Pela 12ª semana seguida, preço da gasolina sobe…

Segundo dados divulgados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP),  o preço da gasolina subiu pela 12ª semana seguida, chegando a R$ 4,20 em algumas cidades brasileiras.

Nas três primeiras semanas do ano, o preço médio da gasolina nas bombas subiu 2,31%. Na terceira semana, o valor médio por litro subiu.

Nesse intervalo, a Petrobras reduziu o preço do combustível nas refinarias em 1,79%, seguindo sua política de preços, adotada em julho de 2017, de reajustar os valores para acompanhar as cotações internacionais.

Segundo a ANP, os demais combustíveis também terminaram em alta para o consumidor. O diesel subiu para R$ 3,37 por litro, em média. Na mesma semana, a Petrobras reduziu o valor do combustível nas refinarias em 0,77%.

Noano, o diesel já subiu 1,53% nas bombas. Já o etanol teve a maior alta entre os três combustíveis, subindo 0,94% na semana, para a média de R$ 2,99 por litro. Com isso, o combustível acumula alta de 2,71% no ano.

E tem crise? Secretaria de Saúde de Monção vai gastar mais de R$ 1 milhão em combustível

Enquanto saúde de Monção está um caos, Secretaria vai gastar mais de 1 milhão de reais em combustível

A Secretaria de Saúde da cidade de Monção, interior do Maranhão, vai torrar mais de 1 milhão de reais em combustível e seus derivados até 31 de dezembro deste ano. São exatos R$ 1.093.330,00 (Um milhão, noventa e três mil, trezentos e trinta reais).

Acima, extrato de contrato entre a Secretaria de Saúde e o Posto Líber LTDA, publicado no Diário Oficial do Maranhão, Caderno: Terceiros, Página 67, de 24 de Fevereiro de 2017.

Essa cifra milionária contrasta com a atual situação vivenciada pela população daquele município que necessita de atendimento médico e não encontra no hospital do município, que, diga-se de passagem, é arrendado.

Faltam materiais básicos no hospital, como um esparadrapo ou compressa para a realização de um simples curativo. Nem receituário há, imagina médicos. Há mais de seis meses, não é realizado um atendimento por lá. Os postos de saúde também se encontram em péssimas condições e com muitos problemas.

Além dessa problemática de estrutura, há tantos outros, como salários atrasados de servidores que lutam para receber os meses de novembro, dezembro, 13º salário e 1/3 de férias, referente ao ano de 2016.

Segundo o secretário de Saúde, o vereador licenciado, Érion Célio Pereira Silva, mais conhecido como Chixolinha, não há recursos para realizar esses pagamentos. No entanto, ele não vê problemas  e, tampouco, falta de dinheiro ao assinar um contrato exorbitante, imoral e tanto quanto suspeito que está na mira do Ministério Público.

A frota do município hoje se resume a uma ambulância, que passa a maioria do tempo parada, um carro de passeio e alguns que são alugados. Falta Chixolinha explicar à população monçonense e aos funcionários onde vão ser usados os recursos.