Polícia Federal caça envolvidos com esquema de diplomas falsos de Medicina no Maranhão

Policiais estão cumprindo mandados de busca e apreensão
A Polícia Federal deflagrou, nesta sexta-feira (18), a operação “Esculápio” contra um esquema de uso de diplomas e documentos falsos de medicina no Maranhão em outros 13 estados brasileiros. Além do estado maranhense, as buscas estão sendo feitas também em Alagoas, Acre, Amazonas, Bahia, Ceará, Mato Grosso do Sul, Paraná, Paraíba, Pernambuco, Rondônia, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Segundo informações da PF, as investigações começaram após a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) identificar 41 pessoas que se inscreveram para revalidar o diploma de medicina e que alegaram ter estudado em instituições bolivianas. No entanto, essas pessoas não teriam concluído o curso de medicina ou nunca foram alunos daquelas instituições.

Os mandados de busca e apreensão contra as 41 pessoas identificadas foram expedidos pela 7ª Vara Criminal da Justiça Federal de Mato Grosso. Conforme a PF, a UFMT fez contato com três universidades da Bolívia, que confirmaram que entre os inscritos no programa de revalidação, 41 pessoas nunca foram alunos ou não concluíram o curso nessas instituições.

O objetivo era concluir os estudos em universidades federais ou ingressar no Programa Mais Médicos do governo federal. A PF informou ao G1 que pessoas que trabalham nas próprias universidades bolivianas forneciam documentos para esse grupo. O falso diploma tinha a marca da instituição e detalhes específicos da universidade.

Com informações da Polícia Federal 

Postagens relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.