União entre PDT e PSB potencializa candidatura de Flávio Dino no Maranhão

PSB oferece três nomes para compor a chapa do pré-candidato, Ciro Gomes. Foto: Jornal Pequeno

Após a desistência do ex-ministro Joaquim Barbosa de concorrer à Presidência da República nas eleições de 2018, o PSB ofereceu, na última quarta-feira (16), três nomes para compor a chapa do pré-candidato, Ciro Gomes (PDT).

Os indicados foram o deputado federal mineiro Júlio Delgado; o ex-prefeito de Belo Horizonte (2009 a 2016), Márcio Lacerda; e o deputado federal paranaense, Luciano Ducci, que também foi prefeito de Curitiba entre 2010 e 2012, após renúncia de Beto Richa para concorrer ao governo estadual.

Os nomes foram apresentados pela cúpula do PSB em reunião com lideranças pedetistas, na casa do líder do partido na Câmara, Wewerton Rocha (MA). A maioria da bancada do PSB aprova a coligação com o ex-governador cearense.

A união entre PDT e PSB potencializa a candidatura à reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB) no Maranhão. A coligação dos dois partidos de esquerda fortalece a disputa para que Ciro Gomes esteja no segundo turno das eleições, brigando diretamente com a candidatura apoiada pelo MDB, presidente Michel Temer, ex-senador José Sarney e cia.

Muito amigo do governador Flávio Dino, Ciro Gomes aparece, na última pesquisa CNT/MDA, com 9% das intenções de voto e é tido por muitos analistas como o principal herdeiro dos votos do ex-presidente Lula (PT), caso este seja impossibilitado pela Justiça de concorrer.

Ambos os partidos também fazem da base de sustentação do governador Flávio Dino.

Marcelo Tavares nega interesse por vaga de vice-governador

Marcelo Tavares afirma que PSB se sente representado por Carlos Brandão e que não tem nenhuma dúvida sobre legalidade de sua indicação ao cargo. Foto: Divulgação

O ex-chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares (PSB), pronunciou-se sobre uma matéria veiculada pela oposição ao governo Flávio Dino (PCdoB) de que ele estaria de olho na vaga de vice-governador na chapa governista.

Em conversa com o Informante JP, Tavares afirmou que a oposição coloca o que quer em seus sites com o interesse de prejudicar o grupo de alianças em torno da reeleição do governador Flávio Dino.

Tavares informou que havia um entendimento e que a Executiva Estadual do PSB reuniu-se em março e indicou seu nome, mas que sempre respeitaram e afirmaram que não iam disputar espaço com o atual vice-governador, Carlos Brandão (PRB), que é, merecidamente, o melhor nome para a vaga.

Marcelo Tavares finalizou dizendo que o PSB se sente representado por Brandão e que não tem nenhuma dúvida sobre a legalidade de sua indicação ao cargo.

Joaquim Barbosa poderá ser candidato à presidência pelo PSB

Joaquim Barbosa deve se filiar ao partido até o dia 7 de abril.

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, decidiu que se filiará ao PSB até o dia 7 de abril, prazo final para que as legendas recebam filiações de pessoas que pretendam concorrer às eleições de outubro. Apesar de ainda não ter oficializado a decisão, de acordo com informações do jornal O Globo, a filiação foi ”comunicada ao presidente do Partido Socialista Brasileiro, Carlos Siqueira, e ao deputado federal Alessandro Molon (RJ), durante encontro realizado na manhã desta quinta-feira, em uma padaria de Brasília”.

.Ao jornal, o presidente da sigla disse que, apesar de ter avançado no assunto, ainda aguarda a assinatura de Joaquim Barbosa. Caso se concretize, o ministro poderá ser candidato à Presidência da República nas eleições de outubro pelo PSB.

No entanto, mesmo que assine a ficha de filiação, ainda não há garantia de que ele será candidato presidencial. Uma ala do partido prefere não lançar nome próprio ao Planalto para poder costurar alianças estaduais, sobretudo em Pernambuco, estado onde a legenda é mais forte. Mas na sigla nada é certo ainda.

No início do mês, durante o congresso nacional do partido, Carlos Siqueira afirmou que o ideal era que o partido tivesse um nome próprio para a disputa e ressaltou que a decisão seria tomada no momento certo. O nome de Joaquim Barbosa é aventado para ser o nome do partido ao Planalto. Recém-filiado ao partido, o ex-ministro Aldo Rebelo também é um nome citado dentro da legenda para concorrer à Presidência.

Bira do Pindaré é eleito membro do Diretório Nacional do PSB

Bira usou suas redes sociais para informar sua eleição e a reeleição do presidente nacional da sigla, Carlos Siqueira.

Na tarde deste sábado (3), o deputado estadual Bira do Pindaré (PSB) foi eleito membro do Diretório Nacional do PSB. O socialista usou suas redes sociais para informar sua eleição e a reeleição do presidente nacional da sigla, Carlos Siqueira.

A eleição de Bira pode ser considerada uma grande vitória na carreira do parlamentar. Em 2016, ele teve suas chances de ser candidato a prefeito de São Luís tiradas pelo então senador Roberto Rocha, que fazia parte da legenda.

Bira deu a volta por cima. Foi eleito presidente do Diretório Municipal de São Luís e agora conquista um lugar no Diretório Nacional.

A eleição de Carlos Siqueira acaba de vez com a tentativa de levar o PSB a apoiar o senador Roberto Rocha, agora filiado ao PSDB, na disputa para o governo.

Siqueira faz parte da mesma tendência do presidente estadual Luciano Leitoa, que em congresso no ano passado, já encaminhava o apoio da legenda ao governador Flávio Dino.

A eleição do novo diretório do PSB é uma grande conquista para o grupo governista. Flávio Dino agora pode contar com a certeza de que terá o PSB em seu grande arco de apoios.

Aliança entre PCdoB e PSB em São Paulo pode deixar Roberto Rocha isolado na disputa pelo governo do Maranhão

Senador Roberto Rocha

As articulações políticas para a corrida ao Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, envolvendo o atual vice-governador Márcio França, podem acabar de vez com a incerteza sobre o apoio do PSB à candidatura de Flávio Dino (PCdoB) no Maranhão e deixar o senador Roberto Rocha (PSDB) totalmente isolado.

Para viabilizar sua candidatura ao governo do Estado, o senador, ex-socialista, espera contar com o apoio do PSB em sua coligação e somente com a escolha da nova Executiva Nacional Roberto terá a definição.

Atualmente, dois grupos se articulam para a eleição do PSB Nacional prevista para março: o grupo ligado ao atual presidente nacional, Carlos Siqueira, e ao presidente estadual Luciano Leitoa; e o grupo de Márcio França, ligado ao governador Geraldo Alckmin e a Roberto Rocha.

Roberto Rocha acredita que a vitória de Márcio França fará com que o PSB nacional realize uma intervenção no estado e obrigue o partido a apoiá-lo mesmo a contragosto dos filiados.

Acontece que as últimas articulações em São Paulo aproximaram Márcio França e o PCdoB, ao anunciar o apoio do PR à sua candidatura no último dia 15. Márcio França falou sobre a “99% de certeza” de contar também com o apoio do PCdoB em sua coligação.

A aproximação dos comunistas e socialistas certamente trará dobradinhas em outros estados, incluindo o Maranhão, onde os comunistas têm na reeleição do governador Flávio Dino seu principal objetivo.

Roberto Rocha continua isolado politicamente. A inviabilidade da coligação do PSB significaria uma perda enorme no tempo de TV e faria com que o PSDB maranhense entrasse sozinho na disputa pelo Palácio dos Leões.

INDIGESTO! Chegada de Roberto Rocha ao PSDB deve provocar debandada no ninho tucano…

Assim como era no PSB, Roberto Rocha também é antipatizado entre diversas lideranças do PSDB

A chegada do senador do Maranhão, Roberto Rocha, ao PSDB, após ser expulso do PSB, deve causar uma verdadeira debandada no ninho tucano maranhense. Já cogitam sair do partido o vice-governador Carlos Brandão, o secretário de Desenvolvimento Social, Neto Evangelista, o prefeito de São José de Ribamar, Luís Fernando Silva, além de diversas lideranças políticas do Estado.

Assim como era no PSB, Roberto Rocha também é antipatizado entre diversas lideranças do PSDB e a chegada dele ao partido deve provocar uma grande debandada do ninho tucano no Maranhão, entre vereadores, prefeitos e lideranças políticas, inclinadas ao projeto de reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB).

Roberto Rocha (PSB-MA) acertou na quarta-feira, 13, sua migração para o PSDB, visando às eleições de 2018, em reunião com o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), presidente em exercício do partido. Ele foi expulso do PSB, após votações contrárias à orientação do partido, como no caso da Reforma Trabalhista de Michel Temer (PMDB) , matéria que ele foi favorável.

O senador vem anunciado sua pré-candidatura ao governo do Maranhão, numa possível disputa contra o governador Flávio Dino (PCdoB). O vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão, tem sido o principal responsável pela manutenção da aliança entre o PSDB e o PCdoB.

Movimentos sociais pedem expulsão de Roberto Rocha do PSB…

Roberto Rocha, também conhecido como Asa de Avião, pode ser punido pelo PSB por apoiar reforma de Temer

Os senadores Roberto Rocha (MA) e Fernando Bezerra Coelho (PE) podem ser expulsos do PSB por terem votado a favor da famigerada e massacrante reforma trabalhista, do presidente Michel Temer (PMDB), contrariando a decisão da Executiva nacional da sigla. Esta semana, os seis órgãos ligados a movimentos sociais do partido protocolaram o pedido de expulsão dos dois.

A Reforma Trabalhista, projeto do presidente da República, Michel Temer (PMDB), teve voto favorável de todos os três senadores maranhenses, passando no Senado com 50 apoios. Edison Lobão (PMDB) e João Alberto também ajudaram a “massacrar” o trabalhador brasileiro em favor dos interesses dos empresários do país que festejaram as mudanças.

Ainda hoje, por conta do voto favorável à reforma, Roberto Rocha  tem sido repreendido e criticado, em suas redes sociais, por diversos internautas e eleitores.

Em tempo, a Reforma Trabalhista tira uma série de direitos, que já haviam sido garantidos na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), dos cidadãos brasileiros.

Flávio Dino é recebido por presidente do PSB

Na noite desta quinta-feira (20), o governador Flávio Dino (PCdoB) esteve com o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, na sede da legenda em Brasília.

Durante a visita, o governador agradeceu a contribuição que o partido fundado por Miguel Arraes tem dado ao seu projeto de transformação do Maranhão.

O encontro aconteceu dois dias após a saída do senador Roberto Rocha da executiva nacional.

O encontro entre Dino e a cúpula do PSB é simbólico, um recado direto a Roberto Rocha: se ainda quiser ser candidato a governador, terá que buscar outro partido, pois os socialistas definitivamente fecharam as portas para ele e seus aliados.

Zé Reinaldo Tavares anuncia saída do PSB

José Reinaldo finalmente anuncia saída do PSB.

O deputado federal e pré-candidato ao Senado, José Reinaldo Tavares, finalmente anunciou sua desfiliação do PSB, partido no qual estava filiado há mais de três anos. O parlamentar vai para o DEM, como já se cogitava nos bastidores.

A principal causa que motivou a saída do deputado da sigla, foi a entrada do senador Roberto Rocha, seu principal desafeto, no partido. Quando Roberto Rocha entrou no PSB pulou etapas, sendo o candidato ao Senado pelo partido em 2014, aproveitando de sua relação com a executiva nacional para tomar decisões de cunho pessoal e atropelar o arquirrival. Zé Reinaldo disse várias vezes que não havia espaço para os dois no mesmo partido.

Questionado se estava trocando o PSB pelo DEM, o deputado respondeu: “eu tô fora do PSB, tô saindo”. O parlamentar disse, ainda, que não se identifica mais com a legenda, que fechou questão contra as reformas. “Eles decidiram isso sem discutir nada com os deputados. E abriram processo contra quem votou diferente na reforma trabalhista, disparou”.

Nessa queda de braço não houve vitoriosos e no fim, José Reinaldo e Roberto Rocha poderão acabar tendo o mesmo destino. É aguardar pra ver!