José Dirceu: do céu do Planalto ao inferno da prisão

Condenado pelo escândalo do mensalão, José Dirceu se entregou à prisão
Condenado pelo escândalo do mensalão, José Dirceu se entregou à prisão

O Globo – Tatiana Farah

Um anfíbio. Assim o ex-ministro José Dirceu se definiu em uma entrevista ao falar sobre sua trajetória, a adolescência como office-boy, as múltiplas funções na carreira pública, a militância política e a vida na clandestinidade durante a repressão. O termo pode explicar também como o ex-chefe da Casa Civil, que, segundo amigos e inimigos, aspirava suceder ao então presidente Lula, despencou do céu do Planalto para o inferno da condenação a dez anos e dez meses de prisão.

“Vossa Excelência desperta em mim os instintos mais primitivos”, disse Roberto Jefferson a Dirceu durante o processo de cassação do mandato do petista na Câmara dos Deputados. A denúncia de compra de votos da base aliada feita por Jefferson ganhou contornos que o próprio denunciante não imaginava em 2005. Ministro-chefe da Casa Civil, Dirceu foi acusado de comandar o esquema do mensalão, arrastando consigo a alta cúpula do PT e colocando em risco o segundo mandato do ex-presidente Lula. Jefferson também foi cassado.

José Dirceu e outros "pagaram o pato"  do escândalo do mensalão
José Dirceu e outros “pagaram o pato” do escândalo do mensalão

Comandante do PT e artífice da eleição de Lula em 2002, o então deputado Dirceu foi alçado a braço-direito do presidente eleito. Todo-poderoso, mandava no PT e no governo, não necessariamente nessa ordem. Um de seus principais aliados, Silvio Pereira, era responsável pela distribuição de cargos do Planalto aos petistas e à base.

O time de Dirceu agia, naquele começo de século, como dono do poder. Em 2005, Jefferson empanou o brilho petista. Denunciou o mensalão, que o PT e Dirceu nunca admitiram existir, mas que rendeu as mais severas condenações a políticos e empresários pelo Supremo Tribunal Federal no país. Foi Silvinho quem mais implicou o ex-ministro no escândalo: apresentou Angela Saragoça, ex-mulher de Dirceu, ao sócio de Marcos Valério e ao Banco Rural, que lhe deram um emprego e a quem ela vendeu seu apartamento. Em depoimento, Angela disse que precisava de dinheiro e que fez o negócio sem conhecimento do ex-marido. Disse que não sabia se tratar de um sócio do publicitário.

Logo depois de ser rifado por Lula do governo e do poder, magoadíssimo, Dirceu abriu o coração para um emissário do governo americano em agosto de 2005: criticou o presidente, que teria sido negligente com o recolhimento de recursos para o PT e que não era um homem de muita iniciativa. Segundo o diplomata, o ex-ministro disse que Delúbio sequer era um “cara” de seu time. Distanciando-se da crise, lembrou a origem do ex-tesoureiro no sindicalismo lulista.

Postagens relacionadas

5 thoughts on “José Dirceu: do céu do Planalto ao inferno da prisão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.