Eliziane e Edivaldo arrebanham multidão na quarta-feira de Cinzas

Blog Marrapá 

Eliziane lotou Aterro do Bacanga.

Eliziane lotou Aterro do Bacanga.

Se procede que o ano brasileiro só começa depois do Carnaval, os dois principais postulantes ao Palácio de La Ravardière nem esperaram o primeiro dia útil de 2016 terminar para dar largada na corrida pela prefeitura de São Luís.

A deputada federal Eliziane Gama (Rede) e o prefeito Edivaldo Junior (PDT) “arrebanharam” quase 30 mil pessoas nessa quarta-feira de Cinzas (10), concorrendo em eventos simultâneos destinados a louvar o Senhor e manter cativa a preferência do público evangélico – cerca de 30% do eleitorado ludovicense.

Holandinha foi o anfitrião do show denominado “Ora São Luís”, que atraiu 10 mil pessoas à Praça Maria Aragão para acompanhar apresentações de diversos artistas gospel e clamar por um ano de bênçãos.

Ora, São Luís: multidão se aglomerou na praça Maria Aragão para acompanhar evento promovido pela Prefeitura de São Luís.

Ora, São Luís: multidão se aglomerou na praça Maria Aragão para acompanhar evento promovido pela Prefeitura de São Luís.

Gama não deixou por menos. Financiou a gravação do DVD da cantora Aline Barros, arrastando outra multidão de evangélicos ao “puxadinho” montado no Aterro do Bacanga, também no Centro Histórico.

Com direito a disputa entre pastores, propagandas maciças em rádios e TVs, tratamento isonômico do Palácio dos Leões e briga de foice no escuro pela área da Maria Aragão, o confronto para ver qual evento gospel conseguia maior público deu o tom de quão acirrada deve ser a campanha eleitoral deste ano na capital.

Contrariada, oligarquia estrebucha contra sucesso do carnaval

Silvia

Em postagem nas redes sociais, o secretário de Comunicação do Maranhão, Márcio Jerry (PCdoB), rechaçou as críticas imprensa ligada ao clã Sarney que buscam diminuir o sucesso do carnaval promovido este ano pelo Governo do Estado.

Para o auxiliar do governador Flávio Dino (PCdoB), que também é jornalista, os “blogueiros do sistema de comunicação de Zé Sarney fazem propaganda de homicídios para ocultar a diminuição dos casos e nenhum nos circuitos”.

– Sistema de comunicação da oligarquia tenta desesperadamente – e ridiculamente – empanar o brilho do carnaval maranhense e o clima de paz – disse.

Os números apresentados na quarta-feira pela Secretaria de Segurança Pública do Maranhão confirmam o êxito do esquema especial organizado para o período festivo. Nenhuma ocorrência de crime violentou ocorreu nos circuitos oficiais da região metropolitana de São Luís.

– Carnaval de Todos foi a festa da família maranhense. Pelo jeito tem, contudo, uma família contrariada: a Sarney. Que coisa feia! – finalizou Márcio Jerry.

Mobilidade urbana levada a sério…

001-550x315

O governo Flávio Dino anuncia na semana que vem a ampliação da linha Expressa Metropolitana, que faz a ligação entre São Luís e São José de Ribamar por meio de veículos novos, confortáveis e com ar-condicionados. Os dez novos ônibus que serão acrescentados à frota já estão na capital.

002

Em postagem nas redes sociais, Dino afirmou que o projeto das linhas expressas chegará a outras regiões do Maranhão. O governador também lançou o programa “Travessia”, vai fazer transporte especial, agendado e gratuito para pessoas com deficiência na Ilha de São Luis.

Milhares de fiéis participam do Rebanhão em São Luís

Mais de 20 mil pessoas participaram do 26º Rebanhão, que este ano teve como tema ‘Vê a alegria que te vem de Deus!’

Mais de 20 mil pessoas participaram do 26º Rebanhão, que este ano teve como tema ‘Vê a alegria que te vem de Deus!’

A Renovação Carismática Católica da Arquidiocese (RCCA) de São Luís realizou a 26ª edição do Rebanhão. O evento aconteceu entre os dias 7 e 9 de fevereiro, no Ginásio Castelinho. Em três dias de muita alegria, mais de 20 mil católicos participaram do encontro, conduzidos pelo tema ‘Vê a alegria que te vem de Deus!’ (Br 4,36b).

Para o arcebispo de São Luís e vice-presidente do Conselho Episcopal Latino Americano, Dom José Belisário, o Rebanhão é um importante momento para a celebração da fé, principalmente pelo alcance de fiéis. “Temos muitos momentos de celebração e o Rebanhão é um dos maiores dele, por isso é tão importante contar com o apoio público neste momento de alegria”, declarou.

Este ano o evento contou com uma vasta programação, incluindo missa presidida por Dom José Belisário e palestras ministradas por pregadores de renome nacional, como o padre Moacir Anastácio, de Brasília, da Comunidade Renascidos em Pentecostes, que realiza a celebração da Solenidade de Pentecostes para 1 milhão de católicos, além do padre Antonelo Cadeddu, da Comunidade católica Aliança da Misericórdia, que realiza trabalhos sociais com pessoas em situação de rua, em São Paulo.

Oziel Brito é natural de Salvador, e desde que se mudou para o Maranhão, em 2012 participa do evento. Este ano ele trouxe a esposa Saiba Marçal e o filho pequeno, João Gabriel. “É uma festa muito boa e um momento de celebrarmos o carnaval de uma forma diferente”, declarou.

O presidente da RCC, Rafael Schliebe, ressaltou que o patrocínio do Governo do Estado foi fundamental para a realização do evento. “É uma celebração que já tem muitos anos e nossa comunidade se prepara, e fica em festa nessa época. Sem o patrocínio do governo do Maranhão seria muito difícil realiza-lo. Para nós é muito importante esse apoio, que garante a festa de todos os públicos”, declarou.

Durante os três dias houve oração diária do terço, confissões, missas e momentos de Adoração. O evento contou também com momentos de grande louvor e animação ao som do Ministério de Música e artes da RCC São Luis, e ainda, show com a “Banda Parresia”, da Comunidade Católica Shalom, de São Luís, além da “Banda Amarte”, da paróquia Nossa Senhora do Perpetuo Socorro.

No Rebanhãozinho, as crianças tiveram uma programação especial, conduzida pelo Ministério para Crianças, da RCC São Luís. Através de uma linguagem própria para o público infantil, com danças, brincadeiras, pregações e muita diversão, as crianças também fizeram parte das celebrações.

Eleitor pede cassação de Ribamar Alves

Prefeito de Santa Inês continua preso por estupro de jovem adventista.

Prefeito de Santa Inês continua preso por estupro de jovem adventista.

O Imparcial – Após oito dias preso, o prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves (PSB), se vê diante de outro problema, já previsível. O pedido de cassação do mandato dele foi protocolado junto à Câmara Municipal da cidade na última quinta-feira. O autor do pedido é o empresário Fernando Antônio Vicente dos Santos, que argumenta a proposta no fato do município estar sem comando há mais de uma semana. “A Lei Orgânica do Município preconiza que o Poder Executivo é exercido pelo prefeito auxiliado pelos secretários municipais. […]

O prefeito não pode se afastar do município sem a devida autorização da Câmara Municipal, ou proceder de modo incompatível com a dignidade e o decoro do cargo”, diz trechos do pedido. “Em consequência disso, o prefeito encontra-se impedido de exercer as suas atribuições constitucionais”, conclui mais à frente. Fernando Antônio, que também é presidente da Associação Comercial de Santa Inês, ainda diz que “o envolvimento reiterado do prefeito em crimes sexuais […] evidencia que o mesmo tem procedido de modo incompatível com a dignidade e o decoro do cargo”.

Baseado na Lei Orgânica do Município, o empresário pede que os vereadores se reúnam, afastem e, depois, cassem o mandato de Ribamar Alves. “Diante de todo o exposto e devidamente ponderado, […] requer […] o afastamento definitivo do prefeito José de Ribamar Alves do cargo de prefeito municipal, pela cassação do seu mandato”, finaliza trecho do documento.

DECISÃO PARA A CÂMARA

A Câmara Municipal de Santa Inês é que deve avaliar o pedido de cassação. Cabe ao presidente da Casa, vereador Orlando Mendes, acolher a proposta e levar ao plenário, o que só deve acontecer a partir do dia 15 deste mês, data em que os trabalhos legislativos são retomados. Antes disso, quem poderia tomar alguma iniciativa seria a chamada Comissão Parlamentar de Recesso, mas não se sabe se ela foi montada no Legislativo santainesense.

Até o momento, nenhum parlamentar local se manifestou sobre o caso. O máximo que foi dito pelo presidente é que existe uma tolerância de 15 dias para que o prefeito retome as atividades, antes da Câmara agir. Neste caso, eles dariam posse ao presidente como prefeito, que convocaria o vice para assumir o município. A prefeitura está ‘abandonada’ desde quando Ribamar Alves foi preso, no dia 29 de janeiro. Apenas os secretários vêm tomando as ações em suas respectivas pastas.

Em meio à crise, MA se destaca no cumprimento da LRF

LRF

Folha de São Paulo – A crise econômica e os desajustes nos Orçamentos fizeram os Estados arrecadarem no ano passado quase R$ 30 bilhões a menos do que o esperado e avançar sobre limites de gastos impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

Pelo país, as perspectivas para o ano são de mais atrasos em pagamentos e nos salários de servidores.

Levantamento feito pela Folha mostra que a maioria dos governos obteve menos receitas com tributos e com transferências federais do que o previsto um ano atrás.

Os problemas financeiros também levaram a maioria dos governadores a piorar o comprometimento das finanças com pessoal em 2015. Vinte deles ultrapassaram limites estabelecidos pela norma ao longo do ano. O nível de endividamento dos governos teve elevação generalizada.

A virada do ano escancarou os problemas de caixa que vinham se agravando ao longo de 2015. Em dezembro, o governo do Rio, administrado por Luiz Fernando Pezão (PMDB), atrasou pagamentos no setor de saúde, o que fez funcionários fecharem emergências de hospitais, gerando caos no atendimento.

Outros Estados, como Sergipe e Tocantins, retardaram o pagamento do décimo terceiro. No Rio Grande do Sul, o atraso no pagamento mensal da dívida com a União virou rotina. Há o risco de o mesmo ocorrer em Minas.

Em São Paulo, o grau de endividamento pulou de 148% de sua receita corrente líquida em 2014 para 168%.

Em relação a 2014, apenas três Estados conseguiram ampliar a arrecadação de tributos, em valores corrigidos pela inflação. Um deles foi o Paraná, primeiro a articular um pacote de aumentos de impostos neste mandato.

Os demais são o Pará e o Maranhão. Este último diz ter revisto benefícios fiscais concedidos em mandatos anteriores. A Paraíba não disponibilizou os dados.

O maior desfalque ocorreu no Rio, que esperava arrecadar com impostos e taxas R$ 43,4 bi, mas, com as dificuldades do setor do petróleo, só conseguiu R$ 29,1 bi.

Os quase R$ 30 bi a menos arrecadados representam uma queda de 7% em relação ao esperado. Nem o tarifaço, que elevou há um ano os preços da energia elétrica e dos combustíveis, evitou a queda.

Infográfico: Arrecadação total

O secretário da Fazenda de Santa Catarina, Antônio Gavazzoni, diz que o fenômeno é culpa “exclusivamente” da situação da economia nacional. No Estado, a arrecadação ficou quase R$ 800 milhões abaixo da esperada em 2015 –obteve 94% do previsto.

“A arrecadação é toda vinculada: 12% para saúde, 25% para a educação. Repassando menos recursos para áreas fundamentais e com a inflação elevando o custeio, vai tornando mais difícil a boa prestação do serviço público”, afirma Gavazzoni. A previsão para 2016 no Estado é de queda na arrecadação.

SANÇÕES

A Lei de Responsabilidade Fiscal prevê uma série de restrições a quem ultrapassa os limites de comprometimento de receita. No caso dos gastos com pessoal, o Estado fica impedido de fazer contratações. Se não houver uma melhora nas contas em oito meses, as transferências federais podem ser cortadas. Novos empréstimos também são barrados e as contas de governo podem ser rejeitadas, o que provoca a inelegibilidade do governador.

O presidente da Associação Nacional do Ministério Público de Contas, Diogo Ringenberg, diz que a piora nos índices reflete o fim de um período de “exuberância econômica”, em que os Estados se comprometeram descontroladamente com gastos.

“A mudança do viés ‘mão aberta’ para o ‘mão fechada’ é muito lenta e há resistências gigantescas a ela”, disse.

Um dos Estados que superaram o limite máximo com pessoal foi o Rio Grande do Sul, que acumula outras marcas negativas. O Estado, governado por José Ivo Sartori (PMDB), está com uma dívida 227% superior à receita corrente líquida, pior índice em oito anos.

Apesar de ter um dos maiores PIBs do país, o Rio Grande do Sul foi um dos que menos destinaram recursos para investimentos –só superou pequenos Estados do Norte.

CULPA DA CRISE

Governos ouvidos pela reportagem afirmam que a previsão de arrecadação para 2015 foi feita quando a situação da economia não estava tão deteriorada.

Em São Paulo, o governo administrado por Geraldo Alckmin (PSDB), por exemplo, afirmou que, na época da elaboração do Orçamento de 2015, a perspectiva era de crescimento de 1,5% do país no ano, enquanto o resultado final acabou sendo um encolhimento de 3%.

A piora na relação entre a dívida e a receita corrente líquida, afirma o governo paulista, ocorreu por causa da inflação e da desvalorização cambial, que afeta dívidas contraídas em dólar ou euro.

O governo do Rio diz que o aumento nesse indicador é “inevitável” quando há queda da receita. O Estado agora tem uma dívida de quase o dobro de sua receita corrente líquida e ficou próximo de atingir o limite máximo imposto pela legislação.

O governo mineiro também afirmou que parte do endividamento é afetado pelo câmbio. A Secretaria da Fazendo do Rio Grande do Sul não quis se manifestar sobre as razões da escalada da crise.

Maranhão retira nome de Sarney de prédios públicos

Governador Flávio Dino anulou homenagens ilegais ao oligarca José Sarney.

Governador Flávio Dino anulou homenagens ilegais ao oligarca José Sarney.

Atendendo à promessa de campanha feita no pleito de 2014, o governador Flavio Dino (PCdoB) baixou um decreto que proíbe que nomes de pessoas vivas sejam usadas para batizar prédios públicos. A determinação se estende também a indivíduos que tenham sido responsabilizados por violações de direitos humanos durante o regime militar.

Segundo Flávio, o decreto apenas obedece a Lei Federal nº 6.454, de 1977, que estabelece que “É proibido, em todo o território nacional, atribuir nome de pessoa viva ou que tenha se notabilizado pela defesa ou exploração de mão de obra escrava”.

De acordo com reportagem do jornal O Estado de São Paulo, um decreto publicado no Diário Oficial do Estado em 14 de janeiro estabelece a alteração dos nomes de 37 escolas do Maranhão que ainda não haviam se adequado à nova norma.

O ex-governador do Maranhão, ex-presidente da República e ex-senador do Amapá, José Sarney (PMDB), era quem mais tinha prédios batizados em sua homenagem, sete, no total. Sua filha, a ex-governadora Roseana Sarney, também era lembrada no nome de três instituições.

Outros ex-governadores, o atual senador Edison Lobão (PMDB), João Alberto de Souza (PMDB) e João Castelo (PSDB) também deixarão de ver seus nomes estampados na fachada de colégios. Outro homenageado que não mais nomeará uma instituição é o poeta maranhense Ferreira Goulart. Agora, as escolas terão nomes de políticos, professores, religiosos e estudiosos que já faleceram.

A respeito dos nomes ligados à Ditadura Militar, que já não mais nomeiam prédios no Maranhão, Dino afirma que tomou a medida em 2015 porque não haveria motivos para homenagear pessoas como os generais Castelo Branco, Emílio Garrastazu Médici e Arthur Costa e Silva, que governaram o país naquela época. Para o governador, não se deve exaltar ditadores.

Aline Barros lançará novo disco no Aterro do Bacanga

Cantora participa do encerramento da Semana Maranhense de Retiros nesta quarta-feira (10) em São Luís.

Cantora participa do encerramento da Semana Maranhense de Retiros nesta quarta-feira (10) em São Luís.

Um dos maiores nomes da música evangélica, a cantora Aline Barros fará lançamento do seu novo disco nesta quarta-feira, dia 10 de fevereiro em mega evento no Aterro do Bacanga com a presença  de grandes nomes da música gospel brasileira e internacional.

“Vai ser uma noite linda de muito louvor e adoração ao Rei Jesus”, disse Aline através de vídeo postado nas redes sociais.

Após quatro anos, Aline Barros volta a São Luis e dividirá o palco com a cantora Priscilla Alcântara, Marcos Nunes e aChristafari, a maior banda de  reggae cristão do mundo, com a participação dos cantores Avion Blackman e Solomon Jabby. Além deles, a juventude vai louvar com muitos cantores e bandas locais.

O evento comemora os 10 anos de realização da Semana Maranhense de Retiros Culturais idealizada pela deputada federal Eliziane Gama, que é também autora da Lei 8.904 que reconhece a arte evangélica como cultura.

Todos os anos a juventude cristã reúne-se nos tradicionais retiros no período carnavalesco e participa do encerramento da Semana de Retiros Culturais com grande encontro de louvor e adoração. Este ano o evento é coordenado pela Associação de Ministros do Evangelho do Maranhão-AME.

Artistas maranhenses vivem momento especial

Joãozinho Ribeiro canta música composta para peça do Laborarte, durante apresentação no palco Nelson Brito.

Joãozinho Ribeiro canta música composta para peça do Laborarte, durante apresentação no palco Nelson Brito.

Cantor e compositor, acostumado a não dissociar arte da militância social, César Teixeira conviveu com algumas das pessoas homenageadas nos espaços destinados a programação do ‘Carnaval de Todos’. Após a apresentação no palco ‘Magno Cruz’, batizado em homenagem um ex-companheiro de caminhada na Sociedade Maranhense de Defesa de Direitos Humanos (SMDH), o autor de ‘Oração Latina’, considerado um hino dos movimentos sociais no Maranhão, definiu como um reconhecimento merecido a homenagem a pessoas como Magno Cruz, cuja história de vida foi marcada pela militância aguerrida que se concretizou em ações importantes como a atuação na fundação do Centro de Cultura Negra do Maranhão (CCN).

Além de César Teixeira que apresentou-se no primeiro dia de programação do Carnaval promovido pelo Governo do Maranhão e Prefeitura de São Luís, outros nomes de grande relevância no cenário cultural do Estado também viveram um momento especial a se apresentarem em espaços que homenageiam pessoas com as quais tiveram o privilégio de conviver como é caso de Nelson Brito, um dos fundadores do Laborarte (Laboratório de Expressões Artísticas do Maranhão) e que este ano foi incluído no circuito oficial do carnaval.

Autor de clássicos da música maranhense como ‘Engenho de Flores’ cantada mais cedo no circuito Chico Coimbra, durante a apresentação do Bloco Tradicional ‘Os Baratas’, Josias Sobrinho foi uma das atrações do show realizado na noite da segunda-feira de Carnaval no palco ‘Nelson Brito’. Antes de subir ao palco, ele relembrou o período em que conviveu com Nelson Brito na caminhada de construção do Laborarte. “O nome Nelson Brito concretiza muitas das coisas que a gente observa hoje por aqui. Era meu amigo, estivemos juntos na luta pela consolidação do Laborarte ele representa esta luta constante pela valorização da cultura popular e me sinto honrado em cantar em um palco que recebe o nome de alguém que tanto contribuiu para a cultura maranhense”, comentou.

Nem mesmo a forte virose que ameaçou deixá-lo afônico no dia do show, impediu que Joãozinho Ribeiro, subisse no palco Nelson Brito para reverenciar a memória de um amigo homenageado. “Esta homenagem premia toda uma história de militância em prol da cultura popular e é muito gratificante ter a oportunidade de se apresentar neste palco ao lado de outros grandes artistas”, ressaltou.

A canção que abriu o show, a clássica ‘Te Gruda no Meu Fofão’, composta por Joãozinho Ribeiro para uma peça teatral do Laborarte, que tinha entre outros objetivos alertar de forma satírica para a necessidade de valorização do carnaval maranhense enaltecendo-o através dos personagens e brincadeiras que fazem da ‘festa de Momo’ no Estado algo que não se encontra em outra parte do país,

“A memória não morre”

Antes de começar o show, Joãozinho Ribeiro pediu desculpas por conta da voz, prejudicada pela virose, mas disse que não poderia deixar de se apresentar em um palco que leva o nome de uma pessoa que tem uma grande importância para o carnaval e a cultura maranhense. “É muita honra se apresentar aqui neste palco, que recebe o nome de Nelson Brito”.

Ao comentar a homenagem prestada a Magno Cruz, que além de militar no Centro de Cultura Negra (CCN) militou também no movimento sindical, César Teixeira ressaltou que este tipo de atitude por parte do poder público simboliza o reconhecimento a uma vida pautada pela militância em prol de uma causa coletiva. Quando Magno Cruz faleceu em 2010, César Teixeira ressaltou que pessoas cuja vida foi marcada pelo comprometimento com questões como as que eram abraçadas por Magno Cruz permanecem vivas na lembrança de quem compartilha estes mesmos compromissos e afirmou que a “memória não morre”.

Magno Cruz e Nelson Brito fazem parte do time de 19 pessoas que em suas diversas áreas de atuação deram contribuição importante para a cultura maranhense por isto mereceram este reconhecimento na homenagem prestada no “Carnaval de Todos”. Como diria a clássica canção de César Teixeira, é preciso dizer sim “a quem nos quer abraçar, a quem nos quer acolher” e cada uma destas pessoas teve uma trajetória de vida, marcada por gestos concretos de comprometimento com a cultura popular maranhense.