NEGLIGÊNCIA DO PODER PÚBLICO: Foi preciso acontecer uma tragédia em Santa Maria?

Na região metropolitana de São Luís, foram interditadas 19 casas noturnas. Mas por que somente agora?


Foi preciso uma tragédia na boate Kiss para alertar o Brasil

Foi preciso acontecer uma tragédia com mais de 200 mortes na boate Kiss em Santa Maria, cidade localizada na região central do Rio Grande do Sul, para que o poder público em todo o Brasil, claro no Maranhão também, resolvesse cumprir o dever (disse o dever, a obrigação) de mandar vistoriar, tecnicamente, as casas noturnas em funcionamento. Isso só evidencia negligência e pura irresponsabilidade.


Em uma rápida ronda, no ultimo final de semana, o Corpo de Bombeiros do Maranhão encontrou (frisa-se somente agora) 19 casas noturnas na região metropolitana de São Luís fora dos padrões de funcionamento, ou seja, irregulares em relação aos itens de segurança. Se a instituição estivesse cumprindo o seu dever desde sempre, esses estabelecimentos já deveriam ter sido notificados, interditados há muito tempo ou não deveriam nem ter começado suas atividades. Mas não…deixaram para agir somente depois que uma boate, no sul do país, pegou fogo e matou quase 240 pessoas.


Os resultados têm sido a prova cabal de que todos que frequentam essas boates e casas noturnas estão correndo sérios perigos por irresponsabilidade do poder público, que não vem fazendo a sua parte de fiscalizar o funcionamento desses estabelecimentos noturnos.  Pior ainda: muitas casas, que troaram na noite durante muito tempo, não tinham condições nem de serem autorizadas por não oferecerem as condições de segurança necessárias, mas, absurdamente, obtiveram alvarás.


Com a repentina correria às casas noturnas, a governadora do Maranhão, Roseana Sarney, e outros governadores e prefeitos de todo o Brasil assumiram, publicamente, que, há muito tempo, estavam negligenciando a causa ao não exigirem das instituições competentes a devida fiscalização. Mas antes tarde do que nunca! Que continuem atentos e fechem o cerco, realmente, a esse tipo de irresponsabilidade.




Milhares de pessoas vêm correndo riscos


Em São Paulo, maior cidade brasileira, não é diferente. A cada três boates vistoriadas, duas são assinaladas como irregulares. Isso quer dizer que milhares de pessoas vêm correndo riscos semelhantes aos dos  frequentadores da boate Kiss de Santa Maria. Um absurdo!


O Domingo Espetacular, da rede Record, mostrou, no último domingo (03), uma entrevista com o advogado de um dos proprietários da boate Kiss que questionava o  Poder Público por conta da autorização dada ao funcionamento da casa noturna.  Ele disse que o estabelecimento recebeu o aval para abrir com uma só porta de saída.  Ninguém exigiu a eles mais do que isso.


Pergunta-se: se é obrigatória a existência de portas de emergência, por que o poder público não exigiu isso da boate Kiss? Isso é ou não omissão?  Isso é negligência ou não?

Todos têm que pagar por este crime no sul do país, seja prefeitura, governo, Corpo de Bombeiros, proprietários da boate, responsáveis pela banda que se apresentava no momento e seguranças da casa noturna, que criaram obstáculos na hora da saída, no instante em que tudo pegava fogo.


Está mais do que provado aquele ditado popular que diz que “o brasileiro só fecha a porta depois que é roubado”.  Mas isso tem que acabar, isso tem que mudar…

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.