Flávio Dino define ações emergenciais para amenizar impactos da chuva na Grande São Luís


Foram definidas ações em 13 pontos emergenciais, que incluem apoio social às famílias, recuperação de infraestrutura, garantia de mobilidade urbana e isolamento de áreas perigosas.

O governador Flávio Dino reuniu, na tarde deste domingo (24), secretários de Estado, presidentes de órgãos e o Corpo de Bombeiros para discutir mais ações que minimizem danos derivados das fortes chuvas nos quatro municípios da Grande Ilha. Foram definidas ações em 13 pontos emergenciais, que incluem apoio social às famílias, recuperação de infraestrutura, garantia de mobilidade urbana e isolamento de áreas perigosas.

De acordo com o secretário Rodrigo Lago, da pasta de Comunicação Social e Articulação Política (Secap), as ações emergenciais envolvem vários órgãos. “O governador reuniu com vários órgãos do Estado para definir ações imediatas e emergenciais para resolver problemas que foram causados pelas fortes chuvas, como retirar pessoas em área vulneráveis a acidentes, para que a população sofra o menor impacto possível por esse excesso de chuva”, explica.

Entre sábado (22) e domingo, choveu metade do que estava previsto para todo o mês de março na ilha de São Luís. Somente na última madrugada foram 150 milímetros de chuva.

Segundo Rubens Pereira Júnior, secretário de Cidades, as famílias atingidas receberão todo o suporte assistencial. Ele informou que será dado apoio a remoção de famílias em área vulneráveis com a concessão do aluguel social para garantir habitação adequada para cada uma delas e, em caráter emergencial e indenizatório para pessoas que tiveram a casa avariada, será concedido o benefício do Cheque Minha Casa. O programa Cheque Minha Casa oferece R$ 5 mil para que famílias de baixa renda adquiram materiais de construção, para reforma ou ampliação de suas casas.

O Governo do Estado alerta que, em caso de emergência, a população deve entrar em contato com o Corpo de Bombeiros, por meio do número 193.

No domingo (24), um casarão desabou e outro teve deslocamento de parte da estrutura no Centro Histórico da capital após as fortes chuvas. Os imóveis atingidos estão localizados na Rua Jacinto Maia, próximo ao Convento das Mercês, e outro na Praça Pedro II, próximo à sede do poder municipal. As chuvas têm sido intensas, demoradas e o volume de águas ficou acima da média climatológica prevista pelo Núcleo Geoambiental da Universidade Estadual do Maranhão (Uema).

Nos locais dos desabamentos, equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA) realizaram o isolamento, remoção de entulhos e levantamento técnico sobre as condições dos imóveis. Nesta segunda-feira (24), serão iniciados os trabalhos para escoramento e reforço da estrutura, a fim de evitar incidentes com as chuvas que virão. Em outra frente de trabalho, um novo reboco será construído para restaurar as condições originais dos prédios.

O prefeito Edivaldo Holanda Júnior pontuou que o município está trabalhando conjuntamente com o Estado. “Estamos acompanhando as vistorias e os trabalhos que devem ser realizados para evitar incidentes e contamos com apoio e os esforços dos demais órgãos envolvidos para conter a situação”, informou.

Encontro vai debater futuro da Base de Alcântara nesta segunda-feira (25)


Entre as autoridades convidadas a debater o tema estão o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB-MA), o presidente da Assembleia, Othelino Neto (PCdoB) e o prefeito de Alcântara, Anderson Araújo (PCdoB).

Um encontro entre lideranças políticas e comunitárias, marcado para esta segunda-feira (25), às 19 horas, na Assembleia Legislativa do Maranhão, irá discutir o futuro da Base de Alcântara. Entre as autoridades convidadas a debater o tema estão o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB-MA), o presidente da Assembleia, Othelino Neto (PCdoB) e o prefeito de Alcântara, Anderson Araújo (PCdoB).

A reunião foi marcada após o governo Jair Bolsonaro assinar, na semana passada, Acordo de Salvaguardas Tecnológicas com os Estados Unidos, que permite a este país explorar comercialmente o Centro de Lançamentos de Alcântara (CLA). Contudo, o inteiro teor do texto não foi divulgado, o que fez despertar preocupação dos políticos maranhenses, sobretudo da população quilombola que vive no entorno da Base.

A oposição tem sido cautelosa com o Acordo, uma vez que no espaço geográfico onde está instalado o CLA vivem centenas de quilombolas. No início dos anos 2000, um acordo semelhante foi assinado pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, mas acabou sendo barrado por ferir a soberania nacional e propor, entre outros pontos, a expansão territorial da base. Na época, Bolsonaro era deputado federal e votou contra o acordo.

Em 1983, quando a base estava em construção, 312 famílias quilombolas foram deslocadas de suas terras pelo governo, sem consulta, sem indenizações ou reparo de danos sociais, culturais, políticos e econômicos.

“Um acordo dessa natureza pode ser bom para o Brasil, inegavelmente, desde que ele não atente contra a soberania nacional, que não haja uma lógica de enclave, como houve no passado, e que, além de se transformar em dividendos para a comunidade local e para o Maranhão de modo geral, ele possa significar algo importante e estratégico para a política aeroespacial brasileira. Esse é um tema que estou levando para a Comissão de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática e para o qual protocolei pedido, na última segunda, propondo a criação de uma subcomissão especial para acompanhar esse acordo de salvaguardas tecnológicas entre Brasil e Estados Unidos”, disse o deputado Márcio Jerry.

O governador Flávio Dino (PCdoB), também em declarações recentes, disse que apoia o uso inteligente da Base, mas afirmou que as regras não podem violar a soberania nacional, tão pouco desrespeitar os quilombolas de Alcântara, além de que necessariamente devem trazer contrapartidas para a região. “A exploração comercial não pode ser monopólio de um país, ou seja, a Base deve estar à disposição de todos os países que queiram usar e tenham condições para tanto. É vital, a meu entender, que se criem as condições para a retomada do Programa Espacial Brasileiro”, disse em entrevista à Revista Fórum.

O governo federal vem insistentemente divulgando que o mercado de lançamentos aeroespaciais movimentou em 2017 cerca de US$ 3 bilhões, um crescimento de mais de 16% em relação ao ano anterior, utilizando como fonte a Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos. E que, ao assinar o Acordo, Bolsonaro colocaria o país em um mercado bilionário. Cauteloso, Márcio Jerry protocolou em Brasília um pedido para que Marcos Pontes, Ministro da Ciência e Tecnologia, explique o alcance desse novo acordo com os norte-americanos e a garantia da soberania nacional.

Próximos dias prometem mais chuvas intensas, afirma Núcleo de Meteorologia da Uema

O acumulado de chuvas nas últimas 24 horas foi de 217 milímetros – que representa 49,2% da média climatológica prevista para o mês de março que é de 428 milímetros.

Chuvas mais fortes e intensas vão permanecer e a tendência é que ultrapassem a média climatológica prevista, o alerta é do Núcleo Geoambiental da Universidade Estadual do Maranhão (Uema). Segundo o chefe do laboratório de meteorologia do Núcleo Geoambiental, Gunter de Azevedo Reschke, da meia noite do dia 24 até às 9h, foram registrados 150 milímetros de chuvas. O acumulado de chuvas nas últimas 24 horas foi de 217 milímetros – que representa 49,2% da média climatológica prevista para o mês de março que é de 428 milímetros.

O alto volume de chuvas é causado pela ação da Zona de Convergência Intertropical, que está mais presente este ano, informa o meteorologista. A ação deste sistema provoca chuvas mais volumosas e persistentes, abrangendo todo o Norte e Nordeste do país e é o principal sistema causador de chuvas no Maranhão.

Devido a esse fator, a média climatológica prevista para março já foi superada. Do dia 1º até às 9h de domingo foram 582 milímetros de chuvas na capital. “Ou seja, já choveu 26,4% a mais do previsto na média climatológica, nestes dias do mês. E vai chover ainda mais para os próximos dias”, alerta. Segundo as previsões, março deve ultrapassar os 600 milímetros de chuvas.

De acordo com o Núcleo Geoambiental da Uema, a capital contabilizou cinco anos consecutivos com chuvas abaixo do esperado – de 2012 a 2016; e outros dois anos com águas na média prevista – 2017 e 2018. A média climatológica anual para São Luís é de 2.290 e ficou 40% abaixo da média nestes períodos. Para 2019, a previsão é que alcance 2.500 milímetros até o final do ano – acima da média histórica.

Governo do Maranhão empossa 94 novos policiais civis

Os policiais foram nomeados no início deste mês pelo governador Flávio Dino

O Governo do Maranhão deu posse a 94 novos policiais civis. A cerimônia foi realizada no Palácio Henrique de La Rocque e presidida pelo vice-governador Carlos Brandão. Aprovados em concurso público realizado no ano passado, os novos integrantes da Polícia Civil do Estado ocuparão as funções de delegados, investigadores, escrivães e peritos criminais.

“É um grande momento para o Maranhão. Já avançamos muito para a segurança e temos certeza que, com a posse desses novos membros na Secretaria de Segurança, nós vamos fortalecê-la ainda mais e vamos ter resultados ainda melhores”, afirmou Brandão.

Os policiais foram nomeados no início deste mês pelo governador Flávio Dino. Os 94 policiais civis ocuparão os cargos de delegados, escrivães, investigadores de polícia e peritos criminais.

Desde 2015, mais de 3.500 novos Policiais Civis, Militares e Corpo de Bombeiros passaram a integrar as forças de segurança do Estado do Maranhão.

Forte chuva causa prejuízos na região metropolitana de São Luís


Em muitas regiões foram registros alagamentos e deslizamentos

A chuva forte que caiu na região metropolitana de São Luís neste domingo (24) causou estragos e alagamentos em vários pontos da ilha. Em muitas regiões foram registros alagamentos e deslizamentos.

No bairro da Redenção e no Felipinho, dois muros desmoronaram, em um dos casos um veículo foi atingido.

Um casarão desabou no Centro Histórico de São Luís

No bairro Sacavém, a chuva causou um deslizamento que resultou no desmoronamento de uma residência e atingiu outras residências próximas. Duas pessoas ficaram feridas e foram levadas para o Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão I).

Vários pontos de alagamentos foram registrados no bairro do Anil

Muitos pontos de alagamentos foram registrados em vários pontos da ilha. No bairro do Anil, a Avenida Casemiro Júnior inundou. Na Avenida Jerônimo de Albuquerque, o alagamento atrapalhou o trânsito próximo ao Terminal de Integração da Cohab.

Em muitas regiões foram registros alagamentos e deslizamentos

A Estrada de Ribamar foi o ponto mais crítico dos alagamentos, o rio Paciência transbordou causando prejuízos para moradores dos condomínios próximos e para motoristas. A via ficou totalmente intrafegável.

No centro histórico de São Luís, um casarão acabou desabando após as fortes chuvas.

Eliziane participa de Congresso do PPS que aprovou mudança de nome para Cidadania 23


Para a senadora, cidadania plena é ter tratamento de esgoto, emprego, escola para os filhos, saúde, segurança e liberdade de expressão plena

Na esteira de um movimento de siglas que alteraram seus nomes para driblar o desgaste com a crise da representação política no País, integrantes do Partido Popular Socialista (PPS) aprovaram a mudança de nome do partido para Cidadania. A decisão foi tomada durante congresso extraordinário realizado na manhã deste sábado, 23, em um hotel em Brasília. A senadora Eliziane Gama participou do evento.

Esta não é a primeira vez que o partido muda sua nomenclatura. Há 27 anos, se chamava Partido Comunista Brasileiro (PCB). Os filiados votaram entre os nomes Cidadania e Liberdade.

“Hoje no Congresso do PPS em Brasília aprovamos o novo nome do partido Cidadania 23. Nosso partido se notabilizou no Brasil pelo combate à corrupção e por ser fiscal do recurso público. Nós estamos aprovando esse novo nome e discutindo um novo olhar para a população brasileira. Precisamos de serenidade, precisamos ser contundentes no combate ao desemprego e a corrupção. Precisamos que o estado sirva aos que mais precisam, precisamos fomentar a cidadania plena para todos os brasileiros. Hoje somos Cidadania 23”, escreveu Eliziane em suas redes sociais.

Na Câmara dos Deputados, a bancada do Cidadania soma oito vagas, no Senado, são três parlamentares.

Para a senadora, cidadania plena é ter tratamento de esgoto, emprego, escola para os filhos, saúde, segurança e liberdade de expressão plena. “Temos que buscar isso e por isso a ideia de Cidadania é algo fundamental”, disse.

O presidente do partido, Roberto Freire, afirmou que o próximo passo será a escolha da logomarca do Cidadania. “É importante no novo momento que estamos vivendo decidir entre logomarcas. Ouvindo o máximo de especialistas com o mínimo de recursos possível e depois enviar para os diretórios estaduais do Cidadania para que depois a gente saiba qual a posição nacional do partido”, afirmou.

Homem recebe carga elétrica e cai do 4º andar em São Luís


Segundo os relatos dos moradores, o prestador de serviço estava pintado parte do prédio

Um homem, ainda não identificado, caiu do 4º andar de um prédio no Condomínio Vitória, na Estrada de Ribamar.

Segundo os relatos dos moradores, o prestador de serviço estava pintado parte do prédio e recebeu uma carga elétrica e logo após caiu.

O homem foi socorrido por uma equipe do SAMU, apesar do impacto, ele sobreviveu.

Marinha chama atenção para alta da maré no final de semana

Segundo a Marinha, a previsão é que a maré na preamar só comece a cair na segunda-feira (25)

A Marinha do Brasil prevê mais dias de maré alta na região metropolitana de São Luís. Até domingo (24), a preamar (ponto mais alto da maré) deve superar os 6 metros. Nos últimos dias a alta da maré inundou o estacionamento da Praia Grande, no Centro Histórico de São Luís e a orla da cidade de Raposa.

O fenômeno acontece em virtude da superlua que é quando a lua e o sol estão alinhados no mesmo plano exercendo uma força gravitacional maior, que provoca a super maré, também conhecida como maré de sizígia.

A maré de sizígia ocorre várias vezes no ano e ele se intensifica quando há o fenômeno da superlua.

Na noite quinta-feira (21), a maré chegou a 6.3 metros e causou estragos na ilha. O bairro da Ilhinha também teve mais uma noite de ruas alagadas.

Segundo a Marinha, a previsão é que a maré na preamar só comece a cair na segunda-feira (25). O que faz pescadores e moradores das localidades próximas à praia ligarem o sinal de alerta.

Eliziane consegue que ministros sejam ouvidos sobre Base de Alcântara

Eliziane lembrou da necessidade retorno e compensação para as comunidades de Alcântara, principalmente os povos tradicionais da localidade. Segundo a parlamentar, é fundamental a participação do Governo do Maranhão no debate

A Comissão de Relações Exteriores do Senado Federal aprovou o requerimento de autoria da senadora Eliziane Gama (PPS-MA) e do senador Marcos do Val(PPS-ES) para ouvir os ministros de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes e das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. Os parlamentares querem saber os detalhes do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST), que permite o uso da Base de Alcântara pelos Estados Unidos.

“Se for um bom acordo para o Brasil, tenho certeza que o Maranhão poderá entrar numa rota e ser uma referência em tecnologia. Temos um grande potencial intelectual, temos uma boa posição geográfica, mas temos que usar isso para o bem do Maranhão e do Brasil. Nós vamos ouvir os ministros e entender esse acordo e aí sim tomar uma decisão favorável ou contra”, esclareceu.

Eliziane lembrou da necessidade retorno e compensação para as comunidades de Alcântara, principalmente os povos tradicionais da localidade. Segundo a parlamentar, é fundamental a participação do Governo do Maranhão no debate.

“Estamos aqui para defender o Brasil, o Maranhão e as pessoas, pois o ser humano é o nosso maior bem. Se for um projeto para o bem do Maranhão terão em mim a maior defensora, se não for bom buscarei impedir esse acordo”, enfatizou a senadora.