo. A farra acabou e agora vão atacar como animais famintos”, postou a internauta Josy Viegas.

“Essa Mirante usa o jornalismo para conquistar bobos através de mentiras, estão cada dia mais desacreditados, mas o povo não é bobo”, disse Placidina dos Reis Oliveira no Facebook.

“A Mirante nunca vai falar bem do governo atual. Mas vai ter que engolir mais quatro anos porque nós não vamos colocar essa família no poder de novo não. É Flávio Dino”, destacou Nilde Cabral.

“O povo quer saber cadê os 2 bilhões desviados na saúde na época da dona Rosengana que tinha como secretário seu Ricardo Murad, vulgo boneco de Olinda. Vamos Mirante, mostra por onde anda este processo”, questionou Alexsandro Tavares.

PT do Maranhão reafirma apoio à reeleição de Flávio Dino

O presidente do PT, Augusto Lobato, o deputado estadual Zé Inácio e o deputado federal Zé Carlos, reafirmaram a união em prol da reeleição de Flávio Dino.

Após a ida do deputado Waldir Maranhão para o PSDB, petistas que defendiam a filiação do deputado federal e os que eram contra a entrada do parlamentar no PT, estão mais unidos no projeto de reeleição do governador Flávio Dino.

Na última sexta-feira (13), o governador recebeu o presidente do PT, Augusto Lobato, o deputado estadual Zé Inácio e o deputado federal Zé Carlos, que reafirmaram a união em prol da reeleição de Flávio Dino.

 

PARCERIA GARANTIDA! Flávio Dino declara voto em Edivaldo Jr…

flavioe12

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), declarou, por meio de sua conta no Twitter, nesta segunda-feira (24), voto no candidato à reeleição pela Prefeitura de São Luís, Edivaldo Holanda Jr (PDT). O anúncio foi adiantado nas redes sociais e confirmado no programa eleitoral do  pedetista desta noite.

No horário eleitoral, Flávio Dino gravou uma mensagem onde reforçou a importância da parceria entre o governo do Estado e a Prefeitura de São Luís. Assim que assumiu o governo, foram várias intervenções realizadas em conjunto com Edivaldo Holanda Jr na capital maranhense, entre elas as obras do programa “Mais Asfalto”, reforma de praças, et.

No primeiro turno, Flávio Dino se manteve neutro em respeito aos candidatos que faziam parte da base governista, como a deputada federal Eliziane Gama (PPS), e não declarou voto.

No segundo turno, ele não se manifestou no início, pois o outro candidato, deputado Eduardo Braide (PMN), é também considerado da base de apoio ao governo. Porém, o mesmo, estranhamente, passou a fazer alguns ataques ao governo do Estado de leve, como no programa eleitoral, que abordou a questão dos incêndios a ônibus, e em entrevistas, rodas de conversa, eventos, etc.

O apoio de Flávio Dino a Edivaldo Holanda Jr é natural, pois o seu partido, o PCdoB, está na chapa e indicou o candidato a vice-prefeito, Júlio Pinheiro.

Desgastado e desbancado por Braide, WC demora mas assume que está com candidato do PMN

Após intenso desgaste político na campanha do primeiro turno por inúmeras revelações feitas pela imprensa e pela blogosfera, o deputado estadual Wellington do Curso (agora Wellington Sem Curso) anunciou, na sessão desta segunda-feira (24), na tribuna da Assembleia Legislativa, apoio ao candidato do PMN, Eduardo Braide, na disputa pela Prefeitura de São Luís.

Imprensa e blogosfera fizeram vir à tona inúmeros fatos que revelaram muitas coisas ocultas na trajetória de WC, mas foi Eduardo Braide quem o enquadrou, nos debates da TV Guará e da Mirante, como um político oportunista, um deputado de “gogó” e pouco eficiente em suas ações parlamentares (Relembre os debates no vídeo acima).

Em relação ao apoio político, no frigi dos ovos, o  gesto se traduz apenas no voto do próprio WC e talvez de alguns próximos, pois, na verdade, o deputado não é dono dos mais de cem mil votos que teve em São Luís, no primeiro turno. Ele não pode contabilizar esses eleitores como cristalizados, pois foi um candidato de momento, momento este que passou.

WC demorou a se posicionar, pois criticou, radicalmente, o prefeito Edivaldo Jr, no primeiro turno, e coordenou um grupo de desconstrução a Eduardo Braide, que não teve êxito, logo após ter se sentido ameaçado eleitoralmente pelo candidato do PMN depois, justamente, da repercussão dos debates.

Analistas  entendem que seria melhor para WC ter ficado neutro, sem declarar apoio neste segundo turno para se poupar politicamente. Mas o deputado do PP preferiu dar um passo arriscado que lhe pode render uma nova derrota no próximo domingo (30). Pode estar terminando de se “enterrar” politicamente.

Líder do governo contraria PSB e anuncia apoio a Edivaldo em São Luís

Rogério Cafeteira

Rogério Cafeteira

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado estadual Rogério Cafeteira (PSB), decidiu não seguir a orientação do seu partido, que coligou com o candidato a prefeito de São Luís, Wellington do Curso (PP), e declarou, nesta quarta-feira (17), o seu apoio à reeleição do prefeito Edivaldo Holanda Jr (PDT).

Cafeteira disse que optou pelo que considera o melhor para São Luís com o conhecimento de causa de quem acompanha o mandato de Wellington no Legislativo.

A sua decisão foi tomada nesta tarde depois de uma reunião com o deputado Weverton Rocha, líder do PDT na Câmara Federal, sem que tenha que queimar a própria língua, como fizera Evangelista, que não media palavras para desqualificar Eliziane Gama.

Após mágoas com o PSDB, Neto Evangelista declara voto em Eliziane

Após ressentimento por ter sido preterido, Neto Evangelista anuncia que marchará com o próprio ninho tucano

Após ressentimento por ter sido preterido, Neto Evangelista anuncia que marchará com o próprio ninho tucano

Após ter sido preterido, por parte do partido, pela candidatura da deputada federal Eliziane Gama (PPS), o secretário estadual de Desenvolvimento Social e deputado estadual, Neto Evangelista (PSDB), declarou voto e apoio à pepessista durante coletiva de Imprensa, realizada na Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (17).

Neto  Evangelista poderia ter ido com o próprio partido, sem a necessidade, inclusive, de chamar uma coletiva, já que o PSDB já  optou por Eliziane Gama há um bom tempo e ele é um tucano. No entanto, estava ressentido de mágoas, com o orgulho ferido e se enxerga, provavelmente na condição de secretário do governo, maior até que o próprio PSDB.

Lembrando que nem mesmo o experiente ex-prefeito João Castelo (PSDB), que tem muitos votos cristalizados em São Luís  e peso político considerável nesse processo, realizou evento ou coeltiva para declarar apoio, pois o partido já o tinha feito.

Apesar de ter se reelegido bem para deputado estadual e de ter sido candidato a vice-prefeito de João Castelo em 2012, São Luís não é o principal reduto eleitoral de Neto Evangelista. Então, na capital maranhense, o apoio dele não tem tanto peso assim, não soma significativamente. E no “frigi dos ovos”, o deputado/secretário sai menor do que começou nesse processo da sucessão municipal na cidade.

Eliziane e Neto – Passado de embates fortes

Há que se recordar que no passado, nos meses que antecederam e durante a campanha de 2012, Neto Evangelista e Eliziane Gama travaram embates fortes por conta da disputa  pela Prefeitura de São Luís, quando a deputada federal só conhecida o ex-prefeito  como “caostelo” e lhe fazia inúmeras e injustas críticas na tribuna, fora dela, em entrevistas, debates, etc.

Mas, pasmem, as coisas mudam e, como diz o próprio Castelo, em política “ainda não se viu foi boi voar, mas o resto…” Há exatos quatro anos, o PSDB era para Eliziane Gama a própria imagem “do coisa ruim”, o retrocesso, o caos, o absurdo, etc. Hoje, a história é outra.

Como em política, o que menos importa aos políticos é a coerência, aguarda-se para ver quais serão as alegações  que Eliziane usará para justificar que mudou de ideia em relação ao termo “caostelo” que ela mesma abraçou de 20111 a 2012 com tanta agressividade.