Roberto Rocha registra sua candidatura no TRE-MA sem o candidato a vice-governador

Roberto Rocha é o único, até o memento, que não apresentou seu companheiro de chapa

O senador e candidato ao Governo do Estado, Roberto Rocha (PSDB), deu entrada no registro de sua candidatura no Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, sem apresentar o nome de seu vice.

No sistema do TRE-MA, atualizado na manhã desta terça-feira (14), consta a imagem de Rocha com todos os seus dados, mas desacompanhado das informações de seu vice.

Roberto Rocha é o único, até o memento, que não apresentou seu companheiro de chapa.

Os nomes da deputada estadual Graça Paz e do ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, ambos do PSDB, foram ventilados como possíveis vices. O vereador de Imperatriz Ricardo Seidel, da Rede, também foi sondado, mas a indefinição continua, mesmo após o registro da candidatura de Roberto Rocha.

Flávio Dino dará pontapé inicial em sua campanha na cidade de Raposa

O ato vai acontecer no dia 16, primeiro dia de campanha liberado pelo Tribunal Superior Eleitoral

O pontapé inicial da campanha para reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB) vai ser dado na cidade de Raposa, região metropolitana de São Luís. O ato vai acontecer no dia 16, primeiro dia de campanha liberado pelo Tribunal Superior Eleitoral.

A cidade é administrada pela prefeita Talita Laci, também filiada ao PCdoB. O evento vai contar com a organização, além de Talita, do seu pai, o ex-prefeito José Laci e do presidente da Câmara de Vereadores, Beka Rodrigues.

O evento promete movimentar a pequena cidade pesqueira e reunir os candidatos ao Senado Federal Weverton Rocha (PDT), Eliziane Gama (PPS) e o candidato a vice-governador Carlos Brandão (PRB), além dos candidatos a deputados estaduais e federais da coligação “Todos Pelo Maranhão” que reúne 16 legendas.

Anúncio dos candidatos a deputado estadual e federal de Maura Jorge causa ruídos na coligação do PSL

Candidatos a deputado estadual e federal da coligação reclamam da falta de apoio que a candidata vem dando aos correligionários

Causou estranheza, nos bastidores da política, inclusive dentro do próprio PSL, o evento em que a candidata ao Governo do Estado, Maura Jorge (PSL), apresentou seus candidatos a deputado estadual e federal.

Em uma carreata realizada na cidade de Lago da Pedra, no último domingo (12), Maura Jorge apresentou os nomes de seus candidatos as eleições proporcionais. Para a Assembleia Legislativa, Maura Jorge vai apoiar Fábio Macedo (PDT), que é da base de sustentação do governador Flávio Dino (PCdoB), para a Câmara dos Deputados, Maura Jorge vai apoiar Aluísio Mendes (Podemos), que está na coligação de Roberto Rocha (PSDB).

Vale lembrar que, há menos de duas semanas, Maura Jorge teceu duras críticas a Aluísio Mendes. O deputado levou o Podemos para a coligação de Roberto Rocha, o que inviabilizou sua candidatura de Maura Jorge, em relação ao tempo de TV.

O apoio aos dois deputados que não são da sua base de sustentação causou um ruído dentro do próprio PSL e do PRTB. Candidatos a deputado estadual e federal da coligação reclamam da falta de apoio que a candidata vem dando aos correligionários.

Bolsonaro demite assessora fantasma

Em janeiro, a Folha revelou a existência da funcionária fantasma. De acordo com pessoas da cidade, Wal, como é conhecida, também presta serviços particulares na casa de Bolsonaro, mas tem como principal atividade o comércio de açaí

O candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL-RJ) demitiu nesta segunda-feira (13) a assessora fantasma Walderice Santos da Conceição. A demissão, a pedido da assessora, foi divulgada por ele depois de a Folha publicar reportagem nesta segunda que flagrou Walderice trabalhando em sua loja de açaí na região de Angra dos Reis na hora do expediente da Câmara dos Deputados.

Em janeiro, a Folha revelou a existência da funcionária fantasma. De acordo com pessoas da cidade, Wal, como é conhecida, também presta serviços particulares na casa de Bolsonaro, mas tem como principal atividade o comércio de açaí. Nesta segunda, a Folha voltou ao local e constatou que a funcionária continuava na venda de açaí em horário de expediente.

A reportagem comprou com Walderice um açaí e um cupuaçu. Ela afirmou que trabalha na loja, que leva seu nome, Açaí da Wal, todas as tardes, na pequena Vila Histórica de Mambucaba, a 50 km de Angra dos Reis. Walderice figura desde 2003 como um dos 14 funcionários do gabinete parlamentar de Bolsonaro, em Brasília, recebendo atualmente salário bruto de R$ 1.416,33. Bolsonaro afirmou nesta segunda que a funcionária ligou pedindo demissão, mas que seria “muito complicado”, então ele a exonerou. “Eu fico chateado até, porque ela precisa, é uma pessoa pobre”, afirmou o deputado.

A princípio, o candidato havia dito que Walderice se demitiu na manhã de segunda por causa do desgaste. O nome de Wal foi citado no debate entre os presidenciáveis realizado pela TV Bandeirantes na última quinta (9). O candidato do PSOL, Guilherme Boulos, perguntou a Bolsonaro “quem é Wal?”.

A afirmação do deputado de que Walderice pediu demissão pela manhã é discrepante com as falas da própria funcionária à Folha. Nas duas conversas que teve com a reportagem, não mencionou pedido de demissão. Apenas após a identificação dos jornalistas, no final da tarde, a funcionária ligou para o jornal para afirmar que pedira demissão.

Antes de se identificar como repórteres, a Folha conversou com Walderice na pequena loja de açaí onde ela trabalha. Ela chegou a comentar o debate da TV Band. “Ele [Boulos] disse que o Jair tinha uma funcionária fantasma.” Em resposta à pergunta da Folha sobre quem era, Walderice afirmou: “Sou eu.”

Depois da reportagem da Folha de janeiro, o parlamentar passou a dar diferentes versões sobre a assessora. Primeiro, disse que buscou o endereço do local e viu que a “casinha” de açaí era da irmã de Walderice. Em outra tentativa de explicar, disse que sua secretária de gabinete estava em período de férias na ocasião em que a Folha visitou o local na primeira vez. Essa foi a versão dada, por exemplo, na resposta a Boulos no debate da Band.

Segundo moradores da região, o marido dela, Edenilson, presta serviços de caseiro ao deputado.

Propaganda eleitoral começa quinta-feira (16)

Passa a ser permitido aos candidatos realizar comícios; carreatas; distribuir material gráfico; fazer propaganda na internet (desde que não paga)

A propaganda eleitoral das Eleições 2018 começa na próxima quinta-feira (16). Neste ano, os eleitores vão escolher os próximos presidente e vice-presidente da república, governador e vice-governador, senador e suplentes, além dos deputados federais e estaduais.

Os partidos e coligações têm até a próxima quarta-feira (15) para registrar a candidatura.

As datas foram definidas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Passa a ser permitido aos candidatos realizar comícios; carreatas; distribuir material gráfico; fazer propaganda na internet (desde que não paga).

O horário eleitoral na televisão e no rádio só começa no fim de agosto, no dia 31.

Confira algumas datas do calendário eleitoral no mês de agosto.

15 de agosto – último dia para os partidos e coligações registrarem candidaturas;

16 de agosto – passa a ser permitida a propaganda eleitoral em carros de som, assim como a realização de comícios, carreatas, distribuição de material gráfico e propaganda na Internet, entre outras formas;

20 de agosto – Último dia para os candidatos solicitarem registro de candidatura caso os partidos políticos ou as coligações não o tenham requerido;

31 de agosto – Início do período da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão.

Eleições 2018: prazo para registro de candidatura no TRE-MA vai até quarta (15)

O deferimento dos registros de candidatura está condicionado ao preenchimento das condições de elegibilidade

Os partidos políticos e coligações têm até as 19h da próxima quarta-feira, 15, para apresentar os pedidos de registro de seus candidatos ao Tribunal Regional Eleitoral. O atendimento aos requisitos legais pelos postulantes a cargos eletivos são analisados pelo TRE após a formalização dos pedidos.

O deferimento dos registros de candidatura está condicionado ao preenchimento das condições de elegibilidade (idade mínima, filiação partidária, domicilio eleitoral, etc) e ao não enquadramento em quaisquer das hipóteses de inelegibilidade previstas em lei, como a Ficha limpa.

Os registros de candidatura, após serem submetidos à Justiça Eleitoral, podem ser impugnados (contestados) por candidato, partido político, coligação ou Ministério Público.

O prazo para impugnação é de cinco dias a partir da publicação de edital com a lista de todos os pedidos realizados pelas agremiações no Diário da Justiça Eletrônico.

O candidato escolhido em convenção que não tiver o registro apresentado por sua agremiação deve requerê-lo diretamente ao TRE-SP. O prazo é de dois dias contados da publicação do edital com a lista de todos os pedidos, no Diário da Justiça Eletrônico.

A lei prevê que todos os pedidos de registro de candidatos, inclusive os impugnados e os respectivos recursos, estejam julgados até 17 de setembro.

Candidatura de Flávio Dino está confirmada, afirma site de Sarney

Após decisão judicial, o site iMirante, de propriedade do grupo Sarney, publicou, neste domingo (12), o direito de resposta à Coligação Todos pelo Maranhão, mostrando que o governador Flávio Dino (PCdoB) está confirmado na corrida ao Governo do Estado. Veja a nota:

Por meio de decisão judicial, a Coligação Todos pelo Maranhão vem a este espaço confirmar a candidatura de Flávio Dino à reeleição, erroneamente negada por este jornal.

Com mais de 30 anos de vida pública, Flávio Dino nunca foi processado e tem a ficha limpa. Esta decisão vinda de uma juíza de Coroatá, em um caso de eleição municipal, não impede sua candidatura.

Dino e Carlos Brandão, seu candidato a vice, estão devidamente inscritos para debater propostas em favor da justiça social e do desenvolvimento do Maranhão. Da mesma forma, a candidatura de Márcio Jerry a deputado federal está garantida.

A coligação Todos pelo Maranhão reafirma a seriedade, a honestidade e o trabalho sério de Flávio Dino como juiz, deputado e governador.

A Democracia garante e exige que os mandatários submetam-se ao voto popular, livre e secreto, jamais submetendo-se a manobras que somente tumultuam o processo democrático.

Coligação Todos pelo Maranhão

Roseana Sarney tem seu nome registrado no TRE-MA

Além de Roseana, o grupo Sarney registrou o nome de Ribinha Cunha (PSC) para a vaga de vice-governadora na chapa

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) deu entrada no registro de sua candidatura, no Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, no sábado (11). Ela vai disputar o Governo do Estado pela quinta vez.

Além de Roseana, o grupo Sarney registrou o nome de Ribinha Cunha (PSC) para a vaga de vice-governadora na chapa, e de Sarney Filho (PV) e Edison Lobão (MDB) para o Senado Federal.

Foram registrados os suplentes Clóvis Fecury e João Manoel Santos Souza, do candidato Sarney Filho, e Lobão Filho e Antônio Leite Andrade, do candidato à reeleição, Edison Lobão.

O grupo Sarney entra nestas eleições para voltar ao comando do Governo do Estado, após ter seu domínio interrompido em 2014, com a eleição do governador Flávio Dino (PCdoB).

Notas rápidas deste domingo (12)

O próximo debate será organizado pela RedeTV e terá como mediadores Boris Casoy, Amanda Klein e Mariana Godoy

ACM Neto no comando
Geraldo Alckmin escolheu o presidente do DEM, ACM Neto, como o responsável pela sua chapa junto ao TSE. O gesto é um reconhecimento ao DEM diante dos demais partidos da coligação, e aponta para que, caso o tucano seja eleito, o partido tenha protagonismo no futuro governo. Também é uma forma de discretamente tirar da linha de frente o ex-governador de Goiás Marconi Perillo, cuja presença desagradava os aliados.

Tem outro debate chegando
Na próxima sexta-feira, candidatos ao Planalto estarão novamente participando de debate. Dessa vez, o encontro será organizado pela RedeTV e terá como mediadores Boris Casoy, Amanda Klein e Mariana Godoy.

O ‘Brasil Soberano’ de Ciro
O PDT lançou nesta sexta-feira as diretrizes do programa de governo de Ciro Gomes, que será batizado de “Brasil Soberano”. No documento que apresenta as linhas gerais da proposta, o candidato propõe uma política de indução de desenvolvimento que voltará a usar o BNDES, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal. Propugna ainda que o Banco Central fixe meta não só de inflação, mas também de desemprego.

Flávio Rocha no bonde de Bolsonaro
O empresário Flávio Rocha, controlador das lojas Riachuelo e ex-presidenciável pelo PRB, partido que acabou se aliando ao tucano Geraldo Alckmin, anunciou o apoio a Jair Bolsonaro, candidato à Presidência pelo PSL. Segundo o jornal Gazeta do Povo, o anúncio aconteceu depois de uma reunião entre Rocha e Bolsonaro, realizada na manhã desta sexta-feira, 10, em São Paulo. Em certo momento da campanha, Rocha afirmou que Bolsonaro estava à esquerda na economia, pelas suas posições historicamente estatistas, e era como um iceberg no caminho do Brasil. Agora, aparentemente, mudou de ideia.

Daciolo foi ‘pesadelo’ do PSOL
Cabo Daciolo (Patriota) começou sua carreira política no PSOL, que se sensibilizou por sua liderança em movimento que pedia auxílio-transporte para os bombeiros militares. Acabou eleito a deputado federal com 49.831 votos, em 2014. O romance do cabo com a legenda durou menos de um ano. Daciolo apresentou uma PEC para que o texto constitucional afirmasse que “todo poder emana de Deus e não “do povo”. Ele também considerou ilegal a prisão preventiva dos PMs acusados de assassinato do pedreiro Amarildo de Souza, em 2013.

A identidade digital no programa de Marina
Uma das propostas mais valorizadas pelo economista André Lara Resende, colaborador da campanha de Marina Silva (Rede), é a da carteira de identidade digital. Resende cita as experiências da Índia e da Estônia ao propor a criação de um documento online para diminuir a burocracia na obtenção de outros documentos, contratos e em transações econômicas, como a abertura de empresas. Ele afirma que a plataforma torna os cartórios obsoletos.

Os palanques de Ciro nos Estados
Apesar de isolado na campanha, em decorrência do acordo do PT com o PSB, Ciro Gomes têm garantido palanques em pelo menos oito Estados, nos quais o partido lançou candidato próprio a governador (SP, RJ, RS, RN, MS, RO, AM e AP). Além disso, o terá cinco candidatos a vice-governador (CE, PE, ES, MT, PB) e sete ao Senado (SP, PR, MA, CE, RR, PA, AM), em coligações firmadas na reta final de composição eleitoral.